Cidades

Fiscalização alcança 50 famílias e nove embarcações no período do Círio de Nazaré

A equipe interinstitucional desenvolveu atividades consistentes na fiscalização das embarcações visando, dentre outras finalidades, coibir a participação de crianças e adolescentes no evento sem a regular companhia de seus pais ou responsáveis.

Compartilhe:

A Central de Proteção à Infância e à Juventude da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Santana realizou fiscalizações nos portos do município no período do Círio de Nazaré. A juíza titular da Vara, Larissa Noronha Antunes, firmou parceria com Capitania dos Portos/Marinha do Brasil, Conselho Tutelar Municipal e Procon, por ocasião dos festejos no período de 3 e 7 de outubro.

A equipe interinstitucional desenvolveu atividades consistentes na fiscalização das embarcações visando, dentre outras finalidades, coibir a participação de crianças e adolescentes no evento sem a regular companhia de seus pais ou responsáveis. Para efetivo cumprimento da ação, foi emitida ordem de operação pela juíza titular da Vara.

Venda de passagens e transporte de crianças e adolescentes para regiões contíguas à comarca de Santana foram um dos alvos da operação. A medida teve o objetivo de evitar a proliferação da prostituição infantil e o consumo de bebidas alcoólicas no interior das embarcações.

Segundo o coordenador da Central de Proteção à infância e à Juventude, Lauro Paula da Luz, foram realizadas três notificações em desfavor das embarcações, por descumprimento dos artigos 83, 84 e 85 do Estatuto da Criança e do Adolescente, que estabelecem: nenhuma criança poderá viajar para fora da comarca onde reside desacompanhada dos pais ou responsável sem expressa autorização judicial e demais especificações acerca de autorização de viagens de menores.

Houve constatação de irregularidades quanto ao transporte de jovens com menos de 18 anos envolvendo três famílias, sem terem sido observadas as ordens de emissão dos alvarás. Além da ausência de autorização, os jovens não portavam documentos de identificação pessoal.

As operações alcançaram um total de 50 famílias e nove embarcações, nos portos do Grego, Souza Mar e Igarapé de Fortaleza. A juíza Larissa Noronha afirmou que as fiscalizações preventivas continuarão acompanhando as viagens envolvendo crianças e adolescentes para fora do estado, inclusive com a realização de campanha preventiva, onde serão concedidos informativos aos proprietários de embarcações, aos pontos de vendas de passagem e a passageiros.

 
Compartilhe:

Tópicos: