Cidades

Genival Cruz confirma adesão do Amapá à paralisação nacional de 4ª feira

Movimento terá a participação de várias categorias de trabalhadores em protesto contra a corrupção e as reformas trabalhista e previdenciária

Compartilhe:
presidente do sindicato dos rodoviários, Genival Cruz, confirmou na manhã desta terça-feira (12) no programa LuizMeloEntrevista (DiárioFM 90.9) a adesão do Amapá à paralisação nacional que será deflagrada por várias categorias de trabalhadores nessa quarta-feira (14) em protesto contra a corrupção e às reformas trabalhista e previdenciária.
“O Brasil está mergulhado em uma grande crise ética, financeira e moral, agravada com os escândalos da corrupção que surge em todo e qualquer momento, e é justamente por isso o nosso protesto, um movimento nacional que o Amapá não poderia se omitir. Vamos começar a mobilização de madrugada nos ônibus e sem seguida iremos à Unifap (Universidade Federal do Amapá), que também vai fazer paralisar suas atividades, e à tarde nos concentraremos na Praça da Bandeira. Na realidade vai ser um ensaio para podermos construir novamente uma greve geral no Brasil para derrotar a política de Temer, a reforma trabalhista, que ainda pode ser derrubada, e a reforma da previdência”, justificou.
O sindicalista reclamou dos prejuízos que serão impostos aos trabalhadores pelos dispositivos da reforma trabalhista: “Essa reforma foi feita apenas para beneficiar os patrões e prejudicar os trabalhadores, que estarão permanentemente ameaçados de serem demitidos de seus empregos, porque além de vários outros revezes, permite às empresas contratações pelo prazo de até 90 dias, com isenção do pagamento de INSS e FGTS, significando dizer que funcionários antigos serão substituídos por novos, e estes, consequentemente, substituídos por outros ao final do contrato.
Isso e um absurdo!”.
 
Compartilhe:

Tópicos: