Política Nacional

Economia com reforma da Previdência será de R$ 630 bilhões em 10 anos, diz Maia

Inicialmente, o impacto calculado pelo governo com base na proposta original era de R$ 740 bilhões entre 2018 e 2027.

Compartilhe:

O relator da reforma da Previdência Social, deputado Arthur Maia (PPS-BA), afirmou que a economia com a reforma da Previdência foi reavaliada em R$ 630 bilhões em 10 anos. Segundo Maia, o impacto foi calculado pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e a mudança com maior peso sobre a reforma foi o fim à proibição do acúmulo de pensões.

Inicialmente, o impacto calculado pelo governo com base na proposta original era de R$ 740 bilhões entre 2018 e 2027. Mais cedo, ele apresentou um esboço de seu parecer sobre as mudanças nas regras previdenciárias. A proposta final será apresentada nesta quarta-feira (19) e ainda pode sofrer alterações.

De acordo com a apresentação do deputado, que foi divulgada para a imprensa, a idade mínima da regra geral de aposentadoria seria menor para as mulheres: 62 anos. Para os homens, a proposta continua em 65 anos. A proposta original do governo federal era estabelecer uma idade mínima única para ambos os gêneros, de 65 anos.

Votação da reforma
Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o objetivo é começar a votar a partir de 8 de maio, em plenário, o projeto que estabelece a reforma da Previdência Social.

A proposta foi enviada pelo governo no ano passado e está em análise em uma comissão especial da Câmara. A previsão é que, nesta quarta (19), o relator do projeto, Arthur Maia (PPS-BA), apresente o parecer sobre a reforma – Maia já anunciou que fará mudanças no texto do governo. “Vamos trabalhar até o início de maio para que a gente possa, já a partir de 8 de maio, começar a votar [no plenário] a reforma da Previdência”, disse.

O presidente da Câmara deu a informação ao comentar o episódio em que, mais cedo, nesta terça, um grupo de policiais invadiu o prédio do Congresso para protestar contra a reforma: “[A invasão] não assusta, ao contrário. Tenta-se criar um ambiente que só atrapalha essa corporação que fez esse ato contra o parlamento, contra o patrimônio público.”

Em meio ao tumulto na entrada no Congresso, vidros foram quebrados, houve correria e a Polícia Legislativa reagiu com spray de pimenta e bombas para dispersar o grupo. “A gente não pode se intimidar e as pessoas não precisam pressionar dessa forma a Câmara para ter o diálogo”, afirmou Rodrigo Maia.

Déficit da Previdência
O presidente Michel Temer divulgou um vídeo nas redes sociais para defender a reforma da Previdência Social. Na gravação, o peemedebista afirmou que críticos das mudanças no INSS desconhecem a realidade e acrescentou ser urgentíssima a reforma porque o “rombo” nas contas cresce a cada ano.

 
Compartilhe:

Tópicos: