O que é música popular?

comentários

Música popular é qualquer gênero musical acessível ao público em geral. Distingue-se da música folclórica por ser escrita e comercializada como uma comodidade, sendo a evolução natural da música folclórica, que seria a música de um povo transmitida ao longo das gerações.

São muitos numerosos os gêneros inerentes à música popular tais como: o samba, chorinho, frevo, baião, maracatu, música caipira, música nativista gaúcha, as cantilenas, rock, blues, jazz. Em geral estão associados ao ritmo, a cultura e a construção de uma sociedade. Assim, pessoas nascidas durante os anos 60 tendem a apreciar as músicas dos anos 70, tais como os Beatles, Gal Costa, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Chico Buarque de Hollanda e Quarteto em Cy ou os Rolling Stones, Mutantes, Os Novos Baianos e a Tropicália.

Evidentemente que é grande a variedade de gêneros apreciados e muitas vezes os que apreciam um gênero podem não apreciar outro. Como por exemplo brasileiro, um apreciador de Samba na grande maioria das vezes não aprecia a música sertanejo universitário, e vice-versa por motivos óbvios a sertanejo universitário utilizada cultura de massa e uma música de entretenimento utilizada pela mídia e o samba é cultura do povo brasileiro.

Muito da música popular provém de negócios disseminados com fins lucrativos. Executivos e empregados de negócios vinculados à música popular tentam selecionar e cultivar a música que teria um grande sucesso com o público, e assim maximizar os negócios da empresa. Nessa acepção, a música popular é distinta da música folclórica, criada pelo povo em geral para sua própria apreciação, e a música clássica, originalmente escrita para a igreja ou para a nobreza, e atualmente subsidiada pelos governos e universidades.

Apesar de os negócios controlarem os pilares da música popular, nem sempre os jovens aspirantes a se tornarem músicos populares são impulsionados pelo dinheiro. Em geral, eles aspiram a encontrar uma forma para sua expressão ou criatividade, ou simplesmente por diversão. Historicamente, os motivos de conflito de executivos e músicos se tornaram motivo de tensão na indústria da música popular pelo mundo.

 

  • É hoje

Show da cantora amapaense, Sheila Sá, no bar “O Barril, às 22h, com participação especial da talentosa jovem cantora, Deize Pinheiro.
Na esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva.

 

  • Agenda

Cantor Nivito Guedes, faz show de primavera, neste sábado (23), no Kitanda Café, na esquina da av: Feliciano Peixoto com a rua Jovino Dinoá – Trem, às 21h.

 

  • Marabaixo

O 2º Festival Cantando Marabaixo está agendado para acontecer nos dias 3, 4 e 5 de novembro, na sede da escola de samba, Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Sta. Rita).
As inscrições encerram dia 13 de outubro, na Seafro, na rua Gal. Rondon, entre as avs: Raimundo Álvares da Costa e Enestino Borges – Laguinho. Informações: 99175-9142.

 

  • Homenagem

Cantor e compositor, Marcelo Dias, vai homenagear o consagrado cantor Fábio Júnior, em show imperdível.
Dia 13 de outubro no Espaço D’Corte, na esquina da av: 1º de Maio com a rua Jovino Dinoá – Trem. Informações: 98119-9797.

 

  • CD

Nação marabaixeira gravou o 1º disco (CD) de Marabaixo, com composição e participação de vários cantores da velha e nova geração.

 

  • “Celebrando a Vida”

Nome do show que o cantor e compositor, Zé Miguel, vai realizar para comemorar seus “cinco ponto cinco” (55) de muita vida.
Convidados especiais: Amadeu Cavalcante, Osmar Júnior, Val Milhomem, Joãozinho Gomes, Lula Jerônimo, Loren Cavalcante, Nani Rodrigues, Anna Macedo, Hadassa Oliveira, Aron Miranda e Cássio Pontes.
Dia 29 de setembro, no Teatro das Bacabeiras, 22h. Informações: 99118-2900.

 

  • Exposição

Artista plástico, Gilberto Almeida, está com uma exposição do Projeto Arteamazon, na galeria de artes do Macapá Shoping, até o dia 24 de setembro, das 8h às 22h.
Obras de vários artistas amapaenses estão lá. Visite.


Museus brasileiros contam suas memórias

comentários

A cultura floresce em 932 instituições pelo País na 11ª Primavera dos Museus, para comemorar o início da estação. Durante toda a semana, o público poderá conferir 2,5 mil atividades da temporada de eventos, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), vinculado ao Ministério da Cultura (MinC).

“O Ibram tem hoje mais de 3,7 mil museus mapeados no Brasil. Cada um carrega consigo histórias, contextos, objetivos e memórias. A Primavera dos Museus em 2017 quer dar visibilidade a esses processos”, esclarece Marcelo Araujo, presidente do Ibram, sobre o tema escolhido para esta edição.

As narrativas da memória e histórias de cada uma das instituições serão apresentadas ao público em diversas dinâmicas. O tema Museus e Suas Memórias inspira os museus do País a fortalecerem seus laços com a comunidade local. Segundo o Ibram, a ideia é ‘olhar para dentro’ e refletir, junto com as populações, sobre os processos e resultados de sua própria constituição e produção.

O convite foi bem aceito pelos museus e demais instituições, já que a 11ª edição recebeu o maior número de participantes desde a criação da Primavera dos Museus, em 2007. São 932 instituições em 417 cidades de 25 estados e do Distrito Federal com programação especial até o próximo domingo (24). Na série histórica, entre 2007 e 2016, houve um crescimento de 15% no número de instituições participantes.

Ao abordar a relação do museu com suas memórias, o Ibram também destaca a criação da primeira instituição museal do Brasil, o Museu Nacional/UFRJ no Rio de Janeiro (RJ), que completará 200 anos em 2018. (www.cultura.gov.br).

 

  • Agenda

Sábado, 23, tem o “Show de Primavera” de Nivito Guedes, no Bar Kitanda Café Bistrô (esquina da av: Feliciano Coelho com a rua Jovino Dinoá – Trem), às 22h.
O artista vai apresentar seu novo repertório musical. Informações: 98112-7594.

 

  • Marabaixo

O 2º Festival Cantando Marabaixo está agendado para acontecer nos dias 3, 4 e 5 de novembro, na sede da escola de samba, Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Sta. Rita).
As inscrições encerram dia 13 de outubro, na Seafro, na rua Gal. Rondon, entre as avs: Raimundo Álvares da Costa e Enestino Borges – Laguinho. Informações: 99175-9142.

 

  • CD

Nação marabaixeira gravou o 1º disco (CD) de Marabaixo, com composição e participação de vários cantores da velha e nova geração.

 

  • Homenagem

Cantor e compositor, Marcelo Dias, vai homenagear o consagrado cantor Fábio Júnior, em show imperdível.
Dia 13 de outubro no Espaço D’Corte, na esquina da av: 1º de Maio com a rua Jovino Dinoá – Trem. Informações: 98119-9797.

 

  • “Celebrando a Vida”

Nome do show que o cantor e compositor, Zé Miguel, vai realizar para comemorar seus “cinco ponto cinco” (55) de muita vida.
Convidados especiais: Amadeu Cavalcante, Osmar Júnior, Val Milhomem, Joãozinho Gomes, Lula Gerônimo, Loren Cavalcante, Nani Rodrigues, Anna Macedo, Hadassa Oliveira, Aron Miranda e Cássio Pontes.
Dia 29 de setembro, no Teatro das Bacabeiras, 22h. Informações: 99118-2900.

 

  • Showzaço

Cantora amapaense, Sheyla Sá, faz show “Aqui é Meu Lugar”, Sexta, 22, no Teatro das Bacabeiras (20h) e sábado (23), no bar “O Barril” (esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva, 22h).
Convidados: Zé Miguel, Dekko Matos e Deize Pinheiro.

 

  • Pintura

Artista plástico, Gilberto Almeida, está com uma exposição do Projeto Arteamazon, na galeria de artes do Macapá Shoping, até o dia 24 de setembro, das 8h às 22h.
Obras de vários artistas amapaenses estão lá. Visite.


Joinville é a capital nacional da dança

comentários

Agora é oficial e a cidade catarinense de Joinville é a Capital Nacional da Dança. O título, sancionado pelo presidente da República, Michel Temer, e pelo ministro da Cultura, Marcelo Calero, só confirma a vocação da região que promove, há mais de 30 anos, o Festival de Dança considerado pelo Guiness Book como o maior no mundo em número de participantes – em torno de 4,5 mil bailarinos. A cidade ainda abriga a única Escola do Balé Bolshoi fora da Rússia.

A entrega simbólica do título ocorreu na noite de abertura do 34ª Festival de Dança de Joinville, na quarta-feira (20), e o título foi publicado no Diário Oficial da União desta quinta (21). Há mais de 30 anos, Joinville promove o evento e, em paralelo, acontecem também a Mostra de Dança Contemporânea, o Festival Meia Ponta – voltado para crianças –, a Feira da Sapatilha, o Encontro das Ruas, a Rua da Dança, além do Palcos Abertos e da Passarela da Dança. O festival segue até sábado (30), com diversas companhias nacionais de dança.

Para o presidente do Instituto Festival de Dança de Joinville, Ely Diniz da Silva Pinto, o título concedido oficialmente à cidade já tem o reconhecimento dos participantes. “A diferença é que agora é oficial, é lei. Culturalmente é inquestionável, pois sediamos um festival considerado o maior do mundo em número de participantes e abrigamos a única escola do Balé Boshoi fora da Rússia”, salientou. O ministro da Cultura, Marcelo Calero, reforçou que a dança conferiu um outro status à cidade: “O título de capital da dança concedido a Joinville reflete a riqueza da produção artística brasileira e a importância econômica da atividade cultural”.

A edição deste ano do Festival reúne mais de 400 grupos de escolas de dança do país. Segundo ele, a maioria dos estados está representada. “Joinville é um “brasileirão da dança”, diz, ao acrescentar que a média de público nos espetáculos é de 4,2 mil pessoas, entre turistas e a comunidade local, apenas no palco principal. Mas mais 230 mil pessoas circulam pelos palcos espalhados pela cidade. A realização do evento só é possível porque o Festival está na lista dos beneficiados com incentivo fiscal da Lei Rouanet. “O mecanismo é de extrema importância para a produção cultural no país e por isso é muito importante entender que o que se faz em cultura não seria possível sem essa fonte de financiamento. (www.cultura.gov.br).

 

  • Pintura

Artista plástico, Gilberto Almeida, está com uma exposição do Projeto Arteamazon, na galeria de artes do Macapá Shoping, até o dia 24 de setembro, das 8h às 22h.
Obras de vários artistas amapaenses estão lá. Visite.

 

  • Hino

Deputado estadual Dr.Furlan, apresentou um projeto de Lei, na Assembleia Legislativa, para tornar a música Jeito Tucuju (Val Milhomem e Joãozinho Gomes), Hino Cultural do Amapá. Bela iniciativa.

 

  • Museu

De 18 a 24 de setembro vai acontecer, em todo o país, a 11ª Primavera dos Museus (museus e suas memórias).
Em Macapá, vários serão os locais que receberão a programação do evento. A biblioteca pública, Elcy Lacerda, é um desses endereços.

 

  • Homenagem

Cantor e compositor, Marcelo Dias, vai homenagear o consagrado cantor Fábio Júnior, em show imperdível.
Dia 13 de outubro no Espaço D’Corte, na esquina da av: 1º de Maio com a rua Jovino Dinoá – Trem. Informações: 98119-9797.

 

  • Marabaixo

O 2º Festival Cantando Marabaixo está agendado para acontecer nos dias 3, 4 e 5 de novembro, na sede da escola de samba, Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Sta. Rita).
As inscrições encerram dia 13 de outubro, na Seafro, na rua Gal. Rondon, entre as avs: Raimundo Álvares da Costa e Enestino Borges – Laguinho. Informações: 99175-9142.

 

  • Convite

Cantor e compositor, Enrico Di Miceli, foi convidado para participar do Projeto 4ª Voz Edita, em Salvador (BA), no dia 5 de outubro.
No espaço Café-Teatro Zélia Gattai, na Fundação Casa de Jorge Amado-Pelourinho. A coordenação do evento é do consagrado poeta, José Inácio Vieira de Melo.

 

  • “Forasteiro”

Título do 1º disco (CD) do cantor e compositor, Ozy Rodrigues, já em processo de divulgação para o lançamento em breve.


MinC lança edital para consultor ao Proler

comentários

O Ministério da Cultura (MinC), em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), lançou edital para seleção de consultor especializado em levantamento, análise e proposição do modelo de gestão dos comitês do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler). As inscrições vão até a próxima quinta-feira (21/09).

O profissional selecionado deverá ter experiência mínima de três anos no acompanhamento de políticas públicas, preferencialmente na área de livro, leitura e bibliotecas.

As atividades serão desenvolvidas durante 180 dias e incluem o mapeamento dos comitês do Proler para subsidiar o Departamento do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB), vinculado ao MinC, no desenvolvimento do modelo de gestão do programa.

O edital número 1/2017, sob o Projeto 914BRZ4015, está disponível no site da Unesco. (www.cultura.gov.br).

 

  • Indiéra

Titulo do novo projeto musical do poetinha, Osmar Júnior, já em fase de finalização da gravação em estúdio.
O artista quer lançar o disco ainda este ano, no Teatro das Bacabeiras.

 

  • Abandono

O antigo restaurante do Trapiche Eliezer Levy continua sem funcionar e o local está abandonado.
É preciso dar uma resposta, urgente, sobre a situação daquele que já foi um dos cartões postais de Macapá.

 

  • Vitrola

Quarta, 20, tem o Projeto Vitrola Musical, no Boteco do Rodapé, (esquina da rua: Hildemar Maia com a av: Pres. Vargas – Sta. Rita).
Homenagem especial ao cantor e compositor, Tim Maia, às 18h.

 

  • Fórum

Nesta terça, 19, tem o Fórum de Gestores de Cultura do Amapá, na Biblioteca Elci Lacerda, às 08h.
Debate sobre o Sistema Estadual de Cultura e sua implantação nos 19 municípios do estado.

 

  • Convite

Cantor e compositor, Enrico Di Miceli, foi convidado para participar do Projeto 4ª Voz Edita, em Salvador (BA), no dia 5 de outubro.
No espaço Café-Teatro Zélia Gattai, na Fundação Casa de Jorge Amado-Pelourinho. A coordenação do evento é do consagrado poeta, José Inácio Vieira de Melo.

 

  • Museu

De 18 a 24 de setembro vai acontecer, em todo o país, a 11ª Primavera dos Museus (museus e suas memórias).
Em Macapá, vários serão os locais que receberão a programação do evento. A biblioteca pública, Elcy Lacerda, é um desses endereços.

 

  • Homenagem

Cantor e compositor, Marcelo Dias, vai homenagear o consagrado cantor Fábio Júnior, em show imperdível.
Dia 13 de outubro no Espaço D’Corte, na esquina da av: 1º de Maio com a rua Jovino Dinoá – Trem. Informações: 98119-9797.

 

  • Marabaixo

O 2º Festival Cantando Marabaixo está agendado para acontecer nos dias 3, 4 e 5 de novembro, na sede da escola de samba, Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Sta. Rita).
As inscrições encerram dia 13 de outubro, na Seafro, na rua Gal. Rondon, entre as avs: Raimundo Álvares da Costa e Enestino Borges – Laguinho. Informações: 99175-9142.


Governo do Estado divulga programação do Museu Sacaca na 11ª Primavera dos Museus

comentários

Com o objetivo de divulgar, promover e valorizar a memória e a história dos museus brasileiros, acontece no mês de setembro em todo Brasil a 11ª Primavera dos Museus. O evento é realizado pelo Instituto Brasileiro dos Museus (Ibram) em parceria com os governos estaduais.

No Amapá, a programação que ocorrerá no Museu Sacaca inicia no dia 27 de setembro e encerra no dia 01 de outubro, proporcionando à comunidade a reflexão, a discussão e a troca de experiências sobre o tema: “Museus e suas Memórias”. Serão realizadas atividades nas áreas interna e externa dos referidos locais, entre elas: teatro, exposições, ação educativa, contação de histórias, amostra de dança e oficina de fotografia.

A diretora do Museu Sacaca, Aimê Favacho, destaca que está tudo organizado para receber turistas, estudantes e o público visitante. “Nossa equipe técnica irá fazer a mediação e acompanhamento das visitas e das atividades a serem realizadas durante a Primavera dos Museus. A expectativa é que aumente o número de visitantes neste período”, afirmou Favacho.

A 1ª Primavera dos Museus ocorreu em 2007, com 300 museus inscritos e 874 eventos. Em 2016, sua 10ª edição contou com a participação de 753 museus e 2.080 atividades.

Museu Sacaca
O Centro de Pesquisas Museológicas Museu Sacaca é uma instituição cultural e científica localizada na cidade de Macapá. O Museu Sacaca é uma Coordenadoria de Difusão Científica e Tecnológica (CDCT) que atua produzindo conhecimentos, científico e popular, que interagem, unindo os saberes locais de homens e mulheres da região amazônica com as pesquisas desenvolvidas no Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa).

Visitar o Museu é como fazer uma viagem pela história, cultura e natureza do Amapá. Nos seus 20 mil quadrados de área, o visitante caminha por trilhas que levam a conhecer um pouco do modo de vida e da cultura da sociedade amapaense.

Programação do Museu Sacaca:
27/09
– Abertura e performance teatral: Nas memórias do Regatão.
– Hora: 19h
– Local: Auditório Waldemiro Gomes.
28 e 29/09
-Memórias Vivas-Exposição das comunidades ribeirinhas, parteiras, castanheiras e dos regatões da Amazônia.
-Hora: 9h às 12h e 14h às 17h
-Local: Exposição a céu aberto do Museu Sacaca.
28/09
– Ação educativa: Baú de memórias. Hora: 15h às 16h
– Local: Praça do Sacaca.
29/09
– Contação de História: “Vozes da Floresta”.
– Hora: 15h às 16h. Local: Auditório Waldemiro Gomes.
– Amostra de Danças
– Hora: 18h às 21h. Local: Auditório Waldemiro Gomes.
30/09
– Oficina de Bonecas Abayomi
– Hora: 10h e 15h.
– Local: Bloco Pedagógico.
– Planetário Móvel Maywaka
– Hora: 14h às 17h.
– Local: Auditório Waldemiro Gomes.
30/09 e 01/10
– Oficina de Fotografia
– Hora: 14 às 18h
– Local: Casa da Criação.

 

  • Revitalização

As obras do Museu Joaquim Caetano, paralisadas no ano passado por conta de adequações no projeto, foram retomadas pelo governo do Estado. Localizado na Avenida Mário Cruz, no centro da cidade, o museu guarda parte da história do Amapá.
A obra de revitalização do espaço abrange reparos na parte hidráulica, telhado e pintura. O aditivo de prazo e de serviços, aprovado pelos órgãos de controle, prevê que a empresa responsável retome os trabalhos a partir da pintura. O contrato estará em vigência até novembro de 2017.

 

  • Primavera dos Museus

No período de 18 a 24 de setembro, o amapaense poderá participar da 11ª Primavera dos Museus, uma verdadeira imersão cultural com o propósito de intensificar a relação entre estas instituições e a sociedade. Este ano com o tema “Museus e suas memórias”, inclui atividades como exposições de fotografias, exibição de filmes, contação de histórias, palestras e performances poéticas.

 

  • Suporte

O Governo do Amapá presta auxílio às famílias atingidas pelo incêndio que ocorreu na tarde desta sexta-feira, 15, no bairro Araxá, Zona Sul de Macapá. Pelo menos onze casas foram atingidas. O Corpo de Bombeiros Militar foi acionado imediatamente e envolveu na ação os quatro quartéis (São Lázaro, Centro, Fazendinha e Laguinho). Os militares agiram rápido e em pouco mais de 1 hora conseguiram controlar o incêndio de grande proporção, utilizando cerca de 50 mil litros de água. As equipes permanecerão no local durante a madrugada para evitar possíveis focos.

 

  • Embaixadores

Catorze candidatos, que ainda estão na disputa por uma vaga de intercâmbio estudantil no Programa Jovens Embaixadores, passaram por mais uma etapa da seleção na tarde desta sexta-feira, 15, – o exame escrito – no qual os alunos precisaram fazer pequenas redações em inglês sobre diversos temas. A iniciativa conta com o apoio do Governo do Estado do Amapá e é coordenada pela Secretaria de Estado da Educação (Seed).

 

  • Enem

Estudantes do 3º ano do ensino médio da rede estadual estão convidados a participar da segunda edição do “Aulão do Enem”. As aulas são oferecidas pelo Governo do Amapá e vão acontecer no Teatro das Bacabeiras, nos dias 19 e 20 de setembro, e 1º e 8 de novembro, das 14h às 18h. A expectativa é receber até 1.200 alunos.

 

  • Projeto Alôzinho

Desde o mês de abril, quando iniciaram as atividades de 2017 do projeto Alôzinho, até o momento, já foram atendidas dez escolas da zona sul de Macapá, com alcance a cerca de 6 mil alunos de 9 a 17 anos. São realizadas palestras educacionais, oficinas, exibição de vídeos, debates e outras ações dentro do ambiente escolar, com o intuito de conscientizar sobre as consequências dos chamados “trotes” – ligações falsas direcionadas ao 190 e 193, atendidas pelo Centro Integrado de Operações em Defesa Social (Ciodes).


Quanto vale a nossa história?

comentários

Confesso que não sei responder a essa indagação, pois sempre imaginei que nossa memória histórica não tivesse preço e muito menos estaria em prateleiras para medir seu valor cultural. Afinal, em se tratando de patrimônio cultural adotado por um povo, não tem valor financeiro que pague.

Pois é, só que aqui no Amapá, única capital brasileira banhada pelo rio Amazonas (o maior do mundo), rica em cultura regional, bem no meio do mundo, as leis são diferentes e o desrespeito com a história é visível.

É o que está acontecendo com o Macapá Hotel, que no início de sua vida fora chamado de Hotel Macapá, situado bem em frente à cidade, um lindo cartão postal que recebe um vento norte que abana nossa gente.

Não tem como não lembrar as belas tardes de domingo quando nossos pais nos levavam para passear em frente àquele lugar, e enquanto eles conversavam com amigos, nós, crianças, brincávamos. Um mar de pureza tomava conta do nosso mundo. Agora essas e outras contações estão ameaçadas e próximas a ficar somente nas boas lembranças.

A existência dessa casa é bem antes do Amapá ser transformado em estado, e nem isso sensibiliza nossos representantes políticos. E se uma pergunta me coubesse, poderia fazê-la sem nenhum problema: Qual o impedimento desse patrimônio continuar embalando nossa história?

O Macapá Hotel está na lista dos preferidos do poder público estadual para ser vendido ou leiloado, como queiram. Essa notícia choca os amapaenses apaixonados por esta cidade que um dia foi chamada “Jóia da Amazônia”, mas que hoje, com tristeza, lista mais um patrimônio da história tucuju que se despede de seu povo.

Será que existe autoridade maior de um poder para decidir pela extinção de uma casa que abrigou, durante décadas, um mundo de histórias? Será que o povo, verdadeiro proprietário do lugar, não poderia ser contemplado com a permanência de algo que venha garantir sua morada cultural?

Se a venda do Macapá Hotel é a única saída encontrada para resolver certos problemas causados, então qual o valor de nossa história?

 

  • É hoje

Neste sábado (16), tem show “Cores da Amazônia”, com os cantadores paraenses, Paulinho Mururé, Allan Carvalho (lançando o CD Oura).
Convidados especiais: Puka Dias (Afuá), Marcção Franco (PA), Zé Miguel e Amadeu Cavalcante (AP). No bar “O Barril”, esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva, às 22h. Informações: 98137-3130.

 

  • Museu

De 18 a 24 de setembro vai acontecer, em todo o país, a 11ª Primavera dos Museus (museus e suas memórias).
Em Macapá, vários serão os locais que receberão a programação do evento. A biblioteca pública, Elcy Lacerda, é um desses endereços.

 

  • Homenagem

Cantor e compositor, Marcelo Dias, vai homenagear o consagrado cantor Fábio Júnior, em show imperdível.
Dia 13 de outubro no Espaço D’Corte, na esquina da av: 1º de Maio com a rua Jovino Dinoá – Trem. Informações: 98119-9797.

 

  • Marabaixo

O 2º Festival Cantando Marabaixo está agendado para acontecer nos dias 3, 4 e 5 de novembro, na sede da escola de samba, Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Sta. Rita).
As inscrições encerram dia 13 de outubro, na Seafro, na rua Gal. Rondon, entre as avs: Raimundo Álvares da Costa e Enestino Borges – Laguinho. Informações: 99175-9142.

 

  • Recomendo

Cantor e compositor, Zé Miguel, vai festejar seus cinco ponto cinco (52 anos), com show especial “Celebrando a Vida”. Convidados especiais: Osmar Júnior, Amadeu Cavalcante, Val Milhomem, Joãozinho Gomes, Lula Gerônimo, Anna Macedo, Loren Cavalcante, Hadassa Oliveira, Aron Miranda e Cássio Pontes.
Dia 29 de setembro, no Teatro das Bacabeiras, 21h. Informações: 99118-2900.

 

  • Fotografia

Exposição fotográfica “I’ã Foto Fragmentos de Uma Amazônia amapaense”, do artista Paulo Rocha.
De 16 a 30 de setembro, no Excelentíssimo Jardim (av: Enestino Borges – 191 – Laguinho). Abertura às 19h, com Suite Xapiri-Curuocangô (Tatamirô Grupo de Poesia).

 

  • Círio

O amigo artista, Ricardo Iraguany, vai realizar a 2ª edição do Projeto Barca do Iraguany. Fé, amor, poesia, paz, solidariedade, música, teatro, dança, cultura, arte e devoção.
Dia 30 de setembro, às 18h, na Praça Floriano Peixoto. Informações: 99123-8267 – 98115-0902.

 

  • Lamentável

Só passando pra lembrar que bem devagar os nossos espaços culturais estão sendo deixados de lado, longe de nós e sem atividades fins. Sambódromo, Cidade do Samba, Centro de Cultura Negra, Museus, Escola Cândido Portinari, etc. Lamentável.


Sistema Nacional de Cultura recebe novas adesões

comentários

Com novas adesões ocorridas nos últimos dias, cerca de 44% dos municípios brasileiros passaram a integrar o Sistema Nacional de Cultura (SNC), instrumento criado pelo Ministério da Cultura (MinC) para gestão compartilhada de políticas culturais. No total são 2.446 municípios participantes do sistema, sendo que 206 formalizaram a adesão neste ano.

Entraram no SNC os municípios de Anta Gorda e Marau, no Rio Grande do Sul; Cruzeiro, em São Paulo; Iracema do Oeste, no Paraná; Poço Fundo, em Minas Gerais; São João do Jaguaribe, no Ceará; e Witmarsum, em Santa Catarina. Neste momento, o sistema contempla mais de 161 milhões de habitantes.

Até agora são 193 municípios do Centro-Oeste, mais o Distrito Federal, 185 do Norte, 585 do Sul, 630 do Sudeste e 852 do Nordeste. Os convênios entre o MinC e os sete municípios foram publicados, nesta sexta-feira, no Diário Oficial da União.

Após a adesão ao SNC, estados e municípios podem aprimorar a gestão cultural, com a criação do órgão de gestão local, do conselho de política cultural, da conferência e do plano de cultura, além do sistema de financiamento. A assinatura do acordo de cooperação federativa entre o MinC e o ente federado, que se compromete a estruturar o seu sistema de cultura, marca a adesão ao sistema.

O Ministério da Cultura realiza oficinas para capacitação dos gestores e conselheiros municipais de cultura, para auxiliar nesse processo. Com isso, o MinC tem buscado oferecer aos municípios as condições técnicas apropriadas para a integração ao Sistema Nacional de Cultura. (www.cultura.gov.br).

 

  • Poesia

Programa “O Canto da Amazônia” (Diário FM) ganhou uma bela poesia do poeta, Pedro Stkls. Ele faz parte do grupo Poetas Azuis.
“É um poema sobre imagens, pois é como vejo O Canto da Amazônia”, disse o artista. Obrigado.

 

  • “Bailinho Azul”

Sábado, 16, o grupo Poetas Azuis vai realizar o Bailinho Azul, no Teatro Marco Zero, rua Oscar Santos- 397, no bairro Perpétuo Socorro, às 20h.
Poesia, música e dança.

 

  • Agenda

Sábado, 16 tem show “Cores da Amazônia”, com os cantadores paraenses, Paulinho Mururé, Allan Carvalho (lançando o CD Oura).
Convidados especiais: Puka Dias (Afuá), Marcção Franco (PA), Zé Miguel e Amadeu Cavalcante (AP).
No bar “O Barril”, esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva, às 22h. Informações: 98137-3130.

 

  • Festival

O 2º Festival Cantando Marabaixo está agendado para acontecer nos dias 3, 4 e 5 de novembro, na sede da escola de samba, Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Sta. Rita).
As inscrições encerram dia 13 de outubro, na Seafro, na rua Gal. Rondon, entre as avs: Raimundo Álvares da Costa e Enestino Borges – Laguinho. Informações: 99175-9142.

 

  • Conselheiro

Muitas artistas não sabem quem é e desconhecem o trabalho do Conselheiro que representa seu segmento, no Conselho Estadual de Cultura (Consec).

 

  • Música

Sexta, 26, tem o projeto “Arte no Museu”, com o cantor Chico Terra e cantador da Amazônia, Nonato Santos.
Noite de autógrafos com o escritor Bruno Muniz e show musical com Alci Pires e banda. No Museu Sacaca (av: Feliciano Coêlho – Santa Rita), a partir das 19h. Entrada franca.

 

  • Instrumental

A 9ª edição do Amapá Jazz Festival está agendada para acontecer nos dias 19, 20 e 21 de outubro, no Araxá (Complexo Marlindo Serrano).
A realização é do produtor (cantor e compositor) Finéias Nelluty.

 

  • “O Canto da Amazônia”

Um programa 100% regional, com uma linguagem bem amazônica de valorizar a arte e a cultura da região norte brasileira (todos os segmentos).
De segunda à sexta, na Diário FM 90,9. Das 16h às 17h30. Bom de ouvir.


Finéias Nelluty: Vem Conhecer Macapá

comentários

 

O cantor, compositor, músico e produtor amapaense, Finéias Nelluty, homenageia a cidade de Macapá, com uma de suas muitas belas obras musicais, “Vem Conhecer Macapá”.

Vem cá conhecer Macapá, curtir esse lugar que é bom pra se viver. Vem cá da beira rio olhar o amazonas banhar. meu forte São José.

Da Fazendinha aquela vista boa, no Curiaú tem pantanal, lagoa. Vem Marabaixo dançar, vem no Batuque suar. O Marco Zero vem ver, vem ver a banda passar, vem ver, vem ver, conhecer Macapá.

O Laguinho que me deu a mulata pra sambar, passo na Tia Neném pra tomar meu tacacá, chega mais perto e vem provar o meu peixe com açaí, farinha do Pacuí, tempero da Tia Coló, tenho mais pra te mostrar, vem ver, conhecer Macapá.

  •  Recomendo
    Sábado, 16 tem show “Cores da Amazônia”, com os cantadores paraenses, Paulinho Mururé, Allan Carvalho (lançando o CD Oura).

Convidados especiais:  Puka Dias (Afuá), Marcção Franco (PA), Zé Miguel e Amadeu Cavalcante (AP).

No bar “O Barril”, esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva, às 22h. Informações: 98137-3130.

  • Marabaixo
    O 2º Festival Cantando Marabaixo está agendado para acontecer nos dias 3, 4 e 5 de novembro, na sede da escola de samba, Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Sta. Rita).

As inscrições encerram dia 13 de outubro, na Seafro, na rua Gal. Rondon, entre as avs: Raimundo Álvares da Costa e Enestino Borges – Laguinho. Informações: 99175-9142.

  • Agenda
    Sexta, 26, tem o projeto “Arte no Museu”, com o cantor Chico Terra e convidados.

Noite de autógrafos com o escritor Bruno Muniz e show musical com Alci Pires e banda. No Museu Sacaca (av: Feliciano Coêlho – Santa Rita), a partir das 19h. Entrada franca.

  • Instrumental
    A 9ª edição do Amapá Jazz Festival está agendada para acontecer nos dias 19, 20 e 21 de outubro, no Araxá (Complexo Marlindo Serrano).

A realização é do produtor (cantor e compositor) Finéias Nelluty.

  • 5- “O Canto da Amazônia”
    Um programa 100% regional, com uma linguagem bem amazônica de valorizar a arte e a cultura da região norte brasileira (todos os segmentos).

De segunda à sexta, na Diário FM 90,9. Das 16h às 17:30h. Bom de ouvir.

  • Nada
    Centro de Cultura Negra, sede da UNA, continua fechado e sem atividades fins.

Secretária da Seafro, Núbia Souza, chegou a informar que tinha um projeto para desenvolver com as comunidades afros, naquele especo, mas até agora nada de concreto.

  • Samaúma
    Nome da Galeria de Artes Samaúma, que agrega inúmeras obras de artistas plásticos amapaenses, no Araxá (Complexo Marlindo Serrano).

Visite e conheça as maravilhas das artes plásticas tucujus. O artistas Wagner Ribeiro é quem administra esse belo espaço.


Pela preservação do patrimônio histórico brasileiro

comentários

Criado para assegurar a preservação do patrimônio cultural do Brasil, o PAC Cidades Históricas integra o Programa de Aceleração do Crescimento e é fruto da preocupação do governo federal com os sítios históricos urbanos protegidos pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Coube à octogenária instituição, uma das mais respeitadas do País e a primeira na América Latina dedicada à proteção de bens materiais e imateriais, a concepção do programa, que hoje está em pleno andamento, por meio da cooperação e de parcerias com estados, municípios, universidades e outros órgãos federais.

O PAC Cidades Históricas vai além da recuperação de monumentos e tem na preservação do patrimônio um de seus principais eixos indutores para a geração de renda, o desenvolvimento e a inclusão social, a integração e a afirmação da identidade cultural brasileira. Ao todo, são 425 ações que vêm beneficiando sítios urbanos de relevância histórica e diversos bens que simbolizam a diversidade cultural do Brasil. O governo federal disponibilizou R$ 1,6 bilhão para as obras de restauração de edifícios e espaços públicos levadas a cabo pelo programa, que já está presente em 44 cidades de 20 estados do País. Trata-se do maior investimento em patrimônio cultural de nossa história.

Um dos diferenciais que tornam o programa ainda mais dinâmico e eficiente é o apoio aos estados e municípios para a contratação de projetos. Além disso, a execução é compartilhada – há ações sob responsabilidade dos governos estaduais, das prefeituras, de universidades federais e do próprio Iphan, que acompanha o andamento das obras e aprova os projetos e orçamentos.

Entre as regiões contempladas pelas ações do PAC Cidades Históricas, evidentemente, estão importantes municípios de Minas Gerais, como Belo Horizonte, Congonhas, Diamantina, Mariana, Ouro Preto, Sabará, São João del Rei e Serro. Em Congonhas, por exemplo, a restauração da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição será a 20ª obra concluída pelo programa. Além dela, estão em andamento na cidade a restauração da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matozinhos, a requalificação da Alameda das Palmeiras e a construção do Parque Natural da Romaria. (www.cultura.gov.br).

 

  • Agenda

Sábado, 16 tem show “Cores da Amazônia”, com os cantadores paraenses, Paulinho Mururé, Allan Carvalho (lançando o CD Oura).
Convidados especiais: Puka Dias (Afuá), Marcção Franco (PA), Zé Miguel e Amadeu Cavalcante (AP).
No bar “O Barril”, esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva, às 22h. Informações: 98137-3130.

 

  • Marabaixo

O 2º Festival Cantando Marabaixo está agendado para acontecer nos dias 3, 4 e 5 de novembro, na sede da escola de samba, Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Sta. Rita).
As inscrições serão na Seafro (de 11 de set. a 13 de out.), na rua Gal. Rondon, entre as avs: Raimundo Álvares da Costa e Enestino Borges – Laguinho. Informações: 99175-9142.

 

  • Instrumental

A 9ª edição do Amapá Jazz Festival está agendada para acontecer nos dias 19, 20 e 21 de outubro, no Araxá (Complexo Marlindo Serrano).
A realização é do produtor (cantor e compositor) Finéias Nelluty.

 

  • Sapucaí

Liesa do Rio de Janeiro já definiu a ordem de apresentação das 13 escolas de samba para o carnaval, em fevereiro de 2018.
Dia 11 (domingo): Império Serrano, São Clemente, Vila Isabel, Paraíso do Tuiutí, Grande Rio, Mangueira e Padre Miguel.
Dia 12 (segunda): Unidos da Tijuca, Portela, União da Ilha, Salgueiro, Imperatriz e Beija-Flor.

 

“Encanto das Águas”

Nova música do cantor e compositor, Nathal Villar, que participou semana passada, da 33ª edição do Festival da Canção de Itacoatiara (Fecani – AM), com essa música.

 

  • Promessa

Muito discurso e pouca ação pra fazer andar os projetos artísticos e culturais que estão engavetados nos gabinetes do poder público.
Enquanto isso…

 

  • “Canta Brasil”

Todo sábado é dia de ouvir o melhor repertoria da boa Música Popular Brasileira (MPB), no programa “Canta Brasil”, na Diário FM 90,9.
Das 6 às 8 da noite. Sintonize.


Saiba o que é cultura de massa

comentários

A expressão “Cultura de Massa”, posteriormente trocada por “indústria cultural”, é aquela criada com um objetivo específico, atingir a massa popular, maioria no interior de uma população, transcendendo, assim, toda e qualquer distinção de natureza social, étnica, etária, sexual ou psíquica. Todo esse conteúdo é disseminado por meio dos veículos de comunicação de massa.

Antes do advento da cultura de massa, havia diversas configurações culturais – a popular, em contraposição à erudita; a nacional, que entretecia a identidade de uma população; a cultura no sentido geral, definida como um conglomerado histórico de valores estéticos e morais; e outras tantas culturas que produziam diversificadas identidades populares.

Mas, com o nascimento do século XX e, com ele, dos novos meios de comunicação, estas modalidades culturais ficaram completamente submergidas sob o domínio da cultura de massa. Veículos como o cinema, o rádio e a televisão, ganharam notório destaque e se dedicaram, em grande parte, a homogeneizar os padrões da cultura.

Como esta cultura é, na verdade, produto de uma atividade econômica estruturada em larga escala, de estatura internacional, hoje global, ela está vinculada, inevitavelmente, ao poderoso capitalismo industrial e financeiro. A serviço deste sistema, ela oprime incessantemente as demais culturas, valorizando tão somente os gostos culturais da massa.

Esta cultura é hipnotizante, entorpecente, indutiva. Ela é introjetada no ser humano de tal forma, que se torna quase inevitável o seu consumo, principalmente se a massa não tem o seu olhar e a sua sensibilidade educados de forma apropriada, e o acesso indispensável à multiplicidade cultural e pedagógica. (Ana Lúcia Santana).

 

  • Livro

Recebi da Editora Letra Livre um exemplar do novo livro do jornalista e escritor brasileiro, Henrique Medeiros, “Palavras Correndo Atrás de Textos – Poemas e Outros Escritos”. Ele nasceu em Corumbá (MS).
Um livro que fala em buscas, mas também do prazer das emoções. Agradecido.

 

  • Identidade

As artes produzidas no Amapá chamam a atenção pelas temáticas regionais das obras, retratando a realidade da identidade tucuju.

 

  • Marabaixo

O 2º Festival Cantando Marabaixo está agendado para acontecer nos dias 3, 4 e 5 de novembro, na sede da escola de samba, Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Sta. Rita).
As inscrições serão na Seafro (de 11 de set. a 13 de out.), na rua Gal. Rondon, entre as avs: Raimundo Álvares da Costa e Enestino Borges – Laguinho. Informações: 99175-9142.

 

  • Sarau

Sesc AP vai realizar, dia 14, o “Sarau de Todas as Tribos”, com apresentações musicais e outras artes.
Recital lírico musical que tem como foco a linguagem em suas múltiplas interações. Além dos já tradicionais poemas-canções, marca registrada do Tatamirô Grupo de Poesia.
Às 19h, no Sesc Centro (esquina da rua Tiradentes com a av: Mendonça Júnior – canal).

 

  • Musicalidade

O cantar amapaense está soando bem longe de seu ninho, em lugares distantes que sempre imaginamos que um dia seriamos ouvidos.

 

  • Cores

Cantadores paraenses amazônicos, Paulinho Mururé e Allan Carvalho, vão fazer show em Macapá, dia 16 de setembro, no bar “O Barril”, lançando o CD “Oura” (Allan Carvalho.
Convidados: Amadeu Cavalcante, Zé Miguel, Puka Dias e Marcão Franco. Na esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva, às 22h. Informações: 98137-3130.

 

  • Fecani

Cantadores amapaenses, Chermont Júnior e Nathal Villar, participaram da 33ª edição do Festival da Canção de Itacoatiara (AM).
Chermont já venceu essa competição em 2013.