Funarte divulga mapeamento da dança no país

comentários

A Fundação Nacional de Artes divulga o Mapeamento Nacional da Dança, um estudo abrangente sobre a área que mobilizou 25 pesquisadores, um técnico e 59 alunos de graduação de dez universidades públicas e uma privada.

Uma parceria inédita entre a instituição e a Universidade Federal da Bahia. A iniciativa garante, pela primeira vez, o mapeamento de diversas instituições, organizações, associações e grupos de dança de oito capitais das cinco regiões do Brasil: Curitiba (PR), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Goiânia (GO), Salvador (BA), Recife (PE), Fortaleza (CE) e Belém (PA).

Para a Funarte, o mapeamento não apenas fortalece o papel da instituição como articuladora das artes no Brasil, como também proporciona maior conhecimento sobre a dança nacional e uma aproximação direta da classe. Os indicadores serão utilizados como objeto de estudo na formulação de políticas públicas para o setor.

Através de um cadastro on-line, foi possível levantar, analisar e descrever qualitativa e quantitativamente indicadores da cadeia produtiva da dança, em suas dimensões social, econômica e artística. A proposta do mapeamento surgiu em 2010, durante reunião do Colegiado Setorial da Dança. (www.cultura.gov.br).

Projeto MPA
Nesta sexta, 23, é a vez da banda Negro de Nós se apresenta no palco do projeto da Música Popular Amapaense (MPA), com linguagem bem amazônica cantando o Amapá.
Artistas convidados para dividir o palco: Rambolde Campos, Brenda Melo, Paulinho Bastos e Chermont Júnior.
No bar “O Barril”, esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva – Centro, às 21h. Informações: 99126-6262.

Ao vivo
Programa “O Canto da Amazônia” será apresentado do bar “O Barril”, nesta sexta, 23. Esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva – Centro, às 16h.
Durante a passagem de som do show da banda Negro de Nós.

Calados
Sede do São José, um dos clubes de futebol mais tradicionais do futebol amapaense, está a cerca de quatro meses sem água e a três sem energia elétrica.
Os serviços (Caesa e Cea) foram interrompidos por falta de pagamento. Os dirigentes não se manifestam e as atividades estão acontecendo em condições precárias.

“Palco Giratório”
O Sesc – AP apresenta, nos dias 24 e 25 de setembro, a segunda etapa do projeto Palco Giratório.
Serão duas apresentações, uma do grupo amapaense Graham Companhia de Dança, e a outra dos artistas goianos, Rodrigo Cruz e Rodrigo Cunha.

Grupo Pilão
Grupo Pilão, um dos precursores da música amapaense com linguagem amazônica, faz aniversário de 41 anos no dia 25 de setembro.
Em 1975, os irmãos Fernando Cantos e Juvenal Canto, mais Bi Trindade (falecido) criação esse movimento de pesquisa musical do Amapá.

“Amazônia Órbita”
Título do CD Instrumental do compositor e produtor musical Dante Ozzetti, com ritmos e sons regionais nortistas.
Fruto de pesquisa desse paulistano, depois que conheceu a musicalidade amazônica.

Lançamento
CD Batom Bacaba, da cantora Patricia Bastos, tem agenda de lançamento marcada para o dia 11 de novembro, no Teatro das Bacabeiras.

Destaque
Professora de dança, Cleide Façanha, é a criadora do projeto Graham Cia de Dança, que há 25 anos vem contribuindo com o desenvolvimento da arte de dançar, no Amapá.
Merece o destaque e o registro da coluna.


Conheça o que é a Piracema

comentários

A piracema é um fenômeno que ocorre com diversas espécies de peixes ao redor do mundo. A palavra vem do tupi e significa “subida do peixe”. O processo recebe esse nome porque, todos os anos, eles nadam rio acima para realizar a desova.

Durante a piracema, os peixes nadam contra a correnteza. Esse processo é extremamente importante para o sucesso reprodutivo, uma vez que o esforço físico aumenta a produção de hormônios e causa a queima de gordura. Os testículos dos peixes machos nesse período aumentam de tamanho, ficando repletos de sêmen. No momento da fecundação, que ocorre externamente, a fêmea lança óvulos na água, enquanto o macho lança os espermatozóides diretamente sobre eles. Após esse momento, os peixes descem novamente o rio.

Vale destacar que ovos e larvas também fazem a viagem no sentido contrário ao da piracema enquanto amadurecem. No nosso país, esse processo ocorre nas épocas de chuvas de verão, que causam o aumento do nível dos rios.

Um grande obstáculo à piracema é a presença de barragem. Os peixes, ao tentarem subir o rio, encontram esse obstáculo e, muitas vezes, ferem-se gravemente, além de ficarem muito exaustos. É nesse momento que muitos predadores se fartam de alimento. Mesmo quando os peixes conseguem se reproduzir, as larvas e ovos não conseguem sobreviver nos reservatórios. Além disso, há as turbinas que podem causar a morte tanto dos peixes quanto dos ovos e larvas.

Vale destacar que, geralmente, as barragens apresentam sistemas para a transposição de peixes com a finalidade de diminuir os impactos relatados. Esses sistemas consistem normalmente em uma espécie de escada que facilita a subida e descida dos peixes, úteis nos países do Hemisfério Norte, entretanto, nos países da América do Sul, não teve tanto sucesso.

Audiovisual
O 13º Festival Imagem-Movimento está com inscrições abertas para a seleção de filmes de 2016, até o dia 30 de agosto.
Se for produção do Amapá vai até 30 de setembro. O evento vai acontecer de 4 a 10 de dezembro. www.festivalfim.blogspot.com.br/p/inscreva-se.html.

Segurança 
O Iphan, instituição vinculada ao MinC, irá regular procedimentos para pessoas físicas e jurídicas comercializarem obras de arte e antiguidades, em todo o país.
A medida visa garantir maior proteção à compra e à venda desses bens. (www.cultura.gov.br).

Patrimônio
Cais do Valongo, no Rio de Janeiro, pode se tornar Patrimônio da Humanidade, aceito pela Unesco.
O Cais é a porta de entrada no Brasil de milhões de africanos escravizados. (www.cultura.gov.br)

Musical
Um grupo de artistas resolver fazer um espetáculo musical teatral, com releitura da cultura nortista com arte e estórias.
Dia 18 e 19 de outubro no Teatro das Bacabeiras, pela manhã, tarde e noite (08h e 10h30 – 13h30 e 15h – 18h30). Informações: 98126-9757 e 99172-6710.

Recadastramento
Presidente da Associação dos Músicos e Compositores do Amapá – Amcap, Amadeu Cavalcante, está convocando os sócios inscritos à instituição para recadastramento e regularização.
De 21 de setembro a 14 de outubro na sede da entidade, das 09h às 12h na rua Professor Tostes 691 – Jesus de Nazaré.

41 anos
Grupo Pilão, um dos precursores da música amapaense com linguagem amazônica, faz aniversário de 41 anos no dia 25 de setembro.
Em 1975, os irmãos Fernando Cantos e Juvenal Canto, mais Bi Trindade (falecido) criação esse movimento de pesquisa musical do Amapá

Projeto MPA
Na sexta, 23, é a vez da banda Negro de Nós se apresentar no palco do projeto da Música Popular Amapaense (MPA), com linguagem bem amazônica cantando o Amapá. Artistas convidados para dividir o palco: Rambolde Campos, Brenda Melo, Paulinho Bastos e Chermont Júnior
No bar “O Barril”, esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva – Centro, às 21h. Informações: 99126-6262.

“Palco Giratório”
O Sesc – AP apresenta, nos dias 24 e 25 de setembro, a segunda etapa do projeto Palco Giratório.
Serão duas apresentações, uma do grupo amapaense Graham Companhia de Dança, e a outra dos artistas goianos, Rodrigo Cruz e Rodrigo Cunha.


Mestre Vieira: o criador da “Guitarrada”

comentários

A Guitarrada é um gênero musical paraense instrumental surgido da fusão do choro com carimbó, cúmbia e jovem guarda, entre outros. É também chamado de lambada instrumental. O seu criador é o Mestre Vieira. Neste estilo a guitarra elétrica é solista. Os principais representantes da atualidade são os grupos: Mestres da Guitarrada, Cravo Carbono e La pupuña.

Joaquim de Lima Vieira, o Mestre Vieira, nasceu em 29/10 de 1934, é um músico brasileiro, tem 20 discos solo gravados. A música “Lambada Jamaicana” (lançada em 82, vinil “Melô da Cabra”) é seu maior sucesso. Desde 2003 integra também o grupo Mestres da Guitarrada, tendo 2 cds lançados: Mestres da Guitarrada (2004, selo Funtelpa) e Música Magneta (2008, Selo Candeeiro Records). Em 2008 recebeu do Ministério da Cultura a medalha de Ordem ao Mérito Cultural pelo seu relevante serviço prestado à cultura brasileira.

É um gênero musical único no mundo. Criado por Mestre Vieira, natural de Barcarena, o ritmo musical surgiu em Belém (PA), a guitarra faz sempre o solo em ritmos como cúmbia, carimbó e merengue. A guitarrada tem como marco o lançamento do disco “Lambadas das Quebradas” (1978). A inovação do disco foi apresentar temas instrumentais para guitarra, sempre valorizando os ritmos amazônicos e caribenhos. Mestre Vieira, tem seu trabalho fortemente influenciado pelo choro e revelou-se virtuose ainda criança. Depois de ter tocado bandolim, banjo, cavaquinho, violão e instrumentos de sopro, ele só teve contato com a guitarra elétrica na década de 70.

Mestre Curica, também está ligado à tradição musical paraense. Ao lado de Verequete e Pinduca, é um dos importantes artistas que tocam carimbó. Ele foi o principal arranjador dos discos de Verequete e participou do primeiro registro de carimbó em disco, no ano de 1971. Curica também fabrica seus instrumentos e é considerado um dos responsáveis pela popular utilização do banjo nos arranjos de carimbó.

Aldo Sena, conta que se apaixonou pela guitarrada quando ouviu o disco “Lambadas das Quebradas”, de Mestre Vieira. No mesmo ano, Aldo Sena já estava apresentando ao público o seu trabalho autoral, feito com a banda “O Popular de Igarapé Mirim”.

Recadastramento
Presidente da Associação dos Músicos e Compositores do Amapá – Amcap, Amadeu Cavalcante, está convocando os sócios inscritos à instituição para recadastramento e regularização.
De 21 de setembro a 14 de outubro na sede da entidade, das 09h às 12h na rua Professor Tostes 691 – Jesus de Nazaré.

41 anos
Grupo Pilão, um dos precursores da música amapaense com linguagem amazônica, faz aniversário de 41 anos no dia 25 de setembro.
Em 1975, os irmãos Fernando Cantos e Juvenal Canto, mais Bi Trindade (falecido) criação esse movimento de pesquisa musical do Amapá.

Plenária da Cultura
Candidato a prefeito de Macapá (reeleição) Clécio, convidou os artistas e produtores, de todos os segmentos, para a Plenária da Cultura.
Ouvir os artistas sobre as dificuldades para realização de seus projetos, é a idéia do candidato. Boa iniciativa.

Projeto MPA
Na sexta, 23, é a vez da banda Negro de Nós se apresentar no palco do projeto da Música Popular Amapaense (MPA), com linguagem bem amazônica cantando o Amapá.
Artistas convidados para dividir o palco: Rambolde Campos, Brenda Melo, Paulinho Bastos e Chermont Júnior
No bar “O Barril”, esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva – Centro, às 21h. Informações: 99126-6262.

“Balcão Cultural”
É um espaço de exposição e comercialização de obras de artes amapaenses, que funciona dentro do Projeto MPA.
São CD’s, livros, DVD’s, artesanato e outros produtos de artistas, feitos em casa.

“Palco Giratório”
O Sesc – AP apresenta, nos dias 24 e 25 de setembro, a segunda etapa do projeto Palco Giratório.
Serão duas apresentações, uma do grupo amapaense Graham Companhia de Dança, e a outra dos artistas goianos, Rodrigo Cruz e Rodrigo Cunha.

Amapá Jazz
A 8ª edição do Amapá Jazz Festival já tem data definida para acontecer. Dias 21 e 22 de outubro no Norte das Águas – Complexo Marlindo Serrano (Araxá), em Macapá – AP.
É o maior festival de música instrumental da Amazônia. Produção de Finéias Nelluty.


Fernando Canto lança livro para internautas

comentários

Para você que não desgruda os dedos do seu smartphone, iphone, tablets, notebook e até mesmo de seu PC, o escritor Fernando Canto através da Editora Paka-tatu lançou o livro “Os tempos Insanos” somente para download.

Basta acessar o site http://www.amazon.com.br e pagar o valor de 4 dólares para você desfrutar de mais uma bela obra prima do mestre Fernando Canto, disse o jornalista Cláudio Rogério.

Neste “Os Tempos Insanos”, Fernando Canto nos transporta para novas civilizações, Amazônias que vivenciamos, exploramos e deixamos explorar. É uma viagem muito além das negligências, dos compartilhamentos, é uma obra de texturas combinadas desde os primeiros laços na vida de homens e mulheres, índios e afro-espaciais, aqui na bendita terra e nas águas. É um livro que expressa muito mais do que a verve do poeta, do escritor de tantos contos, crônicas, do compositor. Vai além do sociólogo que vive, vê e enxerga, estuda e saboreia.

O livro é um ato ecumênico de coragem, conhecimento e valorização da fé verdadeira na vida. É a crítica às explorações, às farsas ritualísticas. O humor suave, às vezes sarcástico como é o da gente amazônida, está lá em toda parte. Mais simbólico que burlesco, “Os Tempos Insanos” carregam o realismo fantástico amazônico brasileiro do humano sagrado e profano, como o são no desrespeito, na luxúria e nas falcatruas, os que logram com a fé e a vida do povo, aqui e lá nas terras dos mundicos. (www.amazon.com.br).

Projeto MPA
Na sexta, 23, é a vez da banda Negro de Nós se apresentar no palco do projeto da Música Popular Amapaense (MPA), com linguagem bem amazônica cantando o Amapá.
Artistas convidados para dividir o palco: Rambolde Campos, Brenda Melo, Paulinho Bastos e Chermont Júnior
No Bar “O Barril”, esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva – Centro, às 21h. Informações: 99126-6262.

“Balcão Cultural”
É um espaço de exposição e comercialização de obras de artes amapaenses, que funciona dentro do Projeto MPA.
São CD’s, livros, DVD’s, artesanato e outros produtos de artistas, feitos em casa.

Exposição
Artista plástico Augusto Leite, faz exposição “(Con) Vida”, no Golden House, na rotatória do Araxá, às 19h.

“Palco Giratório”
O Sesc – AP apresenta, nos dias 24 e 25 de setembro, a segunda etapa do projeto Palco Giratório.
Serão duas apresentações, uma do grupo amapaense Graham Companhia de Dança, e a outra dos artistas goianos, Rodrigo Cruz e Rodrigo Cunha.

“Batom Bacaba”
Novo CD da cantora amapaense Patricia Bastos, “Batom Bacaba” já tem data de lançamento em Macapá. Dia 11 de novembro, no Teatro das Bacabeiras.
Dia 29 de setembro – Rio de Janeiro (Solar do Botafogo), dia 2 de outubro – Campinas, São Paulo (Concha Acústica do Parque Taquaral) e dia 6 no Centro Cultural Rio Verde, capital.

Amapá Jazz
A 8ª edição do Amapá Jazz Festival já tem data definida para acontecer. Dias 21 e 22 de outubro no Norte das Águas – Complexo Marlindo Serrano (Araxá), em Macapá – AP.
É o maior festival de música instrumental da Amazônia. Produção de Finéias Nelluty.

Chorões
Não se pode falar nada daqueles que deixam de fazer algo melhor pela nossa cultura tucuju, que logo vão às lágrimas.
Então parem de prometer aquilo que sabem que não vão cumprir. Ora, bolas.

Agenda
Dia 29 de setembro tem show com Fafá de Belém e o Padre Fábio de Melo, no Ceta Ecotel, em Macapá.


Brasil ganha mais dois Patrimônios Culturais

comentários

Uma das festas mais antigas e tradicionais do estado de Goiás, a Romaria de Carros de Bois da Festa do Divino Pai Eterno de Trindade, ganhou o registro de Patrimônio Imaterial do Brasil, e a Casa da Flor, localizada em São Pedro D’Aldeia, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, foi tombada como Patrimônio Material Cultural. Os anúncios ocorreram durante a 83° Reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), ontem (15), em Brasília.

A presidente do Iphan, Kátia Bogéa, explicou ainda que a política de patrimônio imaterial traz a obrigação da salvaguarda e leva em consideração a diversidade do patrimônio brasileiro. “O olhar do Iphan é de valorizar essa diversidade. O homem do campo foi importante para a formação da identidade cultural do país, é uma tradição do povo brasileiro”, contou.

A devoção ao Divino Pai Eterno, em Trindade, começou por volta de 1840, quando um casal encontrou um medalhão entalhado com a imagem do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Desde então, muitas pessoas peregrinam até a região. Os carros de boi eram, antigamente, o principal meio de transporte para as famílias das zonas rurais. Mais tarde, permaneceram como tradição cultural.

O parecer favorável ao registro da romaria, votado por unanimidade pelo Conselho, foi comemorado e aplaudido pelo público presente. Entre eles, estava João Fortunato Machado da Associação dos Carreiros do estado de Goiás. “O reconhecimento é importante para nós, os carreiros estão em festa, é uma alegria muito grande”, disse. (www.cultura.gov.br).

Destaque
Cantor Amadeu Cavalcante a cada dia confirmando ser a voz da música amapaense.
Seu show, ontem (16), no Projeto MPA deixou uma marca bem tucuju de cantar a sua aldeia. É essa a bandeira que o artista defende há mais de 35 anos de carreira. Parabéns.

Agenda
Sexta, 23, é a vez da banda Negro de Nós fazer show no Projeto MPA, cantando o repertório de seus 17 anos de carreira.
No bar “O Barril”, na esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva – Centro, 21h.

Ampliação
Ministério da Cultura quer ampliar a presença do livro brasileiro no exterior e para isso vai realizar várias ações, que incluem a participação de autores e ilustradores brasileiros em eventos e feiras internacionais de literatura.
Investimentos em bolsas de tradução, edição de obras brasileiras em outros idiomas, exportação de livros nacionais e a indicação de autores do país para prêmios internacionais, entre outras. (www.cultura.gov.br).

“Batom Bacaba”
Novo CD da cantora amapaense Patricia Bastos, “Batom Bacaba” já tem data de lançamento em Macapá. Dia 11 de novembro, no Teatro das Bacabeiras.
Dia 29 de setembro – Rio de Janeiro (Solar do Botafogo), dia 2 de outubro – Campinas, São Paulo (Concha Acústica do Parque Taquaral) e dia 6 no Centro Cultural Rio Verde, capital.

Amapá Jazz
A 8ª edição do Amapá Jazz Festival já tem data definida para acontecer. Dias 20, 21 e 22 de outubro no Norte das Águas – Complexo Marlindo Serrano (Araxá), em Macapá – AP.
É o maior festival de música instrumental da Amazônia. Produção de Finéias Nelluty.

“Canta Brasil”
Neste sábado, 17, é dia de ouvir o programa “Canta Brasil”, na Diário FM 90,9, das 6 às 8 da noite.
Tem um repertório refinadíssimo da boa música popular brasileira. Aconselho.

Cantoria
Sábado, 17, tem show do cantor e compositor Nivito Guedes, no Bar Brasileirinho (em Santana). 21h.
Esquina da rua Ubaldo Figueira com a av: Maria Colares – Centro.


Joinville é a capital nacional da dança

comentários

Agora é oficial e a cidade catarinense de Joinville é a Capital Nacional da Dança. O título, sancionado pelo presidente da República, Michel Temer, e pelo ministro da Cultura, Marcelo Calero, só confirma a vocação da região que promove, há mais de 30 anos, o Festival de Dança considerado pelo Guiness Book como o maior no mundo em número de participantes – em torno de 4,5 mil bailarinos. A cidade ainda abriga a única Escola do Balé Bolshoi fora da Rússia.

A entrega simbólica do título ocorreu na noite de abertura do 34ª Festival de Dança de Joinville, na quarta-feira (20), e o título foi publicado no Diário Oficial da União desta quinta (21). Há mais de 30 anos, Joinville promove o evento e, em paralelo, acontecem também a Mostra de Dança Contemporânea, o Festival Meia Ponta – voltado para crianças –, a Feira da Sapatilha, o Encontro das Ruas, a Rua da Dança, além do Palcos Abertos e da Passarela da Dança. O festival segue até sábado (30), com diversas companhias nacionais de dança.

Para o presidente do Instituto Festival de Dança de Joinville, Ely Diniz da Silva Pinto, o título concedido oficialmente à cidade já tem o reconhecimento dos participantes. “A diferença é que agora é oficial, é lei. Culturalmente é inquestionável, pois sediamos um festival considerado o maior do mundo em número de participantes e abrigamos a única escola do Balé Boshoi fora da Rússia”, salientou. O ministro da Cultura, Marcelo Calero, reforçou que a dança conferiu um outro status à cidade: “O título de capital da dança concedido a Joinville reflete a riqueza da produção artística brasileira e a importância econômica da atividade cultural”.

A edição deste ano do Festival reúne mais de 400 grupos de escolas de dança do país. Segundo ele, a maioria dos estados está representada. “Joinville é um “brasileirão da dança”, diz, ao acrescentar que a média de público nos espetáculos é de 4,2 mil pessoas, entre turistas e a comunidade local, apenas no palco principal. Mas mais 230 mil pessoas circulam pelos palcos espalhados pela cidade. A realização do evento só é possível porque o Festival está na lista dos beneficiados com incentivo fiscal da Lei Rouanet. “O mecanismo é de extrema importância para a produção cultural no país e por isso é muito importante entender que o que se faz em cultura não seria possível sem essa fonte de financiamento. (www.cultura.gov.br)

Imperdível
Nesta sexta, 16, a pedida é ouvir Amadeu Cavalcante e convidados no Projeto MPA (Música Popular Amapaense), às 21h.
Com Loren Cavalcante, Mayara Braga, Helder Brandão e Beto Oscar. Esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva – Centro. Informações: 99126-6262. Imperdível.

Teatro
A Cia. Cangapé convida para o espetáculo “Se Deixar, Ela Canta”, nesta sexta (16), no salão de eventos do Sesc Araxá, às 19h.
A entrada é gratuita.

Projeto MPA
É um movimento que integra artistas da música produzida no Amapá, que canta a nossa cultura artística com linguagem amazônica.

Cantoria
Sábado, 17, tem show do cantor e compositor Nivito Guedes, no Bar Brasileirinho (em Santana). 21h.
Ubaldo Figueira com a av: Maria Colares – Centro.

Xinguanas
Todo ano, cerca de 100 mulheres indígenas se reúnem para debater temas que afetam o seu dia a dia e procurar juntas soluções para problemas em comum.
O projeto Rodas de Conversa das Mulheres Xinguanas, promovido pela Associação Yamurikumã das Mulheres do Xingu, foi um dos premiados no Prêmio Pontos de Cultura Indígenas, lançado pelo Ministério da Cultura em 2015.
A associação recebeu (setembro) recursos previstos no edital. A iniciativa faz parte do compromisso assumido pelo MinC. (www.cultura.gov.br).

“Batom Bacaba”
Novo CD da cantora amapaense Patricia Bastos, “Batom Bacaba” já tem data de lançamento em Macapá. Dia 11 de novembro, no Teatro das Bacabeiras.
Dia 29 de setembro – Rio de Janeiro (Solar do Botafogo), dia 2 de outubro – Campinas, São Paulo (Concha Acústica do Parque Taquaral) e dia 6 no Centro Cultural Rio Verde, capital.

Homenagem
Violonista Sebastião Mont’Alverne (falecido recentemente) será o homenageado da 8ª edição do Amapá Jazz Festival, o maior da música instrumental da Amazônia.
Dias 20, 21 e 22 de outubro em Macapá, no Norte das Águas, Complexo Marlindo Serrano (Araxá).


Nada para os artistas

comentários

Faltando 17 dias para as eleições municipais, percebemos que pouca ou quase nenhuma proposta foi citada para os segmentos artísticos culturais, principalmente pelos candidatos da majoritária. Será que eles não têm propostas em seus programas, ou realmente ignoram e não reconhecem a política cultural como ferramenta de inclusão social, através da arte que se produz?

É simplesmente lamentável o descaso de quem se propõe a administrar uma cidade (município) e não vê a arte como uma bandeira de luta saudável, que anda ladeada com a educação de um povo.

Quando o artista enxerga em algumas ações, já realizadas, que ele e seu trabalho foram valorizados, imediatamente vemos nessas ações o verdadeiro compromisso de quem tem identidade e respeito com a cultura de seu estado, de seu município e de sua cidade. É fácil enxergar quando o feito faz parte de sua própria história, pois as atitudes estão próximas e dentro da educação cultural de quem teve a iniciativa de decidir e realizar. Pois as decisões são tomadas baseadas na sua natureza artística e essas não são forjadas, mas sim de identidade e convivência com a cultura de seu povo.

Percebemos também, que alguns candidatos não possuem o mínimo de identificação com a cultura artística do lugar em que vivem, mas faz questão de afirmar: “se eleitor for, construirei inúmeros projetos que beneficiem a cultura artística de minha linda cidade…”. Tudo pelo voto.

Engana-se quem pensa que a cultura artística não tem que estar presente em cada um de nós, e que, além disso, precisa vibrar dentro da gestão fazendo parte do plano de ação de qualquer administração pública, como política de educação cultural. Pensem nisso, candidatos, os artistas estão atentos.

‘Pequeno Segredo’
Título do filme brasileiro indicado ao Oscar 2017 e que tem trilha sonora composta por artista paraense.
Maestro Manoel Cordeiro é autor da música ‘Asfalto Amarelo’ (instrumental), que dá vida ao filme. Parabéns.

Agenda 
Na sexta, 16, a pedida é ouvir Amadeu Cavalcante e convidados no Projeto MPA (Música Popular Amapaense), às 21h.
Com Loren Cavalcante, Mayara Braga, Helder Brandão e Beto Oscar. Esquina da avenida Procópio Rola com rua Hamilton Silva – Centro. Informações: 99126-6262.

Cantoria
Sábado, 17, haverá show do
cantor e compositor Nivito Guedes, no Bar Brasileirinho (em Santana), a partir das 21h.
Esquina da rua Ubaldo Figueira com avenida Maria Colares – Centro.

‘Loba boba’
Título da música de Joãozinho Gomes e Zeca Baleiro, que está no novo CD da cantora Patrícia Bastos, ‘Batom Bacaba’.
Natura Musical, patrocinadora do projeto, divulgou em seu site (www.naturamusical.com.br) a música como o primeiro single do disco da artista.

‘Batom Bacaba’
Novo CD da cantora amapaense Patrícia Bastos, ‘Batom Bacaba’, já tem data de lançamento em Macapá. Dia 11 de novembro, no Teatro das Bacabeiras.
Dia 29 de setembro – Rio de Janeiro (Solar do Botafogo), dia 2 de outubro – Campinas, São Paulo (Concha Acústica do Parque Taquaral) e dia 6 no Centro Cultural Rio Verde, capital.

Show
Dia 29 de setembro acontecerá show com Fafá de Belém e Padre Fábio de Melo, no Ceta Ecotel. Aguardem.

‘Meu Canto’
Nome da nova música do cantor e compositor Nathal Villar, que está selecionada para seu próximo CD.

Projeto MPA
É um movimento que integra artistas da música produzida no Amapá, que canta a nossa cultura artística com linguagem amazônica.


Tem brasileiro na disputa do Oscar 2017

comentários

O Ministério da Cultura divulgou, ontem (12), a indicação de Pequeno Segredo, do diretor David Schurmann, para concorrer a uma vaga na categoria Melhor Filme em Língua Estrangeira no Oscar 2017. O longa, escolhido entre 16 títulos nacionais, foi selecionado por uma comissão especial formada por nove integrantes especialistas no setor audiovisual. A quantidade de filmes inscritos é reflexo do momento atual do cinema brasileiro, que, em 2015, igualou a quantidade de títulos lançados em 2013.

Pequeno Segredo passará agora pelo processo seletivo da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que selecionará os cinco indicados ao prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira. A 89ª cerimônia do Oscar está marcada para 26 de fevereiro, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Com roteiro de Marcos Bernstein, o filme conta a história da família Schurmann, que vive ao redor do mundo a bordo de um veleiro, e têm suas vidas transformadas ao receber a menina órfã Kat. O brasileiro Marcos Bernstein também escreveu, ao lado de João Emanuel Carneiro, o roteiro de Central do Brasil (1998), de Walter Salles, vencedor do prêmio Sundance/NHK de roteiro e do Urso de Ouro de melhor filme no Festival de Berlim.

Já o diretor, David Schurmann, conta com 20 anos de experiência no mercado cinematográfico. Filho do meio da família Schurmann, já dirigiu filmes, séries para TV e filmes publicitários e é o CEO das empresas da família.

Filmado no Brasil e na Nova Zelândia, o filme traz no elenco e na produção nomes nacionais e estrangeiros, como os atores brasileiros Julia Lemmertz, Marcello Antony e Maria Flor; o peruano Inti Briones (fotografia) e a alemã Brigitte Broch (direção de arte).

Além de Pequeno Segredo, outros 15 filmes concorreram à indicação: Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, Chatô – O Rei do Brasil, de Guilherme Fontes, Mais Forte Que o Mundo – A História de José Aldo, de Afonso Poyart, Nise – O Coração da Loucura, de Roberto Berliner, Campo Grande, de Sandra Kogut, Menino 23: Infâncias Perdidas no Brasil, de Belisário Franca, O Roubo da Taça, de Caíto Ortiz, A Despedida, de Marcelo Galvão, O Outro Lado do Paraíso, de André Ristum, Uma Loucura de Mulher, de Marcus Ligocki Júnior, Vidas Partidas, de Marcos Schechtman, Tudo Que Aprendemos Juntos, de Sérgio Machado, O Começo da Vida, de Estela Renner, A Bruta Flor do Querer, de Andradina Azevedo e Dida Andrade, e Até Que a Casa Caia, de M auro Giuntini. (www.cultura.gov.br).

Projeto MPA
Na sexta, 16, a pedida é ouvir Amadeu Cavalcante e convidados no Projeto MPA, às 21h.
Com Loren Cavalcante, Mayara Braga, Helder Brandão e Beto Oscar. Esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva – Centro. Informações: 99126-6262.

Acessibilidade
MinC lançou o projeto Acessibilidade em Bibliotecas Públicas. “Livro e Leitura Para Todos: Formas e Sentidos de Ler”.
Executado pela organização não governamental Mais Diferenças, selecionada por meio de edital lançado pela Fundação Biblioteca Nacional. (www.cultura.gov.br).

Agenda
Sábado, 17, tem show do cantor e compositor Nivito Guedes, no Bar Brasileirinho (em Santana). 21h.
Esquina da rua Ubaldo Figueira com a av: Maria Colares – Centro.

“Loba Boba”
Título da música de Joãozinho Gomes e Zeca Baleiro, que está no novo CD da cantora Patricia Bastos, “Batom Bacaba”.
Natura Musical, patrocinadora do projeto, divulgou em seu site (www.naturamusical.com.br) a música como o primeiro single do disco da artista.

“Batom Bacaba”
Novo CD da cantora amapaense Patricia Bastos, “Batom Bacaba” já tem data de lançamento em Macapá. Dia 11 de novembro, no Teatro das Bacabeiras.
Dia 29 de setembro – Rio de Janeiro (Solar do Botafogo), dia 2 de outubro – Campinas, São Paulo (Concha Acústica do Parque Taquaral) e dia 6 no Centro Cultural Rio Verde, capital.

Triste
Lamentável essa discussão sobre a situação que envolve o Centro de Cultura Negra do Amapá, sede da UNA.
A problemática existe há anos com vários temas, mas se as gestões focassem no objetivo daquele espaço não existiriam interrogações. Triste.

Show
Dia 29 de setembro tem show com Fafá de Belém e o Padre Fábio de Melo, no Ceta Ecotel. Aguardem.

Filme
A música “Asfalto Amarelo” (instrumental) do maestro Manoel Cordeiro, Felipe Cordeiro e Zeca Baleiro, virou trilha sonora do filme Pequeno Segredo.
Será lançado no final do ano em São Paulo (capital) e Paris (França). É a valorização da música da Amazônia.


Natura Musical lança Loba Boba

comentários

“Loba Boba” é o primeiro single de Batom Bacaba, disco que a cantora amapaense Patrícia Bastos lança no final de setembro. A música foi lançada na página do site www.naturamusical.com.br.

A sonoridade do single é baseada na junção de influências rítmicas das fronteiras do estado do Amapá com seus quilombos. A composição de Zeca Baleiro e Joãozinho Gomes mostra a sensualidade e modernidade da mulher amazônica. “Loba Boba é um tropicálido convite ao prazer, às mar-ave-ilhas do Caribe”, conta Patricia Bastos.

“Batom Bacaba” é o mesmo que andar de mãos dadas com a história de nosso povo. É caminhar de volta ao lugar de onde nunca saímos e voar além da “terra que acaba” – Amapá, em tupi-guarani”, diz Patrícia. Segundo ela, o álbum é carregado pela “essência da feminilidade amazônica, atemporal e verdadeira”.

O projeto, que inclui a gravação do disco e shows de lançamento, foi selecionado pelo edital Natura Musical 2015.

A ficha técnica da música “Loba Boba” tem, além de Patrícia Bastos cantando e composição de Zeca Baleiro e Joãozinho Gomes, a percussão do Trio Manari, a edição, efeitos, baixo, mpc e eletrônicos de Du Moreira e produção de Dante Ozzetti e Du Moreira. (www.naturamusical.com.br).

Sucesso
Foi um sucesso o show que marcou a volta do Projeto MPA (Música Popular amapaense), ontem (9), no bar O Barril. Esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva – Centro.
Foram mais de 25 artistas se apresentando e cantando músicas que retratam a vida do amazônico amapaense. Toda sexta-feira vai acontecer um show diferente, mas com a mesma temática.

Projeto MPA
Agenda de sexta, 16, marca o show de Amadeu Cavalcante e convidados, no Projeto MPA, às 21h, no Bar O Barril.
Na esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva – Centro. Informações: 99126-6262.

“Loba Boba”
Título da música de Joãozinho Gomes e Zeca Baleiro, que está no novo CD da cantora Patricia Bastos, “Batom Bacaba”.
Natura Musical, patrocinadora do projeto, divulgou em seu site (www.naturamusical.com.br) a música como o primeiro single do disco da artista.

“Batom Bacaba”
Novo CD da cantora amapaense Patricia Bastos, “Batom Bacaba” já tem data de lançamento em Macapá. Dia 11 de novembro, no Teatro das Bacabeiras.
Dia 29 de setembro – Rio de Janeiro (Solar do Botafogo), dia 2 de outubro – Campinas, São Paulo (Concha Acústica do Parque Taquaral) e dia 6 no Centro Cultural Rio Verde, capital.

Amapá Jazz
A 8ª edição do Amapá Jazz Festival já tem data definida para acontecer. Dias 20, 21 e 22 de outubro no Norte das Águas – Complexo Marlindo Serrano (Araxá), em Macapá – AP.
É o maior festival de música instrumental da Amazônia. Produção de Finéias Nelluty.

Triste
Lamentável essa discussão sobre venda ou não do Centro de Cultura Negra do Amapá, sede da UNA.
A problemática existe há anos com vários temas, mas se as gestões focassem no objetivo daquele espaço, não existiriam interrogações. Triste.

Show
Dia 29 de setembro tem show com Fafá de Belém e o Padre Fábio de Melo, em Macapá. Aguardem.

Filme
A música “Asfalto Amarelo” (instrumental) do maestro Manoel Cordeiro, Felipe Cordeiro e Zeca Baleiro, virou trilha sonora do filme Pequeno Segredo.
Será lançado no final do ano em São Paulo (capital) e Paris (França). É a valorização da música da Amazônia.


Saiba o que é cultura de massa

comentários

A expressão “Cultura de Massa”, posteriormente trocada por “indústria cultural”, é aquela criada com um objetivo específico, atingir a massa popular, maioria no interior de uma população, transcendendo, assim, toda e qualquer distinção de natureza social, étnica, etária, sexual ou psíquica. Todo esse conteúdo é disseminado por meio dos veículos de comunicaçã o de massa.

Antes do advento da cultura de massa, havia diversas configurações culturais – a popular, em contraposição à erudita; a nacional, que entretecia a identidade de uma população; a cultura no sentido geral, definida como um conglomerado histórico de valores estéticos e morais; e outras tantas culturas que produziam diversificadas identidades populares.

Mas, com o nascimento do século XX e, com ele, dos novos meios de comunicação, estas modalidades culturais ficaram completamente submergidas sob o domínio da cultura de massa. Veículos como o cinema, o rádio e a televisão, ganharam notório destaque e se dedicaram, em grande parte, a homogeneizar os padrões da cultura.

Como esta cultura é, na verdade, produto de uma atividade econômica estruturada em larga escala, de estatura internacional, hoje global, ela está vinculada, inevitavelmente, ao poderoso capitalismo industrial e financeiro. A serviço deste sistema, ela oprime incessantemente as demais culturas, valorizando tão somente os gostos culturais da massa.

Esta cultura é hipnotizante, entorpecente, indutiva. Ela é introjetada no ser humano de tal forma, que se torna quase inevitável o seu consumo, principalmente se a massa não tem o seu olhar e a sua sensibilidade educados de forma apropriada, e o acesso indispensável à multiplicidade cultural e pedagógica. (Ana Lúcia Santana)

Livro
Recebi da Editora Letra Livre um exemplar do novo livro do jornalista e escritor brasileiro, Henrique Medeiros, “Palavras Correndo Atrás de Textos – Poemas e Outros Escritos”. Ele nasceu em Corumbá (MS).
Um livro que fala em buscas, mas também o trazer das emoções. Agradecido.

Projeto MPA
Chegou o grande dia do retorno do projeto da Música Popular Amapaense (MPA), nesta sexta, 9, às 21h, no Bar O Barril, na esquina da av: Procópio Rola com a rua Hamilton Silva – Centro.
Mais de 20 artistas confirmados: Amadeu Cavalcante, Marcelo Dias, Rambolde, Banda Negro de Nós, Rosane Rodrigues, Loren Cavalcante, Brenda Melo, Roni Moraes, João Amorim, Finéias Nelluty, Enrico Di Miceli, Mayara Braga, Paulinho Bastos, Nonato Santos, Carlos Pirú, Banda Afro Brasil, Jorginho do Cavaco, Helder Brandão, Beto Oscar, Chermont Júnior Oneide Bastos, Joãozinho Gomes, Naldo Maranhão Cléverson Baia e outros. Informações: 99126-6262.

Bolsa
Inscrições abertas até 19 de outubro para o edital “Bolsa Funarte Formação em Artes Cênicas 2016”.
Funarte vai proporcionar 19 bolsas a artistas brasileiros, no valor de R$ 46 mil.
O objetivo é dar apoio, parcial ou integral, ao desenvolvimento de programas de residência e aperfeiçoamento artístico nas áreas de circo, dança e teatro, por um período de seis a oito meses, em território nacional ou no exterior. (www.cultura.gov.br)

Agenda
Sábado, 10, tem o show “Gigantes da MPA”, com Osmar Júnior e Zé Miguel, na V11 Gold, em Santana.
Na av: Princesa Izabel – Centro. Informações: 99162-2818.

Cantando
No sábado, 10, a cantora Loren Cavalcante vai soltar a voz no espaço cultural “Mão na Massa”, às 21h.
Rua 1 do ramal do Seringal, ao lado do Monumento Marco Zero do Equador. Informações: 99127-0368.

Identidade
As artes produzidas no Amapá chamam a atenção pelas temáticas que retratam a realidade da identidade tucuju.

Musicalidade
O cantar amapaense está soando bem longe de seu ninho, em lugares distantes que sempre imaginamos que um dia seriamos ouvidos.