Atentado

Depois da morte de Eduardo Campos, na campanha presidencial de 2014, muita gente ainda se pergunta o que teria realmente acontecido com ele, ante suspeitas de atentado. E agora o país assiste o caso envolvendo Bolsonaro, que levanta suspeitas também, mas dos dois lados. Há quem fale em armação, pode? Só o tempo dirá.

Compartilhe:

Depois da morte de Eduardo Campos, na campanha presidencial de 2014, muita gente ainda se pergunta o que teria realmente acontecido com ele, ante suspeitas de atentado. E agora o país assiste o caso envolvendo Bolsonaro, que levanta suspeitas também, mas dos dois lados. Há quem fale em armação, pode? Só o tempo dirá.

Atentado
É como está sendo tratado o caso envolvendo o candidato Jair Bolsonaro, que foi esfaqueado em Minas Gerais, durante ato de campanha. O perfil de quem o esfaqueou é que por ora deixa confusa a avaliação de algumka coisa maior que tenha sido orquestrada.

Mistério
Adelio Bispo de Oliveira é uma figura controversa, inclusive na ótica de seus familiares, que o tem como uma pessoa isolada, que gosta de ler a Bíblia e que dissemina ódio nas redes sociais. E já foi filiado ao PSOL.

Campanha
O candidato do PSL lidera a última pesquisa eleitoral do Ibope, com 22% das intenções de voto. O levantamento foi o primeiro divulgado após o TSE barrar a candidatura do ex-presidente Lula, líder até então.

Momento
A repercussão do atentado foi imediata, nacional e internacional. Perde a democracia, claro, mas também é um reflexo do acirramento da política, das inimizades e rivalidades ideológicas.

Memes
As redes sociais, claro, ganharam inúmeras manifestações que se propunham ser engraçadas, os memes, mas que acabam por dar vazão a toda intolerância que o país experimenta em relação à política.

De olho
O Ministério Público Eleitoral fiscaliza postos de combustíveis, em Macapá/AP, para cobrar o cumprimento de recomendação emitida em junho. A venda de combustível in natura a candidatos e doadores, para uso nas eleições 2018, deverá ser formalizada por meio de contrato.

Virtual
No momento da visita, os representantes dos postos alegaram não ter os contratos em mãos. Foi dado prazo até a próxima segunda-feira (10) para que apresentem os documentos ao MP Eleitoral. A fiscalização decorreu de denúncia recebida pela linha exclusiva para internautas, o WhatsApp (96) 98134-5151

Regra
A recomendação do MP prevê ainda que a emissão de tickets, vales ou similares para abastecimento somente seja feita por meio de contrato escrito e prévio, tanto para pessoa física quanto jurídica. Caso seja constatado que a orientação do MP Eleitoral não está sendo cumprida.


 
Compartilhe: