Sonho

O sonho é inerente ao ser humano. Há quem diga que os animais chamados irracionais também sonham. O ser humano é racional, quer dizer, possui a razão, mas também é animal. Por isso, tem os seus momentos de irracionalidade. Já o bicho, o animal pra valer, age pelo instinto, o homem também tem o seu […]

Compartilhe:

O sonho é inerente ao ser humano. Há quem diga que os animais chamados irracionais também sonham. O ser humano é racional, quer dizer, possui a razão, mas também é animal. Por isso, tem os seus momentos de irracionalidade. Já o bicho, o animal pra valer, age pelo instinto, o homem também tem o seu instinto. O instinto de fidelidade do cachorro é impressionante. Não diria o mesmo do instinto do homem. O gato é de uma gratidão maravilhosa. A quem lhe dá comida, ele sempre acompanha com carinho de dar inveja a qualquer ser humano. Mas o sonho é um fenômeno do homem e da mulher. Tem o sonho físico, que afeta a mente com imagens, pensamentos e fantasias. Especialistas dizem que o sonho tem a ver com o dia a dia das pessoas, mas também podem ser premonições. São famosos os sonhos interpretados por José do Egito e o profeta Daniel (foto). E há o sonho da aspiração, da realização pessoal ou coletiva. Ah, esse tipo de sonho mexe com todos. Todos sonham conseguir alguma coisa. Abraham Lincoln, depois de muitos reveses, conseguiu ser Presidente dos Estados Unidos; Ghandi sonhou ser livre sem violência, e a Índia dele conseguiu se livrar da Inglaterra sem dar sequer um tiro; Martin Luther King Jr. sonhou dias melhores para o homem negro da América do Norte, conseguiu. Esses três grandes homens foram assassinados. Sim, mas não mataram os sonhos deles. Como também a grande maioria dos atuais políticos brasileiros não matará os sonhos do nosso povo de um dia virmos a ser uma Nação próspera, ordeira e feliz, independente deles.

 

Preciosidades

Abri meu e-mail e deparei com duas preciosidades. A primeira, vindo das Edições Paulinas, que diz: ‘A automotivação é um processo diário. Sua força beira a magia’. A outra, do ‘Pão Diário’, com o título ‘Como ser feliz’. Fala sobre a felicidade, alinhando dez dicas para se viver mais contente. Vou partilhar estas dicas: 1ª – Doe algo; 2ª – Faça uma gentileza; 3ª – Agradeça sempre; 4ª – Trabalhe com disposição e vigor; 5ª – Visite os idosos e aprenda com as experiências deles; 6ª – Olhe com atenção para o rosto de um bebê e maravilhe-se; 7ª – Ria com frequência — é o lubrificante da vida; 8ª – Ore para conhecer o caminho de Deus; 9ª – Planeje como se você fosse viver para sempre — você viverá; 10ª – Viva como se hoje fosse seu último dia de vida na Terra. Essas são excelentes ideias para se ter uma vida feliz. Reforce cada uma dessas dicas com louvor, e sua felicidade será completa. ‘Aleluia! Louva, ó minha alma, ao Senhor. Louvarei ao Senhor durante a minha vida…’ (Salmo 146:1,2).

 

Um amor surpreendente
Os principais atos históricos finais do Antigo Testamento são descritos em Esdras e Neemias, quando Deus permitiu ao povo de Israel voltar do exílio e reassentar-se em Jerusalém. A Cidade de Davi foi repovoada com famílias hebraicas, um novo templo foi construído e o muro reparado.

Isso nos leva a Malaquias. Esse profeta, provável contemporâneo de Neemias, encerra o Antigo Testamento. Note a primeira coisa que ele disse ao povo de Israel: “Eu vos tenho amado, diz o Senhor…”; e a resposta deles: “…Em que nos tens amado?…” (1:2).

Incrível, não? Sua história havia provado a fidelidade de Deus, mas, após centenas de anos nos quais Deus proveu continuamente ao Seu povo escolhido, de maneiras milagrosas e também mundanas, eles questionavam como Ele tinha demonstrado o Seu amor. Na continuação do livro, Malaquias recorda o povo sobre a sua infidelidade (vv.6,8). Eles tinham um longo padrão histórico de provisão de Deus para eles, seguida de desobediência, e da disciplina de Deus.

O profeta sugere (Malaquias 4:5,6) que em breve haveria um novo caminho. O Messias viria. Havia, adiante, a esperança por um Salvador que nos mostraria o Seu amor e pagaria, de uma vez por todas, a pena pelo nosso pecado.

O Messias realmente veio! A esperança de Malaquias tornou-se realidade em Jesus. Quem confia em Jesus terá a vida eterna. — Dave Branon


 
Compartilhe: