Cidades

André Lima admite possibilidade de liberar corredor de ônibus na Cândido Mendes

Diretor-presidente da CTMac afirma que estão sendo feitos estudos em conjunto com os comerciante, mas decisão final caberá ao Iphan, considerando que praticamente com a extensão da avenida é considerada como entorno da Fortaleza de São José, que é tombada como patrimônio histórico.

Compartilhe:

O diretor-presidente da Companhia de Trânsito de Macapá (CTMac) André Lima admitiu na manhã desta segunda-feira (13) no programa LuizMeloEntrevista (DiárioFM 90,9) a possibilidade de liberação da Avenida Cândido Mendes como corredor de ônibus. Ele disse que estudos estão sendo feitos com a participação dos comerciantes, que vêm realizando atos públicos pedindo a liberação, mas ponderou que a palavra final caberá ao Instituto do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), porque praticamente toda a extensão da via faz parte do entorno da Fortaleza de São José, que é tombada como patrimônio histórico.

“Na medida do possível estamos dando resposta aos apelos dos comerciantes e da população como um todo para que a Avenida Cândido Mendes seja liberada para o fluxo de ônibus, e já iniciamos estudos conjuntos para a construção dessa viabilidade. Já detectamos, por exemplo, que um dos problemas é a obra do Camelódromo, que bloqueou a Rua Antônio Coelho de Carvalho. Estamos analisando a situação com os empresários. Além disso tem a situação da Fortaleza porque todo o entorno é responsabilidade do Iphan. Vamos fazer aprofundar esse estudo em reunião que agendamos para a semana que vem, inclusive com a apresentação de enquete que vamos submeter ao Iphan, que é quem dará a palavra final”.

André Lima alertou que a proibição do fluxo de ônibus, ao contrário do que é argumentado pelos empresários, por si só não vai aquecer o comércio: “É preciso analisar que não é o ônibus apenas que vai tornar aquilo algo viável com relação à melhoria do comércio, porque o ônibus é apenas um componente. Eu deixei isso bastante claro aos empresários. Será necessária também a revitalização das fachadas e das calçadas, que deverão ser uniformes, com um bom passeio publico sem obstrução, fazendo com que a Cândido Mendes volte a ser um shopping popular, como era na década 1990”.

 
Compartilhe:

Tópicos: