Neymar diz que fica no PSG

Depois da vinda da Rússia, Neymar complementou suas férias no Brasil e já está de volta à Paris, aonde recomeça sua atividade.

Compartilhe:

O próprio Neymar colocou paradeiro na especulação surgida antes e depois da Copa da Rússia de que estava em entendimentos com dirigentes do Real Madrid para mudar do PSG. Com o prestígio abalado, após o Brasil não ir além das quartas de final, o jogador preferiu dar um basta na noticias de sua transferência para a Espanha, depois que a diretoria do clube espanhol divulgou que nunca mandou mensageiro ao Brasil para tratar direto com os representantes do jogador. Depois da vinda da Rússia, Neymar complementou suas férias no Brasil e já está de volta à Paris, aonde recomeça sua atividade.

Fla estaciona
A derrota do Flamengo para o São Paulo, no Maracanã, frustrou a disparada do time rubro-negro na disputa do Brasileirão, quando comandava sozinho, com 27 pontos, quatro a mais do Atlético Mineiro, que também perdeu, mantendo-se com os 23 pontos, mas caindo para a terceira colocação, atrás do São Paulo, agora vice-líder. O Brasileirão prossegue neste fim de semana, com a 14ª rodada. Os resultados de quarta-feira, foram os seguintes: Flamengo 0 x São Paulo 1; Corinthians 2 x Botafogo 0; Grêmio 2 x Atlético Mineiro 0; Ceará 1 x Sport 0; Vitória 1 x Paraná 0.

Novo político
O jogador Dante Amaral, da seleção brasileira de voleibol, tricampeão mundial e campeão olímpico, anunciou que vai disputar o cargo político de Deputado Federal, pelo MDB, por Goàis. A chance de Dante é positiva chegar à Câmara Federal como repercussão da brilhante atuação quando titular na seleção de voley.

Crise financeira
Na Itália ocorre o mesmo quanto à falência de clubes. A Justiça italiana ordenou o fechamento dos clubes Barri, Cesena e Rejeana, todos os dificuldades financeiras e sem condição de manutenção de suas atividades profissionais. O primeiro preceito para a continuidade dos clubes é compromissos com fisco. Quando desaparece essa possibilidade, entra a justiça e decreta a falência das agremiações. Caso diferente ocorre no Brasil, aonde a grande maioria de clubes não se mantém a continuar com as portas abertas, sem honrar seus compromissos fiscais. O total de dívidas dos clubes brasileiros apurado no ano passado, oscilava em torno de R$ 5 bilhões sem possibilidade de cessar.


 
Compartilhe: