Leila Pinheiro: uma artista que canta o Brasil

Em 1981 mudou-se para o Rio de Janeiro RJ e gravou de forma independente seu primeiro disco, “Leila Pinheiro”, lançado em 1983.

Compartilhe:

Ela é uma cantora que canta o Brasil. Nasceu em Belém (PA) e começou seus estudos de piano em 1970, no Instituto de Iniciação Musical, em sua cidade natal, prosseguindo-os, a partir de 1974, com o músico paraense Guilherme Coutinho. Estreou como cantora em 1970, no show Sinal de partida, no Teatro da Paz, de Belém.

Em 1981 mudou-se para o Rio de Janeiro RJ e gravou de forma independente seu primeiro disco, “Leila Pinheiro”, lançado em 1983. Dois anos depois, defendeu a canção “Verde” (Eduardo Gudin e José Carlos Costa Neto) no Festival dos Festivais da TV Globo, garantindo o terceiro lugar e o prêmio de cantora revelação.

Em 1986 foi contratada pela Polygram e gravou o disco “Olho Nú”, com participação do guitarrista norte-americano Pat Metheny. Representou o Brasil no Festival Mundial Yamaha, no Japão, sendo premiada como melhor intérprete. Em 1987 recebeu da Associação Brasileira de Produtores de Disco o Troféu Villa-Lobos, como revelação feminina do ano. Lançou seu terceiro disco em 1988, “Alma”, pela Polygram.

Em 1989 foi convidada por Roberto Menescal para ser a intérprete de um disco em comemoração aos 30 anos da bossa nova, para o mercado japonês. Com produção e arranjos do próprio Menescal, o disco, “Bênção, Bossa Nova”, tornou-se grande sucesso tanto no Japão como no Brasil.

Em 1991 participou do I Rio Show Festival, com Roberto Menescal e banda. Lançou o disco “Outras Caras”, também com produção de Menescal.

Gravou em 1993 0 CD Coisas do Brasil, produzido e arranjado por César Camargo Mariano, e excursionou pela Europa. Em 1994 transferiu-se para a EMI, pela qual gravou Isso é bossa nova. Em 1996 gravou e produziu “Catavento e Girassol”, trabalho dedicado à obra de Guinga e Aldir Blanc. Em 1997 participou do show em homenagem a Vinicius de Moraes, no Metropolitan (RJ) e fez turnê pelos E.U.A, com Ivan Lins.

 

  • Estação Lunar

Vai começar o Projeto Estação Lunar, na quinta (11) em Fazendinha, como parte da programação do Macapá Verão 2019. É a valorização da música feita em casa, com a linguagem bem amazônica no cantar. Atrações desta semana, a partir das 20h: Poetas Azuis, Grupo Pilão, Beto Oscar & Helder Brandão, Amazon Music, Filhos do Criaú, Osmar Júnior e Abrenda Melo. A exposição artística “Tisnas reminiscentes”, a partir das 20h.

 

  • Avaliação

Encerrado o calendário dos festivais de quadrilhas juninas no Amapá, realizados por Ligas e Federações, agora é fazer uma grande avaliação e rediscutir o modelo das competições e da política administrativa das instituições. Precisa mudar.

 

  • Carnaval

Vem aí o IV Encontro de Casais de Mestre Salas e Porta Bandeiras no meio do mundo e o 1º Prêmio Maria Lina e Falconery, de 5 a 7 de setembro. Dias 5 e 6 no Sebrae, 19h (av: Enestino Borges – Laguinho, e dia 7 na quadra do Colégio Azevedo Costa (av; José Antônio Siqueira – Laguinho), a partir das 21h.

 

  • Nossa Tribo

Nome do show musical que está agendado para acontecer no dia 10 de agosto, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá), a partir das 22h.
As divas cantoras Nani Rodrigues, Mayara Braga, Loren Cavalcante e Brenda Melo, estão preparando um repertório especial pra cantar a Amazônia. Como convidadas, Sabrina Zahara, Leka Dens e Mery Baracá. O cantor e compositor, João Amorim, abre a noite cantando o seu repertório refinado. Informações: 99111-0201 e 98119-2790.

 

  • Samba no Mercado

Na sexta (12) tem o projeto Samba no Mercado, a partir das 19h, no Mercado Central, com as seguintes atrações: Júlia Medeiros, Jorginho do Cavaco e Pagode do Maradona.
Essa agenda faz parte da programação do Macapá verão 2019.

 

  • Marabaixeira

A professora Laura do Marabaixo está lançando a bebida artesanal Gengebirra Marabaixeira, com selo genuinamente tucuju e de qualidade. O produto já foi aprovado por todos do segmento dessa cultura popular, que é o Marabaixo. Parabéns.

 

  • Beneficente

Festival de prêmios beneficente (em prol da saúde da professora esmeraldina) na Maloca da Tia Chiquinha, no Curiaú, no domingo (14), a partir das 10h.
Artistas confirmados: Banda Afro Basil, Mayara Braga, Oneide Bastos, Amadeu Cavalcante, Paulinho bastos, Brenda Melo, Bloco Kulembé, Grupo Raízes do Bolão e outras atrações.


 
Compartilhe: