O que é música instrumental?

Em alguns casos, como “Taiane”, do brasileiro Hermeto Pascoal, ou “The Great Gig in the Sky”, da banda inglesa de rock progressivo Pink Floyd, a voz é usada como instrumento musical.

Compartilhe:

A expressão música instrumental distingue toda música produzida exclusivamente por instrumentos musicais. Porém, ao contrário do que parece, a música instrumental não é necessariamente desprovida da voz e do canto. Em alguns casos, como “Taiane”, do brasileiro Hermeto Pascoal, ou “The Great Gig in the Sky”, da banda inglesa de rock progressivo Pink Floyd, a voz é usada como instrumento musical.

Até o início do século XVI, os instrumentos musicais eram usados apenas para acompanhar os cantos ou marcar ocompasso das músicas. A partir disso, as composições instrumentais foram ficando cada vez mais frequentes até que, durante o período barroco, a música instrumental passou a ter importância igual à vocal. Foi durante o período clássico (da música), porém, compreendido entre os anos de 1750 e 1810, que a música instrumental passou a ter importância maior do que a vocal, devido ao aperfeiçoamento dos instrumentos e ao surgimento das orquestras.

Como não podia deixar de ser, a música popular brasileira moldou-se a partir de todas estas fontes, bem como das influências vindas da música africana, trazida por negros de vários lugares, e também da música indígena de diversas regiões.

Historiadores da música afirmam que a modinha (da Europa) e o lundu (da África) são as grandes influências da música popular brasileira e, juntamente com o schottish, a valsa, o tango e a polca, são grandes influências também para o choro, que é essencialmente instrumental, e considerado primeiro gênero popular urbano do Brasil. Os principais instrumentos utilizados no choro são o violão de 7 cordas, violão, bandolim, flauta, cavaquinho e pandeiro, embora diversos outros instrumentos tenham sido utilizados.

 

  • Renovando

Piratas da Batucada renova mandato de sua diretoria até 2021, reafirmando o carnavalesco Marcelo Zona Sul como presidente da escola. Parabéns.

 

  • Lançamento

Escritor amapaense Jean Carmo, lança seu livro digital “Pensando o Tempo”, onde suas canções e poemas fazem parte da obra.
O poema “Desencanto” é um dos destaques: “O tempo é demais pra mim – Esqueço de tudo o que eu fiz – Não peço: me deixe feliz – Te escuto em tudo que fiz”.

 

  • Doce

A quadrilha junina Pequena Dama, a mais antiga em atividade ( anos), está se preparando para os festivais (estadual e municipal) com o tema: A Origem do Cristal Doce”.
Os coreógrafos, Fabíola Almeida e Rodrigo Indinho, prometem muita novidade na apresentação do grupo e da miss caipira Katiane Bacelar. “Tudo está de acordo com o planejado”, disse Maurício Sena, um dos dançarinos.

 

  • Forrozão

Dia 11 de maio vai acontecer a 19ª edição do Forrozão Simpatia da Juventude, na sede do Trem Desportivo Clube (av: Feliciano Coelho – Trem), a partir das 20h.
São 10 quadrilhas juninas na disputa do cobiçado título.

 

  • Arteamazon

Projeto Arteamazon está divulgando obras do artista plástico, Ralfe Braga, para o Dia das Mães (domingo – 12).
Faça diferente, dê Arteamazon de presente> (www.arteamazon.com).

 

  • “Pérola Negra”

Escola de samba, Piratas Estilizados, terá representante no concurso Pérola Negra, que vai acontecer dia 13 de julho, na sede do Sindsep (Rodovia JK).
A jovem modelo, Gabrielly Dantas, de 18 anos de idade, será a candidata da família alaranjada. Boa sorte.

 

  • “Dia Quente”

Nome da nova música do poeta Joãozinho Gomes em parceria com o consagrado cantor e compositor, Zeca Baleiro.
“Oh, que dia quente esse, dia de te dar orquídea…”.


 
Compartilhe: