A influência da cultura na formação do cidadão

comentários

Mais do que uma característica essencial de uma sociedade, a cultura pode ser considerada como o elemento principal que difere uma nação de outra. Os costumes, a música, a arte e, principalmente, o modo de pensar e agir, fazem parte da cultura de um povo e devem ser preservados para que nunca se perca a singularidade do coletivo em questão. A palavra cultura deriva do latim, colere, que tem como significado literal “cultivar”. Partindo desse princípio, percebemos que se trata de uma herança acumulada ao longo dos anos, e que deve ser preservada.

Durante muito tempo, o termo cultura foi estudado e acabou sendo dividido em algumas categorias: Cultura segundo a Filosofia: trata-se de um conjunto de manifestações humanas, de interpretação pessoal, e que condizem com a realidade. Cultura segundo a Antropologia: o termo deve ser compreendido como uma soma dos padrões aprendidos, e que foram desenvolvidos pelo ser humano. Cultura Popular: associa-se a algo criado por um determinado grupo de pessoas que possuem participação ativa nessa criação. Música, arte e literatura são exemplos que podem ser utilizados.

Por ser um agente forte de identificação pessoal e social, a cultura de um povo se caracteriza como um modelo comportamental, integrando segmentos sociais e gerações à medida que o indivíduo se realiza como pessoa e expande suas potencialidades. Entretanto, é necessário lembrar que essa percepção individual tem grande influência por parte do grupo. As escolhas selecionadas ou valorizadas pelo grupo tendem a ser selecionadas na percepção pessoal. Além disso, a cultura possui quatro processos que têm participação ativa na influência do indivíduo:

O Agente Cultural: Seja qual for a forma de expressão artística que ele promove, trata-se de alguém que se sente valorizado pelo que é capaz de fazer e, mesmo na velhice, é muitas vezes procurado para transmitir seus conhecimentos aos mais jovens. O Propagador Cultural: É aquele que não cria, mas que valoriza e ajuda a difundir determinados tipos de arte. Muitas vezes, dedica sua vida a esse propósito. Dentro desse grupo, estão incluídos os indivíduos que compram e comercializam produtos culturais.

O Espectador Cultural: Grupo formado por pessoas que não criam e nem difundem a arte, mas que são apreciadores do gênero e que se identificam com outros de pensamento semelhante. Um exemplo do gênero e que pode ser citado é a formação dos fã-clubes, que interagem entre si promovendo o ídolo de diversas maneiras. O Alienado Cultural: Trata-se de alguém ou determinado grupo que denuncia as formas de expressão cultural. Presente muitas vezes em regimes ditatoriais evidencia a exclusão social e oprime movimentos artísticos menos poderosos, mas nem por isso, com menos influência na sociedade. (www.institutofilantropia.org.br).

 

  • É hoje

Nesta sexta (13), show imperdível “Alan Gomes Canta Djavan”, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá), às 10 da noite.
Informações: 98140-4980.

 

  • Show

Foi tudo de bom, ontem, no balneário de Fazendinha com o projeto Estação Lunar. Artistas regionais sendo valorizados e respeitados. Coordenação do Macapá Verão dando um show. Parabéns. Quinta (19) tem mais.

 

  • Talento

Cantor e compositor amapaense da nova geração, Niko Cadena, desponta como um dos jovens talentos da música brasileira.
Um rockeiro com swing especial e qualidade no cantar. Promete.

 

  • Carnaval

No Rio de Janeiro, dez escolas já anunciaram enredos para o carnaval de 2019: Imperatriz Leopoldinense – “Me dá Um Dinheiro Aí”; Império Serrano – “O Que é, o Que é?”; Mangueira – “História Para Ninar Gente Grande”; Mocidade Independente – “Eu Sou o Tempo. Tempo é Vida”; Paraíso do Tuiuti – “O Salvador da Pátria”; Portela – “Na Madureira Moderníssima, Hei Sempre de Ouvir Cantar Uma Sabiá”; Salgueiro – “Xangô”; São Clemente – “E o Samba Sambou…”; Vila Isabel – “Em Nome do Pai, Dos Filhos e Dos Santos. A Vila Canta a Cidade de Pedro”; Viradouro – “Viraviradouro”.

 

  • Concurso

O Iphan (Instituto do Patrimônio Artístico nacional) prorrogou até 16 de julho (segunda-feira), as inscrições do concurso da instituição.A seleção oferece 411 vagas, distribuídas em todo o país, sendo 104 para Analista I (nível superior), 176 para Técnico I (nível superior) e 131 para Auxiliar Institucional (nível médio), em todos os estados do país e no Distrito federal. (www.cultura.gov.br).

 

  • Samba

Nesta sexta (13) tem o projeto “Estação do Samba”, no estacionamento do Mercado Central (ao lado da Fortaleza de São José), com vários grupos de samba de Macapá. O evento faz parte da programação do Macapá Verão.

 

  • Miss

Dia 22 de julho, no Teatro das Bacabeiras, está agendado para acontecer o Concurso Miss Amapá Nóbel. São 14 candidatas concorrendo ao título. A coordenação é da modelo amapaense Tharcila Helen.


Conheça o que é a Piracema

comentários

A piracema é um fenômeno que ocorre com diversas espécies de peixes ao redor do mundo. A palavra vem do tupi e significa “subida do peixe”. O processo recebe esse nome porque, todos os anos, eles nadam rio acima para realizar a desova.

Durante a piracema, os peixes nadam contra a correnteza. Esse processo é extremamente importante para o sucesso reprodutivo, uma vez que o esforço físico aumenta a produção de hormônios e causa a queima de gordura. Os testículos dos peixes machos nesse período aumentam de tamanho, ficando repletos de sêmen. No momento da fecundação, que ocorre externamente, a fêmea lança óvulos na água, enquanto o macho lança os espermatozóides diretamente sobre eles. Após esse momento, os peixes descem novamente o rio. Vale destacar que ovos e larvas também fazem a viagem no sentido contrário ao da piracema enquanto amadurecem. No nosso país, esse processo ocorre nas épocas de chuvas de verão, que causam o aumento do nível dos rios.

Um grande obstáculo à piracema é a presença de barragem. Os peixes, ao tentarem subir o rio, encontram esse obstáculo e, muitas vezes, ferem-se gravemente, além de ficarem muito exaustos. É nesse momento que muitos predadores se fartam de alimento. Mesmo quando os peixes conseguem se reproduzir, as larvas e ovos não conseguem sobreviver nos reservatórios. Além disso, há as turbinas que podem causar a morte tanto dos peixes quanto dos ovos e larvas.

Vale destacar que, geralmente, as barragens apresentam sistemas para a transposição de peixes com a finalidade de diminuir os impactos relatados. Esses sistemas consistem normalmente em uma espécie de escada que facilita a subida e descida dos peixes, úteis nos países do Hemisfério Norte, entretanto, nos países da América do Sul, não teve tanto sucesso.

 

  • Mister

Modelo amapaense e dançarino, Pablo Sena, é o representando do Amapá no concurso Mister Brasil (CNB).
Dia 10 de agosto em Angra dos Reis (RJ). Boa sorte.

 

  • Rock Samba

Sexta, 13, tem Estação Rock e Samba na programação do Macapá Verão, com Rock na Praça da bandeira e Samba no Mercado Central.
Ambos a partir das 19h.

 

  • Proposta

Candidatos ao governo do Amapá poderiam incluir em suas propostas, discussões permanentes com artistas de todos os segmentos culturais.
Quem sabe assim se constrói o tão esperado projeto de política pública cultural. Dica.

 

  • É hoje

Nesta quinta, 12, tem a segunda edição do Estação Lunar fazendo parte da agenda do Macapá Verão 2018, em Fazendinha, a partir das 19h.
Atrações: Amadeu Cavalcante, Mayara Braga, Eudes Fraga, Brenda Melo, Marabaixo da Juventude, Poetas Azuis e Grupo Pilão.

 

  • É hoje

Nesta quinta, 12, tem a segunda edição do Estação Lunar fazendo parte da agenda do Macapá Verão 2018, em Fazendinha, a partir das 19h.
Atrações: Amadeu Cavalcante, Mayara Braga, Eudes Fraga, Brenda Melo, Marabaixo da Juventude, Poetas Azuis e Grupo Pilão.

 

  • Agenda

Sexta, 13, tem show especial no palco do Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá), com “Alan Gomes Cantando Djavan”, a partir das 22h. Informações: 98140-4980.

 

  • Intercâmbio

Segmentos culturais aguardam os intercâmbios culturais que antes aconteciam com freqüência, com outros centros.
Boa vontade e atitude política. Diz aí.


Quinta é dia de Estação Lunar em Fazendinha

comentários

A programação do Macapá Verão 2018 segue em praças e balneários da capital. Nesta quinta-feira, 12, haverá a segunda edição do projeto Estação Lunar no distrito de Fazendinha. Ao todo, serão oito atrações, que incluem poesia, Marabaixo, Música Popular Amapaense (MPA) e exposição.

O evento iniciará às 19h com exposição e seguirá com muita música para o público. A segurança será feita pela Guarda Civil Municipal de Macapá (GCMM). A gastronomia fica por conta dos bares e restaurantes e dos ambulantes cadastrados pela prefeitura. Além disso, tem a Feira Colaborativa Mulheres que Fazem.

• 19h- Exposição do lixo a luz segundo tudonotodo – Afrane Távora; 20h- Mayara Braga;

•20h30- Poetas Azuis; 21h- Grupo Pilão; 21h30- Eudes Fraga; 22h30- Marabaixo da Juventude; 23h- Brenda Melo; 00h – Amadeu Cavalcante.
(Cássia Lima – Assessora de comunicação/PMM).

 

  • “São Tiago”

Título da nova música de Claudete Moreira, Joãozinho Gomes e Zé Miguel, com produção de Hian Moreira e gravada no estúdio HM.

 

  • Homenagem

Sexta, 13, tem show especial no palco do Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá), com “Alan Gomes Cantando Djavan”, a partir das 22h. Repertório refinado. Informações: 98140-4980.

 

  • Manual

O Ministério da Cultura disponibilizou a edição on-line do Manual de Reparo e Manutenção de Instrumentos Musicais de Sopro, desenvolvido por José Vieira Filho. A obra é resultado de um trabalho pioneiro feito pelo autor para bandas de música de Portugal e dos Açores e, posteriormente, do Brasil. (www.cultura.gov.br).

 

  • Miss

Dia 22 de julho, no Teatro das Bacabeiras, está agendado para acontecer o Concurso Miss Amapá Nóbel. São 14 candidatas concorrendo ao título. A coordenação é da modelo amapaense Tharcila Helen.

 

  • Destruindo

Devagar o Centro de Cultura Negra (sede da UNA), que só funciona de novembro em novembro, está sendo destruído pelo tempo.
Parte da cobertura da maloca já não existe, estrutura comprometida, o mato tomou conta, a sujeira geral, etc. Com a palavra as comunidades quilombolas, que compõem o movimento negro, responsáveis pelo local.

 

  • Ícone

Professor Nonato Leal continua encantando a todos com a musicalidade de seu violão mágico. Técnica refinada e repertório espetacular. Poucos têm esse fantástico privilégio. Bravo.

 

  • Destaque

Miss Caipira da quadrilha junina Simpatia da Juventude, Michaely Medeiros, conquistou nota máxima em todos os concursos que participou na quadra junina deste ano. Meiga, alinhada, “abusada”, estilosa, criativa e competente. Merece o destaque e o registro da coluna.


Como funciona o mecanismo de fomento cultural?

comentários

Principal mecanismo de fomento à cultura no Brasil, a Lei Rouanet permite que empresas e pessoas físicas destinem, a projetos culturais, parte do Imposto de Renda (IR) devido. Para pessoas físicas, o limite da dedução é de 6% do IR a pagar; para pessoas jurídicas, 4%.

O objetivo da lei é incentivar a produção cultural. Para isso, a União abre mão de uma parte do Imposto de Renda, a fim de que esses recursos sejam aplicados em projetos aprovados pelo Ministério da Cultura (MinC). A seleção é feita com base em critérios técnicos, já que a lei proíbe o MinC de qualquer avaliação subjetiva quanto ao valor artístico ou cultural das propostas apresentadas.

Todo projeto cultural, de qualquer artista, produtor ou agente cultural brasileiro, pode se beneficiar da Lei Rouanet e se candidatar à captação de recursos de renúncia fiscal. Pessoas físicas e jurídicas de direito público ou privado, com ou sem fins lucrativos, podem propor projetos.

Depois que o projeto cultural é admitido pelo MinC, o proponente deve buscar apoio financeiro diretamente junto aos investidores culturais (pessoas físicas ou jurídicas). Os recursos destinados ao projeto poderão, então, ser abatidos do Imposto de Renda. No caso de pessoas jurídicas, somente poderão se beneficiar da isenção fiscal aquelas que declaram o Imposto de Renda pelo regime do lucro real.

Além do abatimento no IR, pessoas jurídicas contam com outros dois atrativos: a inserção da própria marca nas peças de divulgação do projeto e até 10% do produto cultural resultante, na forma de ingressos, vagas (em cursos ou seminários) e publicações, entre outros, o que também serve para ações de marketing das empresas.
A apresentação de propostas culturais ao MinC deve ser feita entre 1º de fevereiro e 30 de novembro de cada ano. (www.cultura.gov.br).

 

  • Estação Lunar

Quinta, 12, tem o 2º Estação Lunar fazendo parte da agenda do Macapá Verão 2018, em Fazendinha, a partir das 19h.
Atrações: Amadeu Cavalcante, Mayara Braga, Eudes Fraga, Brenda Melo, Marabaixo da Juventude, Popetas Azuis e Grupo Pilão.

 

  • Agenda

Sexta, 13, tem show especial no palco do Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá), com “Alan Gomes Cantando Djavan”, a partir das 22h.
Informações: 98140-4980.

 

  • “Expotchê”

Título da exposição do artista plástico amapaense, Ralfe Braga, acontecendo até 15 de julho, em Brasília (DF), no Parque da Cidade.
Na 26ª Expotchê.

 

  • Lotado

Quinta passada (5) o balneário de Fazendinha estava lotado de gente que foi ver e ouvir nossos artistas regionais cantando nossa aldeia.
Foi o projeto Estação Lunar dando início ao Macapá Verão 2018. Show.

 

  • Campeã

Quadrilha Junina Simpatia da Juventude (bairro do Laguinho) foi a campeão, com nota máxima, do Arraiá no Meio do Mundo, encerrado no sábado (7), no sambódromo. É o novo estadual conquistado.
Revelação e Sorriso Cristalino, também ocuparam o trono. Parabéns.

 

  • Carnaval

Diariamente sou indagado sobre o desfile das escolas de samba de 2019, “se vai rolar ou não”.Todos nós queremos que aconteça, mas a realidade não alimenta nosso querer.

 

  • Destaque

Amigo artista Finéias Neluty, que recentemente retornou de Cabo Verde (África) com uma bela notícia. É Embaixador da música amapaense (regional) na ONU.
Merece o destaque e o registro da coluna. Parabéns.


Nivito Guedes: “Eu Tô em Macapá”

comentários

Nascido às margens do gigante rio Amazonas, o macapaense da gema, Hernani Vitor Carrera Guedes, artisticamente conhecido como Nivito Guedes, é cantor, compositor e violinista com um estilo musical diferenciado no modelo de cantar e tocar o violão, que para quem ouve pensa que tem outro instrumento lhe acompanhando.

Nivito possui um swing e estilo amazônico que retratam uma diversidade de gêneros musicais que abarca desde características rítmicas (indígena), Marabaixo, Batuque, Zimba, o Carimbó(PA), Merengue e outros locais(regionais) do estado tucuju. Essas diversidades extrapolam a fronteira do extremo norte Brasil-Guiana, pela forte influência do swing caribenho, e chegam ao estilo romântico. Mais especificamente, nesta diversidade, dentre as composições de Nivito Guedes encontramos a música regional em si, reggae, pop-rock, xotes, baladas românticas, etc.

Nivito Guedes gravou três CD’s com composições próprias e com outros parceiros, o primeiro foi Todas as Luas, o segundo Tô em Macapá e o terceiro foi uma coletânea com canções defendidas em festivais no Amapá e fora do estado. Suas composições, sempre marcadas pela irreverência rítmica de suas melodias, na qual mistura a cultura Amazônica ( Marabaixo, Batuque – folclore Amapaense) com estilos e gêneros da música brasileira, e uma forte influência do swing caribenho, o diferenciam e caracterizam um estilo próprio e único criado por esse artista para cantar a nossa música popular brasileira. Ele está preparando seu próximo projeto musical.

 

  • Sucesso

Foi tudo positivo o início do Macapá Verão com o projeto Estação Lunar, ontem (5) no balneário de Fazendinha.
Quinta, 12, tem mais durante todo o mês de julho. Sucesso.

 

  • É hoje

Nesta sexta (6), tem o show “Girassol”, com a cantora Brenda Melo, no Norte das Águas, às 22h, abrindo a agenda de verão.
Complexo Marlindo Serrano (Araxá). Informações: 98119-2790 ou 98140-4980.

 

  • Cortejo

Banzeiro do Brilho-de-Fogo vai fazer seu Cortejo de verão, domingo (8), em Fazendinha, às 16h.
Fazendo parte do Macapá Verão 2018.

 

  • De volta

Intérprete Meio Dia da Imperatriz está de volta para Piratas da Batucada no carnaval 2019.
Presidente Marcelo Zona Sul anunciou a contratação do artista, ontem (5), na Diário FM 90,9, no programa Ensaio Geral (Ivo Canuty).

 

  • Semifinal

O festival estadual do 10º Arraiá no Meio do Mundo está na sua fase semifinal com 20 quadrilhas juninas.
Das 20 classificadas, 10 irão para a grande final, sábado (7), no sambódromo, 19h.

 

  • Música

A nova escola de Música Walquiria Lima foi inaugurada, ontem (5), agora como Centro de Educação Profissional de Música Walquíria Lima.

 

  • “Roda dos Tambores”

Título do novo disco (CD) da cantora Brena Melo, já em laboratório e definição do repertório.
A temática tem linguagem amazônica no cantar. Aguardem.


Eliakin Rufino: Poeta e cantador amazônico

comentários

Nascido em Boa Vista, capital do Estado de Roraima, em 27 de maio de 1956. Faz shows de música e poesia falada, com banda ou no formato voz e violão. Muitas são as atividades que desenvolve, entre elas está a de escrever, que considera uma das preferidas. Escreve textos curtos, gosta de texto conciso, da audácia, da síntese, de dizer com o mínimo de meios.

Eliakin Rufino começou sua carreira artística nos anos de 1980 e tem seu primeiro livro publicado em 1984, Pássaros Ariscos. Nesse mesmo ano com forte influência do Modernismo e do Tropicalismo, junto com os amigos Zeca Preto e Neuber Uchoa, criou o Movimento Roraimeira, que por quase duas décadas referenciou e revelou artistas nas artes plásticas, culinária, literatura, dança, fotografia e na música, contribuindo para a construção da identidade cultural de vozes e feições para o povo de Roraima, calcado, sobretudo, nos elementos da cultura e da paisagem natural existente na região.

Tem vários livros publicados, entre eles: Pássaros Ariscos (1984), Poemas (1987), Escola de Poesia (1990), Brincadeira (1991), Poeta de água doce (1993), Versão Poética do Estatuto da Criança e do Adolescente (1995), Poesia para ler na cama (1997), Poeta de Água Doce (1999). Tem também poemas publicados em antologias e sites de poesia nacionais e internacionais.

Além de escritor, ele é musico, cantor, compositor, filósofo, produtor cultural e jornalista.

 

Inauguração

Nesta quinta, 5, inaugura o Centro de Educação Profissional de Música Walquíria Lima, às 18h.

 

  • É hoje

Nesta sexta (6), tem o show “Girassol”, com a cantora Brenda Melo, no Norte das Águas, às 22h, abrindo a agenda de verão.
Complexo Marlindo Serrano (Araxá). Informações: 98119-2790 ou 98140-4980.

 

  • Arraiá

Dia 7 de julho (sábado), o Instituto do Câncer vai realizar o Arraiá do Ijoma, na quadra da Igreja Jesus de Nazaré, a partir das 17h.

 

  • Banzeiro

Semana final dos ensaios do Banzeiro do Brilho-de-Fogo para o Cortejo de domingo (8), em Fazendinha.
Ensaios de quarta a sexta, na Praça Floriano Peixoto, às 19h.

 

  • “Roda dos Tambores”

Título do novo disco (CD) da cantora Brena Melo, já em laboratório e definição do repertório.
A temática tem linguagem amazônica no cantar. Aguardem.

 

  • Arraiá

Festival de quadrilhas juninas está acontecendo no sambódromo desde o dia 30 de junho, e o encerramento será dia 7 de julho.

 

  • Estação Lunar

Inicia nesta quinta (5)


A política de Edital valoriza o artista anônimo?

comentários

Nessas minhas andanças por muitas paragens e lugares, sempre encontro uns artistas anônimos possuidores de puro talento, mas que ainda não ganharam os aplausos merecidos. Porque será?

Sempre estamos acostumados a dar valor aos artistas, de diversos segmentos, que já estão atuando, há anos, em eventos populares como shows, inaugurações, etc. Mas como podemos enxergar aqueles fantásticos jovens que não aparecem e constroem artes maravilhosas? O que falta para que o talento desses seres seja notado, conhecido e valorizado?
Geralmente nos deparamos com os artistas atuando em algum lugar, mas nada de novo nos é apresentado, pois as obras desses chamados “medalhões” já são de conhecimento público, mas as dos muitos artistas, digamos escondidos, esses não conhecemos e nunca os vimos em atuação.

Será que eles não querem aparecer, se tornarem conhecidos, ou as ações é que não chegam até eles? Já ouvi que muitos que até querem ser vistos, mas a condição para isso não lhes é favorável, pois para que eles participem de eventos, shows, atividades, contratações, etc, tem que ser crivados pela política do “Edital”. Esse exige demais e eles jamais passarão pelo crivo, já que é preciso e necessário que eles tenham um trabalho já conceituado para se inscreverem. A famosa experiência. Mas sem a oportunidade de poder mostrar o seu trabalho, como esses jovens talentos anônimos poderão ter suas artes notadas? É preciso fazer com que as ações públicas cheguem até esses jovens artistas anônimos brasileiros, para que ele s tenham oportunidades e mais tarde sejam incluídos e valorizados na política de Edital.

 

  • Educação

Banco de Brasília (DF) lançou oficialmente o livro “Como Usar o Meu Dinheiro?”.
A iniciativa é uma proposta pedagógica voltada para os alunos de escolas públicas do estado. Assino com muita satisfação o projeto gráfico e ilustrações (artista plástico Ralfe Braga).

 

  • Parintins

Jornalista Cláudio Rogério e o professor Célio Alício, estiveram em Parintins (AM), em cobertura jornalística e pesquisa para o Sistema Diário de Comunicação, do Festival de Boi-Bumbá (Caprichoso e Garantido).
Foram três dias de evento, sexta 29, 30 (6) e 1(7). Parabéns.

 

  • Agenda

Sexta (6) tem o show “Girassol”, com a cantora Brenda Melo, no Norte das Águas, às 22h. Complexo Marlindo Serrano (Araxá). Informações: 98119-2790 ou 98140-4980.

 

  • Banzeiro

Semana final dos ensaios do Banzeiro do Brilho-de-Fogo para o Cortejo de domingo (8), em Fazendinha.
Ensaios de quarta a sexta, na Praça Floriano Peixoto, às 19h.

 

  • Deu Caprichoso

Boi Bumbá Caprichoso é campeão do festival de Parintins (AM) 2018, vencendo o rival garantido.

 

  • Arraiá

Festival de quadrilhas juninas está acontecendo no sambódromo desde o dia 30 de junho, e o encerramento será dia 7 de julho.

 

  • Carnaval

Com a entrevista que fizemos com o governador Waldez Góes, sobre o desfile das escolas de samba 2019, os caladinhos resolveram se movimentar.
“Parece que só pegam no empurrão”. Guá!


Leila Pinheiro: uma artista que canta o Brasil

comentários

Ela é uma cantora que canta o Brasil. Nasceu em Belém (PA) e começou seus estudos de piano em 1970, no Instituto de Iniciação Musical, em sua cidade natal, prosseguindo-os, a partir de 1974, com o músico paraense Guilherme Coutinho. Estreou como cantora em 1970, no show Sinal de partida, no Teatro da Paz, de Belém.

Em 1981 mudou-se para o Rio de Janeiro RJ e gravou de forma independente seu primeiro disco, “Leila Pinheiro”, lançado em 1983. Dois anos depois, defendeu a canção “Verde” (Eduardo Gudin e José Carlos Costa Neto) no Festival dos Festivais da TV Globo, garantindo o terceiro lugar e o prêmio de cantora revelação.

Em 1986 foi contratada pela Polygram e gravou o disco “Olho Nú”, com participação do guitarrista norte-americano Pat Metheny. Representou o Brasil no Festival Mundial Yamaha, no Japão, sendo premiada como melhor intérprete. Em 1987 recebeu da Associação Brasileira de Produtores de Disco o Troféu Villa-Lobos, como revelação feminina do ano. Lançou seu terceiro disco em 1988, “Alma”, pela Polygram.

Em 1989 foi convidada por Roberto Menescal para ser a intérprete de um disco em comemoração aos 30 anos da bossa nova, para o mercado japonês. Com produção e arranjos do próprio Menescal, o disco, “Bênção, Bossa Nova”, tornou-se grande sucesso tanto no Japão como no Brasil.

Em 1991 participou do I Rio Show Festival, com Roberto Menescal e banda. Lançou o disco “Outras Caras”, também com produção de Menescal. Gravou em 1993 0 CD Coisas do Brasil, produzido e arranjado por César Camargo Mariano, e excursionou pela Europa. Em 1994 transferiu-se para a EMI, pela qual gravou Isso é bossa nova. Em 1996 gravou e produziu “Catavento e Girassol”, trabalho dedicado à obra de Guinga e Aldir Blanc. Em 1997 participou do show em homenagem a Vinicius de Moraes, no Metropolitan (RJ) e fez turnê pelos E.U.A, com Ivan Lins.
Depois de 30 anos de carreira, Leila Pinheiro gravou o CD “Raiz”, em homenagem ao seu estado do Pará.

 

  • É hoje

Nesta sexta, 29, o projeto “Cantando a Amazônia” recebe dois shows, “Clube da Esquina” e “São Batuques”, com Beto Oscar e Helder Brandão.
Convidados especiais: Naldo Maranhão, Brenda Melo, Alan Gomes e João Amorim. No Norte das Águas, Complexo Marlindo Serrano – Araxá, 22h. Informações: 99149-6446.

 

  • Samba

Escola de Samba Piratas Estilizados vai realizar o 2º Vem Pro Meu Samba de Verão, dia 14 de setembro, na quadra do colégio Azevedo Costa. Informações: 99151-0817.

 

  • Bandaia

Todo domingo tem o projeto Roda de Bandaia (batuque e marabaixo), no Norte das Águas, a partir das 17h.
Complexo Marlindo Serrano – Araxá.

 

  • Reunião

Presidente de Piratas Estilizados, Diego Armando, diz que a Liesap não está reunindo com os presidentes das escolas de samba.
“Assumi a escola, há pouco tempo, e até o momento não participei de nenhuma reunião, pois não aconteceu”.

 

  • Cancelado

A Liga Municipal de Quadrilhas Juninas cancelou o festival que aconteceria de 27 a 29 de junho, na Praça do Beirol.

 

  • “Girassol”

Nome do show que a cantora Brenda Melo vai apresentar dia 6 de julho, no Norte das Águas, às 22h.
No Norte das Águas, Complexo Marlindo Serrano – Araxá, 22h. Informações: 98119-2790 e 98113-6730.

 

  • “Mal de Amor”

Título do novo CD do cantor e compositor amapaense, Val Milhomem, já gravado e no aguardo de sua chegada.
“Mal de amor” é o nome da primeira parceria musical de Val Milhomem e Joãozinho Gomes, em 2001.


27 de junho: Dia Nacional do Quadrilheiro Junino

comentários

Desde 2011 que o 27 de junho é comemorado o Dia Nacional do Quadrilheiro Junino (data da aprovação do Projeto de Lei 12.390 -11), em homenagem aos militantes e propagadores da cultura junina brasileira. O projeto de Lei é de autoria da ex-deputada federal, Nilmar Ruiz.

De acordo com a Lei, é considerado quadrilheiro junino todo profissional que utiliza meio de expressão artística cantada, dançada ou falada, transmitido por tradição popular nas festas juninas.
Na justificativa de seu projeto, Nilmar Ruiz, destacou a significativa participação popular nas danças juninas. Para ela, a data é um “registro da memória.

Desde então, todas as pessoas envolvidas como esse segmento, recebeu a nomenclatura de “Quadrilheiro Junino”, antes só chamados de “Quadrilheiros”, termo que causava conflito com o trabalho real e função dos militantes, que eram confundidos (pelo chamado) com pessoas envolvidas com crimes.

Hoje, todas as regiões do país, que trabalham nesse segmento, comemora a conquistada data e as festanças do mês de junho.

As quadrilhas juninas proporcionam grandes apresentações com espetáculos de danças coreografadas, indumentárias e cenografias, voltados para os festejos dos santos (Antônio, Pedro e João). A essência é preservada, mas as apresentações ganharam alterações nos estilos de dançar e vestir, pois as quadrilhas juninas ficaram mais espetaculares, como a modernidade, mas nunca deixaram de valorizar os conceitos e respeitar a tradição.

 

  • Expectativa

Vai começar o “Arraiá no Meio do Mundo” (estadual), de 30 de junho a 7 de julho, no Sambódromo, com as quadrilhas juninas selecionadas nos pólos, em vários municípios.

 

  • Sim ou não?

Mesmo sem nenhuma informação oficial, mas a população ainda acredita que haverá desfile das escolas de samba do Amapá em 2019.
Ficamos aguardando a manifestação da instituição responsável pelo evento.

 

  • Copa

Nesta quarta, 27, não apresentaremos o programa “O Canto da Amazônia” (Diário FM 90,9), em decorrência do jogo Brasil X Sérvia, na Copa da Rússia.

 

  • Esquecimento?

Parece que os segmentos artísticos culturais foram esquecidos pelo poder público. Não vemos nenhuma atitude para tentar reerguer a bandeira da arte. Esquecimento total.

 

  • Agenda

Sexta, 29, o projeto “Cantando a Amazônia” recebe dois shows, “Clube da Esquina” e “São Batuques”, com Beto Oscar e Helder Brandão.
Convidados especiais: Naldo Maranhão, Brenda Melo, Alan Gomes e João Amorim. No Norte das Águas, Complexo Marlindo Serrano – Araxá, 22h. Informações: 99149-6446.

 

  • “Girassol”

Nome do show que a cantora Brenda Melo vai apresentar dia 6 de julho, no Norte das Águas, às 22h.
No Norte das Águas, Complexo Marlindo Serrano – Araxá, 22h. Informações: 98119-2790 e 98113-6730.

 

  • Ligajum

A Liga Municipal de Quadrilhas Juninas vai realizar seu 1º festival, de 27 a 29 de junho.
Na Praça do Beirol (próximo ao Super Fácil, às 19h). São 24 estilizadas e 5 tradicionais.


A influência da cultura na formação do cidadão

comentários

Mais do que uma característica essencial de uma sociedade, a cultura pode ser considerada como o elemento principal que difere uma nação de outra. Os costumes, a música, a arte e, principalmente, o modo de pensar e agir, fazem parte da cultura de um povo e devem ser preservados para que nunca se perca a singularidade do coletivo em questão. A palavra cultura deriva do latim, colere, que tem como significado literal “cultivar”. Partindo desse princípio, percebemos que se trata de uma herança acumulada ao longo dos anos, e que deve ser preservada.

Cada pessoa pertencente a uma determinada nação agrega valores culturais, os quais a levarão a fazer ou expressar-se de forma específica. Esse mecanismo de adaptação é um dos principais elementos da cultura, e torna-se ainda mais importante quando se alia ao fator cumulativo. As modificações que se desenvolveram e que foram trazidas por uma geração passam para a geração seguinte, e se implementam ao melhorar aspectos para futuras gerações.

Durante muito tempo, o termo cultura foi estudado e acabou sendo dividido em algumas categorias: Cultura segundo a Filosofia: trata-se de um conjunto de manifestações humanas, de interpretação pessoal, e que condizem com a realidade. Cultura segundo a Antropologia: o termo deve ser compreendido como uma soma dos padrões aprendidos, e que foram desenvolvidos pelo ser humano. Cultura Popular: associa-se a algo criado por um determinado grupo de pessoas que possuem participação ativa nessa criação. Música, arte e literatura são exemplos que podem ser utilizados.

Por ser um agente forte de identificação pessoal e social, a cultura de um povo se caracteriza como um modelo comportamental, integrando segmentos sociais e gerações à medida que o indivíduo se realiza como pessoa e expande suas potencialidades. Entretanto, é necessário lembrar que essa percepção individual tem grande influência por parte do grupo. As escolhas selecionadas ou valorizadas pelo grupo tendem a ser selecionadas na percepção pessoal.

Além disso, a cultura possui quatro processos que têm participação ativa na influência do indivíduo:

O Agente Cultural: Seja qual for a forma de expressão artística que ele promove, trata-se de alguém que se sente valorizado pelo que é capaz de fazer e, mesmo na velhice, é muitas vezes procurado para transmitir seus conhecimentos aos mais jovens. O Propagador Cultural: É aquele que não cria, mas que valoriza e ajuda a difundir determinados tipos de arte. Muitas vezes, dedica sua vida a esse propósito. Dentro desse grupo, estão incluídos os indivíduos que compram e comercializam produtos culturais. O Espectador Cultural: Grupo formado por pessoas que não criam e nem difundem a arte, mas que são apreciadores do gênero e que se identificam com outros de pensamento semelhante. Um exemplo do gênero e que pode ser citado é a formação dos fã-clubes, que interagem entre si promovendo o ídolo de diversa s maneiras. O Alienado Cultural: Trata-se de alguém ou determinado grupo que denuncia as formas de expressão cultural. Presente muitas vezes em regimes ditatoriais evidencia a exclusão social e oprime movimentos artísticos menos poderosos, mas nem por isso, com menos influência na sociedade. (www.institutofilantropia.org.br).

 

  • Agenda

Sexta, 29, o projeto “Cantando a Amazônia” recebe dois shows, “Clube da Esquina” e “São Batuques”, com Beto Oscar e Helder Brandão. Convidados especiais: Naldo Maranhão, Brenda Melo, Alan Gomes e João Amorim.No Norte das Águas, Complexo Marlindo Serrano – Araxá, 22h. Informações: 99149-6446.

 

  • “Girassol”

Nome do show que a cantora Brenda Melo vai apresentar dia 6 de julho, no Norte das Águas, às 22h. No Norte das Águas, Complexo Marlindo Serrano – Araxá, 22h. Informações: 98119-2790 e 98113-6730.

 

  • Ligajum

A Liga Municipal de Quadrilhas Juninas vai realizar seu 1º festival, de 27 a 29 de junho. Na Praça do Beirol (próximo ao Super Fácil, às 19h). São 24 estilizadas e 5 tradicionais.

 

  • Samba

A primeira feijoada do Meio Dia da Imperatriz 2018, vai acontecer dia 7 de julho, na av: Henrique Galúcio, entre as ruas Eliezer Levy e Odilardo Silva. Vários grupos de samba e pagode estão convidados. Informações: 99354-5808 e 98305-0755.

 

  • Promessa

Com apenas 8 anos de idade ela já está cantando e mostrando que é uma promessa para o amanhã da boa música popular brasileira. Estou falando de Bia Neluty, filha do músico, compositor, cantor, diretor, produtor Finéias Neluty e da dançarina Fabíola Neluty. Parabéns.

 

  • Resultado

Fundação de Cultura de Macapá divulgou o resultado da seleção das propostas inscritas pelos artistas, no edital para o Macapá Verão 2018.
A lista com os nomes das atrações está no mural da Fumcult (rua Eliezer Levy – Centro), CEU das Artes (rua principal do Infraero II) ou no site www.fulcult.macapa.ap.gov.br.

 

  • Oscar

Ministério da Cultura abriu processo seletivo para a escolha do longa-metragem brasileiro, que disputará uma vaga entre os indicados ao Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira do Oscar 2019. As inscrições deverão ser feitas até as 18 horas do dia 17 de agosto (www.cultura.gov.br).