Jorge Amado e o seu “Cemitério” Particular

O escritor e poeta brasileiro, Jorge Amado, nos presenteou com muitas escritas como esse “Cemitério”. Guarde-o pra você.

Compartilhe:

Poesia é um gênero literário caracterizado pela composição em versos estruturados de forma harmoniosa. É uma manifestação de beleza e estética retratada pelo poeta em forma de palavras. No sentido figurado, poesia é tudo aquilo que comove, que sensibiliza e desperta sentimentos. É qualquer forma de arte que inspira, encanta e que é sublime e bela.

O escritor e poeta brasileiro, Jorge Amado, nos presenteou com muitas escritas como esse “Cemitério”. Guarde-o pra você.

“Tenho horror a hospitais, os frios corredores, as salas de espera, ante-salas da morte, mais ainda a cemitérios onde as flores perdem o viço, não há flor bonita em campo santo. Possuo, no entanto, um cemitério meu, pessoal, eu o construí e inaugurei há alguns anos quando a vida me amadureceu o sentimento. Nele enterro aqueles que matei, ou seja, aqueles que para mim deixaram de existir, morreram: os que um dia tiveram a minha estima e perderam.

Quando um tipo vai além de todas as medidas e de fato me ofende, já com ele não me aborreço, não fico enojado ou furioso, não brigo, não corto relações, não lhe nego o cumprimento. Enterro-o na vala comum de meu cemitério – nele não existe jazigo de família, túmulos individuais, os mortos jazem em cova rasa, na promiscuidade da salafrarice, do mau caráter. Para mim o fulano morreu, foi enterrado, faça o que faça já não pode me magoar.

Raros enterros – ainda bem! – de um pérfido, de um perjuro, de um desleal, de alguém que faltou à amizade, traiu o amor, foi por demais interesseiro, falso, hipócrita, arrogante – a impostura e a presunção me ofendem fácil. No pequeno e feio cemitério, sem flores, sem lágrimas, sem um pingo de saudade, apodrecem uns tantos sujeitos, umas poucas mulheres, uns e outras varri da memória, retirei da vida.
Encontro na rua um desses fantasmas, paro a conversar, escuto, correspondo às frases, às saudações, aos elogios, aceito o abraço, o beijo fraterno de Judas. “Sigo adiante e o tipo pensa que mais uma vez me enganou, mal sabe ele que está morto e enterrado”.

 

  • Estandarte

A jovem Rita de Kássia (14) é a nova Porta Estandarte do Bloco Carnavalesco Auê para o carnaval 2019, eleita no domingo (10), na sede de Boêmios do Laguinho.
Ela é modelo e dançarina de quadrilha junina e de Toada. Boa sorte.

 

  • Musa

A dançarina de quadrilha junina Cassiane Cristina (20), foi eleita a Musa do Bloco Carnavalesco Auê 2019, no último domingo (10), na sede de Boêmios do Laguinho.

 

  • Showzaço

Foi top o show “Cantando Macapá” que aconteceu na sexta (8), no Museu Sacaca, encerrando a programação de aniversário de 261 anos da cidade de Macapá (4-fev).
Os artistas: Amadeu Cavalcante, Osmar Júnior, Nivito Guedes, Brenda Melo, Loren Cavalcante e o grupo de samba Gente de Casa cantaram belas canções que valorizam a nossa aldeia tucuju. Parabéns aos organizadores do evento.

 

  • Livro

Banda Placa vai lançar, em breve, um livro contando a trajetória de sucesso desse belo projeto, com mais de três décadas de história. Aguardem.
O amigo Carlos Augusto (Carlitão) e seu “mano” Álvaro Gomes, são os construtores de todo esse legado cultural.

 

  • É na maloca

Pra semana o cantor e compositor amapaense, Finéias Nelluty, vai lançar sua nova música e o vídeo clipe para o carnaval 2019, “Na Minha Aldeia o Carnaval é na Maloca”. #Expectativa.

 

  • Exoneração

Dilson Borges não é mais secretário de cultura do Amapá. O pedido de exoneração do cargo foi protocolado no gabinete do governador, dia .

 

  • 30 anos

O Movimento Costa Norte, criado na década de 1980, por Osmar Júnior, Val Milhomem, Zé Miguel e Amadeu Cavalcante, está completando neste ano de 2019.
Eles estão planejando um grande show pra comemorar esse projeto com gravação de um CD e um DVD.


 
Compartilhe: