A Arte da Guerra

Desde 1772 existem edições europeias (quatro traduções russas, uma alemã, cinco em inglês), apesar de serem consideradas insatisfatórias. A primeira edição ocidental tida como uma tradução fidedigna data de 1927.

Compartilhe:

A Arte da Guerra é um tratado militar escrito durante o século IV a.C pelo estrategista conhecido como Sun Tzu. O tratado é composto por treze capítulos, cada qual abordando um aspecto da estratégia de guerra, de modo a compor um panorama de todos os eventos e estratégias que devem ser abordados em um combate racional. Acredita-se que o livro tenha sido usado por diversos estrategistas militares através da história como Napoleão, Zhuge Liang, Cao Cao, Takeda Shingen, Vo Nguyen Giap e Mao Tse Tung.

Desde 1772 existem edições europeias (quatro traduções russas, uma alemã, cinco em inglês), apesar de serem consideradas insatisfatórias. A primeira edição ocidental tida como uma tradução fidedigna data de 1927.

O livro A Arte da Guerra foi traduzido para o português por Caio Fernando Abreu e Miriam Paglia (1995).

Com seu caráter sentencioso, Sun Tzu forja a figura de um general cujas qualidades são o segredo, a dissimulação e a surpresa.

Hoje, A Arte da Guerra parece destinado a secundar outra guerra: a das empresas no mundo dos negócios. Assim, o livro migrou das estantes dos estrategistas para as do economista e do administrador.

Embora as táticas bélicas tenham mudado desde a época de Sun Tzu, esse tratado teria influenciado, segundo a Enciclopédia Britânica, certos estrategistas modernos como Mao Tsé-Tung, em sua luta contra os japoneses e os chineses nacionalistas.

Inclusive encontra-se nos escritos militares de Mao-Tse-Tung citações do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu.

O general brasileiro, Alberto Mendes Cardoso, chamou o livro do Sun Tzu de clássico militar. (pt.wikipedia.org).

 

  • Dívida

Liga das Escolas de Samba (Liesap) não pagou a premiação de 4 mil, do Festival de samba de Enredo de Carnavais Inesquecíveis, ocorrido no dia 3 de março.
A escola campeã foi Boêmios do Laguinho.

 

  • Eleição

Dois nomes se apresentam como pré-candidatos à Liga das Escolas de Samba (Liesap).
Dos presidentes Diego Cearense (Piratas Estilizados) e Lizete (Império da Zona Norte.

 

  • 10 anos

Programa “O Canto da Amazônia” completou 10 anos no ar, sempre valorizando a cultura artística da Amazônia tucuju.
De segunda à sexta na Diário FM 90,9. Ele toca a nossa música.

 

  • “Insanos”

O filme amapaense “Insanos” será destaque, nesta sexta (15), no programa Encontro com Fátima Bernardes (TV Globo), às 11h.
A equipe coordenada pelo diretor e produtor, Joni Bigoo, estará na telinha falando do filme.

 

  • São Batuques

Álbum dos cantadores Beto Oscar e Helder Brandão. Uma pesquisa refinada da boa musicalidade amazônica de ser.
É o primeiro disco da dupla. Merece o estaque e o registro da coluna.

 

  • Dança

Nesta sexta vai acontecer a plenária do segmento da dança, para escolher a comissão eleitoral, da eleição da cadeira no Conselho estadual de Cultura.
Na sede do Conselho de Cultura (av: Cora de Carvalho – Santa Rita), às 19. Convite pra todos.

 

  • Música

Sexta (15) tem o projeto “Música da Gente Com Elas”, no Sesc Araxá, a partir das 20h.
Com as cantoras Hanna Paulino e Brenda Melo soltando suas belas vozes. Entrada custando R$ 5,00.


 
Compartilhe: