Cidades

Moradoras do Residencial São José são orientadas sobre Lei Maria da Penha

A Lei Maria da Penha, que completou 11 anos na segunda-feira, 7, é resultado de muita “luta”, debate e construção das mulheres brasileiras. Com ela, a violência doméstica saiu de dentro de casa e ganhou esfera judicial. Em 2016, foram 212 mil novos processos, segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Compartilhe:

No Residencial São José, as mulheres foram orientadas sobre a Lei Maria da Penha, na quarta-feira, 9, no Centro Comunitário do habitacional. As informações foram socializadas pelas técnicas do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram), durante a atividade em alusão aos 11 anos da lei. Além da palestra, houve sorteio de brindes.

A coordenadora municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, Anne Pariz, disse que o conhecimento a respeito da Lei Maria da Penha tem um papel fundamental na garantia de direitos das mulheres. “A prefeitura trabalha no sentido de levar orientação de como se dá o funcionamento da lei e em quais casos ela pode ser aplicada. Assim, a mulher, com base nessas informações, saberá onde procurar apoio”.

Islene dos Santos, autônoma, considerou importante o momento proporcionado pelo Município. “Nós, mulheres, termos o conhecimento dessa lei e ver que a prefeitura oferece esse serviço de apoio gratuito, tanto psicológico, assistência social e jurídico, só nos fortalece ainda mais. Sem falar no encorajamento, pois não temos que ter medo, devemos quebrar o silêncio e denunciar qualquer tipo de agressão”.

 

 
Compartilhe:

Tópicos: