Política

Durante assembleia de professores, Randolfe reafirma ser contra PEC 55 e garante apoio à categoria

Centenas de professores participaram do encontro, que teve como tema, a luta dos educadores para o recebimento de direitos trabalhistas e gratificações, entre outras vantagens pendentes para a classe.

Compartilhe:

Durante assembleia realizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos em Educação do Estado do Amapá (Sinsepeap), nesta quinta-feira, 16, no Salão de Eventos do Sebrae-AP, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) escutou reivindicações e anseios da categoria. O congressista reafirmou ser contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Nº 55, e garantiu acompanhamento à classe para o recebimento do Reconhecimento de Saberes e Competências (RSC).

Centenas de professores participaram do encontro, que teve como tema, a luta dos educadores para o recebimento de direitos trabalhistas e gratificações, entre outras vantagens pendentes para a classe.

“Sobre o pagamento do RSC estamos acompanhando desde o começo. O trâmite foi atrasado pela burocracia, mas conseguimos tirar esse processo do Ministério do Planejamento e levar a competência para o Ministério da Educação, o que foi o mais difícil. Já foi editada a portaria do MEC, e a última assinatura que falta é a do Ministro da Educação para ser garantido o direito dos professores. Temos acompanhado isso diariamente, e assim o faremos até os educadores do Amapá receberem o que é justo”, explicou o senador.

Sobre a PEC 55 – Na ocasião, o senador Randolfe chamou de imoral a PEC 55, que congela os gastos públicos por até 20 anos. O parlamentar reafirmou ser veemente contra a medida governamental, pois a proposta massacra e oprime o povo brasileiro, oprime os servidores públicos, tais como os professores presentes no encontro.

Além do senador, a reunião contou com a presença do presidente do Sinsepeap, Aroldo Rabelo, do técnico do Ministério da Educação (MEC), José Augusto, Anchieta de Andrade, assessor técnico do Gabinete do senador Randolfe e responsável por acompanhar os processos dos educadores amapaenses; Vera Lúcia, do Gabinete da senadora Ângela Portela (PT-RR), que luta pelos mesmos direitos dos professores de Roiraima, e com a gerente de Recursos Humanos do Ex-Território Federal do Amapá, Ilana Vilhena.

 
Compartilhe:

Tópicos: