Polícia

Família de motociclista morto em acidente diz que Sião Thur não prestou nenhum tipo de apoio

Família emitiu uma nota rechaçando declarações da empresa Sião Thur de que todo apoio estava sendo prestado à família da vítima morta no sábado (09)

Compartilhe:

A família do empresário Helton Balieiro de Oliveira, de 34 anos, que morreu na tarde do último sábado (09) depois que a motocicleta 300cc que ele pilotava colidiu lateralmente com um ônibus da empresa Sião Thur, no cruzamento da avenida Henrique Galúcio com a rua São José, no Centro, rechaçou a alegação da empresa que afirmou, em nota enviada à imprensa: “estar prestando todo o apoio necessário à família da vítima”.

A família afirma, também por meio de nota encaminhada à redação do Diário que: “vem a público esclarecer que, em nenhum momento recebeu a visita de algum representante daquela empresa para oferecer ‘todo o apoio necessário à família da vítima’. Sabemos que nada vai trazer de volta nosso ente querido, mas é bom a população ficar sabendo, que tudo referente à tragédia foi e está sendo providenciado pela família de Helton”, diz um dos trechos da nota.

Acidente

O acidente ocorreu por volta de 15h de sábado. Uma câmera de segurança de uma loja mostra o momento em que o piloto perde a direção da motocicleta e vai parar embaixo do ônibus. A roda passou por sobre a cabeça do empresário o matando na hora.

Testemunhas contaram que a vítima seguia pela avenida Henrique Galúcio e tentou passar num ‘rabo de sinal’. “Ele [empresário] vinha em alta velocidade e pensava que iria dar pra passar. O ônibus estava parado no sinal e saiu quando ficou verde. Foi tudo muito rápido”, contou o feirante José Santana, que presenciou o acidente.

O sargento Robenildo Negrão, do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran) disse que não tem como precisar o que ocorreu, mas garantiu que houve imprudência. “Vamos ter que aguardar o laudo da perícia. Não podemos afirmar se de fato o motoqueiro avançou ou se o motorista do ônibus saiu antes do tempo, apenas a perícia poderá afirmar isso. O certo é que alguém errou aqui. Lamentavelmente mais uma vida se perde no trânsito”, disse o sargento.

 
Compartilhe:

Tópicos: