Izabel Araújo e Aracy Nascimento

A professora Izabel Araújo residia na Passagem Carlos Novais, via pública que era conhecida como Beco do Serrano e ligava a Rua Cândido Mendes à Rua 24 de Outubro então rotulada como Rua da Praia. Ela foi a primeira mestra a falecer após a instalação do Território do Amapá.

Compartilhe:

professora Izabel Araújo, integrante da primeira família de nossa cidade a tornar-se membro da Igreja Pentecostal Assembléia de Deus foi bastante hostilizada pelos adeptos do catolicismo da então sede do município paraense de Macapá. Precisou mudar-se para a Ilha dos Porcos, na região das ilhas do Pará,porque ficou impedida de exercer o magistério e sofria contundentes achincalhes. Mesmo assim,manteve seu propósito de continuar pentecostal e aguardar que a forte influência do Padre Júlio Maria Lombaerd cessasse. Isso aconteceu por volta de 1917, quando o pastor Clímaco Bueno Aza iniciou sua pregação e arrebanhou a família Araújo como fiel adepta e colaboradora. Quando o momento propício despontou, logo após a saída do Padre Júlio e com respaldo da justiça, a família Araújo voltou a se estabelecer em Macapá. Izabel Araújo contou com o importante apoio da professora Cora de Carvalho para avançar nos estudos e passar a lecionar na Escola Pública de Macapá. Na época, o ensino não ia além da terceira série primária e assim permaneceu até que, a partir de setembro de 1946, se estendeu á quinta série com aulas ministradas no recém inaugurado Grupo Escolar Barão do Rio Branco.

A professora Izabel Araújo residia na Passagem Carlos Novais, via pública que era conhecida como Beco do Serrano e ligava a Rua Cândido Mendes à Rua 24 de Outubro então rotulada como Rua da Praia. Ela foi a primeira mestra a falecer após a instalação do Território do Amapá. A professora Aracy Nascimento da Silva era natural de Belém, onde nasceu a 6 de março de 1930, filha de Raimundo Nonato da Silva e de Mariana Nascimento da Silva. Após a conclusão do curso pedagógico na Escola Normal do Pará veio lecionar em Macapá, exercendo suas atividades no Grupo Escolar Barão do Rio Branco e na Escola Doméstica de Macapá, atual Escola Santina Rioli. Era uma jovem alegre e participativa que a todos cativava com invulgar simpatia. Residia na casa da senhora Oswaldina, no “Beco do Abieiro”,situado entre as Travessas Floriano Peixoto(Presidente Vargas) e Braz de Aguiar(Coriolano Jucá).

A despeito de ter o curso pedagógico, Aracy tinha decidido formar-se em contabilidade, razão pela qual se matriculou na Escola Técnica de Comércio do Amapá-ETCA, atual Escola Gabriel de Almeida Café. Ela concluiria o curso no final do ano de 1953. Entretanto, no dia 11 de agosto de 1953, após assistir regularmente as aulas na ETCA e ter participado de uma reunião com os demais concluinte, a Professora Aracy Nascimento chegou á casa sentindo-se mal,mas mesmo assim e preparou o plano de aulas que seguiria no dia seguinte. Levantou por volta das 05h30minhoras da manhã do dia 12 e se dirigiu à mesa de café, ocasião em que um violento enfarte ceifou sua vida. Foi amparada pelo jornalista Carlos Cordeiro Gomes, seu grande amigo que também morava na casa de dona Oswaldina. Seu funeral foi custeado pelo governo do Amapá, saindo o féretro da Igreja São José para o Cemitério Nossa Senhora da Conceição.


 
Compartilhe: