Cidades

Núcleo de Meteorologia alerta para risco de trombas d’águas e tornados no Amapá

Fenômenos que ocorreram em março e devem se repetir ainda neste ano podem estar associados às fortes ventanias que têm ocorrido no estado. Núcleo de Meteorologia descarta qualquer relação com os furacões que castigam os Estados Unidos

Compartilhe:

O meteorologista Jeferson Vilhena, do Núcleo de Hidrometeorologia e Energias Renováveis (NHMET), órgão ligado Instituto de Pesquisas do Amapá (Iepa), Jeferson Vilhena, alertou na manhã desta terça-feira (12) no programa LuizMeloEntrevista (DiárioFM 90.9) que há grande risco de tornados e trombas d’água ocorrerem no estado ainda neste ano, a exemplo do que ocorreu no último mês de março.

Perguntado sobre a procedência dos temores de que essas ventanias que estão castigando Macapá nos últimos dias têm alguma relação com os furacões que estão ocorrendo nos Estados Unidos, Jeferson negou, mas disse que há riscos iminentes de se intensificarem ainda mais, em especial na Costa do Amapá, na extensão do Vale do Jarí ao Arquipélago do Bailique.

“Essas ventanias estão associadas principalmente às tempestades que ocorrem nessa época do ano, mas que já se registra uma diminuição significativa, não tendo absolutamente nada a ver com os furacões Irma, que já desceu de categoria para o grau 2 e José, que está ganhando força, porque os Estados Unidos estão muito distantes daqui. Aqui as ventanias se dão em pontos localizados, em especial do Vale do Jarí ao Bailique, naquela faixa exposta ao rio. Em março tivemos uma tromba d’água com tornado, mas esses eventos ocorrem sempre duas vezes no ano, havendo forte risco de voltar a ocorrer ainda neste ano.

Segundo Jeferson, a população precisa estar preparada porque os riscos são grandes com a ocorrência desses fenômenos: “Com relação a tornado e tromba d’água realmente o risco é grande, porque a nossa cidade não está preparada para essas ventanias, temos muitas áreas fragilizadas e muita coisa pode ser destruída. É necessário também que as pessoas não se exponham, como foi observado em março, por exemplo, em que muita gente ficou observando o tornado e a tromba d’água da Orla, sem atentar para o perigo”, recomendou.

 
Compartilhe:

Tópicos: