Kassav: melhor banda de Zouk do mundo

comentários

Kassav, palavra em crioulo antilhano que significa “mandioca&rdqu o; é uma banda de zouk de Martinica e de Guadalupe formada em 1979. Os membros originais da banda eram Jocelyne Béroard, Jacob Desyarieux, Jean-Philippe Marthély,1 Patrick St. Éloi (falecido), Jean-Claude Naïmro, e Georges Décimus (que atualmente não mais faz parte do grupo) juntamente com alguns outros componentes, que permaneceam pouco tempo no grupo.

O total de álbuns (em forma de LP e/ou CD) lançados pela banda é aproximadamente de 30.

Kassav foi criado em 1979 por Pierre-Édouard Décimus, músico profissional que, juntamente com Freddy Marshall, decidiu transformar a música de carnaval de Martinica e Guadalupe em um estilo mais moderno.

A banda foi a primeira a despontar como pioneira do zouk. Seu som se tornou “pan-caribenho ”, englobando elementos do reggae e da salsa. Seu primeiro álbum, Love and Ka Dance (1980), estabeleceu aquilo que seria conhecido como o zouk. O grupo se tornou cada vez mais popular, atingindo seu auge em 1985 com o álbum Yélélé, onde se destacava o sucesso “Zouk la sé sèl médickaman nou ni”. Com esta música, o grupo espalhou sua música pela América Latina e também pela Europa e até mesmo em países da Ásia, popularizando também a dança zouk. (www.bwevip.com).

 

  • Destaque

O jovem presidente da escola de samba, Piratas Estilizados, Diego Armando, vem realizando um belo trabalho na agremiação, com organização, planejamento, transparência e responsabilidade. “Arrumou a casa”, como diz o dito popular.
Em pouco tempo ele regularizou todas as pendências da instituição, e em breve estará lançando o projeto para o carnaval de 2020. Merece o destaque e o reconhecimento. Parabéns.

 

  • Homenagem

Na próxima sexta (31) tem show da cantora amapaense, Maria Ely, “Cantando Beth Carvalho”. Uma bela e justa homenagem a rainha do samba brasileiro.
No Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá), a partir das 22h. Informações: 99174-4010/99107-7313.

 

  • Encantaria

O residencial Mestre Oscar Santos, no bairro Ipê, zona norte da capital Macapá, é um lugar privilegiado e cheio de arte para quem habita por lá.
As ruas e avenidas foram batizadas com nomes que dão título as belas músicas de artistas regionais amapaenses (compositores e cantores), que retratam, nas obras, o cotidiano do povo tucuju amazônico. Mas os moradores precisam valorizar e cuidar mais daquela encantaria.

 

  • Rainha do Baião

Quadrilha junina Simpatia da Juventude vai realizar o concurso Rainha do Baião Gay, dia 19 de junho, em local ainda não definido.
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas com os coreógrafos, Adriano (98406-8969) e Igor (98408-7217). Esse evento vai bombar.

 

  • Promoção

Meu mano caçula, Josimar Almeida, foi promovido a 1º Sargento da Polícia Militar do Amapá. A formatura aconteceu nesta sexta (24), no Quartel da PM. Parabéns e boa sorte ao 1º Sgtº S. Almeida.

 

  • “Pra Sempre”

O consagrado cantor e compositor brasileiro, Lulu Santos, autor de clássicos inesquecíveis, está lançando o álbum “Pra Sempre” e uma turnê.
Todos dedicados ao amor, um dos temas de maior destaque em sua vasta obra, que abarca 30 álbuns lançados e também lança o clipe da faixa-título. Parabéns. (https://youtu.be/u1wBARchllM).

 

  • É samba

Domingo (26) tem agenda do projeto Samba da Matriz, com Taisson Tiassu, um dos maiores intérpretes do carnaval amapaense, com mais de 25 anos de carreira.
O show vai acontecer, a partir das17h, na casa de eventos Donna Antônia, na av: Gal. Gurjão, entre as ruas São José e Cândido Mendes – Centro. O evento inicia com Jr. Santarém e convidados. Será imperdível.


Conselho Nacional de Política Cultural

comentários

O Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) será reformulado para ficar mais ágil, eficiente, democrático e com um orçamento adequado à atual realidade econômica do País. O ministro Sérgio Sá Leitão decidiu, após ouvir as demandas de diversas entidades e associações do setor cultural, criar um grupo de trabalho para sugerir mudanças no órgão colegiado.

A atualização do CNPC é uma pauta importante para esta gestão do MinC. “O CNPC é integrado por representantes da sociedade civil e do poder público das diversas regiões do país e tem a missão de debater as políticas públicas para o desenvolvimento das atividades culturais”, explica o ministro Sérgio Sá Leitão. “Com um novo modelo de funcionamento, poderá contribuir muito para o avanço do MinC e das políticas de cultura.”
Com um CNPC reestruturado em 2018, o MinC pretende ampliar a democratização do acesso aos bens culturais e às políticas públicas do setor. Os custos operacionais do Conselho também devem ser readequados: estão hoje em R$ 1,8 milhão por ano, além de R$ 3,5 milhões a cada dois anos relativo ao processo eleitoral. Isso porque o MinC arca com as passagens e diárias dos membros, que se reúnem periodicamente em Brasília, além da logística dos encontros. “Que remos reduzir o custo e ampliar os resultados”, afirma o ministro.

Criado em 2005, o Conselho Nacional de Política Cultural é formado pelo Plenário, o Comitê de Integração de Políticas Culturais, os 18 Colegiados Setoriais, as Comissões Temáticas e a Conferência Nacional de Cultura. Sua estrutura fixa envolve mais de 600 pessoas, sendo os 540 integrantes dos Colegiados Setoriais, entre titulares e suplentes, escolhidos em processo eleitoral nacional. É uma estrutura imensa, com baixo grau de eficiência e de eficácia, e um alto custo para o s contribuintes. Representantes do poder público e da sociedade civil integrantes do Conselho. (www.cultura .gov.br).

 

  • Virou música

O músico, Bruno Muniz, que também é cantor, compositor e poeta, nos deu um presente do livro de sua autoria, “Sem Versos Putos Sobre Mim”.
Ele musicou o “Soneto da Ilusão”, que virou um “breguinha canção” gostoso de ouvir. Parabéns.

 

  • Conselho

Domingo (26) tem eleição do Conselho de Cultura para eleger os representantes dos segmentos artísticos culturais.
Será no colégio Gabriel de Almeida Café (antigo CCA), na esquina da av: FAB com a rua Leopoldo Machado, das 9h às 18h.

 

  • Primo Sebastian

Federação das Entidades Juninas e Folclóricas do Amapá (Fejufap) vai realizar o 3º Pré-Forrozão do Primo Sebastian, dias 15 e 16 de junho, a partir das 18h, na escola Nanci Nina Costa – Zerão. São 14 quadrilhas juninas inscritas no evento, sendo 7 por noite.
Dia 15 (sábado): Flor Junina, Rosa Caipira, Constelação Junina, Guerreiros da Esperança, Raízes Culturais, Magia da Juventude e Estrela de Ouro.
Dia 16 (domingo): Guerreiros de fogo, Atração Junina, Fogo Folia, Explode Coração (PG), Estrela Junina, estrela Santanense e Reino de São João.

 

  • Imperdível

Domingo (26) tem agenda do projeto Samba da Matriz, com Taisson Tiassu, um dos maiores intérpretes do carnaval amapaense, com mais de 25 anos de carreira.
O show vai acontecer, a partir das17h, na casa de eventos Donna Antônia, na av: Gal. Gurjão, entre as ruas São José e Cândido Mendes – Centro. O evento inicia com Jr. Santarém e convidados. Será imperdível.

 

  • Macapá Verão

Prefeitura de Macapá já lançou edital para os artistas se inscreveram pra participar do tradicional projeto, Macapá Verão, com início na primeira semana de julho.
As inscrições estão sendo feitas pelo portal da PMM www.macapa.ap.gov.br, onde também estão todos os esclarecimentos. É só clicar.

 

  • Talento

O amapaense, Brian Wendel, de 11 anos de idade, é o novo atleta de futebol (categoria sub 11) do Santos Futebol Clube (SP). O moleque passou na peneira e já ficou em Sampa.
O futuro talento do futebol brasileiro é filho do ex-atleta profissional, Brunão, que atuou como zagueiro em alguns clubes do Amapá, como Trem, Ypiranga e outros. Parabéns e boa sorte, “Tio Brian”, já deu certo.

 

  • Agenda aí

Dia 8 de junho vai rolar a Feijoada do Meio Dia da Imperatriz, na Fortaleza dos Gonçalves (av: Enestino Borges – Jesus de Nazaré), a partir das 12h.
Participação de vários grupos de samba e pagode, e dos intérpretes das escolas de samba amapaense.


Jorge Amado e o seu “Cemitério” Particular

comentários

Poesia é um gênero literário caracterizado pela composição em versos estruturados de forma harmoniosa. É uma manifestação de beleza e estética retratada pelo poeta em forma de palavras. No sentido figurado, poesia é tudo aquilo que comove, que sensibiliza e desperta sentimentos. É qualquer forma de arte que inspira, encanta e que é sublime e bela.

O escritor e poeta brasileiro, Jorge Amado, nos presenteou com muitas escritas como esse “Cemitério”. Guarde-o pra você.

“Tenho horror a hospitais, os frios corredores, as salas de espera, ante-salas da morte, mais ainda a cemitérios onde as flores perdem o viço, não há flor bonita em campo santo. Possuo, no entanto, um cemitério meu, pessoal, eu o construí e inaugurei há alguns anos quando a vida me amadureceu o sentimento. Nele enterro aqueles que matei, ou seja, aqueles que para mim deixaram de existir, morreram: os que um dia tiveram a minha estima e perderam.

Quando um tipo vai além de todas as medidas e de fato me ofende, já com ele não me aborreço, não fico enojado ou furioso, não brigo, não corto relações, não lhe nego o cumprimento. Enterro-o na vala comum de meu cemitério – nele não existe jazigo de família, túmulos individuais, os mortos jazem em cova rasa, na promiscuidade da salafrarice, do mau caráter. Para mim o fulano morreu, foi enterrado, faça o que fa&cce dil;a já não pode me magoar.

Raros enterros – ainda bem! – de um pérfido, de um perjuro, de um desleal, de alguém que faltou à amizade, traiu o amor, foi por demais interesseiro, falso, hipócrita, arrogante – a impostura e a presunção me ofendem fácil. No pequeno e feio cemitério, sem flores, sem lágrimas, sem um pingo de saudade, apodrecem uns tantos sujeitos, umas poucas mulheres, uns e outras varri da memória, retirei da vida.

Encontro na rua um desses fantasmas, paro a conversar, escuto, correspondo às frases, às saudações, aos elogios, aceito o abraço, o beijo fraterno de Judas. “Sigo adiante e o tipo pensa que mais uma vez me enganou, mal sabe ele que está morto e enterrado”.

 

  • Tambor

A festa Tambor da Liberdade foi remarcada para o dia 1º de junho na Maloca daTia Chuinha, no Curiaú, a partir das 12h.
Com exposição cultural, roda de conversa, capoeira, hip-hop, marabaixo, batuque, bloco Kulembé, Brenda Melo, Amadeu Cavalcante, Mayara Braga, Oneide Bastos, Enrico Di Miceli, Silmara Lobato e Paulinho Bastos.

 

  • Música

Escola de música Walquiria Lima está com inscrições abertas, até 31 de maio, para 104 vagas no curso de Educação Profissional Técnica dos instrumentos: contrabaixo elétrico, piano, saxofone, violino, violão erudito e vilão popular.
As inscrições estão sendo feitas pelo site www.processoseletivo.ap.gov.br.

 

  • Samba

Sábado (25) o projeto Pagode do Josimar vai apresentar um show com o grupo Papo Reto, o sambista Mel e Kinzinho AP, além do DJ Samuel.
Na casa de eventos Beija-Flor Festas & Eventos, a partir das 18h. na rua Hamilton Silva, entre as avs: 13 de Setembro e Felipe Camarão – Beirol.

 

  • Beneficente

Dia 7 de junho, às 10h, será realizado um festival de prêmios em prol do tratamento de saúde da poeta e marabaixeira, Esmeraldina Santos, na maloca da Tia Chiquinha (Curiaú).
Terá apresentação de vários artistas como: Banda Afro Brasil, Mayara Braga, Oneide Bastos, Brenda Melo, Bloco Kulembé, grupo Raízes do Bolo, Paulinho Bastos e outras atrações.

 

  • Em Sampa

Sábado (25) tem show da cantora, Patrícia Bastos e Marcelo Pretto, na Casa de Francisca, em São Paulo (antigo Palacete Tereza – Centro), às 22h, com Dante Ozzetti, Swami Jr. e participação especial de Thais Ozzetti.

 

  • Agenda aí

Dia 8 de junho vai rolar a Feijoada do Meio Dia da Imperatriz, na Fortaleza dos Gonçalves (av: Enestino Borges – Jesus de Nazaré), a partir das 12h.
Participação de vários grupos de samba e pagode, e dos intérpretes das escolas de samba amapaense.

 

  • Campeã

Quadrilha junina Simpatia da Juventude conquistou o título do Pré-Festival da Fefap, no último domingo (19), ocorrido no Complexo do Super Fácil – Beirol.
Com a temática Um Sonho Real, a Simpa contou um pouquinho de seus 25 anos de criação. Parabéns.


O que é música instrumental?

comentários

A expressão música instrumental distingue toda música produzida exclusivamente por instrumentos musicais. Porém, ao contrário do que parece, a música instrumental não é necessariamente desprovida da voz e do canto. Em alguns casos, como “Taiane”, do brasileiro Hermeto Pascoal, ou “The Great Gig in the Sky”, da banda inglesa de rock progressivo Pink Floyd, a voz é usada como instrumento musical.

Até o início do século XVI, os instrumentos musicais eram usados apenas para acompanhar os cantos ou marcar o compasso das músicas. A partir disso, as composições instrumentais foram ficando cada vez mais freqüentes até que, durante o período barroco, a música instrumental passou a ter importância igual à vocal. Foi durante o período clássico (da música), porém, compreendido entre os anos de 1750 e 1810, que a música instrumental passou a ter importância maior do que a vocal, devido ao aperfeiçoamento dos instrumentos e ao surgimento das orquestras.

Como não podia deixar de ser, a música popular brasileira moldou-se a partir de todas estas fontes, bem como das influências vindas da música africana, trazida por negros de vários lugares, e também da música indígena de diversas regiões.

Historiadores da música afirmam que a modinha (da Europa) e o lundu (da África) são as grandes influências da música popular brasileira e, juntamente com o schottish, a valsa, o tango e a polca, são grandes influências também para o choro, que é essencialmente instrumental, e considerado primeiro gênero popular urbano do Brasil. Os principais instrumentos utilizados no choro são o violão de 7 cordas, violão, bandolim, flauta, cavaquinho e pandeiro, embora diversos outros instrumentos tenham sido utilizados.

 

  • “Menina Moça”

Nome da primeira música da parceria de Rambolde Campos e Helder Brandão, no ritmo do Xote. “Vem me namorar, vem me namorar menina moça, me lambuzar feito um batom em tua boca…”.

 

  • “Pérola”

Concurso Pérola Negra está agendado para acontecer dia 13 de julho, na sede do Sindsep, em Fazendinha, às 22h.
São 24 belas candidatas, a maioria representando comunidades quilombolas amapaense.

 

  • Forrobodó

Vai começar o Pré-Forrazão Estadual de Quadrilhas Juninas da Fefap, nesta sexta e sábado (18 e 19), na Praça do Beirol (próximo ao Super Fácil), às 20h.
São 16 quadrilhas juninas, sendo oito por noite: 18 – Explode Coração, Pequena Dama, Constelação Junina, Revelação Mazaganense, Luar do Sertão, Guerreiros de Fogo, Fera Negra do Amapari e Magia da Juventude.
Dia 19: Coração Mazaganense, Renovação Junina, Fogo e Folia, Simpatia da Juventude, Encanto da Juventude, Gaviões do Norte, Flor Junina e Considerados dos Matutos.

 

  • Carnaval

Neste sábado (18) o prefeito de Macapá, Clécio Luis, e o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre irão anunciar apoio ao projeto de desfile das escolas de samba para o carnaval 2020.
Na Maison Nuance, Rua Jovino Dinoá – Beirol, às 20h.

 

  • Patrimônio

O Instituto do Patrimônio Cultural (Iphan) inicia pesquisa sobre as Matrizes Tradicionais do Forró como Patrimônio Cultural do Brasil.
O forró é uma manifestação cultural conhecida por seus ritmos musicais, danças e instrumentos tradicionais que já passa por um intenso processo de mobilização social. (www.portal.iphan.gov.br).

 

  • Blogando

O Blog da cultura está atualizado. Vá lá agora e confira as agendas com notícias de todos os segmentos artístico-culturais do Amapá. www.ocantodaamazonia.blogspot.com.
Macapá Verão
Prefeitura de Macapá já está planejada para a programação do Macapá Verão 2019 (em julho), com várias atrações artísticas no calendário. Informações: www.macapa.ap.gov.br).


Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular

comentários

O Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (CNFCP) tem atuação nacional e sua missão consiste na pesquisa, documentação, difusão e execução de políticas públicas de preservação e valorização dos mais diversos processos e expressões da cultura popular. Sua estrutura abriga: o Museu de Folclore Edison Carneiro, a Biblioteca Amadeu Amaral e os setores de Pesquisa e de Difusão Cultural, além da área administrativa.

Criado em 1958 e vinculado ao Iphan desde 2003, o Centro atua em diferentes perspectivas com o objetivo de atender as demandas sociais que se colocam no campo da cultura popular.

Entre suas principais ações destacam-se os projetos de fomento da cultura popular, desenvolvidos pelo Programa de Promoção do Artesanato de Tradição Cultural (Promoart) e Sala do Artista Popular (SAP); programas de estímulo à pesquisa, como o Concurso Sílvio Romero de monografias, o Etnodoc (edital de filmes etnográficos), o Dedo de Prosa (fórum de debates) e o Projeto Memórias dos Estudos de Folclore.

Na área de difusão e formação de público, destacam-se o programa de exposições, o programa educativo, o Curso Livre de Folclore e Cultura Popular e os programas de edições e intercâmbio. E na área de documentação, o tratamento, atualização e disponibilização dos acervos museológico (14 mil objetos – MFEC), bibliográfico e sonoro-visual (300 mil documentos – BAA), parte deles disponibilizada em suas coleções digitais. (http://portal.iphan.gov.br).

 

  • Sorteio

Federação das Entidades Folclóricas do Amapá (Fefap) realiza, nesta quarta (15), o sorteio do Pré-Festival que a instituição vai realizar nos próximos dias 18 e 19 (sábado e domingo), em local a definir.
São 28 quadrilhas juninas de vários municípios do estado, que se apresentarão nos dois dias de evento, sendo 14 por noite. Aguardem informações.

 

  • Pajelança

Fazendo parte da programação da 17ª Semana Nacional de Museus, o Museu Sacaca vai realizar um debate com o tema “Pajelança na Amazônia”.
Será na sexta (17), às 9h, no auditório do Museu. Entrada livre.

 

  • “Depois”

Título da nova música de Paulinho Bastos, que está no primeiro disco (CD) do artista, “Batuqueiros”.
O artista vem aumentando sua produção com belas composições e sempre valorizando o regionalismo amazônico na temática. Parabéns.

 

  • Marabaixo

No domingo (19) tem apresentação do grupo de Marabaixo Raízes da Favela – Dica Congó, no CEU das Artes (rua principal do Infraero II, a partir das 17h).
Programação que faz parte da programação do Ciclo do Marabaixo.

 

  • “Rolou”

Nome do Ladrão de Marabaixo composto pelo mazaganense, José Hosana, “Meu Tambor Rolou”. Parabéns pelo belo lamento.

 

  • Macapá Verão

Prefeitura de Macapá já com planejamento pronto para a programação do Macapá Verão 2019 (em julho), com várias atrações artísticas no calendário. Informações: www.macapa.ap.gov.br).

 

  • Blogando

O Blog da cultura está atualizado. Vá lá agora e confira as agendas com notícias de todos os segmentos artístico-culturais do Amapá. www.ocantodaamazonia.blogspot.com.


A influência da cultura na formação do cidadão

comentários

Mais do que uma característica essencial de uma sociedade, a cultura pode ser considerada como o elemento principal que difere uma nação de outra. Os costumes, a música, a arte e, principalmente, o modo de pensar e agir, fazem parte da cultura de um povo e devem ser preservados para que nunca se perca a singularidade do coletivo em questão. A palavra cultura deriva do latim, colere, que tem como significado literal “cultivar”. Partindo desse princípio, percebemos que se trata de uma herança acumulada ao longo dos anos, e que deve ser preservada.

Durante muito tempo, o termo cultura foi estudado e acabou sendo dividido em algumas categorias: Cultura segundo a Filosofia: trata-se de um conjunto de manifestações humanas, de interpretação pessoal, e que condizem com a realidade. Cultura segundo a Antropologia: o termo deve ser compreendido como uma soma dos padrões aprendidos, e que foram desenvolvidos pelo ser humano. Cultura Popular: associa-se a algo criado por um determinado grupo de pessoas que possuem participação ativa nessa criação. Música, arte e literatura são exemplos que podem ser utilizados.

Por ser um agente forte de identificação pessoal e social, a cultura de um povo se caracteriza como um modelo comportamental, integrando segmentos sociais e gerações à medida que o indivíduo se realiza como pessoa e expande suas potencialidades. Entretanto, é necessário lembrar que essa percepção individual tem grande influência por parte do grupo. As escolhas selecionadas ou valorizadas pelo grupo tendem a ser selecionadas na percepção pessoal.

Além disso, a cultura possui quatro processos que têm participação ativa na influência do indivíduo:

O Agente Cultural: Seja qual for a forma de expressão artística que ele promove, trata-se de alguém que se sente valorizado pelo que é capaz de fazer e, mesmo na velhice, é muitas vezes procurado para transmitir seus conhecimentos aos mais jovens. O Propagador Cultural: É aquele que não cria, mas que valoriza e ajuda a difundir determinados tipos de arte. Muitas vezes, dedica sua vida a esse propósito. Dentro desse grupo, estão incluídos os indivíduos que compram e comercializam produtos culturais. O Espectador Cultural: Grupo formado por pessoas que não criam e nem difundem a arte, mas que são apreciadores do gênero e qu e se identificam com outros de pensamento semelhante. Um exemplo do gênero e que pode ser citado é a formação dos fã-clubes, que interagem entre si promovendo o ídolo de diversas maneiras. O Alienado Cultural: Trata-se de alguém ou determinado grupo que denuncia as formas de expressão cultural. Presente muitas vezes em regimes ditatoriais, evidencia a exclusão social e oprime movimentos artísticos menos poderosos mas, nem por isso, com menos influência na sociedade. (www.institutofilantropia.org.br).

 

  • Cancelada

Programação do projeto Tambor da Liberdade, marcada para acontecer, na segunda (13), na Maloca da Tia Chiquinha (Curiaú), foi cancelada por motivo de doença. A próxima data ainda não foi definida.

 

  • Quadrilhando

Fefap vai realizar o seu Pré-Festival de quadrilhas juninas nos dias 18 e de 19 de maio (sábado e domingo). Local a definir.

 

  • Campeã

Quadrilha junina Flor Junina conquistou o título da 19ª edição do Forrozão Simpatia da Juventude, realizado no sábado passado (11), na sede do Trem Desportivo Clube. Parabéns.

 

  • Seminário

Dias 17 e 18 (sexta e sábado) o Sindsep-AP vai realizar o I Seminário de Comunicação Sindical, denominado “Resistência no Combate à Mídia Hegemônica”, na sede da instituição.
Na av: Almirante Barroso, 21 – Centro, a partir das 8h30.

 

  • Museus

Começa na quinta (16) a 1ª Semana Nacional de Museus, no Museu Sacaca (av: Feliciano Coelho – Trem), a partir das 9h.

 

  • Guitarrada

No sábado (18) tem o encontro Amapá e Pará de Guitarrada, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano), a partir das 21h30.
Com Mestre Solano representando o Pará e o Rei da guitarrada, Finéias Neluty representando o Amapá. Imperdível.

 

  • Conquista

Mais de R$ 211 milhões destinados a convênios e termos de execução descentralizada, fomento e compromisso cultural, serão fiscalizados em 2019 pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania.
O trabalho será desenvolvido pela Coordenação-Geral de Acompanhamento e Prestação de Contas da Secretaria da Diversidade Cultural. (www.cultura.gov.br).


Salgueiro homenageia o primeiro palhaço negro do Brasil

comentários

A Acadêmicos do Salgueiro já tem enredo para o carnaval de 2020, no Rio. Ele foi anunciado pelo carnavalesco Alex de Souza, que vai para seu terceiro carnaval na escola. No próximo desfile, vermelho e branco da Tijuca vai apresentar “O rei negro do picadeiro”.

Dando seguimento aos enredos com temática negra, com os quais a escola nutre grande identificação, o Salgueiro vai prestar uma homenagem aos 150 anos de Benjamin de Oliveira, o primeiro palhaço negro do Brasil. Além do Salgueiro, já escolheram seus enredos para o carnaval do ano que vem a Mocidade Independente de Padre Miguel, a São Clemente e Paraíso do Tuiuti.

Depois de dois anos defendendo enredos afro com um viés mais histórico e crítico, Alex de Souza propôs um tema mais lúdico, leve e colorido, mas ainda dentro do espírito de valorização da temática do negro.

“[Buscamos um enredo] que tivesse uma mensagem importante para a atualidade. Chegamos ao Benjamin, um personagem pouco conhecido, pouco reverenciado, mas com uma contribuição imensa para a arte”, disse o carnavalesco na apresentação do enredo.

Componentes do Salgueiro, como o ator Ailton Graça – que já foi palhaço – e que pretende desfilar representando o Benjamin de Oliveira, estiveram na apresentação. (www.salgueiro.com.br).

 

  • É hoje

É neste sábado que vai acontecer a 19ª edição do Forrozão da Simpatia da Juventude, na sede do Trem Desportivo Clube (av: Feliciano Coelho) – Trem, a partir das 20h.
São 10 quadrilhas juninas que estarão na disputa e mais a escolha do melhor marcador e miss caipira.

 

  • Museus

Na segunda (13) começa a 17ª Semana Nacional de Museus, em todo o país, e muitas programações artísticas vão encantar a população.
Em Macapá, em vários locais, muitas agendas serão realizadas.

 

  • Conquista

Mais de R$ 211 milhões destinados a convênios e termos de execução descentralizada, fomento e compromisso cultural, serão fiscalizados em 2019 pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania.
O trabalho será desenvolvido pela Coordenação-Geral de Acompanhamento e Prestação de Contas da Secretaria da Diversidade Cultural. (www.cultura.gov.br).

 

  • Enredo

No carnaval de 2020, Acadêmicos do Salgueiro vai prestar homenagens aos 150 anos do primeiro palhaço negro do Brasil, Benjamin de Oliveira, com o enredo, “O Rei Negro do Picadeiro”.
Bela homenagem.

 

  • Samba e pagode

Neste sábado (11) o projeto Pagode do Josimar vai receber o grupo Pagode do Maradona, na casa de eventos Beija-Flor, na rua Hamilton Silva entre as avs: 13 de Setembro e Felipe Camarão – Trem, a partir das 18h.
Show imperdível com Josimar e Cafú Rota Samba, relembrando os clássicos do samba brasileiro, da década de 90.

 

  • Guitarrada

Dia 18 de maio (sábado) terá o encontro Pará e Amapá de Guitarrada, com Mestre Solano (Pará) e Finéias Neluty (Amapá).
No Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano) – Araxá, às 22h.

 

  • Marabaixo

Domingo (12) tem programação do Ciclo do Marabaixo na Favela, em homenagem às mães, a partir das 17h, no Barracão Dica Congó.
Na av: Mendonça Júnior, entre as ruas Jovino Dinoá e Leopoldo Machado, com o grupo Raízes da Favela.


Leila Pinheiro: uma artista amazônica que canta o Brasil

comentários

Ela é uma cantora que canta o Brasil. Nasceu em Belém (PA) e começou seus estudos de piano em 1970, no Instituto de Iniciação Musical, em sua cidade natal, prosseguindo-os, a partir de 1974, com o músico paraense Guilherme Coutinho. Estreou como cantora em 1970, no show Sinal de partida, no Teatro da Paz, de Belém.

Em 1981 mudou-se para o Rio de Janeiro RJ e gravou de forma independente seu primeiro disco, “Leila Pinheiro”, lançado em 1983. Dois anos depois, defendeu a canção “Verde” (Eduardo Gudin e José Carlos Costa Neto) no Festival dos Festivais da TV Globo, garantindo o terceiro lugar e o prêmio de cantora revelação.

Em 1986 foi contratada pela Polygram e gravou o disco “Olho Nú”, com participação do guitarrista norte-americano Pat Metheny. Representou o Brasil no Festival Mundial Yamaha, no Japão, sendo premiada como melhor intérprete. Em 1987 recebeu da Associação Brasileira de Produtores de Disco o Troféu Villa-Lobos, como revelação feminina do ano. Lançou seu terceiro disco em 1988, “Alma”, pela Polygram.

Em 1989 foi convidada por Roberto Menescal para ser a intérprete de um disco em comemoração aos 30 anos da bossa nova, para o mercado japonês. Com produção e arranjos do próprio Menescal, o disco, “Bênção, Bossa Nova”, tornou-se grande sucesso tanto no Japão como no Brasil.

Em 1991 participou do I Rio Show Festival, com Roberto Menescal e banda. Lançou o disco “Outras Caras”, também com produção de Menescal. Gravou em 1993 0 CD Coisas do Brasil, produzido e arranjado por César Camargo Mariano, e excursionou pela Europa. Em 1994 transferiu-se para a EMI, pela qual gravou Isso é bossa nova. Em 1996 gravou e produziu “Catavento e Girassol”, trabalho dedicado à obra de Guinga e Aldir Blanc. Em 1997 participou do show em homenagem a Vinicius de Moraes, no Metropolitan (RJ) e fez turnê pelos E.U.A, com Ivan Lins.

Depois de 30 anos de carreira, Leila Pinheiro gravou o CD “Raiz”, em homenagem ao seu estado do Pará.

 

  • Encontro

Nesta sexta (10) na Galeria de Artes Samaúma vai acontecer o 5º Encontro das Artes, a partir das 16h, no Complexo Marlindo Serrano – Araxá.
Artistas de vários segmentos estarão participando do evento, que é coordenado pelo artista plástico, Wagner Ribeiro. Prestigie.

 

  • Concurso

Dia 1º de junho vai acontecer o tradicional concurso Garota Junina, em local ainda a definir.
No dia 25 de maio será o coquetel de apresentação das candidatas, também em local indefinido. Inscrições abertas. Informações: 99185-3713.

 

  • É sábado

Será neste sábado (11) a 19ª edição do Forrozão Simpatia da Juventude, na sede do Trem Desportivo Clube (av: Feliciano Coelho) – Trem, às 20h.

 

  • Pagodão

No sábado (11) o projeto Pagode do Josimar vai receber o grupo Pagode do Maradona, na casa de eventos Beija-Flor, na rua Hamilton Silva entre as avs: 13 de Setembro e Felipe Camarão – Trem, a partir das 18h.
Show imperdível com Josimar e Cafú Rota Samba, relembrando os clássicos do samba brasileiro, da década de 90.

 

  • “Olho de Boto”

Nome de uma bela música dos cantadores amazônicos paraenses, Nilson Chaves e Vital Lima. “Olho de boto no fundo dos olhos de toda paisagem…”.

 

  • Choro e Samba

Nesta sexta (10) tem o projeto Samba e Chorinho, no Norte das Águas, com os músicos e cantores, Beto 7 Cordas, Humberto Moreira, Gabriel do Cavaco, Diego Armando e outros artistas.
No Complexo Marlindo Serrano – Araxá, a partir das 21h. Um belo repertório da música popular brasileira.

 

  • Marabaixo

Domingo (12) tem programação do Ciclo do Marabaixo na Favela, em homenagem às mães, a partir das 17h, no Barracão Dica Congó.
Na av: Mendonça Júnior, entre as ruas Jovino Dinoá e Leopoldo Machado, com o grupo Raízes da Favela.


Então, o que é música afinal?

comentários

Essa pergunta tem sido alvo de discussão há décadas. Alguns autores defendem que música é a combinação de sons e silêncios de uma maneira organizada. Vamos explicar com um exemplo: Um ruído de rádio emite sons, mas não de uma forma organizada, por isso não é classificado como música. Essa definição parece simples e completa, mas definir música não é algo tão óbvio assim. Podemos classificar um alarme de carro como música? Ele emite sons e silêncios de uma maneira organizada, mas garanto que a maioria das pessoas não chamaria esse som de música. Então, o que é música afinal? De uma maneira mais didática e abrangente, a música é composta por melodia, harmonia e ritmo.

Melodia é a voz principal do som, é aquilo que pode ser cantado. Harmonia é uma sobreposição de notas que servem de base para a melodia. Por exemplo, uma pessoa tocando violão e cantando está fazendo harmoni a com os acordes no violão e melodia com a voz. Cada acorde é uma sobreposição de várias notas, por isso que os acordes fazem parte da harmonia.

Vale destacar que a melodia não necessariamente é composta por uma única voz; é possível também que ela tenha duas ou mais vozes, apesar de ser menos frequente essa situação. Para diferenciar melodia de harmonia nesse caso, podemos fazer uma comparação com um navio no oceano. O navio representa a harmonia e as pessoas dentro do navio representam a melodia. Tanto o navio quanto as pessoas estão se mexendo, e as pessoas se mexem dentro do navio enquanto ele navega pelo oceano. Repare que o navio serve de base, suporte, para as pessoas. Elas têm liberdade para se movimentar apenas dentro do navio. Se uma pessoa pular para fora do navio, será desastroso. Com melodia e harmonia, &eacut e; a mesma coisa.

Ritmo é a marcação do tempo de uma música. Assim como o relógio marca as horas, o ritmo nos diz como acompanhar a música. Cada um desses três assuntos precisa ser tratado à parte. Um conhecimento aprofundado permite uma manipulação ilimitada de todos os recursos que a música fornece, e é isso o que faz os “sons e silêncios” ficarem tão interessantes para nosso ouvido. Afinal, mais importante do que saber o que é musica, é saber como trabalhar em cima dela. (www.descomplicandoamusica.com).

 

  • Samba

Domingo (12) tem o projeto Samba da Matriz na casa de shows Dona Antônia (av: Gal. Gurjão – Centro), a partir das 17h, com a cantora Ingrid Sato como atração.
Faz parte da programação em homenagens ao dia das mães. Informações: 99126-6869.

 

  • Musicando

Sábado (11) tem show dos cantadores Osmar Júnior e Zé Miguel, no município de Ferreira Gomes, no Recanto Família Bianchi, a partir das 22h.
Informações: 99117- 7900 e 99170-7900.

 

  • Tambor

Na segunda (13) os tambores irão soar nos campos do Curiaú (Maloca da Tia Chiquinha), a partir das 12h, com o projeto Tambor da Liberdade.
O evento terá apresentação de vários artistas: Brenda Melo, Amadeu Cavalcante, Mayara Braga, Oneide Bastos, Paulinho Bastos, Enrico Di Miceli e o Bloco Kulembé.
Além de exposição cultural, capoeira, hip-hop, batuque, marabaixo e outras atrações.

 

  • Blogando

Visite o blog ocantodaamazonia.bolgspot.com e confira as agendas e notícias dos artistas tucujus.

 

  • Instrumental

Nesta quinta (9) é dia de ouvir música instrumental de qualidade, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano) no Araxá, a partir das 21h.
É o projeto Quinta do Jazz com o quarteto Amazon Music e convidados, com assinatura do competente músico e produtor, Finéias Nelluty. Recomendo.

 

  • Marabaixo

Domingo (12) tem programação do Ciclo do Marabaixo na Favela, em homenagem às mães, a partir das 17h, no Barracão Dica Congó.
Na av: Mendonça Júnior, entre as ruas Jovino Dinoá e Leopoldo Machado, com o grupo Raízes da Favela.

 

  • Foguetinhos

Jornalista Cláudio Rogério assina em sua página, no facebook, os “Foguetinhos da Quadra Junina”, com as melhores informações da cultura junina amapaense e de todo o Brasil. Recomendo.


O que é música instrumental?

comentários

A expressão música instrumental distingue toda música produzida exclusivamente por instrumentos musicais. Porém, ao contrário do que parece, a música instrumental não é necessariamente desprovida da voz e do canto. Em alguns casos, como “Taiane”, do brasileiro Hermeto Pascoal, ou “The Great Gig in the Sky”, da banda inglesa de rock progressivo Pink Floyd, a voz é usada como instrumento musical.

Até o início do século XVI, os instrumentos musicais eram usados apenas para acompanhar os cantos ou marcar ocompasso das músicas. A partir disso, as composições instrumentais foram ficando cada vez mais frequentes até que, durante o período barroco, a música instrumental passou a ter importância igual à vocal. Foi durante o período clássico (da música), porém, compreendido entre os anos de 1750 e 1810, que a música instrumental passou a ter importância maior do que a vocal, devido ao aperfeiçoamento dos instrumentos e ao surgimento das orquestras.

Como não podia deixar de ser, a música popular brasileira moldou-se a partir de todas estas fontes, bem como das influências vindas da música africana, trazida por negros de vários lugares, e também da música indígena de diversas regiões.

Historiadores da música afirmam que a modinha (da Europa) e o lundu (da África) são as grandes influências da música popular brasileira e, juntamente com o schottish, a valsa, o tango e a polca, são grandes influências também para o choro, que é essencialmente instrumental, e considerado primeiro gênero popular urbano do Brasil. Os principais instrumentos utilizados no choro são o violão de 7 cordas, violão, bandolim, flauta, cavaquinho e pandeiro, embora diversos outros instrumentos tenham sido utilizados.

 

  • Renovando

Piratas da Batucada renova mandato de sua diretoria até 2021, reafirmando o carnavalesco Marcelo Zona Sul como presidente da escola. Parabéns.

 

  • Lançamento

Escritor amapaense Jean Carmo, lança seu livro digital “Pensando o Tempo”, onde suas canções e poemas fazem parte da obra.
O poema “Desencanto” é um dos destaques: “O tempo é demais pra mim – Esqueço de tudo o que eu fiz – Não peço: me deixe feliz – Te escuto em tudo que fiz”.

 

  • Doce

A quadrilha junina Pequena Dama, a mais antiga em atividade ( anos), está se preparando para os festivais (estadual e municipal) com o tema: A Origem do Cristal Doce”.
Os coreógrafos, Fabíola Almeida e Rodrigo Indinho, prometem muita novidade na apresentação do grupo e da miss caipira Katiane Bacelar. “Tudo está de acordo com o planejado”, disse Maurício Sena, um dos dançarinos.

 

  • Forrozão

Dia 11 de maio vai acontecer a 19ª edição do Forrozão Simpatia da Juventude, na sede do Trem Desportivo Clube (av: Feliciano Coelho – Trem), a partir das 20h.
São 10 quadrilhas juninas na disputa do cobiçado título.

 

  • Arteamazon

Projeto Arteamazon está divulgando obras do artista plástico, Ralfe Braga, para o Dia das Mães (domingo – 12).
Faça diferente, dê Arteamazon de presente> (www.arteamazon.com).

 

  • “Pérola Negra”

Escola de samba, Piratas Estilizados, terá representante no concurso Pérola Negra, que vai acontecer dia 13 de julho, na sede do Sindsep (Rodovia JK).
A jovem modelo, Gabrielly Dantas, de 18 anos de idade, será a candidata da família alaranjada. Boa sorte.

 

  • “Dia Quente”

Nome da nova música do poeta Joãozinho Gomes em parceria com o consagrado cantor e compositor, Zeca Baleiro.
“Oh, que dia quente esse, dia de te dar orquídea…”.