Polícia

Presos se passavam por servidores do Detran-AP para aplicar golpes

Quatro pessoas foram presas na quarta-feira (17) suspeitas de envolvimento no golpe que era comandado de dentro do Iapen

Compartilhe:

Elden Carlos

Da Editoria de Polícia

Uma investigação iniciada há pelo menos um ano resultou na prisão de quatro pessoas nessa quarta-feira (17), em Macapá, suspeitas de envolvimento em um golpe que oferecia supostos serviços do Departamento Estadual de Trânsito do Amapá (Detran-AP), como primeira habilitação, mudança de categoria, liberação de veículos e exclusão de multas.

De acordo com o sargento PM Edivaldo Pascoal, coordenador de atendimento do Detran e integrante do núcleo de inteligência do órgão, o esquema era operado de dentro do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) e tinha como mentor o detento Herisson Frank Gonçalves Lacerda.

“As pessoas presas nessa investigação conjunta das polícias Civil, Militar e Ministério Público do Estado, recebiam ordens de presos do Iapen. Esses detentos usavam as redes sociais como Facebook e Whatsapp para escolher suas vítimas aleatoriamente. Os criminosos usavam perfis falsos [fakes], inclusive, com fotos de servidores do Detran, como foi meu caso, para dar credibilidade ao golpe. A quadrilha oferecia os serviços e as pessoas, muitas vezes desesperadas, acabavam depositando valores em contas da Caixa Econômica Federal ou faziam pagamentos presenciais. Somente depois é que elas descobriam o golpe. Já houve pagamentos de até R$ 7 mil”, disse Pascoal.

Apesar de ter informações de que as vítimas eram escolhidas aleatoriamente, as investigações serão aprofundadas a partir de agora para saber se existe envolvimento de funcionários do Detran, já que em muitos contatos os golpistas tinham informações detalhadas das vítimas.

Prisões

Na quarta-feira uma pessoa que havia sido procurada pela quadrilha resolveu ir até o Detran Amapá confirmar a informação. “Essa pessoa disse que havia fechado um negócio e que estava indo pagar o valor ao golpista. Foi quando acionamos a Polícia Militar para dar apoio no flagrante. No momento da entrega do envelope com o dinheiro foi feita a prisão de Geovani Soeiro Fernandes, de 21 anos, responsável pelo recolhimento dos valores”, revelou o sargento Pascoal.

Soeiro levou os policiais até uma casa na rua Piauí, no bairro Pacoval, onde foram presas: Mirla Pacheco, de 22 anos, que é casada com o detento Herisson Frank, além de Jacirene da Silva, de 45 anos, e Jaciara Franciele da Silva Cardoso, 25 anos. As duas últimas mulheres são mãe e irmã, respectivamente, do também detento Bruno da Silva Cardoso, que foi identificado nas investigações como operador do esquema dentro da cadeia. As mulheres atuavam como contatos dos presos no golpe.

No imóvel também foram apreendidas carteirinhas de acesso ao Iapen, o que levou ao cruzamento de informações e confirmou o envolvimento criminoso dos detentos com as pessoas do lado de fora da cadeia.

Até agora foram identificadas pelo menos 25 vítimas da quadrilha, mas a partir das prisões esse número poderá ser bem maior. “É importante que todas as pessoas que caíram no golpe procurem a polícia para fazer o registro da ocorrência. É importante dizer que o Detran não oferece e não cobra por serviços através de mensagens em redes sociais. Todos os pagamentos são efetuados via boleto bancário”, concluiu.

 
Compartilhe:

Tópicos: