Nota 10

Barca das Letras distribui livros no Dia das Crianças e da Leitura

Comemoração é dedicada a crianças ribeirinhas do Igarapé das Mulheres e comunidades Santo Antonio da Pedreira, Foz do Macacoari e São Tomé do Macacoari

Compartilhe:
No dia 12 de outubro comemora-se o Dia das Crianças e o Dia Nacional da Leitura. Todo ano, a Biblioteca Itinerante Infantil Barca das Letras celebra as duas datas distribuindo livros de literatura infantil e gibis para a criançada que vive em comunidades às margens dos rios Amazonas, Pedreira e Macacoari, nos municípios de Macapá e Itaubal. Também oferece atividades lúdicas de incentivo à leitura como rodas de leitura, contação de histórias, números circenses com a Trupe ‘Nós, os Pernaltas’ de Belém(PA),brincadeiras tradicionais com o ‘Tio palhaço Ribeirinho’ e rodas de leitura.
A programação começa em Macapá na manhã do dia 12 de outubro no Igarapé das Mulheres, na sede da Associação de Mulheres Ribeirinhas Vítimas de Escalpelamento da Amazônia (AMRVEA). Em seguida, a biblioteca segue viagem:
• 13/10 – Escola Estadual Daniel de Carvalho(Distrito Santo Antônio da Pedreira/Macapá) 
• 14/10 – Escola Estadual Eugênio Machado (Foz do Rio Macacoari/Itaubal)
• 15/10 – Centro Comunitário de São Tomé do Macacoari/Itaubal
Serão beneficiadas cerca de duzentas e cinquenta crianças, que receberão, pelo menos, um livro ou gibi cada uma. Os livros que serão doados foram arrecadados com leitores de Macapá e Brasília/DF, em campanhas pelas redes sociais.
A Barca das Letras
Biblioteca itinerante infantil que incentiva o prazer da leitura por comunidades ribeirinhas, quilombolas, indígenas e de periferias de cidades. A Barca das Letras nasceu em 2008 no Amapá, idealizada pelo arte-educador popular Jonas Banhos. Ganhou dois prêmios do Ministério da Cultura(2010 e 2014) que ajudaram na circulação da biblioteca por 48 municípios de Estados de norte a sul do país e na Bolívia. Já foram doados mais de setenta mil livros em quase dez anos de atividades. Os livros são arrecadados com moradores de Brasília, Belém e Macapá, em campanhas permanentes pelas redes sociais. Para a realização das ações, conta com a ajuda de voluntários, comunidade escolar e de lideranças das próprias comunidades.
 
Compartilhe:

Tópicos: