Coisa difícil

comentários

Alguém me perguntou se naquele momento Lula e Bolsonaro (foto) estivessem disputando a Presidência da República em qual deles eu votaria? Em Bolsonaro, de pronto, respondi. Ora, foi uma pergunta ou pesquisa estimulada, ou seja, o entrevistador citou os nomes dos concorrentes. Se a pergunta ou pesquisa tivesse sido espontânea não sei o que responderia, tamanha é a minha decepção com a classe política. Mas de uma coisa tenho certeza: não votaria em Lula ou em nenhuma outra opção petista. Tenho esta convicção porque vejo que cabe ao Partido dos Trabalhadores toda a culpa da situação vexatória em que nós brasileiros nos encontramos. O PT fez com que a Nação entrasse em desânimo, levou o país pro fundo do poço com sua maneira populista de governar, iludindo o povo com bolsas e não investindo na construção civil, na agricultura, no empreendorismo, no trabalho. Pior: o petismo navegou tanto nas águas profundas da corrupção que acabou afogando-se. Agora, ainda com alguns náufragos sobreviventes, tenta voltar à cena porque os atuais detentores do poder são também corruptos. Isso posto, oriento os brasileiros a fazerem uma limpeza geral em relação aos nomes que se apresentam ou venham a se apresentar como candidatos. Chega de ladrões na política. Renovemos esse quadro da sociedade para que venhamos a ter um Brasil sério, honesto, promissor, sem demagogia, sem populismo.

 

Tem gente pra tudo

Há quem diga que o ser humano é capaz de tudo, em termos de imprevisto e de coisas fora do eixo. Há gente que tem coragem até de mamar em onça. Quantas vezes vemos belas moças abraçadas com todo amor a um cara que, comparando, fica muito atrás do ‘O Feio’ de Roberto Carlos que, por sua vez, apesar de toda a feiúra que possui, deixa as garotas suspirando. Há casos de filho convivendo sexualmente com a mãe; filha com pai, também; irmão com irmã, e por aí vai… O imperador indiano Shah Jahan gastou soma incalculável sem contar os 20 mil homens que pagou para construir Taj Mahal, o mausoléu de Agra, em homenagem a uma das suas esposas, Aryumand Banu Begam, com a qual tivera 14 filhos. Lula se diz o homem mais honesto do Brasil, porém a Justiça comprova o contrário. O ‘Elogio da Loucura’, de Erasmo de Rotterdam, mostra muito bem do quanto a humanidade é capaz. Mas pra encerrar, conto o caso de dona Maria, aqui do Jornal. Ela diz que não homenageia mais os seu mortos nos cemitérios, porque cansou de levar flores e velas e outras homenagens. Mas quando vira as costas, levam tudo pra colocar em outras sepulturas. O Elder Carlos, também aqui do Jornal, conta o caso em que foi erigida bonita cruz no túmulo do chefe da família na véspera do Dia de Finados. Na data seguinte, quando familiares foram ao cemitério a cruz tinha sumido – no lugar dela, uma outra, de madeira ordinária, com a haste e o travessa seguros por um nó de cadarço de sapato. Eu, heim!

 

Amor sem limites
Durante a Rebelião dos Boxers na China, em 1900, os missionários encurralados numa casa decidiram que a sua única esperança de sobrevivência estava em correr pelo meio da multidão que clamava pela morte deles. Com a ajuda de armas que possuíam, eles escaparam da ameaça imediata. Entretanto, Edith Coombs, percebeu que dois de seus alunos chineses feridos não haviam escapado, correu de volta para o perigo. Ela resgatou um deles, mas tropeçou em sua volta para buscar o segundo aluno e foi morta.

Enquanto isso, missionários em outro local haviam escapado e estavam escondidos no campo, acompanhados por seu amigo chinês Ho Tsuen Kwei. Porém, ele foi capturado enquanto procurava uma rota de fuga para seus amigos escondidos e foi martirizado por recusar-se a revelar onde eles estavam.

Na vida de Edith Coombs e Tsuen Kwei vemos o amor que ultrapassa o caráter cultural ou nacional. O sacrifício deles nos traz à mente a graça e amor maior do nosso Salvador.
Enquanto esperava por Sua prisão e subsequente execução, Jesus orou ardorosamente: “…Pai, se queres, passa de mim este cálice…”. Porém, concluiu aquele pedido com esse resoluto exemplo de coragem, amor e sacrifício: “…contudo, não se faça a minha vontade, e sim a tua” (Lucas 22:42). Sua morte e ressurreição possibilitaram nossa vida eterna. — Randy Kilgore


Eu, hein!

comentários

Nunca a molecada do mal abusou tanto da sociedade brasileira como nos últimos 27 anos. Sabe por quê? Em virtude da vigoração do Estatuto da Criança e do Adolescente, o famoso ECA. É isso mesmo! Desde que o ECA passou a valer como ‘um marco na proteção da criança e do adolescente’, a molecada passou a ser mais atrevida em todos os sentidos, inclusive na prática da criminalidade. Esse ordenamento, herança do governo ‘impitimado’ de Fernando Collor de Melo, hoje senador da república, é um dos mais avançados do mundo. Verdade! Pena que há um quê de excesso na proteção ao menor que, absurdamente, é incentivado para práticas não condizentes com o estatuto social, por vezes, não poucas, criminosas e violentas. Agora, o ECA fica maior ainda com a inclusão, nele, de autorização para agentes de polícia se infiltrarem na internet com o intuito de investigar crimes de pedofilia. Também está incluída punição a quem submeter menores à prostituição ou à exploração sexual.

Estudo Discipulado

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) está lançando a Bíblia de Estudo do Discipulado. Totalmente voltada àqueles que querem vivenciar os ensinamentos sagrados, a obra traz sete cursos, cada um com oito módulos, com oito estudos cada. O primeiro curso, que trata sobre O Discipulado, está no Novo Testamento. E foi justamente esse o conjunto de livros escolhido pela SBB para apresentar o conteúdo rico e diferenciado desta publicação, que deverá ter seu conteúdo integral publicado em 2018.

A Bíblia de Estudo do Discipulado traz notas e estudos voltados especialmente para pequenos grupos e introdução ao discipulado de Jesus. As anotações, reflexões e estudos têm a finalidade de fazer com que o discípulo cresça a cada dia em seu propósito e possa discipular outras pessoas. O foco principal dessa Bíblia está nos relacionamentos, seja em seu conteúdo, seja em sua estrutura.

Uma fachada
Kátia se esforça para que as pessoas a admirem. Ela finge estar feliz a maior parte do tempo, para que os outros percebam e a elogiem por sua atitude alegre. Alguns a apoiam porque a veem ajudando pessoas da comunidade. Mas, num momento de transparência, ela admite: “Eu amo ao Senhor, mas, às vezes, sinto como se minha vida fosse uma fachada.” Seu próprio senso de insegurança está por trás de boa parte de seu esforço em tentar parecer bem aos outros. Ela diz que está perdendo a energia para prosseguir dessa maneira.

rovavelmente, todos nós nos identificamos com isso de algum modo, porque não é possível ter motivos perfeitos. Nós amamos ao Senhor e aos outros, mas, às vezes, nossos motivos para viver a vida cristã se entrelaçam com o nosso desejo de sermos valorizados ou elogiados.

Jesus falou sobre aqueles que ofertam, oram e jejuam para ser vistos (Mateus 6:1-6). No Sermão do Monte, Ele ensinou: “…a tua esmola fique em secreto…”, “…orarás a teu Pai, que está em secreto…” e “quando jejuardes, não vos mostreis contristados…” (vv.4,6,16).

Com frequência, servimos publicamente, mas talvez um pouco de anonimato possa nos ajudar a aprender a descansar na opinião que Deus tem de nós. Aquele que nos criou à Sua imagem nos valoriza tanto, que deu o Seu Filho e nos demonstra o Seu amor todos os dias. Nosso desejo de agradar a Deus deve ser o nosso maior motivo para obedecê-lo. — Anne Cetas


Bem e mal

comentários

Cada pessoa é diferente da outra, na índole. Em traços físicos, nem tanto. Aquele ensinamento religioso de que todos nascemos com pecado, em virtude da desobediência de Adão e Eva, no Paraíso, sem dúvida é verdade. O homem é mau por natureza. E bom, também por natureza. É o ambiente dele que dita que caminho ele segue – o do bem ou o do mal. Mas Deus escolhe pessoas. Veja que de todas as mulheres do mundo Ele escolheu uma simples menina da simples região da Galileia, na também simples Palestina, para ser a Mãe de Jesus. Essas escolhas de Deus, que somente Ele mesmo compreende, salvam o mundo. Pessoas como Maria, Abraão, José do Egito, Madre Teresa de Calcutá, Santo Agostinho e uma variedade de anônimos são exemplos de como se deve proceder para o bem da Humanidade, da vida e da paz. Porém, aí mais uma vez uma coisa que só Deus compreende, os escolhidos geralmente têm uma existência difícil, é o caso, por exemplo, dos discípulos de Jesus. Todos eles, com exceção de João, foram martirizados, ou seja, mortos pelo homem porque eram arautos do bem. Pra concluir, como só Deus compreende, resta-nos a fé para aceitar e admitir que o que Ele faz é para o bem de todos nós. Afinal, isto também é verdade: o bem sempre vence; o mal só ganha batalhas, não a guerra.

Felicidade

Ao chegar no jornal, abri meu e-mail e deparei com duas preciosidades. A primeira, das Edições Paulinas, que diz: ‘A automotivação é um processo diário. Sua força beira a magia’. A outra, do ‘Pão Diário’, com o título ‘Como ser feliz’. Fala sobre a felicidade, alinhando dez dicas para se viver mais contente. Vou partilhar estas dicas: 1ª – Doe algo; 2ª – Faça uma gentileza; 3ª – Agradeça sempre; 4ª – Trabalhe com disposição e vigor; 5ª – Visite os idosos e aprenda com as experiências deles; 6ª – Olhe com atenção para o rosto de um bebê e maravilhe-se; 7ª – Ria com frequência — é o lubrificante da vida; 8ª – Ore para conhecer o caminho de Deus; 9ª – Planeje como se você fosse viver para sempre — você viverá; 10ª – Viva como se hoje fosse seu último dia de vida na Terra. Essas são excelentes ideias para se ter uma vida feliz. Reforce cada uma dessas dicas com louvor, e sua felicidade será completa. ‘Aleluia! Louva, ó minha alma, ao Senhor. Louvarei ao Senhor durante a minha vida…’ (Salmo 146:1,2).

Sou importante
Em pé na fila do caixa do supermercado local, olho ao redor. Vejo adolescentes com cabeças raspadas e argolas no nariz examinando os salgadinhos; um jovem profissional comprando um filé, alguns aspargos e uma batata doce; uma idosa examinando a qualidade dos pêssegos e morangos. E me pergunto: Deus conhece todas essas pessoas pelo nome? Elas realmente importam para Ele?
Quem fez todas as coisas é o mesmo Criador de todos os seres humanos; e cada um de nós é considerado digno da Sua atenção e amor individual. Deus demonstrou pessoalmente esse amor nas colinas retorcidas de Israel e, finalmente, na cruz.
Ao visitar a Terra na forma de servo, Jesus mostrou que a mão de Deus não é demasiadamente grande para a menor pessoa do mundo. Sua mão tem os nossos nomes individuais gravados e também as cicatrizes dos Seus ferimentos, o custo por Deus nos amar tanto.
Quando me vejo cheio de autocomiseração, sobrecarregado pela solidão tão bem articulada em livros como Jó e Eclesiastes, volto-me aos relatos dos evangelhos sobre as histórias e feitos de Jesus. Se concluo que minha existência “…debaixo do sol” (Eclesiastes 1:3) não faz diferença para Deus, contradigo uma das principais razões para Deus ter vindo à Terra. Jesus é, de fato, a resposta à pergunta: Sou importante? O Bom Pastor dá a vida pelas ovelhas. Jesus — Philip Yancey


Uma educação muito melhor

comentários

O prefeito Clécio Luís e o secretário municipal de educação, Promotor Moisés Rivaldo, deram início ao Programa Fazendo Escola, com a construção, reconstrução, reforma e ampliação de escolas e creches da rede municipal de ensino de Macapá. Nesta primeira etapa serão investidos cerca de R$ 53 milhões em obras para o setor. Estão contempladas 30 instituições de ensino.

Quinze escolas receberão reforma e ampliação, seis reconstruídas, três em área rural para construção e seis novas creches. Clécio Luís destacou a preocupação, desde que assumiu o município, em relação ao estado que a rede física de Macapá se encontrava. O secretário Promotor Moisés afirma que o programa é um orgulho para toda a equipe da Secretaria Municipal de Educação, que vem fazendo trabalho de reconstrução do ensino, com ações de qualidade para crianças, jovens e adultos (EJA). “Trabalhamos juntos para conseguir executar o programa.

Um planejamento de ações focando na qualidade da rede de ensino. Fico orgulhoso de colaborar com este trabalho”, ressaltou o secretário de educação por ocasião do lançamento do programa Fazendo Escola.

Médico cardiologista

Médico cardiologista Manoel Brasil amplia sua atividades durante a semana, para alcançar a demnanda de pacientes, uma vez que o seu Instituto do Coração ‘Simone Teran’ se tornou pequeno para o atendimento da clientela.

Doutor Brasil agora clinica no Simone Teran de Macapá às segundas-feiras, de manhã e à tarde, e aos sábados até às 13h.

No Instituto do Coração Simone Teran de Santana pacientes podem procurar o doutor, noturnamente, das 19h às 21h.

O cardiologista também atende no Hemodiagnóstico às terças e quintas-feiras, das 8h às 10h. O Hemodiagnóstico fica na avenida Coaracy Nunes, no bairro central.

Na Clínica Vita, situada na avenida Antônio Coelho de Carvalho, o doutor Brasil clinica todas as sextas-feiras pela manhã.

Todos juntos agora
Enquanto Nicholas Taylor embarcava num trem em Perth, na Austrália, sua perna ficou presa no vão entre a plataforma e o vagão. Não conseguindo soltá-lo, os agentes de segurança coordenaram os esforços de quase 50 passageiros que se alinharam e, contando até três, empurraram o lado do trem. Operando em uníssono, eles deslocaram o peso o suficiente para liberar a perna de Taylor.

Em muitas de suas cartas às igrejas do primeiro século, o apóstolo Paulo reconheceu o poder da cooperação mútua. Ele instou os cristãos de Roma a aceitarem uns aos outros da maneira como Cristo os aceitara e disse: “…o Deus da paciência e da consolação vos conceda o mesmo sentir de uns para com os outros, segundo Cristo Jesus, para que concordemente e a uma voz glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo” (Romanos 15:5,6).

A unidade com outros cristãos nos capacita a difundir a grandeza de Deus e também nos ajuda a suportar a perseguição. Sabendo que os filipenses pagariam um preço por sua fé, Paulo os encorajou a se esforçarem “…em um só espírito, como uma só alma, lutando juntos pela fé evangélica; e que em nada estais intimidados pelos adversários…” (Filipenses 1:27,28).

Satanás ama dividir e conquistar, mas seus esforços desmoronam quando, com a ajuda de Deus, “[nos esforçamos] diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz” (Efésios 4:3). — Jennifer Benson Schuldt


Questão de justiça

comentários

Não escrevo, hoje, neste espaço, dou vez às seguintes preciosidades de Augusto Cury presentes no livro assinado por ele ‘Nunca desista de seus sonhos’. “(…) é necessário que os professores sejam valorizados e aliviados. Nunca uma classe tão nobre foi tão desprestigiada profissionalmente. Eles deveriam trabalhar menos e ganhar mais. Os professores da pré-escola à universidade deveriam ter um salário igual ou melhor do que o dos juízes, dos promotores, dos psiquiatras, dos psicólogos clínicos, dos generais, dos chefes de polícia. Por quê? Porque o trabalho deles é tão importante quanto de todos esses profissionais. Os professores educam a emoção e trabalham nos solos da inteligência para que os jovens não adoeçam em sua mente, não se sentem nos bancos dos réus, não façam guerras. Quem é mais importante: aquele que previne as doenças ou aquele que as trata? A medicina preventiva é, certamente, mais importante do que a curativa. os educadores são os profissionais que mais contribuem para a humanidade. Todavia, estão em um dos últimos lugares na escala profisional’.

Corra para mim
Durante uma caminhada num parque local, meus filhos e eu encontramos um casal de cães soltos. Seu dono não parecia perceber que um deles havia começado a intimidar meu filho que tentou enxotar o cão, mas o animal só ficou mais disposto a incomodá-lo.

Meu filho acabou entrando em pânico. Ele correu vários metros, mas o cão o perseguiu. A “caçada” continuou até eu gritar: “Corra para mim!” Ele fez isso e se acalmou, e o cão finalmente decidiu comportar-se mal em outro lugar.

Em nossa vida há momentos em que Deus nos chama e diz: “Corra para mim!” Algo importuno está ao nosso encalço. Quanto mais rápido e longe vamos, mais de perto somos perseguidos. Não conseguimos nos livrar. Estamos demasiadamente receosos para nos voltarmos e confrontar o problema sozinhos. Porém, na verdade, não estamos sozinhos. Deus está presente, pronto para nos ajudar e confortar. Tudo o que temos de fazer é nos afastarmos do que nos apavora e irmos em Sua direção. Sua Palavra diz: “Torre forte é o nome do Senhor, à qual o justo se acolhe e está seguro” (Provérbios 18,10). Deus é o nosso refúgio em tempos de tribulação.— Jennifer Benson Schuldt


Coisa difícil

comentários

Alguém me perguntou se naquele momento Lula e Bolsonaro (foto) estivessem disputando a Presidência da República em qual deles eu votaria? Em Bolsonaro, de pronto, respondi. Ora, foi uma pergunta ou pesquisa estimulada, ou seja, o entrevistador citou os nomes dos concorrentes. Se a pergunta ou pesquisa tivesse sido espontânea não sei o que responderia, tamanha é a minha decepção com a classe política. Mas de uma coisa tenho certeza: não votaria em Lula ou em nenhuma outra opção petista. Tenho esta convicção porque vejo que cabe ao Partido dos Trabalhadores toda a culpa da situação vexatória em que nós brasileiros nos encontramos.

O PT fez com que a Nação entrasse em desânimo, levou o país pro fundo do poço com sua maneira populista de governar, iludindo o povo com bolsas e não investindo na construção civil, na agricultura, no empreendorismo, no trabalho. Pior: o petismo navegou tanto nas águas profundas da corrupção que acabou afogando-se.

Agora, ainda com alguns náufragos sobreviventes, tenta voltar à cena porque os atuais detentores do poder são também corruptos. Isso posto, oriento os brasileiros a fazerem uma limpeza geral em relação aos nomes que se apresentam ou venham a se apresentar como candidatos. Chega de ladrões na política. Renovemos esse quadro da sociedade para que venhamos a ter um Brasil sério, honesto, promissor, sem demagogia, sem populismo.

Vida de cão

O salário mínimo no Brasil teria que ser de R$ 3.899,66, de acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). Segundo a instituição, é esse o valor suficiente “para suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência”. O cálculo é feito todo mês pela Dieese desde 1994 com base no valor da cesta básica mais cara, atualmente a de Porto Alegre (R$ 464,19), seguida por Florianópolis (R$ 453,54), Rio de Janeiro (R$ 448,51) e São Paulo (R$ 446,28).

O valor da cesta básica subiu em todas as capitais brasileiras no mês de abril e as maiores altas foram registradas em Porto Alegre (6,17%), Cuiabá (5,51%) e Palmas (5,16%). A escalada de preços fez com que o salário mínimo “suficiente” de abril fosse o mais alto desde novembro do ano passado. Os R$ 3.899,66 representam alta de 6,1% em relação a março e 4,16 vezes o salário mínimo atual, fixado em R$ 937 desde o começo do ano. (Revista Exame)

 

Enxergando bem
Certa vez, numa sala de espera uma menina de 4 anos sentou-se ao lado de um senhor muito alto e musculoso. O tamanho dele, ao seu lado, a assustou, mas ele procurou ser agradável, amável e conversar com a garota sobre as figuras de um livro que ela folheava.

Passados alguns minutos, os dois conversavam alegremente e, a curiosidade da garota encorajou os que estavam ao redor a se envolverem na conversa. E todos perceberam que aquele homem era uma criatura muito amável, apesar de tão grande e musculoso.

Ser amável com os que o cercam me lembra do que lemos sobre Jesus no Novo Testamento. Ele era acessível — acolhia as crianças (Mateus 19:13-15). Foi bondoso com a mulher flagrada em adultério (João 8:1-11). A compaixão o motivou a ensinar às multidões (Marcos 6:34). Ao mesmo tempo, o Seu poder era espantoso. As cabeças meneavam e os queixos caíam quando Jesus subjugava demônios, acalmava tempestades e ressuscitava mortos! (Marcos 1:21-34; 4:35-41; João 11).

O modo como vemos Jesus determina a natureza do nosso relacionamento com Ele. Se focamos somente em Seu poder, podemos tratá-lo como se fosse apenas um superherói de quadrinhos. Se enfatizamos demais apenas a Sua bondade, corremos o risco de tratá-lo com excessivo descuido. Na verdade, Jesus é suficientemente poderoso para merecer a nossa obediência, e suficientemente humilde para nos chamar de amigos. O que pensamos acerca de Jesus mostra como nos relacionamos com Ele. — Jennifer Benson Schuldt


Espantando fantasmas

comentários

Vi-me circunstancialmente numa brincadeira agradável entre quatro pessoas que à minha observação eram amigas. Todas elas, homens. A conversa girava sobre a intenção de um deles parar com a venda itinerante de água mineral, que realiza, para se estabelecer num comércio, e que para isso estava à procura de um ponto. De repente, como num passe de mágica, um deles saiu dizendo que um dos seus interlocutores era mandado pela mulher, coisa que, segundo o retirante, é típico do amapaense. Ao se distanciar um pouco mais do centro da conversa, tendo-me como testemunha, um dos que conversavam, e ficara no local, largou: “Ele fala em amapaense mandado pela mulher, mas ele é que é assim. Certa vez ele estava bebendo, aqui, quando a fêmea dele chegou, dizendo eu só quero que tu chegues porre, em casa, pra ver o que vai te acontecer. Logo ele parou de beber alegando estar sentindo alguma coisa no estômago; depois disso nunca mais colocou um gole na boca, sob vários argumentos, um deles que até se convertera, mas nunca vai a qualquer igreja. “Tô com medo de ir embora, porque sei que o próximo na língua de vocês vai ser eu, assim como estão fazendo com o negão que se foi”, reagiu a pessoa que quer ter comércio próprio. Eu, de minha parte, fiquei a imaginar: “A vida é assim mesmo. Como diz o filósofo, o hábito de falar mal dos outros pelas costas é próprio de mentes inseguras, que com palavras sobre seus conhecidos ou não procuram espantar fantasmas’.

 

Jogos Tessalônicos

Cerca de cem estudantes participaram da 17ª edição dos Jogos Tessalônicos. O evento esportivo, realizado pela Escola Estadual Tessalônica, integrou pais, crianças e a comunidade num evento que desenvolveu atividades lúdicas, de entretenimento e esportiva, como natação, concurso de beleza e futebol.

O vereador de Macapá, Professor Rodrigo esteve presente no evento e parabenizou a instituição pelo empenho e dedicação.

Professor Rodrigo reforçou apoio às ações da comunidade, reconhecendo as dificuldades pelas quais ela passa. O Vereador também disse o que segue: “Ações como estes jogos são importantes na participação, colaboração e integração da comunidade escolar. Apesar de estar distante do centro urbano, ela se empenha para garantir o melhor da educação, e nós, como representantes do povo na Câmara Municipal, temos a obrigação de acompanhar e assim buscar melhores condições para que esses estudantes possam desenvolver as suas atividades de forma mais eficiente”, concluiu Professor Rodrigo.

 

Um novo propósito
O alfaiate Jacob Davis tinha um problema. A Corrida do Ouro do século 19 no oeste dos EUA estava no auge, e as calças de trabalho desses mineradores se desgastavam continuamente. Davis encontrou uma solução: foi a um empório local, cujo proprietário era Levi Strauss, comprou lona de fazer tendas e confeccionou calças de trabalho com aquele material grosso e resistente — e assim nasceram as calças jeans. Hoje, as calças jeans, numa variedade de formas, estão dentre as vestimentas mais populares do mundo, só porque um material utilizado para fazer tendas recebeu uma nova utilidade.

Simão e seus amigos eram pescadores no mar da Galileia, quando Jesus aproximou-se deles e os chamou para segui-lo. Ele lhes deu um novo propósito. Eles não mais pescariam peixes. Como lhes disse Jesus: “…Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens” (Marcos 1:17).

Com esse novo objetivo estabelecido para as suas vidas, eles foram ensinados e treinados por Jesus para que, após a Sua ascensão, eles pudessem ser usados por Deus para capturar o coração das pessoas com a mensagem da cruz e da ressurreição de Cristo. Hoje, seguimos os passos deles ao compartilharmos a boa nova do amor e da salvação de Cristo.

Que a nossa vida declare e exiba este amor que pode transformar a vida, o propósito e o destino eterno de outras pessoas. Com a nossa nova vida em Cristo nos foi dado um novo propósito.— Bill Crowder


Pioneirismo

comentários

Um pioneiro da exploração de ouro no Amapá, Chico Nogueira, entre outras tarefas em defesa do setor, empenha-se na luta pela regularização das atividades dos garimpeiros, como um dos líderes do movimento, já que é presidente da Cooperativa Extrativista Mineral do Estado do Amapá, entidade com a sigla Cooemap.

Chico entende que as autoridades têm que se conscientizar que os garimpeiros precisam ser ajudados, principalmente no que diz respeito aos licenciamentos ambientais, uma vez que eles podem ajudar o estado a sair da crise com pagamento de impostos e gastando no próprio Amapá o que arrecadam com as extrações minerais que fazem.

Chico Nogueira denuncia que apesar da contribuição que dão para a economia, os pequenos garimpeiros são discriminados e olhados como bandidos pelos órgãos de regulamentação de exploração de minérios que, paradoxalmente, têm a obrigação de priorizar o trabalho e facililitar o acesso à legalidade.

 

Solidariedade

O Instituto Macapaense do Melhor Ensino Superior (IMMES) tem se destacado não só pela boa educação acadêmica que oferece no estado do Amapá, com repercussão mundo afora, mas também pelas ações sociais que realiza, todas gratuitamente. É o que vai acontecer, por exemplo, neste sábado, 11, na praça ‘Floriano Peixoto’. Naquele belo logradouro, das 9h às 15h, o estabelecimento de ensino superior, por meio da Coordenação do Curso de Farmácia e apoio dos cursos de Fisioterapia e Nutrição, realizará a I Feira de Saúde Preventiva IMMES, contando com a presença do provedor da instituição, Promotor Moisés, que pelo muito que ama a educação também é o titular da Pasta do setor, em Macapá. I Feira de Saúde Preventiva IMMES oferecerá teste de glicemia capilar, aferição de pressão arterial, determinação do IMC e orientação quanto à saúde do idoso, mulher e homem, coleta de medicamentos vencidos e vigentes, exercício para gestantes, treino funcional, auriculoterapia, exercício para a terceira idade, avaliação postural, quiropraxia, avaliação e orientação nutricional. O evento é aberto para o público em geral.

 

Sinais e sentimentos
Conheço um jovem que costuma pedir sinais a Deus. Isso não é necessariamente condenável, mas suas orações tendem a buscar confirmação das suas sensações. Ele ora: “Deus, se queres que eu faça X, então por favor faça Y e eu saberei que é Tua vontade”.

Devido ao modo como ora e como pensa que Deus está respondendo, ele sente que deve voltar à sua ex namorada. Não surpreende que ela possa sentir fortemente que Deus não quer isso.

Os líderes religiosos do tempo de Jesus exigiram dele um sinal para validar as Suas alegações (Mateus 16:1). Eles não estavam buscando a direção de Deus, e sim desafiando a Sua autoridade divina. Jesus respondeu: “Uma geração má e adúltera pede um sinal…” (v.4). Sua reação não foi uma declaração genérica para impedir as pessoas de buscarem a direção de Deus: Ele as estava acusando de ignorar as claras profecias das Escrituras que indicavam que Ele era o Messias.

Deus quer que busquemos a Sua direção em oração (Tiago 1:5). Ele também nos dá a direção do Espírito (João 14:26) e a Sua Palavra (Salmo 119:105). O Senhor nos dá mentores e líderes sábios. E deu-nos também o exemplo do próprio Jesus.

É sábio pedir a Deus por uma direção clara, mas nem sempre ela virá da maneira como esperamos ou desejamos. Talvez o objetivo maior da oração seja aprendermos mais sobre a natureza de Deus e desenvolvermos um relacionamento com o nosso Pai. — Tim Gustafson


Quem é quem

comentários

A fraqueza do coração humano é uma das maiores virtudes. Nela, o ser humano se derrete em favor do semelhante, renunciando a si mesmo. É entrega total. O ideal seria que tal entrega, fraqueza e renúncia fossem correspondidas. Quem tem o coração fraco, emocional, espiritual e afetivamente, para os corações duros, é tido como ‘joão ninguém’, babaca, mané, zé mané, otário e outras denominações depreciativas. Pela alegria e leveza que o dono do coração fraco experimenta, o dono do coração duro é quem acaba sendo tudo aquilo, porque destila raiva, vingança, ódio, inveja e tudo mais negativo que possa existir. E tudo isso não passa para o coração fraco, pelo contrário, fica ainda mais entranhado no de coração duro. Por isso é que sou passivo. Prefiro aceitar tudo como vontade de Deus, do que fazer da minha vontade uma soberana que logo perecerá. Afinal, esse é o fim de todos nós humanos, tanto os de coração fraco como os de coração duro. E é verdade que quem não é babaca não morre na Graça de Deus, ao contrário dos babacas.

Sonho

O sonho é inerente ao ser humano. Há quem diga que os animais chamados irracionais também sonham. O ser humano é racional, quer dizer, possui a razão, mas também é animal. Por isso, tem os seus momentos de irracionalidade. Já o bicho, o animal pra valer, age pelo instinto, o homem também tem o seu instinto. O instinto de fidelidade do cachorro é impressionante. Não diria o mesmo do instinto do homem. O gato é de uma gratidão maravilhosa. A quem lhe dá comida, ele sempre acompanha com carinho de dar inveja a qualquer ser humano. Mas o sonho é um fenômeno do homem e da mulher. Tem o sonho físico, que afeta a mente com imagens, pensamentos e fantasias. Especialistas dizem que o sonho tem a ver com o dia a dia das pessoas, mas também podem ser premonições. São famosos os sonhos interpretados por José do Egito e o profeta Daniel. E há o sonho da aspiração, da realização pessoal ou coletiva. Ah, esse tipo de sonho mexe com todos. Todos sonham conseguir alguma coisa. Abraham Lincoln, depois de muitos reveses, conseguiu ser Presidente dos Estados Unidos; Ghandi sonhou ser livre sem violência, e a Índia dele conseguiu se livrar da Inglaterra sem dar sequer um tiro; Martin Luther King Jr. sonhou dias melhores para o homem negro da América do Norte, conseguiu. Esses três grandes homens foram assassinados. Sim, mas não mataram os sonhos deles. Como também a grande maioria dos atuais políticos brasileiros não matará os sonhos do nosso povo de um dia virmos a ser uma Nação próspera, ordeira e feliz, independente deles.

Não tínhamos ideia
Os voluntários de uma Igreja local passaram uma noite fria distribuindo alimentos para os moradores de um conjunto habitacional de baixa renda. Uma senhora que recebeu os alimentos ficou radiante. E lhes mostrou a sua despensa vazia, dizendo-lhes que eles tinham sido uma resposta às suas orações.
Quando os voluntários voltaram à igreja, uma voluntária começou a chorar e nos relatou. “Quando eu era menininha, aquela senhora era a minha professora da Escola Dominical. Ela vai à Igreja todos os domingos. Não tínhamos ideia de que ela estava quase passando fome!”
Como Paulo sugere em Gálatas 6,2, essas pessoas preocupadas estavam procurando maneiras de levar as cargas de outras. Porém, de algum modo, não haviam percebido a necessidade dessa senhora — que elas viam todos os domingos, mas que não havia lhes falado sobre a sua carência. Esse pode ser, para nós, um lembrete sutil para estarmos mais atentos aos que nos rodeiam e, como disse Paulo, “…[fazer] o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé” (6:10).
As pessoas que adoram juntas têm o privilégio de auxiliar umas às outras para que nenhum membro do Corpo de Cristo fique sem ajuda. Quando nos conhecermos e cuidarmos mutuamente, talvez jamais precisaremos dizer: “Não tínhamos ideia”. Nada custa tanto quanto cuidar-se — exceto não se cuidar. — Dave Branon


Corrupção

comentários

Nesta época de delações ou colaborações, hipocritamente chamadas de premiadas, não vou falar de corrupção. Aliás, não vou condená-la. Não vou condená-la porque ela é presente na humanidade desde os primórdios. As primícias do gênero humano foram a corrupção, a desobediência, o pecado. Lá no Éden, para ser iguais a Deus, ou pensando ser iguais, querendo se igualar ao Criador, Adão e Eva comeram o fruto do conhecimento do bem e do mal. Em seguida, por inveja, querendo uma posição melhor na vida, Caim matou o irmão Abel. Adiante, a corrupção tomou conta tanto do mundo que o próprio Deus resolveu dizimá-lo com o Dilúvio. O homem, querendo mais e mais, chegou ao desplante de atingir a morada do Divino, construindo uma torre para atingir o Céu. Aí, provocou a Babel. Abraão mentiu para os egípcios; Jacó enganou e roubou o irmão Esaú. Os filhos de Jacó, por inveja e corrupção, venderam o irmão José como escravo.

O maior rei do povo de Deus, Davi, foi autor intelectual de um homicídio para ficar com a mulher de um próximo. A maior atividade dos profetas foi criticar a corrupção prevalente nos reinos de Judá e Israel. Todos esses casos e fatos foram no âmbito da História Sagrada. Na História da Humanidade, sempre a corrupção foi e é recorrente. Todos somos corruptos.

Eu sou corrupto. Mas a perfeição de Deus nos leva à maior das esperanças, prometidas por Jesus Cristo: ‘Aquele que perseverar no bem, até ao fim, terá o Reino dos Céus’.

Divagação

Discutir o Plano de Deus para a Humanidade é terrível! Deus é muito perfeito, perfeitíssimo. Costumo dizer que Ele é o maior enxadrista de todos os tempos. Eu ainda não consigo entender, plenamente, porque para seguir o Criador o cristão tem que sofrer. A hagiografia católica é prenhe de pessoas que por optar em levar a vida de acordo com os ensinamentos divinos, tiveram mortes horríveis. Todos os discípulos de Jesus Cristo, com exceção de João, foram martirizados. Por quê? Ah, só mesmo Deus em sua Santíssima Sapiência é capaz de explicar. Racionalmente, o certo seria esses homens serem arrebatados, levados para o Céu. Mas não, como o próprio Cristo, alguns foram cruficados, outros queimados, apedrejados. Quer dizer, tiveram morte feia! Mas quem é o homem com a sua racionalidade para explicar as coisas, os desígnios de Deus? Aqui, vem a calhar aquela máxima ‘nem mesmo Freud explica’. Isso mesmo, porque só o Divino explica, e Ele, com o seu silêncio, não explica nada, deixa que o homem se descubra ou redescubra, seguindo-o ou preferindo outros caminhos, aqueles que não levam ao Céu.

Uma colina difícil
No alto de uma dobra do Pico Jughandle, nas montanhas ao norte de nossa casa em Idaho, EUA, há um lago glacial. A trilha que leva ao lago revela um cume íngreme exposto, com pedregulhos e pedras soltas pelo caminho. É uma subida que requer esforço.

No início da escalada, porém, há um riacho — uma fonte que escorre de uma terra mole e musgosa e flui por um prado exuberante. Aquele é um lugar tranquilo para reidratar e se preparar para a difícil subida à frente.

Na clássica alegoria à vida cristã O Peregrino (Publicações Pão Diário, 2014), de John Bunyan, Cristão chega ao sopé de uma subida íngreme chamada Colina Dificuldade, “no fundo da qual havia uma fonte […] então, Cristão foi até a fonte e bebeu para se refrescar, depois começou a subir a colina”.

Talvez a montanha difícil que você enfrenta seja um filho rebelde ou um diagnóstico médico desagradável. O desafio parece maior do que você consegue suportar.

Antes de enfrentar a sua próxima grande tarefa, visite a fonte de refrigério que é o próprio Deus. Vá a Ele com todas as suas fraquezas, fadigas, desamparo, medos e dúvidas. Então, encha-se profundamente do Seu poder, força e sabedoria. Deus conhece todas as suas circunstâncias e o suprirá com conforto, fortalecimento espiritual e consolação. Ele erguerá a sua cabeça e lhe dará força para seguir adiante. Aquele que prevalece sobre todas as coisas nos capacita a continuar no Seu caminho. — David H. Roper