O presente de Deus

Ultimamente tenho muito visto em vidros traseiros de “carrões” e até de “carrinhos”, como uma epidemia de propaganda pública, os seguintes dizeres: “Presente de Deus”, ou, “Quando Ele quer é assim! Presente de Deus!” Eu sinceramente gostaria de saber quem foi o maluco que criou ou inventou esta propaganda absurda e descabida! Então tá! Deus […]

Compartilhe:

Ultimamente tenho muito visto em vidros traseiros de “carrões” e até de “carrinhos”, como uma epidemia de propaganda pública, os seguintes dizeres:

“Presente de Deus”, ou, “Quando Ele quer é assim! Presente de Deus!”

Eu sinceramente gostaria de saber quem foi o maluco que criou ou inventou esta propaganda absurda e descabida!

Então tá!

Deus deixou de ser Deus para virar Papai Noel Coca-Cola de um consumismo materialista efêmero neste plano temporal terreno de vida. Tiraram-no do seu posto Celestial Secular Divino, de acordo com nosso tempo terrestre, para atender pedidos ou meros caprichos “humanos”.

Tudo o que conquistamos na vida é fruto ou produto do nosso talento.

E o que é o talento?

É produto do pensamento!

E o que é o pensamento?

A energia da inteligência em movimento!

E o que é essa Energia?

A manifestação Crística de Deus em nosso eu mais íntimo, pois somos fruto ou produto de sua Criação conforme se encontra explícito em Gênesis, 1.26-31, os únicos seres vivos dotados de inteligência racional evolutiva para crescer, multiplicar e dominar a Terra.

Mas, como diz a antológica canção do Kansas, Dustin in the Wind (Poeira ao Vento…), do álbum Two For The Show (Dois para um Show), lançado em 1978, que ganhou um banho de interpretação na voz de Klaus Meine, excepcional vocalista do lendário Scorpions:

“Tudo o que somos é poeira ao vento….”

“Nada dura para sempre…”

“Tudo é poeira ao vento…”

Portanto, o verdadeiro presente de Deus está dentro de nós mesmos, na busca do conhecimento e do reconhecimento de nossas limitações e fraquezas humanas.

É como disse o Divino Mestre:

– Conhece-te a ti mesmo, e a Verdade vos Libertará!

O que é isso?

O autoconhecimento de que tudo o que está dentro está fora e tudo o que está fora está dentro. É a Energia Criadora Onisciente, Onividente e Onipresente pulsante dentro de nós, na Mãe Natureza terrena e em todo o Universo.

“E eu corro, porque a vida é tão curta…”

(Life is Too Short/Skorpions)

 


 
Compartilhe: