Social

Exposição – Artistas plásticos do Coletivo Imazônia estão expondo na Biblioteca Pública Elcy Lacerda, pinturas que remetem à mais tradicional cultura do estado: o Marabaixo.

Compartilhe:

Lindíssima Luciana Araújo com look da Luti Boutique. 

 

 

Alerrandra Martins curtindo o Banana Café, em Sampa. 

 

 

Queridíssima Paula Pantoja em momento de pura descontração, no morro de Santa Tereza, no Rio de Janeiro. 

 

 

Toda a beleza de Jade Davis. 

 

Exposição

Artistas plásticos do Coletivo Imazônia estão expondo na Biblioteca Pública Elcy Lacerda, pinturas que remetem à mais tradicional cultura do estado: o Marabaixo.

Podendo ser acompanhada até 3 de dezembro, a exposição apresenta traços da cultura negra do Amapá.

 

Lançamento

Nesta quarta, 24, às 18h, acontece o lançamento do EP “O que eu queria ter feito antes” da cantora, compositora, artesã e ativista negra, Tani Leal. Simultaneamente ao lançamento do EP, Tani lança seu primeiro videoclipe com a faixa “Aval”, ambos serão disponibilizados no canal YouTube Saturação(https://www.youtube.com/saturacao).

 

Samba

A Liesap vai apresentar no dia 3 de dezembro, os sambas de enredo 2022 das agremiações carnavalescas.

O evento vai acontecer à partir das 18h, em estrutura montada no estacionamento do Amapá Garden Shopping.

Após o lançamento, os sambas de enredo serão disponibilizados às escolas de samba e a comunidade em geral por meio das plataformas digitais: Spotify, Deezer e outros.

 

Giro

 

Presidente do MDB Mulher, ex-deputada Fátima Pelaes, em encontro com a Ministra Damares, em Brasília, para tratar de projetos para o Amapá. 

 

Parada – Iniciou na última terça, 23, as inscrições para participar presencialmente da 21ª Parada do Orgulho LGBTQIA+ no Amapá, que será realizado no domingo, 28. São mil vagas.

Além do cadastro no site oficial do evento, o público precisa apresentar, na entrada, a comprovação de vacinação completa contra a covid-19.

 

Kits – O Governo do Amapá iniciou, nesta terça-feira, 23, a entrega de 18 mil pacotes de absorventes higiênicos para jovens em vulnerabilidade social e de áreas rurais, ribeirinhas, quilombolas e indígenas.

Os itens foram arrecadados pela campanha Dignidade Menstrual nos 16 municípios – os pacotes foram convertidos em kits com 10 itens para atender a necessidade das meninas e mulheres por até três meses.


 
Compartilhe: