Nota 10

Ralfe Braga é uma das principais atrações do 3º Encontro das Artes

Ralfe Braga é um macapaense do bairro do Trem que ainda adolescente se mudou para Brasília em busca de melhores qualificações educacional e profissional.

Compartilhe:

Às 16h desta sexta-feira, 10, acontece o 3º Encontro das Artes do Amapá, contando com o multiartista Ralfe Braga e tendo como programação final a divulgação de uma Carta do setor artístico e cultural do estado destinada ao poder público local.

O evento ocorre na Galeria Samaúma, no Complexo Marlindo Serrano, onde pintura, música, literatura, dança e outros segmentos das artes convivem pacificamente, justificando a finalidade da realização do encontro.

Ralfe Braga é um macapaense do bairro do Trem que ainda adolescente se mudou para Brasília em busca de melhores qualificações educacional e profissional. Deu-se bem! Ele é artista plástico, ilustrador, designer gráfico, diretor de artes e publicitário.

No programa LuizMeloEntrevista (Rádio Diário FM – 90,9), na manhã de hoje, Ralfe apontou a produção cultural amapaense como de altíssimo nível, em nada perdendo para a cultura do sul do Brasil e a de fora do país.

O artista é um embaixador das artes do Amapá. Por onde ele anda e tem oportunidade de falar na imprensa, bota o estado em primeiro lugar, divulgando a cultura e outros valores tucujus.
Ralfe é um artista celebrizado em Brasília e reconhecido no mundo todo. É dele os painéis existentes no interior e entorno do estádio ‘Mané Garrincha’, na capital federal, retratando monumentos e pontos turísticos da cidade, bem como motivos amazônicos.

Os painéis personalizados foram produzidos para embelezar ainda mais o Mané Garrinha para a Copa do Mundo de 2014. Mas continuam lá até hoje com autorização do governo do Distrito Federal, o autor do convite ao artista amapaense para o serviço.

Em Macapá para tratar de assuntos particulares, Ralfe Braga recebeu convite especial do curador da Galeria Samaúma, artista plástico Wagner Ribeiro, para participar do 3º Encontro das Artes do Amapá. O convite foi aceito, de maneira que ele é uma das principais atrações do acontecimento.

Do Encontro das Artes sairá uma Carta assinada por representantes de todos os setores do estado, discorrendo a respeito da importância do evento, realizado sem verba pública, mas de grande pujança e força.

A missiva solicitará apoio do poder público às artes amapaenses tão carentes de fomento e de uma política que realmente as valorizem.

 
Compartilhe:

Tópicos: