Esportes

Peixinhos Voadores se preparam para festa

Destaque especial é dado ao capitão PM Efrain Nazaré do Nascimento que, bastante emocionado, escreveu uma carta ao professor Sebastião Mota, mostrando toda a sua gratidão pelo mestre de natação.

Compartilhe:

O dia, ontem, 19 de abril, foi especial na Escola de Natação Peixinhos Voadores, pois na data esse projeto social da Polícia Militar do Amapá completou 15 anos de existência.

À tarde, as aulas na piscina da PM foram normais, porém num clima festivo. Na ocasião, o idealizador e coordenador do projeto, professor Sebastão Mota, apresentou o folder da programação em alusão à grande data, que será desenvolvida dia 29 próximo no mesmo local.

O professor Mota informou que a festa, marcada para as 16h, consistirá de homenagens a autoridades, pais de alunos, alunos, ex-alunos e colaboradores do projeto.

Sebastião Mota fez questão de citar alguns ex-alunos dos Peixinhos Voadores, hoje encaminhados na vida, e que entre outros serão homenageados na festa do dia 29.

Os ex alunos citados são os seguintes: Glória Gomes Melo, acadêmica de medicina; Mateus Brito de Montanho, estudante de direito; Becto Pereira dos Santos Junior, acadêmico de engenharia florestal; Diego Rangel da Silva, radiologista; e Samaria Silva, estudante de direito.

Destaque especial é dado ao capitão PM Efrain Nazaré do Nascimento que, bastante emocionado, escreveu uma carta ao professor Sebastião Mota, mostrando toda a sua gratidão pelo mestre de natação.

“Conheci o projeto Peixinhos Voadores, através de um amigo, o coronel Walci, à época comandante da PMAP, que me apresentou o professor Mota. Como sempre morei na zona suburbana e minha família não tinha recursos pra me colocar em uma escola de natação, fiquei um pouco assustado e intimidado com as dimensões da piscina. Só que qui nesse projeto encontrei mais que espaço e oportunidade pra aprender algo de que dependia a minha vida profissional naquele momento: o professor Mota”. Nesses termos o oficial da Polícia Militar abre a carta.

Após outras considerações, o capitão PM Efrain diz na carta que deve ao professor Mota um pouco do oficial que ele é hoje. “Não só pela aprovação no teste de natação que enfrentei após superar as dificuldades com a piscina, mas também pela lição de perseverança que ele me deu e que uso pra tudo, no comando da tropa, na minha vida profissional”, conclui Efrain.

 
Compartilhe:

Tópicos: