Tani lança o EP “O Que Eu Queria Ter Feito Antes”

A cantora, compositora, artesã e ativista negra, Tani, lança nesta quarta-feira, 24, o EP “O Que Eu Queria Ter Feito Antes”, trabalho inédito e autoral, que estará disponível nas plataformas de streaming a partir das 18h.

Compartilhe:

O trabalho autoral reúne cinco faixas inéditas que falam do seu processo de (re) existência na ancestralidade, de renascimento, de autocuidado e de cura.

 

A cantora, compositora, artesã e ativista negra, Tani, lança nesta quarta-feira, 24, o EP “O Que Eu Queria Ter Feito Antes”, trabalho inédito e autoral, que estará disponível nas plataformas de streaming a partir das 18h. O trabalho conta ainda com o lançamento do vídeoclipe da faixa “Aval” que será lançado no canal do Saturação no Youtube, também às 18h.

 

O EP foi dirigido pelo músico Anthony Barbosa e teve a produção musical de Hian Moreira. “O Que Eu Queria Ter Feito Antes”, fala de um processo pessoal de (re) existência na ancestralidade, de renascimento, de autocuidado e de cura. “A poesia é a chave mestra das minhas composições, revelando a intensidade de minhas vivências na mesma medida em que ressignifico meus traumas”, revela Tani.

 

O EP, traz cinco faixas autorais, “Intro”, a faixa de abertura traz uma leveza desmedida, o único instrumento presente é a sua voz, trazendo o que há de melhor nesse trabalho: o sentimento. A segunda faixa, intitulada “Aval”, mostra a força que há na sua vivência artística, relatando os processos de desprendimento da branquitude e o eu-lírico da canção demonstra as dores enfrentadas diante dos “nãos” já ditos pelo racismo e a vitória em superá-los no encontro com a ancestralidade.

 

Já em “Linha de limite”, mostra seu lado mais vulnerável, a música exprime um sentimento de angústia que a síndrome do impostor instiga e explica como é viver na beira do precipício da ansiedade e da depressão – causadas, mais uma vez, pelo racismo estrutural. Já “Sorte”, é a faixa de encerramento, tem um ritmo animado, também com ijexá, fala sobre um amor outrora já correspondido, mas que perdeu a recíproca com o tempo.

 

O Projeto foi selecionado no EDITAL Nº 003/2020 – SECULT – CARLOS LIMA “SEU PORTUGA” – Seleção de Projetos Artísticos e Culturais. Este projeto é apoiado pela Secretaria de Estado da Cultura do Amapá SECULT/AP, com recursos provenientes da Lei Federal nº 14.017, de 29 de Junho de 2020. (Tiago Soeiro).

 

*****************************************************

Quando a mulher adentra na floresta
Para encontrar seus seres ancestrais
Os olhos de jaguar se cruzam em plena festa
Com os olhos encantados dos pássaros astrais

Zé Miguel/Fernando Canto

*****************************************************

 

Carnaval

GEA e PMM acenaram positivos para a realização do carnaval das escolas de samba em2021. Mesmo com essa posição, ainda precisamos avançar nas vacinas para manter a população imunizada contra a Covid-19.

 

Contratação

Nova diretoria de Piratas Estilizados já está contratando os profissionais para o carnaval de 2022. Informações de novidades na equipe da mais querida do carnaval tucuju. No aguardo.

 

Quintal

Nesta quinta (24) tem o ‘Quintal da Mazé’ com o Trio BomKisó tocando os maiores sucessos do samba brasileiro, além de Junhão Belém e o melhor DJ do Amapá, Wanki Romero. O endereço é na rua Gal. Rondon entre as avs: José Tupinambá e Mãe Luzia – Laguinho.

 

Show

As comunidades quilombolas estão dando um show de apresentação no Encontro dos Tambores, que está acontecendo no Centro de Cultura Negra – Laguinho. É a valorização do que é nosso. Vai lá, a partir das 19h.

 

Prorrogação

Inscrições do Edital de cultura Mauro Guilherme foram prorrogadas até o dia 25 de novembro. Acesse o site www.secult.ap.gov.br e adquira mais informações.

 

“Respeita Mané!”

Esse jargão é usado pelo cidadão do samba, Aureliano Neck, em suas gravações, festivais e apresentações, quando o assunto é samba de enredo. Eu aprovo.

 

Agenda

Nesta quarta (24) tem mais 10 espetáculos no Encontro dos Tambores, na programação do 26º Encontro dos Tambores, a partir das 19h:

Marabaixo do Artur Sacaca, UDNSC, Marabaixo da Gungá, União Folclórica de Ilha redonda, Marabaixo do Ambé, São Sebastião do Igarapé do Lago, Irmandade São José da Pedreira, Movimento Estrela do Renascer, Reggae e Ressaca da Pedreira.


 
Compartilhe: