Quanto vale a nossa história?

comentários

Confesso que não sei responder a essa indagação, pois sempre imaginei que nossa memória histórica não tivesse preço e muito menos estaria em prateleiras para medir seu valor cultural. Afinal, em se tratando de patrimônio cultural adotado por um povo, não tem valor financeiro que pague.

Pois é, só que aqui no Amapá, única capital brasileira banhada pelo rio Amazonas (o maior do mundo), rica em cultura regional, bem no meio do mundo, as leis são diferentes e o desrespeito com a história é visível.

É o que está acontecendo com o Macapá Hotel, que no início de sua vida fora chamado de Hotel Macapá, situado bem em frente à cidade, um lindo cartão postal que recebe um vento norte que abastece nossa gente.

Não tem como não lembrar as belas tardes de domingo quando nossos pais nos levavam para passear em frente àquele lugar, e enquanto eles conversavam com amigos, nós, crianças, brincávamos. Um mar de pureza tomava conta do nosso mundo. Agora essas e outras contações estão ameaçadas e próximas a ficar somente nas boas lembranças.

A existência dessa casa é bem antes do Amapá ser transformado em estado, e nem isso sensibiliza nossos representantes maiores. E se uma pergunta me coubesse, poderia fazê-la sem nenhum problema: Qual o impedimento desse patrimônio continuar embalando nossa história?

O Macapá Hotel está na lista dos preferidos do poder público estadual para ser vendido ou leiloado, como queiram. Essa notícia choca os amapaenses apaixonados por esta cidade que um dia foi chamada “Joia da Amazônia”, mas que hoje, com tristeza, lista mais um patrimônio da história tucuju que se despede de seu povo.

Será que existe autoridade maior de um poder para decidir pela extinção de uma casa que abrigou, durante décadas, um mundo de histórias? Será que o povo, verdadeiro proprietário do lugar, não poderia ser contemplado com a permanência de algo que venha garantir sua morada cultural?

Se a venda do Macapá Hotel é a única saída encontrada para resolver certos problemas causados, então qual o valor de nossa história?

 

Preocupante
Só passando pra lembrar que bem devagar os nossos espaços culturais estão sendo deixados de lado, longe de nós e sem atividades fins.
Sambódromo, Cidade do Samba, Centro de Cultura Negra, Museus etc. lamentável.

Novidade
Primeiro disco da Banda Drusa está sendo gravado no estúdio Odium, já em fase final.
Os artistas Joãozinho Batera (bateria), Otto Ramos (teclados) e Hanna Paulino, fazem parte desse projeto. Já estamos aguardando.

Planeta Amapari
Ouvindo as músicas do disco “Planeta Amapari”, de Val Milhomem, Joãozinho Gomes e Zé Miguel, fica fácil identificar o amor desses artistas por nossa aldeia. Quanto orgulho.

Agenda
Espetáculo “As Domésticas: Em Ritmo de Carnaval” será apresentado dia 18 no Teatro das Bacabeiras, às 20h.
A realização é da Cia. Teatro do Riso. Informações: 98126-6667 e 99173-4093.

Indicação
Cantora amapaense, Patricia Bastos, é semifinalista da 3ª edição do Prêmio Profissionais da Música 2017, na categoria “Artista Cultura Popular.
A votação é pela internet de 9 a 19 de fevereiro, e o povo vai poder votar pelo endereço: www.ppm.art.br.
A premiação vai acontecer, em Brasilia (DF), nos dias 28, 29 e 30 de abril, no Cota Mil Iate Clube. Vamos votar na representante amapaense.

“Livre Pra Amar
Título da nova música de Finéias Nelluty em parceria com a cantora Emilia Monteiro.
No ritmo da Zankerada, ritmo amapaense criado pelo artista.

Boteco
Cia. de Dança de Salão Passo a Passo vai realizar o “Boteco da Passo a Passo”, na sede do Sinsepeap, Rodovia JK.
Dia 4 de março, às 21h. Informações: 99117- 3253 e 99185-4030.

João Bosco
Dia 8 de abril o consagrado cantor e compositor brasileiro, João Bosco, vai fazer show em Macapá.
A realização é do projeto “Palco Amapá”. Aguardem.


A musicalidade do Trio Manari que eu vi

comentários

Nessa minha jornada de alguns anos apresentando programas de rádio, escrevendo em jornais e reportando acontecimentos, resolvi correr atrás da cultura artística da Amazônia, principalmente da boa música produzida aqui, com linguagem bem regional de destacar o nosso povo.

Foi ouvindo muita coisa e apresentado a muitas outras, que conheci um grupo musical paraense, de percussão, de nome Trio Manari, acho que através da produtora Clícia Di Miceli. De “prima” não entendi muito bem o porque do nome, pois Manari é um município brasileiro do estado de Pernambuco e o grupo musical, é paraense, mas achei bonito e interessante para a proposta que se apresentava.

O Manari é formado pelos músicos percussionistas Márcio Jardim, Nazaco Gomes e Paturi (Kleber Banigno), melhor chamá-lo de Paturi, né! Residentes em Belém (PA). Esses meninos buscam constantemente estar antenados com a música do mundo, levando de forma expressiva a imponência dos ritmos autênticos da Amazônia brasileira. O Trio Manari já esteve, por muitas vezes representando a música amazônica em diversos eventos no exterior.

Mas quando vi o Manari tocar pela primeira vez, em 2014, no show de encerramento do arrastão do Pavulagem (a convite da amiga Clícia), em Belém (PA), na Praça do Carmo, achei de uma excelência tremenda o sincronismo dos três artistas, e de um profissionalismo único na execução de tudo o que eles faziam e dos improvisos, que pareciam ensaiados há meses. Tudo era perfeito, tudo era tocado com conhecimento e competência. Virei fã incondicional. Pois sempre primei pela qualidade, conhecimento, profissionalismo, competência e amor, em tudo o que escolho para admirar.

Não há artista amazônico que não tenha registro, em sua obra, da marca Trio Manari. Criação perfeita. Os sons parecem tirados da alma do coração. Originalidade pura.

O trabalho do Trio Manari é respeitado em todo o Brasil e em grande parte do mundo, pois em cada lugar onde tem alguém que aprecie a boa musicalidade dos tambores da Amazônia, já se ouviu falar desse fenômeno.

 

Aprovado
Deputados estaduais aprovaram, ontem (7), a Lei que cria o Sistema Estadual de Cultura.
Agora é aguardar a sanção do governador Waldez Góes e esperar que a Lei seja cumprida.

Quem dera
Deputado Jaime Perez, vice líder do GEA na Assembleia Legislativa, durante a discussão do projeto de criação do Sistema Estadual de Cultura, disparou:
“Vou solicitar ao governador Waldez Góes que empregue um representante, de cada segmento artístico, na Secretaria Estadual de Cultura”. Eita.

Nem aí
Durante a votação do Sistema Estadual de Cultura, na Assembleia Legislativa, ontem (7), alguns deputados parece que ignoraram o assunto.
Quando chamados para votar, foram falando ao telefone, antes, durante e depois.

Ausentes
Alguns representantes de segmentos culturais não compareceram à Assembleia Legislativa para acompanhar a votação de criação do Sistema Estadual de Cultura.
Nessa hora é importante a presença de todos, pois o benefício é geral.

Reivindicação
Artistas continuam aguardando a posição da Sesult a respeito de alguns pagamentos pendentes da secretaria.

Leilão
Macapá Hotel está na lista de prioridades do GEA para ser leiloado. Foi o que disse, ontem (7), o Secretário de Planejamento do Estado, Telles Júnior, na Diário FM (programa Luiz Melo Entrevista).

No ar
Programa “O Canto da Amazônia”, de segunda à sexta, às 16h, na Diário FM 90,9.
O porta voz da cultura artística tucuju. Sintonize.

Agenda
Espetáculo “As Domésticas: Em Ritmo de Carnaval” será apresentado dia 18 no Teatro das Bacabeiras, às 20h.
A realização é da Cia. Teatro do Riso. Informações: 98126-6667 e 99173-4093.


Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular

comentários

O Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (CNFCP) tem atuação nacional e sua missão consiste na pesquisa, documentação, difusão e execução de políticas públicas de preservação e valorização dos mais diversos processos e expressões da cultura popular.

Sua estrutura abriga: o Museu de Folclore Edison Carneiro, a Biblioteca Amadeu Amaral e os setores de Pesquisa e de Difusão Cultural, além da área administrativa.

Criado em 1958 e vinculado ao Iphan desde 2003, o Centro atua em diferentes perspectivas com o objetivo de atender as demandas sociais que se colocam no campo da cultura popular. Entre suas principais ações destacam-se os projetos de fomento da cultura popular, desenvolvidos pelo Programa de Promoção do Artesanato de Tradição Cultural (Promoart) e Sala do Artista Popular (SAP); programas de estímulo à pesquisa, como o Concurso Sílvio Romero de monografias, o Etnodoc (edital de filmes etnográficos), o Dedo de Prosa (fórum de debates) e o Projeto Memórias dos Estudos de Folclore.

Na área de difusão e formação de público, destacam-se o programa de exposições, o programa educativo, o Curso Livre de Folclore e Cultura Popular e os programas de edições e intercâmbio. E na área de documentação, o tratamento, atualização e disponibilização dos acervos museológico (14 mil objetos – MFEC), bibliográfico e sonoro-visual (300 mil documentos – BAA), parte deles disponibilizada em suas coleções digitais. (www.portal.iphan.gov.br)

 

Orquestra
Associação Educacional e Cultural Essência abre inscrições para 2017, de 13 a 25 de fevereiro.
Na Escola Batista de Macapá, na esquina da rua Jovino Dinoá com a av: Mendonça Furtado – Centro. Informações: 98144-2001 e 98803-3686.

Comédia
Espetáculo “As Domésticas: Em Ritmo de Carnaval” será apresentado dia 18 no Teatro das Bacabeiras, às 20h.
A realização é da Cia. Teatro do Riso. Informações: 98126-6667 e 99173-4093.

Sistema
Nesta terça, 7, deputados estadual votam o projeto de lei que cria o Sistema Estadual de Cultura.
Elaboração que legitima e fortalece os segmentos artísticos e o relacionamento com os órgãos públicos de cultura do estado.

Cortejo
Foi lindo o cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, no aniversário de Macapá, sábado, 4, tocando e dançando o Marabaixo, pelas ruas.

“Amores”
Título do novo CD do cantor compositor paraense, Nilson Chaves, considerado a maior referência da musica regional amazônica.

Aniversário
Contagem regressiva para o aniversário de 6 anos do programa “O Canto da Amazônia, na Diário FM 90,9. Das 16h às 17:30h.
Virou a referência dos artistas regionais, com temática amazônica em suas artes.

Destaque
Artista plástico Vagner Ribeiro, é um pintor que defende a paisagem amazônica amapaense em suas obras.
É o diretor da Galeria de Arte Samaúma (Araxá). Merece o destaque e o registro da coluna.

Atriz
Sol Pelaes é uma veterana e experiente artista do teatro amapaense, com longa história nessa arte de interpretar.
Além de excelente atriz, ela é diretora e produtora de eventos. Apalusos.


“Canção do Equador” homenageia Macapá

comentários

Os compositores Zé Miguel e Osmar Júnior homenageiam a cidade de Macapá nos seus 259 anos, com a música “Canção do Equador”.

Beira do mar, de Macapá.
Vento sedoso no ouvido,
nuvens figuram pedaços de vida
sobre as cabeças de quem tem os pés por lá.
Virgem morena, meu peito ecoa tantos apegos por ruas vazias,
tantos chamegos por virgens vadias, e faz tanto tempo que a gente se vê.
Me acomodei do outro lado da América do Sul.
Tenho um quintal, a paz, um uirapuru, e sou feliz por ver meu céu azul.
Vou navegar entre os meus rios,
meu bronze é fruto de um sol amigo que nasce em cima de Macapá.
A minha alma amorenada sentou-se sob a madrugada, fez a canção do Equador.

Parabéns
Neste sábado, 4, nossa querida Macapá, terra do Marabaixo, está completando 259 anos de história.
Parabéns, Macapá querida, jóia menina da Amazônia.

Curso
Esse convite é para a garotada que curte a arte do teatro. Neste sábado, inicia o curso de teatro para as crianças.
Inscrições pelos telefones: 99155-1036 e 98114-9655. A duração é de três meses.

Livro
Neste sábado, 4, durante a programação em comemoração aos 259 anos de Macapá, o escritor Fernando Canto vai lançar sua nova obra literária, “O Marabaixo Através da História”.
Na Praça Floriano Peixoto, 10h.

Cortejo
O cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo acontece, neste sábado, 4, pra festejar o aniversário da cidade de Macapá, 259 anos.
Concentração, a partir das 8h, em frente a igreja de São José, eo lado do Teatro das Bacabeiras. Saída após a missa.

Nivito Guedes
“Quer saber onde eu to. Tô no norte do Brasil, eu tô em Macapá dançando Marabaixo…”.

Fernando Chaves
“Noite lua cheia de verão, trapiche, beira rio, inspiração. Macapá é madrugada. Abraçado a um velho violão eu canto pra você essa canção, minha doce namorada…”.

Rambolde Campos
“Dentre todas capitais, eu desejava viver em Macapá. Com a beleza dessa gente, o sol nascente me banhar no rio-mar…”.

Finéias Nelluty
“Vem cá conhecer Macapá, curtir esse lugar que é bom pra se viver. Vem cá da beira rio olhar o amazonas banhar. Meu forte São José…”.


Música 4 de Fevereiro homenageia Macapá

comentários

Os compositores Enrico Di Miceli e Joãozinho Gomes homenageiam os 259 anos da cidade de Macapá, em 4 de fevereiro (sábado), com a música “4 de Fevereiro”.

No teu aniversário quis te dar um presente, mas faltou numerário. Fiquei descontente. Quis te dar um rosário feito de tua semente e um confessionário pra ouvires tua gente.

No teu aniversário eu chorei pra diacho, sobre o teu calendário cujo a foto é um riacho. Que com o choro diário de olhos tão lassos, vazou do calendário escorreu mar abaixo.

Pus os pés no teu chão e pisei mundo inteiro, eu e meu violão, é! Pra que dinheiro. Com a tua proteção, José Marceneiro, chama-se essa canção 4 de fevereiro.

No teu aniversário eu baixei o meu facho, quase que solitário, meio que cabisbaixo, mas teu rio solidário me disse “ô macho, pra quê numerário, dê-lhe um Marabaixo”.

 

É hoje
Show “Eu Sou Daqui” de Amadeu Cavalcante e Brenda Melo, pra comemorar os 259 anos de Macapá (sábado 4).
Artistas convidados: Zé Miguel, Nani Rodrigues, Rambolde Campos e Banda Placa.
No bar “O Barril”, esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva, 22h. Informações: 99126-6262.

“Cultura e Fé”
Revista catálogo “Povo de Cultura e Fé”, do jornalista Gabriel Penha, recebeu patrocínio do Ministério da Cultura, selecionada pelo edital Rumos Itaú Cultural.
É uma exposição fotográfica itinerante e livro-catálogo das festas religiosas, tradicionais e culturais da comunidade de Mazagão Velho. Parabéns.

Agenda
Nesta sexta, 3, tem projeto samba no Mercado Central, com o grupo Pagodelas e convidados, das 20h às 22h.
Como parte da programação de aniversário de 259 anos de Macapá (sábado 4).

Concluindo
Carlos Matias, secretário de cultura, informa que o trabalho de reorganização da secult está em fase de conclusão.
A previsão é de que até o final de fevereiro seja concluído. “Vamos entregar a secretaria “redondinha” para continuar seu trabalho sem pendências”, concluiu.

6 anos
Dia 14 de março o programa “O Canto da Amazônia” vai completar 6 anos no ar, na Diário FM 90,9. Vai ar ao de segunda à sexta, às 16h
É o porta voz do artista amapaense que tem a arte regional no fazer, com uma linguagem bem amazônica de defender o que é nosso.

Show
Cantora amapaense Taty Taylor e a consagrada artista nacional Gretchen vão inaugurar a casa de shows “Holiday”, em Macapá, dia 3 de março.
Na esquina da av: Mendonça Furtado com a rua Odilardo Silva – Centro. Informações: 99189-8067.

Destaque
Nos 259 anos de Macapá destacamos Lolito do Bandolim, um músico amapaense apaixonado pela sua cidade. Ele toca Chorinho.
Merece o destaque e o registro da coluna.

Carnaval
É grande a movimentação de blocos carnavalescos, escolas de samba, A Banda e outras instituições para o carnaval.
O clima é de festa e a comunidade participa.


Finéias Nelluty: Vem Conhecer Macapá

comentários

O cantor, compositor, músico e produtor amapaense, Finéias Nelluty, homenageia a cidade de Macapá, nos seus 259 anos (4 de fevereiro), com uma de suas muitas obras musicais, como “Vem Conhecer Macapá”.

Vem cá conhecer Macapá, curtir esse lugar que é bom pra se viver. Vem cá da beira rio olhar o amazonas banhar. meu forte São José.

Da Fazendinha aquela vista boa, no Curiaú tem pantanal, lagoa. Vem Marabaixo dançar, vem no Batuque suar. O Marco Zero vem ver, vem ver a banda passar, vem ver, vem ver, conhecer Macapá.

O Laguinho que me deu a mulata pra sambar, passo na Tia Neném pra tomar meu tacacá, chega mais perto e vem provar o meu peixe com açaí, farinha do Pacuí, tempero da Tia Coló, tenho mais pra te mostrar, vem ver, conhecer Macapá.

 

Inclusão
Crianças da periferia de Curitiba (PR) têm vida transformada por projeto que une cinema, jornalismo e educação.
Uma campanha da empresa Sompo Seguros, com assinatura da jornalista paulista, Priscila Pacheco, ajudando a estimular o senso crítico dos jovens por meio da produção audiovisual. (www.janelaperiferica.com.br).
Que bom seria seguir esse belo exemplo pelas bandas de “cá”.

Ensaio
Nesta quinta, 2, continuam os ensaios do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, às 19h, na Praça Floriano Peixoto.
O cortejo vai acontecer no sábado, 4 de fevereiro, aniversário de 259 anos da cidade de Macapá.

Agenda
Show “Eu Sou Daqui”, em homenagem ao aniversário de Macapá, com Amadeu Cavalcante e Brenda Melo.
Sexta, 3, no bar “O Barril”, esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva, às 22h.
Uma declaração de amor aos 259 anos da terra do Marabaixo. Convidados: Banda Placa, Nani Rodrigues, Zé Miguel e Rambolde Campos. Informações: 99126-6262.

Homenagem
Consagrado poeta e compositor letrista, Joãozinho Gomes, escreveu um texto em homenagem a nova Praça Floriano Peixoto, e o músico Genésio Tocantins musicou, em ritmo de frevo.
O nome da música é “Frevo Para Vozes a Praça Floriano.

Show
Cantora amapaense Taty Taylor e a consagrada artista nacional Gretchen vão inaugurar a casa de shows “Holiday”, em Macapá, dia 3 de março.
Na esquina da av: Mendonça Furtado com a rua Odilardo Silva – Centro. Informações: 99189-8067.

Cinema
Audiovisual brasileiro bate recorde em 2016 com desempenho expressivo no segmento do cinema.
Os 143 filmes lançados, sendo 97 obras de ficção, são uma marca positiva para toda a história do cinema brasileiro.
Já o total de ingressos vendidos, que atingiu a marca de 30,4 milhões, é o melhor resultado desde 1984. A participação de público dos filmes nacionais chegou a 16,5%, contra 13% em 2015. (www.cultura.gov.br).

Produzindo
Cantor e compositor, Naldo Maranhão, está compondo músicas de seu próximo CD, ainda sem nome definido, mas adiantou que tem música amapaense, com linguagem amazônica, no repertório.


História do carnaval e suas origens

comentários

Continuação da matéria sobre a história do carnaval e suas origens. As associações entre o carnaval e as orgias podem ainda se relacionar às festas de origem greco-romana, como os bacanais (festas dionisíacas, para os gregos). Seriam festas dedicadas ao deus do vinho, Baco (ou Dionísio, para os gregos), marcadas pela embriaguez e pela entrega aos prazeres da carne.

Havia ainda em Roma as Saturnálias e as Lupercálias. As primeiras ocorriam no solstício de inverno, em dezembro, e as segundas, em fevereiro, que seria o mês das divindades infernais, mas também das purificações. Tais festas duravam dias com comidas, bebidas e danças. Os papeis sociais também eram invertidos temporariamente, com os escravos colocando-se nos locais de seus senhores, e estes colocando-se no papel de escravos.

Mas tais festas eram pagãs. Com o fortalecimento de seu poder, a Igreja não via com bons olhos as festas. Nessa concepção do cristianismo, havia a crítica da inversão das posições sociais, pois, para a Igreja, ao inverter os papéis de cada um na sociedade, invertia-se também a relação entre Deus e o demônio.

A Igreja Católica buscou então enquadrar tais comemorações. A partir do século VIII, com a criação da quaresma, tais festas passaram a ser realizadas nos dias anteriores ao período religioso. A Igreja pretendia, dessa forma, manter uma data para as pessoas cometerem seus excessos, antes do período da severidade religiosa. (continua amanhã – parte III. (www.brasilescola.uol.com.br)

 

Cortejo
Está chegando o dia do cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, 4 de fevereiro, aniversário de 259 anos da cidade de Macapá. Ensaios até quinta, 2, na Praça Floriano Peixoto, 19h.

Agenda
Show “Eu Sou Daqui”, em homenagem ao aniversário de Macapá, com Amadeu Cavalcante e Brenda Melo.
Sexta, 3, no bar “O Barril”, esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva, às 22h.
Uma declaração de amor aos 259 anos da terra do Marabaixo. Convidados: Banda Placa, Nani Rodrigues, Zé Miguel e Rambolde Campos. Informações: 99126-6262.

Valorização
As temáticas do Festival Folclórico de Parintins (AM), todo mês de junho, é 100% regional amazônico.
Em 2016 o boi bumbá Garantido foi campeão com o tema “Celebração”, e dentro da proposta homenageou o mestre Sacaca, com a toada “Caboclo Sacaca”.
Este ano o assunto escolhido foi “Magia e Fascínio no Coração da Amazônia”, e na música (Toada) “Quilombolas da Amazônia”, o Marabaixo é citado.

Mundo
Um dos nomes mais expressivos da arte moderna brasileira, Cândido Portinari, terá, pela primeira vez, uma exposição individual na cidade de Roma (Itália).
Iniciativa dos ministérios da Cultura e das Relações Exteriores, a mostra “A Mão Infinita” levará à capital italiana 26 obras do artista, que fazem parte do acervo do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA).
A exposição está agendada para acontecer de 7 de fevereiro a 22 de abril, na Embaixada do Brasil. (www.cultura.gov.br).

Calma
A TV Globo tem todo o direito de exibir o que bem lhe convir para garantir sua audiência, essa já não tanto em alta, mas também, precisa respeitar o direito de cada telespectador.
Agora, afirmar diariamente que a música brasileira e seus cantores, de má qualidade, é o que tem de melhor no país, aí é querer menosprezar nossa inteligência. Muita calma.

Comemoração
Prefeitura de Macapá está organizando vasta programação artística cultural para comemorar os 259 anos de Macapá.
Dia 4 de fevereiro, na praça Floriano Peixoto, durante o dia todo.

Destaque
Banda musical amapaense, Negro de Nós, com 18 anos de história já gravou 11 discos e um DVD. É considerada a melhor banda de Zouk do Brasil.
Os atuais componentes são: Silmara Lobato (cantora); Taronga (baixo); Walber Silva (teclados), Fabio Mont’Alverne (bateria), Alex (guitarra).
Merecem o destaque e o registro da coluna.


História do carnaval e suas origens

comentários

O carnaval é a festa popular mais celebrada no Brasil e que, ao longo do tempo, tornou-se elemento da cultura nacional. Porém, o carnaval não é uma invenção brasileira, nem tampouco realizado apenas neste país. A História do Carnaval remonta à antiguidade, tanto na Mesopotâmia quanto na Grécia e em Roma.

A palavra carnaval é originária do latim, “carnis levale”, cujo significado é “retirar a carne”. O significado está relacionado com o jejum que deveria ser realizado durante a quaresma e também com o controle dos prazeres mundanos. Isso demonstra uma tentativa da Igreja Católica de enquadrar uma festa pagã. Na antiga Babilônia, duas festas possivelmente originaram o que conhecemos como carnaval. As Saceias eram uma festa em que um prisioneiro assumia durante alguns dias a figura do rei, vestindo-se como ele, alimentando-se da mesma forma e dormindo com suas esposas. Ao final, o prisioneiro era chicoteado e depois enforcado ou empalado.

O outro rito era realizado pelo rei nos dias que antecediam o equinócio da primavera, período de comemoração do ano novo na região. O ritual ocorria no templo de Marduk, um dos primeiros deuses mesopotâmicos, onde o rei perdia seus emblemas de poder e era surrado na frente da estátua de Marduk. Essa humilhação servia para demonstrar a submissão do rei à divindade. Em seguida, ele novamente assumia o trono. O que havia de comum nas duas festas e que está ligado ao carnaval era o caráter de subversão de papéis sociais: a transformação temporária do prisioneiro em rei e a humilhação do rei frente ao deus. Possivelmente a subversão de papeis sociais no carnaval, como os homens vestirem-se de mulheres e vice-versa, pode encontrar suas origens nessa tradição mesopotâmica…continua amanhã – parte II. (www.brasilescola.uol.com.br)

 

Cuidar
Contagem regressiva para a programação de aniversário de Macapá (259 anos), sábado, 4 de fevereiro, na Praça Floriano Peixoto.
Se você ama a cidade das bacabas, então cuide dela.

Matrículas
CEU das Artes abre matrículas para diversas atividades artísticas, no Infraero II, av: Carlos Lins Cortês, das 8h às 21h.

Contemplado
Fumcult divulga lista dos artistas contemplados pelo Edital para a programação do aniversário de Macapá, em 4 de fevereiro (sábado). www.macapa.ap.gov.br.

Ensaio
Nesta terça, 31, iniciam os ensaios da semana, do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, para o cortejo do aniversário de Macapá, 4 de fevereiro.
Na Praça Floriano Peixoto, às 19h.

Abraço
Associação dos Ex Jogadores do AP vão realizar a programação “Abraço Solidário”, no estádio Glicério Marques, dia 4 de fevereiro, às 8h.
Uma forte de contribuir com a recuperação daquela praça esportiva.

Teatro
Dias 1 e 2 de fevereiro o Sesi apresenta o espetáculo infantil, “Pamonha e Panaca”, no Teatro das Bacabeiras, às 21h.
É uma produção e realização do Projeto Cuca Leva. A entrada é 1kg de alimento não perecível.

Agenda
Show “Eu Sou Daqui”, que os cantadores Amadeu Cavalcante e Branda Melo vão realizar, no dia 3 de fevereiro (véspera do feriado), no bar “O Barril”. Uma homenagem aos 259 anos da cidade de Macapá (4 de fev.).
Convidados especiais: Zé Miguel, Banda Placa, Rambolde Campos e Nani Rodrigues.
Esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton silva, às 22h. Informações: 99126-6262 e 98119-2790.

Descaso
Comunidade do entrono da Cidade do Samba (Zerão), continua reclamando da falta de energia elétrica no local e da lixeira formada por pedaços de alegorias de escolas de samba, de velhos carnavais.


Iniciam as atividades culturais no CEU das Artes

comentários

Nesses dois anos de existência foram mais de 10 mil atendimentos a crianças, jovens, adultos e idosos. E as atividades artístico-culturais não param. O primeiro CEU das Artes de Macapá mudou a rotina dos moradores da cidade, visto que todos, de qualquer lugar, têm acesso ao espaço e às suas programações.

O ano de 2017 começa com esporte, lazer, cultura e arte. São aulas de karatê (terça, quinta e sábado, das 17h30 às 19h30, com o mestre Sensei Arnulfo); capoeira (terça, quinta e sábado, das 17h30 às 20h, com a professora Claudete Vilhena) e zumba (quase que diariamente na quadra de esportes); além de atividades para a melhor idade; escolinha de futsal e vôlei; dança de toada; Projeto Bombeiro Mirim; exibição de filmes e a biblioteca, que sempre está aberta para quem gosta de se deliciar com leitura e se distrair com jogos de mesa. Esta agenda aumentará ao longo do ano, fazendo do CEU ponto certo da cultura local.

Para quem tem interesse de participar das atividades, as inscrições são feitas no próprio CEU das Artes, na Av. Carlos Lins Cortês, no bairro Infraero II, das 8h às 21h. (Rita Torrinha).

 

Canta Brasil
Neste sábado, 28, tem o programa “Canta Brasil, na Diário FM 90,9, das 6 às 8 da noite.
Um repertório refinadíssimo da boa música popular brasileira (MPB). Sintonize.

Banzeiro
Venha fazer parte do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, o maior projeto de massificação e valorização do Marabaixo do Amapá.
Ensaio, neste sábado, 28, na Praça Floriano Peixoto, às 19h. O cortejo vai acontecer no dia 4 de fevereiro, aniversário de Macapá.

Intercâmbio
A Agência Nacional do Cinema (Ancine) irá apoiar a participação de dez obras audiovisuais brasileiras em festivais internacionais na Holanda, França e Estados Unidos.
A ajuda vem do Programa de Apoio à Participação Brasileira em Festivais, Laboratórios e Workshops Internacionais, que concede auxílios diversos, dependendo da classificação de cada evento. (www.cultura.gov.br).

Agenda
Show “Eu Sou Daqui”, que os cantadores Amadeu Cavalcante e Branda Melo vão realizar, no dia 3 de fevereiro (véspera do feriado), no bar “O Barril”. Uma homenagem aos 259 anos da cidade de Macapá (4 de fev.).
Convidados especiais: Zé Miguel, Banda Placa, Rambolde Campos e Nani Rodrigues.
Esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton silva, às 22h. Informações: 99126-6262 e 98119-2790.

Teatro
Dias 1 e 2 de fevereiro o Sesi apresenta o espetáculo infantil, “Pamonha e Panaca”, no Teatro das Bacabeiras, às 21h.
É uma produção e realização do Projeto Cuca Leva. A entrada é 1kg de alimento não perecível.

Edital
Fumcult informa que as Inscrições de propostas artísticas para o aniversário de Macapá, em 4 de fevereiro, encerraram ontem, 27.

Lixeira
Ao lado da Cidade do Samba continua a lixeira, deixada por escolas de samba, com resto de alegorias e fantasias de outros carnavais. Vergonha.


Kassav: melhor banda de Zouk do mundo

comentários

Kassav, palavra em crioulo antilhano que significa “mandioca” é uma banda de zouk de Martinica e de Guadalupe formada em 1979. Os membros originais da banda eram Jocelyne Béroard, Jacob Desyarieux, Jean-Philippe Marthély,1 Patrick St. Éloi (falecido), Jean-Claude Naïmro, e Georges Décimus (que atualmente não mais faz parte do grupo) juntamente com alguns outros componentes, que permaneceam pouco tempo no grupo.

O total de álbuns (em forma de LP e/ou CD) lançados pela banda é aproximadamente de 30.

Kassav foi criado em 1979 por Pierre-Édouard Décimus, músico profissional que, juntamente com Freddy Marshall, decidiu transformar a música de carnaval de Martinica e Guadalupe em um estilo mais moderno.

A banda foi a primeira a despontar como pioneira do zouk. Seu som se tornou “pan-caribenho”, englobando elementos do reggae e da salsa. Seu primeiro álbum, Love and Ka Dance (1980), estabeleceu aquilo que seria conhecido co mo o zouk. O grupo se tornou cada vez mais popular, atingindo seu auge em 1985 com o álbum Yélélé, onde se destacava o sucesso “Zouk la sé sèl médickaman nou ni”. Com esta música, o grupo espalhou sua música pela América Latina e também pela Europa e até mesmo em países da Ásia, popularizando também a dança zouk. (www.bwevip.com).

 

Temáticas
Muito boa a inovação da prefeitura de Macapá de pintar algumas faixas de pedestre com efeitos regionais amazônicos de nossa cidade.
Isso é valorização da riqueza cultural de nossa terra. Parabéns.

Teatro
Dias 1 e 2 de fevereiro o Sesi apresenta o espetáculo infantil, “Pamonha e Panaca”, no Teatro das Bacabeiras, às 21h.
É uma produção e realização do Projeto Cuca Leva. A entrada é 1kg de alimento não perecível.

Restauração
O projeto Rock In Rio integra a inédita Aliança Pela Restauração e Valorização da Amazônia brasileira. Dia 30, em Belém (PA).
Através do seu projeto social Amazônia Livre, que tem como meta, mobilizar as pessoas ao redor do mundo, para doarem 4 milhões de árvore. Até o momento, quase 3 milhões já foram doadas.

Agenda
Show “Eu Sou Daqui”, que os cantadores Amadeu Cavalcante e Branda Melo vão realizar, no dia 3 de fevereiro (véspera do feriado), no bar “O Barril”. Uma homenagem aos 259 anos da cidade de Macapá (4 de fev.).
Convidados especiais: Zé Miguel, Banda Placa, Rambolde Campos e Nani Rodrigues.
Esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton silva, às 22h. Informações: 99126-6262 e 98119-2790.

Edital
Inscrições para propostas de projetos artísticos seguem até sexta, 27, na Fumcult. Esquina da rua Eliezer Levy com a avenida Mondonça Furtado, Centro.
Para o dia 4 de fevereiro, 259 anos de Macapá.

Banzeiro
Nesta sexta, 27, e sábado, 28, tem ensaios do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, na Praça Floriano Peixoto, às 19h.

Literatura
Nesta sexta, 26, durante o ensaio do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, na Praça Floriano Peixoto, às 19h.
Lançamento do livro “Versos Vivos: uma história de sonho e de luta”, da poetisa Lia Borralho.

Fejufap
Definido o calendário de eventos da Federação das Entidades Juninas e Folclóricas do Amapá.
Programação inicia no dia 31 de março e encerra em 9 de junho. Informações: 99141-8420.