Sérgio Sá Leitão é o novo ministro da Cultura

comentários

Atual diretor da Agência Nacional do Cinema (Ancine), Sérgio Sá Leitão é o novo titular do Ministério da Cultura (MinC). Com ampla e reconhecida experiência na área cultural, Sá Leitão foi chefe de gabinete do MinC durante a gestão do ex-ministro Gilberto Gil e secretário municipal de Cultura do Rio de Janeiro entre 2012 e 2015.

Sá Leitão, 49 anos, havia assumido a diretoria da Ancine em abril deste ano, indicado pelo então ministro Roberto Freire. Foi diretor-presidente da RioFilme de 2009 a 2015. Também já assessorou a Presidência do BNDES, onde coordenou a criação do Departamento de Cultura. Foi membro do Conselho Petrobras Cultural, vice-presidente da Comissão Interamericana de Cultura (OEA) e vice-presidente da Associação das Distribuidoras Brasileiras (Adibra). Participou da criação do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e da elaboração da Lei 12.485, que regulamenta a TV paga no Brasil.

Jornalista, formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Sá Leitão é pós-graduado em E-business pelo IBMEC (atual Insper) e em Políticas Públicas pela Universidade de São Paulo (USP).

Na iniciativa privada, foi consultor de várias empresas e trabalhou na Clear Channel Entertainment (hoje Live Nation), na Rio Bravo Investimentos, na Folha de S.Paulo, no Jornal do Brasil e no Jornal dos Sports. Foi sócio da produtora Solar Filmes, da editora AgitProp e da agência de design 20/01. Realizou diversos curtas, DOCs, clipes, comerciais, institucionais e exposições de fotografia.

É professor do Curso de Direito do Entretenimento da UERJ e deu aula na UFRJ, na UniverCidade e na Universidade Veiga de Almeida. Participa habitualmente como conferencista em diversos eventos no Brasil e no exterior, abordando temas como economia criativa, indústria do entretenimento e indústria do audiovisual. Também integrou o Conselho da Fundação OndAzul, ONG ambientalista criada por Gilberto Gil. Foi o responsável pela criação do CineCarioca Nova Brasília, o primeiro cinema 3D em uma favela brasileira (e também a sala com a maior taxa de ocupação no país), entre outros projetos.

Em sua passagem pelo MinC de 2004 a 2006, Sá Leitão tomou medidas importantes, como a criação do Programa de Economia da Cultura dentro da Secretaria de Economia da Cultura. Foi Sá Leitão quem desenvolveu pela primeira vez um mapeamento da economia da cultura. Coordenou ainda o Programa de Apoio à Exportação de Música (Pró-Música), lançado para estimular a difusão da música brasileira no exterior, por meio de divulgação, geração de negócios e estímulo à demanda. Todas as ações foram identificadas pela marca ‘Música do Brasil’. Também foi o responsável pelo programa CulturaPrev, um Fundo de Pensão para os Trabalhadores da Cultura, que busca atender as necessidades específicas dos trabalhador es da cultura para garantir sua proteção social. (www.cultura.gov.br).

 

“Canta Brasil”
Todo sábado é dia de ouvir o “Canta Brasil”, na Diário FM 90,9, com o melhor repertório da boa música popular brasileira (MPB).
Das 6 às 8 da noite. Sintonize.

Estação Lunar
Na quinta, 27, será a última edição do projeto musical Estação Lunar. No balneário de Fazendinha, a partir das 19h. Faz parte do Macapá verão 2017.
Atrações: Sabrina Zahara, Lolito do Bandolim, (instrumental), Mini Box Lunar, Helder Brandão e Beto Oscar, Osmar Júnior, Patrícia Bastos e Banda Negro de Nós.

PPA
Prefeitura de Macapá está convidando artistas, de todos os segmentos, para o Congresso do Povo, criação do Programa Plurianual (PPA).
Onde o gestor irá ouvir as necessidades de cada setor e inseri-las em sua administração como prioridade.
Sábado, 22, na escola municipal Hildemar Maia, av: Cônego Domingos Maltês – Trem, a partir das 8h.

Banzeiro
Domingo, 23, tem Cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, às 16h, na Praça Floriano Peixoto.
Os ensaios irão acontecer na sexta (21) e sábado (22), às 19h, na Praça Floriano Peixoto.

Visita
Cantora Patrícia Bastos estará visitando a terrinha na semana que vem, aproveitando pra se apresentar no Estação Lunar (Fazendinha), quinta (27).
Nossa “caboca” concorreu (Melhor Cantora) com Maria Bethânia e Zizi Possi no Prêmio da Música Brasileira, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, na quarta, 19. Bethânia venceu mais uma vez.

FitClub
Um projeto em favor do esporte saudável e do bem estar, com treinamento funcional, personal trainer, treinamento desportivo e corrida.
Com o professor Andrew Souza (assessor esportivo) e Ely Maciel (auxiliar esportivo). Informações: 999138-9398 (FitClub Assessoria Esportiva).

Jazz
Dias 19, 20 e 21 de outubro, vai acontecer a 9ª edição do Amapá Jazz Festival, homenageando o professor e músico, Nonato Leal.
No Complexo Marlindo Serrano (Araxá), a partir das 21h.


Leila Pinheiro: uma artista que canta o Brasil

comentários

Ela é uma cantora que canta o Brasil. Nasceu em Belém (PA) e começou seus estudos de piano em 1970, no Instituto de Iniciação Musical, em sua cidade natal, prosseguindo-os, a partir de 1974, com o músico paraense Guilherme Coutinho. Estreou como cantora em 1970, no show Sinal de partida, no Teatro da Paz, de Belém.

Em 1981 mudou-se para o Rio de Janeiro RJ e gravou de forma independente seu primeiro disco, “Leila Pinheiro”, lançado em 1983. Dois anos depois, defendeu a canção “Verde” (Eduardo Gudin e José Carlos Costa Neto) no Festival dos Festivais da TV Globo, garantindo o terceiro lugar e o prêmio de cantora revelação.

Em 1986 foi contratada pela Polygram e gravou o disco “Olho Nú”, com participação do guitarrista norte-americano Pat Metheny. Representou o Brasil no Festival Mundial Yamaha, no Japão, sendo premiada como melhor intérprete. Em 1987 recebeu da Associação Brasileira de Produtores de Disco o Troféu Villa-Lobos, como revelação feminina do ano. Lançou seu terceiro disco em 1988, “Alma”, pela Polygram.

Em 1989 foi convidada por Roberto Menescal para ser a intérprete de um disco em comemoração aos 30 anos da bossa nova, para o mercado japonês. Com produção e arranjos do próprio Menescal, o disco, “Bênção, Bossa Nova”, tornou-se grande sucesso tanto no Japão como no Brasil.

Em 1991 participou do I Rio Show Festival, com Roberto Menescal e banda. Lançou o disco “Outras Caras”, também com produção de Menescal. Gravou em 1993 0 CD Coisas do Brasil, produzido e arranjado por César Camargo Mariano, e excursionou pela Europa. Em 1994 transferiu-se para a EMI, pela qual gravou Isso é bossa nova. Em 1996 gravou e produziu “Catavento e Girassol”, trabalho dedicado à obra de Guinga e Aldir Blanc. Em 1997 participou do show em homenagem a Vinicius de Moraes, no Metropolitan (RJ) e fez turnê pelos E.U.A, com Ivan Lins.
Depois de 30 anos de carreira, Leila Pinheiro gravou o CD “Raiz”, em homenagem ao seu estado do Pará.

 

PPA
Prefeitura de Macapá está convidando artistas, de todos os segmentos, para o Congresso do Povo, criação do Programa Plurianual (PPA).
Onde o gestor irá ouvir as necessidades de cada setor e inseri-las em sua administração como prioridade.
Sábado, 22, na escola municipal Hildemar Maia, av: Cônego Domingos Maltês – Trem, a partir das 8h.

Estação Lunar
Nesta quinta, 20, tem a edição do projeto musical, Estação Lunar, em Fazendinha, a partir das 19h. Valorizando o artista autoral no Macapá Verão.
Helinho Côrte, Nani Rodrigues e Loren Cavalcante, Beto 7 Cordas (instrumental), Grupo Pilão, Rambolde Campos, Branda Melo e Grupo Senzalas.

Valorização
Diário FM foi a única emissora de rádio do Amapá a divulgar a participação da cantora amapaense, Patrícia Bastos, na 28ª edição do Prêmio da Música Brasileira, ocorrido ontem (19), no Rio de Janeiro (Theatro Municipal).

Oficinas
Ministério da Cultura realiza, nesta quinta (20) e neste sábado (22), nos estados de São Paulo, Pernambuco e Rio Grande do Norte, mais quatro oficinas para orientar candidatos a se inscreverem no Prêmio Culturas Populares Leandro Gomes de Barros. (www.cultura.gov.br).

Banzeiro
Domingo, 23, tem Cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, às 16h, na Praça Floriano Peixoto.
Os ensaios irão acontecer na sexta (21) e sábado (22), às 19h, na Praça Floriano Peixoto.

Festival
Festivaleiro Chermont Júnior, foi selecionadas no 33º Festival da Canção Ouremense, com as músicas “Mandingueiro” e “Embolada Amazônica”.
O festival vai acontecer nos dias 20 e 21 de julho, na cidade de Ourém (PA). Boa sorte.

Abandono
Trapiche Eliezer Levy continua sem funcionar suas atividades, abandonado e feio.
Se não tem utilização nenhuma, então não vemos necessidade de estar ali. Resolvam.


Mestre Vieira: o criador da “Guitarrada”

comentários

A Guitarrada é um gênero musical paraense instrumental surgido da fusão do choro com carimbó, cúmbia e jovem guarda, entre outros. É também chamado de lambada instrumental. O seu criador é o Mestre Vieira. Neste estilo a guitarra elétrica é solista. Os principais representantes da atualidade são os grupos: Mestres da Guitarrada, Cravo Carbono e La pupuña.

Joaquim de Lima Vieira, o Mestre Vieira, nasceu em 29/10 de 1934, é um músico brasileiro, tem 20 discos solo gravados. A música “Lambada Jamaicana” (lançada em 82, vinil “Melô da Cabra”) é seu maior sucesso. Desde 2003 integra também o grupo Mestres da Guitarrada, tendo 2 cds lançados: Mestres da Guitarrada (2004, selo Funtelpa) e Música Magneta (2008, Selo Candeeiro Records). Em 2008 recebeu do Ministério da Cultura a medalha de Ordem ao Mérito Cultural pelo seu relevante serviço prestado à cultura brasileira.

É um gênero musical único no mundo. Criado por Mestre Vieira, natural de Barcarena, o ritmo musical surgiu em Belém (PA), a guitarra faz sempre o solo em ritmos como cúmbia, carimbó e merengue. A guitarrada tem como marco o lançamento do disco “Lambadas das Quebradas” (1978). A inovação do disco foi apresentar temas instrumentais para guitarra, sempre valorizando os ritmos amazônicos e caribenhos. Mestre Vieira, tem seu trabalho fortemente influenciado pelo choro e revelou-se virtuose ainda criança. Depois de ter tocado bandolim, banjo, cavaquinho, violão e instrumentos de sopro, ele só teve contato com a guitarra elétrica na década de 70.

Mestre Curica, também está ligado à tradição musical paraense. Ao lado de Verequete e Pinduca, é um dos importantes artistas que tocam carimbó. Ele foi o principal arranjador dos discos de Verequete e participou do primeiro registro de carimbó em disco, no ano de 1971. Curica também fabrica seus instrumentos e é considerado um dos responsáveis pela popular utilização do banjo nos arranjos de carimbó.

Aldo Sena, conta que se apaixonou pela guitarrada quando ouviu o disco “Lambadas das Quebradas”, de Mestre Vieira. No mesmo ano, Aldo Sena já estava apresentando ao público o seu trabalho autoral, feito com a banda “O Popular de Igarapé Mirim”.

 

É hoje
28ª edição do Prêmio da Música Brasileira, no Teatro Municipal, Rio de Janeiro, 21h. com transmissão ao vivo pelo Canal Brasil (TV fechada).
Amapaense Patrícia Bastos está na disputa em duas categorias: Melhor Cantora da MPB, com Maria Bethânia e Zizi Possi e Melhor Álbum (Batom Bacaba), com Maria Bethânia e Lenini.

Estação Lunar
Quinta, 20, será a segunda edição do projeto musical, Estação Lunar, em Fazendinha, a partir das 19h. Valorizando o artista autoral no Macapá Verão.
Helinho Côrtes, Nani Rodrigues e Loren Cavalcante, Beto 7 Cordas (instrumental), Grupo Pilão, Rambolde Campos, Branda Melo e Grupo Senzalas.

Destaque
Músico amapaense, Beto 7 Cordas, nascido na região do Araguarí, é um artista há 30 anos. Milita no samba (carnaval), Chorinho (seresta) e guitarrada.
Merece o destaque e registro da coluna.

Museus
Cinco museus do país podem ser visitados virtualmente, graças ao Instituto Brasileiro de Museus.
Museu Nacional de Belas Artes (RJ); Museu Histórico Nacional (RJ); Museu Imperial (RJ); Museus Castro Maya (RJ) – formado pelos museus do Açude e Chácara do Céu; e Museu Lasar Segall (SP). (www.cultura.gov.br).

Banzeiro
Domingo, 23, tem Cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, às 16h, na Praça Floriano Peixoto.
Os ensaios irão acontecer na sexta (21) e sábado (22), às 19h, na Praça Floriano Peixoto.

Festivaleiro
Festivaleiro Chermont Júnior, foi selecionadas no 33º Festival da Canção Ouremense, com as músicas “Mandingueiro” e “Embolada Amazônica”.
O festival vai acontecer nos dias 20 e 21 de julho, na cidade de Ourém (PA). Boa sorte.

Negritude
A cultura afro-brasileira vai ganhar ainda mais espaço no sistema educacional brasileiro.
A Fundação Cultural Palmares começa a levar para as escolas públicas do país um debate sobre as principais questões relacionadas à história e cultura negras, por meio do projeto Conhecendo nossa História: da África ao Brasil. (www.cultura.gov.br).


Saiba o que é cultura de massa

comentários

A expressão “Cultura de Massa”, posteriormente trocada por “indústria cultural”, é aquela criada com um objetivo específico, atingir a massa popular, maioria no interior de uma população, transcendendo, assim, toda e qualquer distinção de natureza social, étnica, etária, sexual ou psíquica. Todo esse conteúdo é disseminado por meio dos veículos de comunicação de massa.

Antes do advento da cultura de massa, havia diversas configurações culturais – a popular, em contraposição à erudita; a nacional, que entretecia a identidade de uma população; a cultura no sentido geral, definida como um conglomerado histórico de valores estéticos e morais; e outras tantas culturas que produziam diversificadas identidades populares.

Mas, com o nascimento do século XX e, com ele, dos novos meios de comunicação, estas modalidades culturais ficaram completamente submergidas sob o domínio da cultura de massa. Veículos como o cinema, o rádio e a televisão, ganharam notório destaque e se dedicaram, em grande parte, a homogeneizar os padrões da cultura.

Como esta cultura é, na verdade, produto de uma atividade econômica estruturada em larga escala, de estatura internacional, hoje global, ela está vinculada, inevitavelmente, ao poderoso capitalismo industrial e financeiro. A serviço deste sistema, ela oprime incessantemente as demais culturas, valorizando tão somente os gostos culturais da massa.

Esta cultura é hipnotizante, entorpecente, indutiva. Ela é introjetada no ser humano de tal forma, que se torna quase inevitável o seu consumo, principalmente se a massa não tem o seu olhar e a sua sensibilidade educados de forma apropriada, e o acesso indispensável à multiplicidade cultural e pedagógica. (Ana Lúcia Santana).

 

Estação Lunar
Quinta, 20, será a segunda edição do projeto musical, Estação Lunar, em Fazendinha, a partir das 19h. Valorizando o artista autoral no Macapá Verão.
Helinho Côrtes, Nani Rodrigues e Loren Cavalcante, Beto 7 Cordas (instrumental), Grupo Pilão, Rambolde Campos, Branda Melo e Grupo Senzalas.

Premiação
Nesta quarta, 19, será a entrega do 28º Prêmio da Música Brasileira, que será transmitido ao vivo pelo Canal Brasil (TV fechada).
Amapaense Patrícia Bastos está na disputa em duas categorias: Melhor Cantora da MPB, com Maria Bethânia e Zizi Possi e Melhor Álbum (Batom Bacaba), com Maria Bethânia e Lenini.
No Theatro Municipal, Rio de Janeiro, às 21h.

Abandono
Centro de Cultura Negra, sede da UNA, continua abandonado e sem as atividades fins pra qual foi criado.
E ainda dizem que ninguém tem quer ser apontado como culpado. E quem seria, senão as pessoas que administraram e administram o local?

Festivaleiro
Festivaleiro Chermont Júnior, foi selecionadas no 33º Festival da Canção Ouremense, com as músicas “Mandingueiro” e “Embolada Amazônica”.
O festival vai acontecer nos dias 20 e 21 de julho, na cidade de Ourém (PA). Boa sorte.

Olhar Brasil
O Amapá vai receber o Kit de Produção Audiovisual do Ministério da Cultura, com mais 15 estado do país.
Semana passada o MinC relançou o Programa OIhar Brasil com o projeto Núcleos de Produção Digital. (www.cultura.gov.br).

Negritude
A cultura afro-brasileira vai ganhar ainda mais espaço no sistema educacional brasileiro.
A Fundação Cultural Palmares começa a levar para as escolas públicas do país um debate sobre as principais questões relacionadas à história e cultura negras, por meio do projeto Conhecendo nossa História: da África ao Brasil. (www.cultura.gov.br).

E agora?
Com o final da quadra junina, quais os projetos que os dirigentes irão desenvolver com os integrantes dos grupos?
Ou irão fazer como sempre. Aguardar o ano seguinte?

Culpado
Durante anos muitos projetos artísticos culturais receberam aporte financeiro do estado e até hoje não prestaram conta.
Todos calados.


Conheça o que é a Piracema

comentários

A piracema é um fenômeno que ocorre com diversas espécies de peixes ao redor do mundo. A palavra vem do tupi e significa “subida do peixe”. O processo recebe esse nome porque, todos os anos, eles nadam rio acima para realizar a desova.

Durante a piracema, os peixes nadam contra a correnteza. Esse processo é extremamente importante para o sucesso reprodutivo, uma vez que o esforço físico aumenta a produção de hormônios e causa a queima de gordura. Os testículos dos peixes machos nesse período aumentam de tamanho, ficando repletos de sêmen. No momento da fecundação, que ocorre externamente, a fêmea lança óvulos na água, enquanto o macho lança os espermatozóides diretamente sobre eles. Após esse momento, os peixes descem novamente o rio. Vale destacar que ovos e larvas também fazem a viagem no sentido contrário ao da piracema enquanto amadurecem. No nosso país, esse processo ocorre nas épocas de chuvas de verão, que causam o aumento do nível dos rios.

Um grande obstáculo à piracema é a presença de barragem. Os peixes, ao tentarem subir o rio, encontram esse obstáculo e, muitas vezes, ferem-se gravemente, além de ficarem muito exaustos. É nesse momento que muitos predadores se fartam de alimento. Mesmo quando os peixes conseguem se reproduzir, as larvas e ovos não conseguem sobreviver nos reservatórios. Além disso, há as turbinas que podem causar a morte tanto dos peixes quanto dos ovos e larvas.

Vale destacar que, geralmente, as barragens apresentam sistemas para a transposição de peixes com a finalidade de diminuir os impactos relatados. Esses sistemas consistem normalmente em uma espécie de escada que facilita a subida e descida dos peixes, úteis nos países do Hemisfério Norte, entretanto, nos países da América do Sul, não teve tanto sucesso.

 

Afro
Feira de Artesanato Afro foi uma das atrações do projeto Estação Lunar (Macapá Verão), quinta, 14, em Fazendinha. Semana que vem tem mais.

Lugares
Praças da Bandeira e Floriano Peixoto e os balneários de Fazendinha e Curiaú, são os lugares onde estão acontecendo as programações culturais do Macapá Verão.
De quinta a domingo.

Estação Lunar
Foi um sucesso a primeira quinta, 13, do projeto Estação Lunar, em Fazendinha. Sete shows musicais foram apresentados.
Na quinta, 20, ás 19h, a festa continua com Hélio Cêrtes, Nani Rodrigues e Loren Cavalcante, Beto 7 Cordas (instrumental), Grupo Pilão, Rambolde Campos, Brenda Melo e Grupo Senzalas. Macapá Verão 2017.

PMB
Está chegando a hora da 28ª edição do Prêmio da Música Brasileira, que será transmitido ao vivo pelo Canal Brasil (TV fechada).
Amapaense Patrícia Bastos foi selecionada e disputa em duas categorias: Melhor Cantora da MPB, com Maria Bethânia e Zizi Possi e Melhor Álbum (Batom Bacaba), com Maria Bethânia e Lenini.
Quarta, 19, no Theatro Municipal, Rio de Janeiro, às 21h.

Revista Diário
Já nas bancas a nova edição da Revista Diário, com destaque para a manchete de capa.
“Conexão Caiena: Amapá Começa a Olhar Para o Caribe”. (www.diariodoamapa.com.br).

São Tiago
Programação da festa de São Tiago, marcando os 240 anos da Vila de Mazagão Velho, vai acontecer de 16 a 28 de julho, naquela localidade.

Festival
Duas músicas do cantor e compositor, Chermont Júnior, selecionadas no 33º Festival da Canção Ouremense: “Mandingueiro” e “Embolada Amazônica”.
O festival vai acontecer nos dias 20 e 21 de julho, na cidade de Ourém (PA). Boa sorte.


Lei do Audiovisual será prorrogada

comentários

O Ministério da Cultura, por meio das suas Secretarias Executivas e do Audiovisual, está finalizando uma minuta do texto que irá compor a Medida Provisória que estenderá os benefícios da Lei 8.685/1993.

“Mais uma vez, iremos renovar por mais cinco anos, até 2022, os benefícios da Lei do Audiovisual, garantindo que nossa produção siga seu caminho de sucesso”, anunciou o presidente da República, Michel Temer, durante a cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Cultural.

A Lei do Audiovisual permite investimento na produção e coprodução de obras cinematográficas e audiovisuais e infraestrutura de produção e exibição. Ela prevê que pessoas físicas e jurídicas invistam em projetos culturais em troca de benefício fiscal, nos limites de 6% e 4% do imposto devido, respectivamente. (www.cultura.gov.br).

 

Transmissão
28ª edição do Prêmio da Música Brasileira, será transmitido ao vivo pelo Canal Brasil (TV fechada).
Amapaense Patrícia Bastos foi selecionada e disputa em duas categorias: Melhor cantora da MPB e Melhor Álbum (Batom Bacaba).
Quarta, 19, no Theatro Municipal, Rio de Janeiro, às 21h.

Estação Lunar
Ontem, 13, foi um sucesso a abertura do Projeto Estação Lunar, no balneário de Fazendinha, com sete atrações no palco, armado na areia. Chermont Júnior, Celine Guedes, Poetas Azuis, Alan Gomes (instrumental), Oneide Bastos, Zé Miguel e Banda Afro Brasil.

Agenda
Na próxima quinta, 20, ás 19h, a festa continua com mais sete atrações no palco do Estação Lunar (Fazendinha): Hélio Cêrtes, nani Rodrigues e Loren Cavalcante, Beto 7 Cordas (instrumental), Grupo Pilão, Rambolde Campos, Brenda Melo e Grupo Senzalas. Faz parte da programação do Macapá Verão 2017.

Projeto MPA
Projeto de valorização e resgate da música regional produzida no Amapá, com linguagem amazônica.
Artistas do projeto se organizando para iniciar temporada de 2017, em agosto.

São Tiago
Programação da festa de São Tiago, marcando os 240 anos da Vila de Mazagão Velho, vai acontecer de 16 a 28 de julho, naquela localidade.

Festival
Duas músicas do cantor e compositor, Chermont Júnior, foram selecionadas para o 33º Festival da Canção Ouremense”: “Mandingueiro” e “Embolada Amazônica”.
O festival vai acontecer nos dias 20 e 21 de julho, na cidade de Ourém (PA). Boa sorte.

Iberbiblioteca
Encerram dia 21, as inscrições para a 2ª edição do estágio do Programa Iberbibliotecas, que será realizado, de 6 a 10 de novembro, em São Paulo.
Podem se candidatar bibliotecários de bibliotecas públicas e comunitárias que estejam trabalhando na área de acessibilidade e inclusão nos países e cidades integrantes do Iberbibliotecas:
Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Espanha, México, Paraguai, Buenos Aires (Argentina) e Medellín (Colômbia). (www.cultura.gov.br).


Mestre Vieira: o criador da “Guitarrada”

comentários

A Guitarrada é um gênero musical paraense instrumental surgido da fusão do choro com carimbó, cúmbia e jovem guarda, entre outros. É também chamado de lambada instrumental. O seu criador é o Mestre Vieira. Neste estilo a guitarra elétrica é solista. Os principais representantes da atualidade são os grupos: Mestres da Guitarrada, Cravo Carbono e La pupuña.

Joaquim de Lima Vieira, o Mestre Vieira, nasceu em 29/10 de 1934, é um músico brasileiro, tem 20 discos solo gravados. A música “Lambada Jamaicana” (lançada em 82, vinil “Melô da Cabra”) é seu maior sucesso. Desde 2003 integra também o grupo Mestres da Guitarrada, tendo 2 cds lançados: Mestres da Guitarrada (2004, selo Funtelpa) e Música Magneta (2008, Selo Candeeiro Records). Em 2008 recebeu do Ministério da Cultura a medalha de Ordem ao Mérito Cultural pelo seu relevante serviço prestado à cultura brasileira.

É um gênero musical único no mundo. Criado por Mestre Vieira, natural de Barcarena, o ritmo musical surgiu em Belém (PA), a guitarra faz sempre o solo em ritmos como cúmbia, carimbó e merengue. A guitarrada tem como marco o lançamento do disco “Lambadas das Quebradas” (1978). A inovação do disco foi apresentar temas instrumentais para guitarra, sempre valorizando os ritmos amazônicos e caribenhos. Mestre Vieira, tem seu trabalho fortemente influenciado pelo choro e revelou-se virtuose ainda criança. Depois de ter tocado bandolim, banjo, cavaquinho, violão e instrumentos de sopro, ele só teve contato com a guitarra elétrica na década de 70.

Mestre Curica, também está ligado à tradição musical paraense. Ao lado de Verequete e Pinduca, é um dos importantes artistas que tocam carimbó. Ele foi o principal arranjador dos discos de Verequete e participou do primeiro registro de carimbó em disco, no ano de 1971. Curica também fabrica seus instrumentos e é considerado um dos responsáveis pela popular utilização do banjo nos arranjos de carimbó.

Aldo Sena, conta que se apaixonou pela guitarrada quando ouviu o disco “Lambadas das Quebradas”, de Mestre Vieira. No mesmo ano, Aldo Sena já estava apresentando ao público o seu trabalho autoral, feito com a banda “O Popular de Igarapé Mirim”.

 

Festival
Duas músicas do cantor e compositor, Chermont Júnior, foram selecionadas para o 33º Festival da Canção Ouremense”: “Mandingueiro” e “Embolada Amazônica”.
O festival vai acontecer nos dias 20 e 21 de julho, na cidade de Ourém (PA). Boa sorte.

Agenda
Nesta quinta, 13, inicia o projeto Estação Lunar, no balneário de Fazendinha, a partir das 19h.
Atrações: Chermont Júnior, Celine Guedes, Poetas Azuis, Alan Gomes (instrumental), Oneide Bastos, Zé Miguel e Banda Afro Brasil.

28º PMB
Será no dia 19 de julho a solenidade da 28ª edição do Prêmio da Música Brasileira, o maios importante do país.
Cantora amapaense Patrícia Bastos concorre em duas categorias: Melhor Cantora da MPB e Melhor Álbum (Batom Bacaba).
A artista já venceu esse prêmio em 2014, como Melhor Cantora Regional e Melhor Álbum Regional (Zulusa).
O evento vai acontecer no Theatro Municipal, no Rio de Janeiro, às 21h. Na torcida.

Mudança
Sai ator Geovani Coêlho, e entra o artista plástico, Dekko, na administração do Teatro das Bacabeiras, prometendo um trabalho com mais participação dos segmentos da cultura artística. Boa sorte.

São Tiago
Programação da festa de São Tiago, marcando os 240 anos da Vila de Mazagão Velho, vai acontecer de 16 a 28 de julho, naquela localidade.

“Fest Jeep”
Jeep Club Macapá oferece coquetel para o lançamento do 9º Fest Jeep no Meio do Mundo.
Nesta quinta, 13, no Museu Sacaca, às 17h. obrigado pelo convite.

Destaque
Cantora Oneide Bastos, com mais de 40 anos de carreira, tem uma trajetória inconfundível na música popular brasileira, já com vários discos gravados.
Merece o destaque e o registro da coluna.


O que é música instrumental

comentários

A expressão música instrumental distingue toda música produzida exclusivamente por instrumentos musicais. Porém, ao contrário do que parece, a música instrumental não é necessariamente desprovida da voz e do canto. Em alguns casos, como “Taiane”, do brasileiro Hermeto Pascoal, ou “The Great Gig in the Sky”, da banda inglesa de rock progressivo Pink Floyd, a voz é usada como instrumento musical.

Até o início do século XVI, os instrumentos musicais eram usados apenas para acompanhar os cantos ou marcar ocompasso das músicas. A partir disso, as composições instrumentais foram ficando cada vez mais frequentes até que, durante o período barroco, a música instrumental passou a ter importância igual à vocal. Foi durante o período clássico (da música), porém, compreendido entre os anos de 1750 e 1810, que a música instrumental passou a ter importância maior do que a vocal, devido ao aperfeiçoamento dos instrumentos e ao surgimento das orquestras.

Como não podia deixar de ser, a música popular brasileira moldou-se a partir de todas estas fontes, bem como das influências vindas da música africana, trazida por negros de vários lugares, e também da música indígena de diversas regiões. Historiadores da música afirmam que a modinha (da Europa) e o lundu (da África) são as grandes influências da música popular brasileira e, juntamente com o schottish, a valsa, o tango e a polca, são grandes influências também para o choro, que é essencialmente instrumental, e considerado primeiro gênero popular urbano do Brasil. Os principais instrumentos utilizados no choro são o violão de 7 cordas, violão, bandolim, flauta, cavaquinho e pandeiro, embora diversos outros instrumentos tenham sido utilizados.

 

Estação Lunar
Inicia na quinta, 13, o Estação Lunar, no balneário de Fazendinha. Faz parte da programação do Macapá Verão. É um projeto musical regional de artistas autorais que cantam a nossa aldeia. Até a última quinta de Julho, a partir das 19h. Atrações: Chermont Júnior, Celine Guedes, Alan Gomes (instrumental), Poetas Azuis, Oneide Bastos, Zé Miguel e Banda Afro Brasil.

Cidadão Amapaense
O escritor, poeta, compositor, sociólogo e doutor, Fernando Canto, receberá o título de “Cidadão Amapaense”, pelo lançamento de sua nova obra literária “Mama Guga – Contos da Amazônia”, lançado em maio deste ano, em Belém (PA).
A proposição partiu do deputado estadual Pedro Da Lua, mas já existe uma comenda aprovado em 2007, pelo deputado Paulo José, mas nunca entregue. A entrega do título está agendada para setembro.

28º PMB
Será no dia 19 de julho a solenidade da 28ª edição do Prêmio da Música Brasileira, o maios importante do país.
Cantora amapaense Patrícia Bastos concorre em duas categorias: Melhor Cantora da MPB e Melhor Álbum (Batom Bacaba). A artista já venceu esse prêmio em 2014, como Melhor Cantora Regional e Melhor Álbum Regional (Zulusa). O evento vai acontecer no Theatro Municipal, no Rio de Janeiro, às 21h. Na torcida.

Patrimônio
Teatro de Bonecos Popular do Nordeste recebe título de Patrimônio Cultural do Brasil, pelo Iphan.
Durante o II Encontro de Brincantes de Babau da Paraíba, de 6 a 8 de julho, na cidade de Mari. (portal.iphan.gov.br).

Humor
Humorista Tirulipa tem show agendado em Macapá no dia 26 de agosto, no Teatro das Bacabeiras, às 21:30h. “’Não Sou o Cara, Mas Sou Filho Dele”. O evento faz parte dos 20 anos de carreira do artista.

Audiovisual
Ministério da Cultura lançou, sexta, 7, o Programa Nacional de Fomento ao Audiovisual composto por cinco editais.
O novo programa destina mais de R$ 8,6 milhões para 135 projetos do setor e contempla, pela primeira vez, projetos para canais web e aplicativos, além de festivais e mostras de audiovisual. (www.cultura.gov.br)

Destaque
Cantador Nonato Santos, lançando seu novo disco (CD), “Nas Asas da Noite”. Uma declaração e valorização de amor ao povo amazônico.
Merece o destaque e registro da coluna.


A influência da cultura na formação do cidadão

comentários

Mais do que uma característica essencial de uma sociedade, a cultura pode ser considerada como o elemento principal que difere uma nação de outra. Os costumes, a música, a arte e, principalmente, o modo de pensar e agir, fazem parte da cultura de um povo e devem ser preservados para que nunca se perca a singularidade do coletivo em questão. A palavra cultura deriva do latim, colere, que tem como significado literal “cultivar”. Partindo desse princípio, percebemos que se trata de uma herança acumulada ao longo dos anos, e que deve ser preservada.

Cada pessoa pertencente a uma determinada nação agrega valores culturais, os quais a levarão a fazer ou expressar-se de forma específica. Esse mecanismo de adaptação é um dos principais elementos da cultura, e torna-se ainda mais importante quando se alia ao fator cumulativo. As modificações que se desenvolveram e que foram trazidas por uma geração passam para a geração seguinte, e se implementam ao melhorar aspectos para futuras gerações.

Durante muito tempo, o termo cultura foi estudado e acabou sendo dividido em algumas categorias: Cultura segundo a Filosofia: trata-se de um conjunto de manifestações humanas, de interpretação pessoal, e que condizem com a realidade. Cultura segundo a Antropologia: o termo deve ser compreendido como uma soma dos padrões aprendidos, e que foram desenvolvidos pelo ser humano. Cultura Popular: associa-se a algo criado por um determinado grupo de pessoas que possuem participação ativa nessa criação. Música, arte e literatura são exemplos que podem ser utilizados.

Por ser um agente forte de identificação pessoal e social, a cultura de um povo se caracteriza como um modelo comportamental, integrando segmentos sociais e gerações à medida que o indivíduo se realiza como pessoa e expande suas potencialidades. Entretanto, é necessário lembrar que essa percepção individual tem grande influência por parte do grupo. As escolhas selecionadas ou valorizadas pelo grupo tendem a ser selecionadas na percepção pessoal.

Além disso, a cultura possui quatro processos que têm participação ativa na influência do indivíduo: O Agente Cultural: Seja qual for a forma de expressão artística que ele promove, trata-se de alguém que se sente valorizado pelo que é capaz de fazer e, mesmo na velhice, é muitas vezes procurado para transmitir seus conhecimentos aos mais jovens. O Propagador Cultural: É aquele que não cria, mas que valoriza e ajuda a difundir determinados tipos de arte. Muitas vezes, dedica sua vida a esse propósito. Dentro desse grupo, estão incluídos os indivíduos que compram e comercializam produtos culturais. O Espectador Cultural: Grupo formado por pessoas que não criam e nem difundem a arte, mas que são apreciadores do gênero e que se identificam com outros de pensamento semelhante. Um exemplo do gênero e que pode ser citado é a formação dos fã-clubes, que interagem entre si promovendo o ídolo de diversas maneiras. O Alienado Cultural:Trata-se de alguém ou determinado grupo que denuncia as formas de expressão cultural. Presente muitas vezes em regimes ditatoriais, evidencia a exclusão social e oprime movimentos artísticos menos poderosos mas, nem por isso, com menos influ&e circ;ncia na sociedade. (www.institutofilantropia.org.br).

 

“Canta Brasil”
Hoje (8) é dia de ouvir o melhor repertório da boa música popular brasileira, no programa “Canta Brasil”, na Diário FM 90,9, das 6 às 8 da noite. Sintonize.

“Fazendinha”
Título de uma canção de Nilson Chaves e Joãozinho Gomes, composta para o balneário de Fazendinha.
Ela canta as belezas e riquezas naturais do lugar. Parabéns e obrigado.

Proav
Ministério da Cultura lança o Programa Nacional de Fomento ao Audiovisual, já com cinco Editais abertos.
O novo programa destina mais de R$ 8,6 milhões para 135 projetos do setor e contempla, pela primeira vez, projetos para canais web e aplicativos, além de festivais e mostras de audiovisual. (www.cultura.gov.br).

“Néctar”
Nome do projeto musical do cantor e compositor, Rambolde Campos, gravado em 1996, está sendo reeditado.
Tem a direção, produção e arranjos dos consagrados músicos, Manoel Cordeiro e Sivuca.

Premiação
Contagem regressiva para a solenidade da 28ª edição do Prêmio da Música Brasileira, onde a cantora amapaense, Patrícia Bastos, está concorrendo em duas categorias: Melhor Cantora da MPB e Melhor Álbum (Batom Bacaba).
Dia 19 de julho, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, 21h. Na torcida.

Cortejo
O cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo está marcado para acontecer, domingo, 9, no balneário de Fazendinha, às 15h.
É um projeto de massificação e valorização de nossa cultura maior. O Marabaixo.

Agenda
Neste sábado, 8, tem show imperdível da talentosa cantora, Ariel Moura, na churrascaria Steak Express, às 20h.
Na av: Mendonça Júnior – Santa Rita. Informações: 99128-4268.

Macapá Verão
Domingo, 9, inicia o Macapá Verão, em Fazendinha, com várias atrações artísticas culturais, a partir das 12h.


Nivito Guedes: “Eu Tô em Macapá”

comentários

Nascido às margens do gigante rio Amazonas, o macapaense da gema, Hernani Vitor Carrera Guedes, artisticamente conhecido como Nivito Guedes, é cantor, compositor e violinista com um estilo musical diferenciado no modelo de cantar e tocar o violão, que para quem ouve pensa que tem outro instrumento lhe acompanhando.

Nivito possui um swing e estilo amazônico que retratam uma diversidade de gêneros musicais que abarca desde características rítmicas (indígena), Marabaixo, Batuque, Zimba, o Carimbó (PA), Merengue e outros locais(regionais) do estado tucuju. Essas diversidades extrapolam a fronteira do extremo norte Brasil-Guiana, pela forte influência do swing caribenho, e chegam ao estilo romântico. Mais especificamente, nesta diversidade, dentre as composições de Nivito Guedes encontramos a música regional em si, reggae, pop-rock, xotes, baladas românticas, etc.

Nivito Guedes gravou três CD’s com composições próprias e com outros parceiros, o primeiro foi Todas as Luas, o segundo Tô em Macapá e o terceiro foi uma coletânea com canções defendidas em festivais no Amapá e fora do estado. Suas composições, sempre marcadas pela irreverência rítmica de suas melodias, na qual mistura a cultura Amazônica ( Marabaixo, Batuque – folclore Amapaense) com estilos e gêneros da música brasileira, e uma forte influência do swing caribenho, o diferenciam e caracterizam um estilo próprio e único criado por esse artista para cantar a nossa música popular brasileira. Ele está preparando seu próximo projeto musical.

 

Macapá Verão
Programação artística do Macapá Verão para domingo, 9, no balneário de Fazendinha, a partir das 12h.
Exposição Macapá Verão e Humor (J. Márcio), Exposição Consequência (Josapha), Cia. de Dança de Salão Fênix, Deize Pinheiro, Ângelo Rodrigo e Banda, Cortejo Banzeiro do Brilho-de-Fogo e Finéias Nelluty.

“Estação Lunar”
Artistas que se apresentarão no projeto Estação Lunar (Macapá Verão), dia 13 de junho (quinta-feira), no balneário de Fazendinha, a partir das 19h.
Chermont Júnior, Celine Guedes, Alan Gomes (instrumental), Poetas Azuis, Oneide Bastos, Zé Miguel e Banda Afro Brasil.

Praça da Bandeira
Sexta, 14, a Praça da Bandeira também receberá a programação do Macapá Verão, com outros estilos musicais, a partir das 19h.
Banda Raio de Luz, Banda Shalon, Jeremias Andrade e Banda, Patmus e Gênesis.

Premiação
Contagem regressiva para a solenidade da 28ª edição do Prêmio da Música Brasileira, onde a cantora amapaense, Patrícia Bastos, está concorrendo em duas categorias: Melhor Cantora da MPB e Melhor Álbum (Batom Bacaba).
Dia 19 de julho, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, 21h. Na torcida.

Cortejo
O cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo está marcado para acontecer, domingo, 9, no balneário de Fazendinha, às 15h.
É um projeto de massificação e valorização de nossa cultura maior. O Marabaixo.

Ensaio
Nesta sexta, 7, é o último dia de ensaio do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, às 19h, na Praça Floriano Peixoto.

Teatro
Domingo, 9, a Cia. de Teatro Cangapé cumpre agenda no Sesc de Boa Vista (RR).
Faz parte do projeto Sesc Amazônia das Artes.