Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular


O Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (CNFCP) tem atuação nacional e sua missão consiste na pesquisa, documentação, difusão e execução de políticas públicas de preservação e valorização dos mais diversos processos e expressões da cultura popular. Sua estrutura abriga: o Museu de Folclore Edison Carneiro, a Biblioteca Amadeu Amaral e os setores de Pesquisa e de Difusão Cultural, além da área administrativa.

Criado em 1958 e vinculado ao Iphan desde 2003, o Centro atua em diferentes perspectivas com o objetivo de atender as demandas sociais que se colocam no campo da cultura popular.

Entre suas principais ações destacam-se os projetos de fomento da cultura popular, desenvolvidos pelo Programa de Promoção do Artesanato de Tradição Cultural (Promoart) e Sala do Artista Popular (SAP); programas de estímulo à pesquisa, como o Concurso Sílvio Romero de monografias, o Etnodoc (edital de filmes etnográficos), o Dedo de Prosa (fórum de debates) e o Projeto Memórias dos Estudos de Folclore.

Na área de difusão e formação de público, destacam-se o programa de exposições, o programa educativo, o Curso Livre de Folclore e Cultura Popular e os programas de edições e intercâmbio. E na área de documentação, o tratamento, atualização e disponibilização dos acervos museológico (14 mil objetos – MFEC), bibliográfico e sonoro-visual (300 mil documentos – BAA), parte deles disponibilizada em suas coleções digitais. (http://portal.iphan.gov.br).

 

  • Estação Lunar

Nome do projeto que faz parte da programação do Macapá Verão 2019 e que vai acontecer todas as quintas de julho, em Fazendinha, 19h.
É a valorização dos artistas (músicos, autores e cantores) que defendem o que é nosso, com uma linguagem bem amazônica de ser.

 

  • Atração

Cantor paraense, Wanderley Andrade, é uma das atrações da abertura do Macapá Verão, domingo (7), em Fazendinha, com show marcado, às 15h.
Vai se apresentar no palco principal (Concha Acústica) do balneário.

 

  • Estação Brega

Mais uma novidade na programação do Macapá Verão 2019, com a Estação Brega, no Complexo Marlindo Serrano – Araxá, dia 19 de julho, a partir das 19h.
Teremos quatro atrações de artistas que cantam esse dançante estilo musical: Banda Moara, Suelen Braga, Jomasan e Mauro Cotta.

 

  • Hoje tem

Nesta terça (2) tem apresentação da quadrilha junina, Simpatia da Juventude, na semifinal do Arraial do Meio do Mundo, a partir das 19h, no Complexo Super Fácil – Beirol.

 

  • Musa

Dia 7 (domingo) vai acontecer o tradicional concurso Musa Verão, em Fazendinha, a partir das 12h, com belas candidatas na disputa.

 

  • Poesia

Dia 26 (sexta) tem poesia na programação do Macapá Verão, na Praça Veiga Cabral, a partir das 16h, com artistas de variados segmentos, como: Nitai Santana, Grupo Boca da Noite, Ana Anspach, Anthony Matheus, José Inácio e Salgado Maranhão – show literomusical, além da exposição do artista plástico Jeriel.

 

  • Campeão

O Boi-Bumbá Garantido é o campeão 2019 do Festival Folclórico de Parintins (AM), que acontecer de 28 a 30 de junho.
Com o tema “Nós o Povo”, Garantido conquistou o seu trigésimo segundo campeonato. Parabéns.


Jorge Amado e o seu “Cemitério” Particular


Poesia é um gênero literário caracterizado pela composição em versos estruturados de forma harmoniosa. É uma manifestação de beleza e estética retratada pelo poeta em forma de palavras. No sentido figurado, poesia é tudo aquilo que comove, que sensibiliza e desperta sentimentos. É qualquer forma de arte que inspira, encanta e que é sublime e bela.

O escritor e poeta brasileiro, Jorge Amado, nos presenteou com muitas escritas como esse “Cemitério”. Guarde-o pra você.

“Tenho horror a hospitais, os frios corredores, as salas de espera, ante-salas da morte, mais ainda a cemitérios onde as flores perdem o viço, não há flor bonita em campo santo. Possuo, no entanto, um cemitério meu, pessoal, eu o construí e inaugurei há alguns anos quando a vida me amadureceu o sentimento. Nele enterro aqueles que matei, ou seja, aqueles que para mim deixaram de existir, morreram: os que um dia tiveram a minha estima e perderam.

Quando um tipo vai além de todas as medidas e de fato me ofende, já com ele não me aborreço, não fico enojado ou furioso, não brigo, não corto relações, não lhe nego o cumprimento. Enterro-o na vala comum de meu cemitério – nele não existe jazigo de família, túmulos individuais, os mortos jazem em cova rasa, na promiscuidade da salafrarice, do mau caráter. Para mim o fulano morreu, foi enterrado, faça o que faça já não pode me magoar.

Raros enterros – ainda bem! – de um pérfido, de um perjuro, de um desleal, de alguém que faltou à amizade, traiu o amor, foi por demais interesseiro, falso, hipócrita, arrogante – a impostura e a presunção me ofendem fácil. No pequeno e feio cemitério, sem flores, sem lágrimas, sem um pingo de saudade, apodrecem uns tantos sujeitos, umas poucas mulheres, uns e outras varri da memória, retirei da vida.

Encontro na rua um desses fantasmas, paro a conversar, escuto, correspondo às frases, às saudações, aos elogios, aceito o abraço, o beijo fraterno de Judas. “Sigo adiante e o tipo pensa que mais uma vez me enganou, mal sabe ele que está morto e enterrado”.

 

  • “Cenários do Amapá”

Título do livro do escritor e jornalista, Welington Silva, que será lançado no site www.diariodoamapa.com.br, dia 12 de julho, às 20h, no Hall de entrada do Sistema Diário de Comunicação.

 

  • Cadeira

O Marabaixo será desmembrado da cadeira da “Cultura Popular”, no Conselho Estadual de Cultura, para ganhar seu próprio assento.
A decisão parte do próprio governador do estado e o representante será eleito pelo maior número de votos. Ainda sem data para acontecer.

 

  • 20 anos

Vem aí o show imperdível da Banda Negro de Nós, pra marcar os 20 anos de sucesso desse belo projeto musical do Amapá.
No repertório, destaque para o Marabaixo, Batuque, Zouk e Cacicó. Dia 13 de julho (sábado), às 20h, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá). Informações: 99145-7544/99124-6737.

 

  • Culturas Populares

O Ministério da Cidadania vai premiar quem faz cultura popular no Brasil. Inscrições abertas até 16 de agosto para o 7º Prêmio Culturas Populares.
Serão contemplados os mestres, mestras ou Pontos de Cultura que estimulem e valorizem as expressões culturais, como o cordel, o frevo, a quadrilha, o maracatu, a capoeira, as culinárias regionais e o bumba meu boi, entre muitas outras. (www.cultura.gov.br).

 

  • Reeditados

Poemas do consagrado pintor e poeta brasileiro, Cândido Portinari, foram reeditados e lançados pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), vinculada ao Ministério da Cidadania.
O livro “Poemas de Portinari”, lançado em nova edição ilustrada. A publicação comemora os 40 anos do Projeto Portinari. (www.cultura.gov.br).

 

  • “Todo Música”

Título do 1º disco solo do músico, compositor e cantor amazônico, Enrico Di Miceli, já com seu trabalho de divulgação da obra.
O lançamento está agendado para o 2º semestre deste ano.

 

  • Textão

O texto de apresentação do 1º disco de Enrico Di Miceli (Todo Música), tem a assinatura do consagrado cantor e compositor brasileiro, Zeca Baleiro, amigo e admirador das obras de Enrico. Privilégio.


Saiba o que é cultura de massa


A expressão “Cultura de Massa”, posteriormente trocada por “indústria cultural”, é aquela criada com um objetivo específico, atingir a massa popular, maioria no interior de uma população, transcendendo, assim, toda e qualquer distinção de natureza social, étnica, etária, sexual ou psíquica. Todo esse conteúdo é disseminado por meio dos veículos de comunicação de massa.

Antes do advento da cultura de massa, havia diversas configurações culturais – a popular, em contraposição à erudita; a nacional, que entretecia a identidade de uma população; a cultura no sentido geral, definida como um conglomerado histórico de valores estéticos e morais; e outras tantas culturas que produziam diversificadas identidades populares.

Mas, com o nascimento do século XX e, com ele, dos novos meios de comunicação, estas modalidades culturais ficaram completamente submergidas sob o domínio da cultura de massa. Veículos como o cinema, o rádio e a televisão, ganharam notório destaque e se dedicaram, em grande parte, a homogeneizar os padrões da cultura.

Como esta cultura é, na verdade, produto de uma atividade econômica estruturada em larga escala, de estatura internacional, hoje global, ela está vinculada, inevitavelmente, ao poderoso capitalismo industrial e financeiro. A serviço deste sistema, ela oprime incessantemente as demais culturas, valorizando tão somente os gostos culturais da massa.

Esta cultura é hipnotizante, entorpecente, indutiva. Ela é introjetada no ser humano de tal forma, que se torna quase inevitável o seu consumo, principalmente se a massa não tem o seu olhar e a sua sensibilidade educados de forma apropriada, e o acesso indispensável à multiplicidade cultural e pedagógica. (Ana Lúcia Santana).

 

  • Samba

Neste sábado (22) o projeto Pagode do Josimar vai receber o sambista Xandão, com participação de Cafú Rota Samba Charlinho e Josimar.
Na casa de show “beija Flor Festas e Eventos, na Rua Hamilton Silva, entre as avs: 13 de Setembro e Felipe Camarão – Trem, a partir das 18h.

 

  • Pérola

Dia 29 (sábado) será o coquetel de apresentação das candidatas e lançamento do concurso Pérola Negra, na casa de cultura Sankofa (Orla do bairro Santa Inês), às 20h.
O concurso está agendado para acontecer em 13 de julho (Fazendinha), às 22h.

 

  • Quadrilha

Quadrilha junina Raízes Culturais arrumando a bagagem para participar do XI Festival Nordestino de Cultura Junina Nacional, de 11 a 14 de julho, na cidade de Floriano (PI). São 25 quadrilhas juninas de 11 estados.

 

  • Ensaios

Iniciou nesta sexta (21) a agenda de oficinas e ensaios do projeto de cultura popular Banzeiro do Brilho-de-Fogo, na Praça Floriano Peixoto – Centro, às 19.
Qualquer pessoa, de qualquer idade, pode participar. Basta ir ao local e se inscrever (sexta e sábado).
O Cortejo de Verão irá acontecer dia 7 de julho, em Fazendinha.

 

  • Oficina

De 24 a 28 de junho, às 14h, o Sesc/AP (projeto Arte da Palavra) vai realizar a oficina “Literatura e Artes Visuais – a Aventura de Ilustrar”.
A inscrição vale 1kg de alimento não perecível. Informações: 3241-4440 (Ramal-239).

 

  • Música

Dia 29 de junho (sábado), tem show da cantora amapaense, Ariel Moura, e da Guianense, Regine Lapassion, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá), a partir das 21h.
Como convidado especial do pianista Denis Lapassion. Informações: 98109-5560.

 

  • Estação Lunar

Nome do projeto que faz parte da programação do Macapá Verão e que acontece toda quinta de jullho, em Fazendinha, a partir das 19h. Confirmado.


Nega Laura: “O Marabaixo faz parte da minha vida”


Uma cabocla pérola negra, amapaense da gema que defende a bandeira da cultura do Marabaixo como a sua própria família, afinal, ela veio desse meio. Nasceu, cresceu e se educou ouvindo os “velsos bandaiados” (ladrões), as chamadas músicas e canções desse segmento, que é a maior e mais autêntica manifestação folclórica do povo tucuju, o Marabaixo. Se esfregando aos foliões e tropeçando em caixas espalhadas por toda a casa onde se tocava e se dançava esse ritmo trazido da mãe África pelos negros escravos para a construção da Fortaleza de Macapá.

Estamos falando de “Laura do Marabaixo”, uma descendente da família “Julião”, neta de Tia Biló e bisneta do mestre do Marabaixo, Julião Ramos, sendo sua avó a única filha viva do mestre. Laura era uma das tantas artistas anônimas, repleta de talento, que precisava estar sempre presente nesse segmento que também é seu. Hoje a sociedade conhece mais uma estrela do Marabaixo do Amapá.

“Nega Laura”, como também é conhecida, é uma artista completa, pois, além de dançar, tocar e compor as músicas, ela é cantadeira dos “ladrões” de Marabaixo. Seu cantar é forte, firme que ecoa pelos ares e ouvidos dos foliões, com os homens marcando e arrastando os pés e as mulheres girando e rodando as saias pelo salão. Quando Laura entoa o seu canto com as perguntas dos versos, todos respondem num só momento, bem alto, pra marcar mais um momento especial da noite de cantorias do Marabaixo.

Além dessas virtudes, Laura é integrante do Grupo de Dança Baraká, tocadora de tambor de Batuque, é palestrante desse segmento, ensina as crianças a dançar e tocar a caixa de Marabaixo, é fundadora e coordenadora do bloco Ancestrais (que realiza eventos voltados à cultura amapaense), militante do carnaval e de outros movimentos.

“Tenho orgulho de ser negra e de poder contribuir com o desenvolvimento cultural do meu estado, pois, o Marabaixo está no meu sangue, na minha alma, no meu coração e na minha vida”, disse Laura.

 

  • “Guá”

Guá é o nome de um novo grupo de Marabaixo, oriundo da comunidade de Igarapé do Lago, com proposta moderna de estilização, com instrumentos percussivos e harmônicos.
Formados por jovens herdeiros de famílias tradicionais do Marabaixo. Estarão lançando oficialmente esse projeto durante a programação do Macapá Verão.

 

  • Inter Amazônias

Nesta quarta (19) será lançado o filme “Inter Amazônias – Uma Fronteira Musical”, de Clícia Di Miceli, no Cine Imperator (Shopping Villa Nova – av: Pres. Vargas – Centro), às 9h30.
Retratando a criatividade e versatilidade da música tradicional do Amapá e da Guiana Francesa. Entrada franca.

 

  • Mocidade

A escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel (Rio de Janeiro) já escolheu seu enredo para o carnaval de 2020: “Elza Deusa Soares”.
Bela homenagem à cantora Elza Soares, uma das maiores intérpretes da música popular brasileira.

 

  • Cinema

Sesc Amapá está promovendo a 2ª edição da Mostra Sesc de Cinema, até 21 de junho, com entrada gratuita.
A programação segue no Sesc Araxá (Orla), sala de Audiovisual. O evento tem como objetivo promover a difusão de obras cinematográficas que estão fora do mercado exibidor brasileiro. (www.sescamapa.com.br).

 

  • Banzeiro

O cortejo de verão está chegando e as oficinas e ensaios do Banzeiro do Brilh-de-Fogo vão começar, a partir de sexta (21), na Praça Floriano Peixoto, 19h. É pra toda família. Vá lá.

 

  • Teatro

Espetáculo “Jornada Bufa” está sendo apresentado toda quarta-feira, no Teatro Marco Zero (Rua Oscar Santos, 397 – Perpétuo Socorro), às 19h30. Entrada franca.

 

  • É hoje

Chegou o dia do concurso Rainha do Baião – Diversidade, realizado pela quadrilha junina Simpatia da Juventude, nesta quarta (19), na quadra do colégio Azevedo Costa (av: José Antônio Siqueira – Laguinho), a partir das 21h.


Conheça o que é Arte


O termo Arte deriva do latim Ars, ou Artis, cujo significado é Habilidade. Arte, em palavras simples, é o ato de fazer, produzir ou criar algo. A arte é mutável, ou seja, cada sociedade, cultura e época produzem estilos artes diferentes.

Apesar do conceito atual de arte nos remeter a algo que serve para ser apreciado ou decorar, seu sentido é muito mais amplo e antigo, pois a habilidade de criar objetos e ferramentas de sobrevivência que o Homem primitivo possuía também é arte! Desde uma faca confeccionada com osso até os desenhos encontrados nas paredes das cavernas.

A arte é também multifuncional: ela pode ter um sentido sagrado, quando religiosa. Pode ser uma crítica a algo. Pode ser simplesmente decorativa também. Ela expõe as ideias e pensamentos de seu criador fazendo uso de estilos e estéticas distintas.

O Estilo é a sua forma e a Estética é o seu fundamento. Cada movimento artístico ou escola literária representa a interpretação dos cenários, objetos, cotidiano e visão de mundo de determinada sociedade ou grupo.

Dentre os inúmeros movimentos de arte, podemos citar o Arcadismo, a Arte Bizantina, a Arte Cristã Primitiva, a Arte Egípcia, a Arte Grega, a Arte Romana, o expressionismo, o Movimento Barroco, o Minimalismo, a Art Déco, a Art Nouveau, o Movimento Renascentista, o Romantismo, o Futurismo, o Dadaísmo, o Cubismo e o Tropicalismo, dentre muitos outros.

A arte pode se manifestar através da simbologia dos objetos e esculturas, através de uma performance artística, através da música, através dos sinais e de muitas outras maneiras.

É possível criar pontes que conectam as diversas manifestações artísticas. Os aspectos de um povo podem ser conhecidos por nós através da arte, e por isso a sua preservação é de extrema importância.

Ela revela a pluralidade da humanidade através da multivisão da mesma. A arte não possui início e nem fim, pois ela é o meio.
(www.multarte.com.br).

 

  • Uma interrogação

Mais um ano (2020) os maravilhosos desfiles das escolas de samba do Amapá poderão não acontecer, por vários motivos.
Um deles é a não regularização das documentações da maioria das escolas.

 

  • Instituto

Três escolas de samba estão criando o Instituto Cultural do Amapá (ITA), para realizar eventos artístico-culturais de vários segmentos.
A iniciativa partir das escolas Piratas da Batucada, Unidos do Buritizal e Piratas Estilizados.

 

  • Pintura

Nesta semana 14 belas obras do artista plástico amapaense, Ralfe Braga, estarão decorando o estúdio do programa “Encontro com Fátima Bernardes” (TV Globo).
Um belo cenário colorindo e valorizando as artes visuais. Parabéns.

 

  • Rainha

Quarta (19) a quadrilha junina Simpatia da Juventude, vai realizar a segunda edição do concurso “Rainha do Baião – Diversidade”. Venda de comidas típicas, sorteio de rifas, prêmios para melhor torcida, show com Jéssica Wane e outras atrações.
Na quadra do colégio Azevedo Costa (av: José Antônio Siqueira – Laguinho), a partir das 20h30.

 

  • Municipal

Dia 3 de julho (quarta) a Liga Junina de Macapá vai realizar o I Festival de Quadrilhas Juninas de Macapá, na quadra da escola de samba Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Stª Rita).
São 10 quadrilhas na disputa: Encanto da Juventude, Raízes Culturais, Simpatia da Juventude, Atração Junina, Guerreiros da Esperança, Flor Junina, Guerreiros de Fogo, Reino de São João, Renovação Junina e Luar do Sertão.

 

  • Faltando

Sentindo falta de músicas produzidas com mais qualidade pela nova geração de compositores do país.
Com letras, melodias e cantos em harmonia com o padrão da boa Música Popular Brasileira. Com menos modismo, mais poesia.

 

  • Destaque

Nega Laura do Marabaixo é um dos destaques da nova geração das mulheres marabaixeiras amapaenses.
Ela compõe ladrões de marabaixo, canta, toca (caixa e tambor) e dança. É completa nesse segmento.


Conheça o que é Arte


O termo Arte deriva do latim Ars, ou Artis, cujo significado é Habilidade. Arte, em palavras simples, é o ato de fazer, produzir ou criar algo. A arte é mutável, ou seja, cada sociedade, cultura e época produzem estilos artes diferentes. Apesar do conceito atual de arte nos remeter a algo que serve para ser apreciado ou decorar, seu sentido é muito mais amplo e antigo, pois a habilidade de criar objetos e ferramentas de sobrevivência que o Homem primitivo possuía também é arte! Desde uma faca confeccionada com osso até os desenhos encontrados nas paredes das cavernas.

A arte é também multifuncional: ela pode ter um sentido sagrado, quando religiosa. Pode ser uma crítica a algo. Pode ser simplesmente decorativa também. Ela expõe as ideias e pensamentos de seu criador fazendo uso de estilos e estéticas distintas. O Estilo é a sua forma e a Estética é o seu fundamento.  Cada movimento artístico ou escola literária representa a interpretação dos cenários, objetos, cotidiano e visão de mundo de determinada sociedade ou grupo.

Dentre os inúmeros movimentos de arte, podemos citar o Arcadismo, a Arte Bizantina, a Arte Cristã Primitiva, a Arte Egípcia, a Arte Grega, a Arte Romana, o expressionismo, o Movimento Barroco, o Minimalismo, a Art Déco, a Art Nouveau, o Movimento Renascentista, o Romantismo, o Futurismo, o Dadaísmo, o Cubismo e o Tropicalismo, dentre muitos outros.

A arte pode se manifestar através da simbologia dos objetos e esculturas, através de uma performance artística, através da música, através dos sinais e de muitas outras maneiras. É possível criar pontes que conectam as diversas manifestações artísticas. Os aspectos de um povo podem ser conhecidos por nós através da arte, e por isso a sua preservação é de extrema importância. Ela revela a pluralidade da humanidade através da multivisão da mesma. A arte não possui início e nem fim, pois ela é o meio. (www.multarte.com.br).

 

****************************************

SUSTENTABILIDADE: Sustentabilidade é um termo usado para definir ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, sem comprometer o futuro das próximas gerações. Ou seja, a sustentabilidade está diretamente relacionada ao desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente, usando os recursos naturais de forma inteligente para que eles se mantenham no futuro. Seguindo estes parâmetros, a humanidade pode garantir o desenvolvimento sustentável.

 

****************************************

 

Era um rio encantado
O Araguari, o Araguari, o Araguari
Era um rio do passado
O Araguari, o Araguari, o Araguari
Osmar Júnior

 

****************************************

  1. Uma interrogação

Mais um ano (2020) os maravilhosos desfiles das escolas de samba do Amapá poderão não acontecer, por vários motivos.
Um deles é a não regularização das documentações da maioria das escolas.

 

  1. Instituto

Três escolas de samba estão criando o Instituto Cultural do Amapá (ITA), para realizar eventos artístico-culturais de vários segmentos.
A iniciativa partir das escolas Piratas da Batucada, Unidos do Buritizal e Piratas Estilizados.

 

  1. Pintura

Nesta semana 14 belas obras do artista plástico amapaense, Ralfe Braga, estarão decorando o estúdio do programa “Encontro com Fátima Bernardes” (TV Globo).
Um belo cenário colorindo e valorizando as artes visuais. Parabéns.

 

  1. Rainha

Quarta (19) a quadrilha junina Simpatia da Juventude, vai realizar a segunda edição do concurso “Rainha do Baião – Diversidade”. Venda de comidas típicas, sorteio de rifas, prêmios para melhor torcida, show com Jéssica Wane e outras atrações.
Na quadra do colégio Azevedo Costa (av: José Antônio Siqueira – Laguinho), a partir das 20h30.

 

  1. Municipal

Dia 3 de julho (quarta) a Liga Junina de Macapá vai realizar o I Festival de Quadrilhas Juninas de Macapá, na quadra da escola de samba Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Stª Rita).
São 10 quadrilhas na disputa: Encanto da Juventude, Raízes Culturais, Simpatia da Juventude, Atração Junina, Guerreiros da Esperança, Flor Junina, Guerreiros de Fogo, Reino de São João, Renovação Junina e Luar do Sertão.

 

  1. Faltando

Sentindo falta de músicas produzidas com mais qualidade pela nova geração de compositores do país.

Com letras, melodias e cantos em harmonia com o padrão da boa Música Popular Brasileira. Com menos modismo, mais poesia.

 

  1. Destaque

Nega Laura do Marabaixo é um dos destaques da nova geração das mulheres marabaixeiras amapaenses.

Ela compõe ladrões de marabaixo, canta, toca (caixa e tambor) e dança. É completa nesse segmento.


A influência da cultura na formação do cidadão


Mais do que uma característica essencial de uma sociedade, a cultura pode ser considerada como o elemento principal que difere uma nação de outra. Os costumes, a música, a arte e, principalmente, o modo de pensar e agir, fazem parte da cultura de um povo e devem ser preservados para que nunca se perca a singularidade do coletivo em questão. A palavra cultura deriva do latim, colere, que tem como significado literal “cultivar”. Partindo desse princípio, percebemos que se trata de uma herança acumulada ao longo dos anos, e que deve ser preservada.

Durante muito tempo, o termo cultura foi estudado e acabou sendo dividido em algumas categorias: Cultura segundo a Filosofia: trata-se de um conjunto de manifestações humanas, de interpretação pessoal, e que condizem com a realidade. Cultura segundo a Antropologia: o termo deve ser compreendido como uma soma dos padrões aprendidos, e que foram desenvolvidos pelo ser humano. Cultura Popular: associa-se a algo criado por um determinado grupo de pessoas que possuem participação ativa nessa criação. Música, arte e literatura são exemplos que podem ser utilizados.

Por ser um agente forte de identificação pessoal e social, a cultura de um povo se caracteriza como um modelo comportamental, integrando segmentos sociais e gerações à medida que o indivíduo se realiza como pessoa e expande suas potencialidades. Entretanto, é necessário lembrar que essa percepção individual tem grande influência por parte do grupo. As escolhas selecionadas ou valorizadas pelo grupo tendem a ser selecionadas na percepção pessoal.

Além disso, a cultura possui quatro processos que têm participação ativa na influência do indivíduo:
O Agente Cultural: Seja qual for a forma de expressão artística que ele promove, trata-se de alguém que se sente valorizado pelo que é capaz de fazer e, mesmo na velhice, é muitas vezes procurado para transmitir seus conhecimentos aos mais jovens. O Propagador Cultural: É aquele que não cria, mas que valoriza e ajuda a difundir determinados tipos de arte. Muitas vezes, dedica sua vida a esse propósito. Dentro desse grupo, estão incluídos os indivíduos que compram e comercializam produtos culturais. (www.institutofilantropia.org.br).

 

  • “VivArte”

Dia 20 de junho (quinta) vai acontecer a 4ª Mostra VivArte, com participação de dança, poesia, teatro e música.
No Teatro das Bacabeira, às 19h. Ingresso está no valor de 10,00 e mais 1kg de alimento não perecível.

 

  • “Sou Âmago”

Dia 21 de junho, no Teatro das Bacabeiras, 19h, vai acontecer a 1ª Mostra de Dança do Núcleo Âmago, denominada de “Sou Âmago”.

 

  • Cantando Marabaixo

Sábado (15), na escola Augusto dos Anjos (Rua Eliezer Levy – Laguinho), vai acontecer a 3ª edição do festival Cantando Marabaixo nas Escolas.
Com participação de 10 estabelecimentos de ensino, de seis municípios, a partir das 15h.
Cantor e compositor amapaense, Osmar Júnior, fará um show encerrando o evento.

 

  • Caravana Cultural

Dia 14 (sexta) a Caravana Cultura do programa “O Canto da Amazônia” (Diário FM – 90,9) estará no Centro Cultural Tia Biló (Av: Eliezer Levy – 632).
Em homenagem ao Dia Estadual do Marabaixo, que será comemorado no domingo (16).

 

  • Destaque nacional

A Miss Caipira, Renata Tayana, da quadrilha junina Simpatia da Juventude virou notícia nacional pela FanPage “Juninas do Brasil”, que noticia os destaques da cultura popular brasileira.
Jornalistas da equipe que produz a página informaram que ficaram encantados com a beleza da representante da fera do Amapá, e logo publicaram uma das fotos em destaques da Miss.
“O que nos chamou atenção foi a espontaneidade, beleza, simpatia e riqueza de detalhes da jovem na foto. Um clic perfeito das grandes personalidades da beleza da cultura popular do país”, disse o redator.

 

  • Mudança

Presidente da Liga Macapá de quadrilhas juninas, Cláudio Vaz, informa que possivelmente irá transferir as datas do festival municipal, marcado para acontecer de 21 a 23 de junho.

 

  • Forrozão do Museu

A Associação Amigos do Museu vai realizar o 1º Forrozão do Museu Sacaca, dia 12 de julho.
No Museu Sacaca (Av: Feliciano Coelho – Trem), às 16h. Entrada franca.


Conheça o beija flor Brilho-de-Fogo


O beija-flor-brilho-de-fogo (Topaza pella) é uma ave da família Trochilidae. As terras amapaenses abrigam o beija-flor que é considerado o maior e mais bonito espécime existente no Brasil. Seu nome científico é Topaza Pella, mas é mais conhecido como Beija-flor-brilho-de fogo ou topázio-vermelho. Também é encontrado em Roraima, Pará, Maranhão, nas Guianas, Venezuela e Leste do Equador.
O macho, com cerca de 20 centímetros de comprimento (incluindo aqui a cauda, com duas penas alongadas e cruzadas), tem a garganta dourada ou verde-metálica, com a barriga vermelha-metálica. Já a fêmea, menor (cerca de 12 centímetros), é verde-amarronzada, também com garganta vermelha-metálica.
Eles constroem seus ninhos em galhos debruçados sobre os igarapés. Estes possuem forma de taça. Antes, durante as cerimônias pré-nupciais, o macho bate as asas diante da fêmea pousada, abrindo e fechando a cauda. O beija-flor costuma tomar banhos em riachos e igarapés, onde chega a nadar sob a água em trajetos curtos. Para se secar, sacode a plumagem em pleno o voo. São poucos lugares que se tem a chance de se deparar com esse bichinho, mas encontrá-lo é um momento inesquecível.
O macho mede cerca de 20 cm de comprimento (mais da metade corresponde à cauda) e a fêmea 12 cm. O macho tem duas penas da cauda muito alongadas e cruzadas, garganta dourada ou verde-metálica e barriga vermelha-metálica e a fêmea é verde-amarronzada com garganta vermelha-metálica. (pt.wikipedia.org)

 

  • Carnaval 2020

A Beija-Flor já divulgou seu enredo para o carnaval de 2010: “Se Essa Rua Fosse Minha”.
A “Deusa da Passarela vem passear pela jornada épica da humanidade, ela que todo ano toma para si uma Rua, a Marquês de Sapucaí, como se fosse sua…”. (sinopse do enredo).

 

  • Rainha

O concurso Rainha do Baião Diversidade está agendado para acontecer dia 19 (quarta), véspera do feriado, na quadra do colégio Azevedo Costa, na av: José Antônio Siqueira – Laguinho, a partir das 20h.

 

  • Musa Verão

Inscrições abertas para o tradicional concurso Musa Verão 2019 (até 21 de junho), no Macapatur (av: FAB, 2474 – bairro santa Rita).
A apresentação das candidatas será dia 28 de junho, no Macapá Shopping, e o concurso dia 7 de julho, em Fazendinha.

 

  • Credenciados

Fundação de Cultura de Macapá divulgou a lista dos artistas credenciados, pelo Edital, para participarem da programação do Macapá Verão 2019. Informações (www.fumcult.macapa.ap.gov.br).

 

  • “Encontro dos Tambores”

Título da música de Enrico Di Miceli, Leandro Dias e Joãozinho Gomes, que está no repertório do 1º disco solo, de Enrico, “Todo Música”.
Uma bela homenagem ao Encontro dos Tambores, evento que acontece todo mês de novembro, durante a semana da consciência negra, no Centro de Cultura, sede da UNA, em Macapá. Parabéns.

 

  • Namorados

Nesse 12 de junho, dia em que é comemorado e festejado o Dia dos Namorados, vai aqui uma pequena homenagem aos enamorados da arte.

 

  • “Estação Lunar”

Projeto que faz parte da programação do Macapá Verão, toda quinta de julho, em Fazendinha, a partir das 19h.
Música amapaense, com linguagem amazônica, no ritmo do Batuque e Marabaixo.


O sabor da música tucuju


São muitos os estilos e sabores das composições musicais, produzidas no Amapá, que retratam em seus sons e ritmos o que de mais belo existe nesse estado ao norte do Brasil, que faz fronteira com a Guiana Francesa e às margens do maior rio do mundo, o Amazonas. Mas a temática é a mesma, as coisas do Amapá.

A linguagem da musicalidade tucuju, nas letras e melodias, são características verdadeiras de quem vive em um lugar com riquezas regionais espetaculares e verdadeiras, no meio da floresta amazônica e com uma matéria prima abundante e satisfatória.

O sabor das canções que cantam as coisas existentes no Amapá é degustado e aprovado pelos maiores e mais exigentes críticos da música brasileira, que já ouviram a beleza do cancioneiro tucuju.

Produtores, músicos, compositores letristas, cantores e diretores brasileiros (de bom gosto), já provaram desse tempero musical regional, de um povo privilegiado que tem o seu lugar destacado em belas canções.

Os rios, povo, costumes, tradição, cultura, floresta e lugares existentes no Amapá são exaltados com sensibilidade por quem olha para cada peculiaridade e vê o que há de mais valor na alma e no coração do povo que mora nesse caldeirão cultural. Cada uma das pessoas é parte fundamental desse belo e natural cenário cultural amazônico.

Temperar as canções amapaenses com boa letra, melodia, ritmo forte, poesia, ouvir os sons das caixas de mar-a-baixo, batucar os tambores de um lugar e de um povo, é privilégio de poucos que conseguem provar do sabor do cancioneiro tucuju. Pra completar o cardápio, uma boa pitada da voz dos cantadores que fazem ecoar pelo mundo o som que o Amapá produz.

 

  • Campeã

Miss caipira, Ítala Campos, da quadrilha junina Revelação, é a nova Garota Fefap, eleita no último sábado (8).
A jovem já conquistou todos os títulos possíveis, individual e coletivo, da quadra junina amapaense. Parabéns.

 

  • Exposição

Vai até o dia 15 de junho (sábado) a exposição “Expressões Visuais” do artista plástico amapaense, Ralfe Braga, no Macapá Shopping, das 10h às 22h.
A realização é da galeria Arte Amazon. Visite.

 

  • Dança

Dia 22 de junho (sábado) o Centro de Dança Alana Lins vai realizar o Circuito em Dança Moderna.
No Teatro das Bacabeiras, 12h.

 

  • Encerramento

Agenda do Ciclo do Marabaixo 2019 está encerrando, mas os festejos, nas comunidades e grupos, continuam rufando os tambores.

 

  • Programação

O dia estadual do Marabaixo é comemorado em 16 de junho. Vários grupos e comunidades estão se preparando pra festejar e comemorar a data.
Vamos valorizar a cultura-mãe do Amapá e rufar os tambores em nome do povo daqui.

 

  • “Cantando Marabaixo”

O Movimento Nação Marabaixeira vai realizar o Festival Cantando Marabaixo nas Escolas 2019, e está lançando um disco (CD) com participação dos estudantes que irão participar do evento.

 

  • “Sacaca”

Nome da nova música do poetinha, Osmar Júnior, gravada com a participação da banda Afro Brasil.


Ela, a Obra e o Olhar


Pode ser que, entre a razão e a sensibilidade, toda obra de arte se encerra em si. Porém, é natural que, diante de um objeto artístico, nos sintamos obrigados a estabelecer parâmetros entre estilos, formas, composições, cores, expressividade etc; mas nada pode ser tão natural do que refinar a percepção formulando explicações entre essa ou aquela criação, mesmo que isso venha a se configurar, de maneira abstrata, o passo a passo da obra e assim elaborar uma história geográfica ou hierárquica entre o contemplador a obra e a figura romântica do artista.

Essa pode ser uma experiência autêntica e particularmente fruis pela qual podemos passar quando estamos, oportunamente, diante das criações do artista Ralfe Braga que, generosamente, permite e ainda nos instiga para um diálogo franco entre ele, a sua obra e o olhar. Impossível não ceder ao flerte e à clareza consciente de que fazemos parte dessa tríade alquímica que nos leva a pensar que, também e pretensiosamente, estaremos chancelando uma sensível parceria, contribuindo, assim, para potencialização da assinatura do artista.

Aberto a este intercâmbio Ralfe Braga se apresenta esse projeto Ela, a Obra e o Olhar. Um sopro de poesia, delicadeza, cores em tons pastéis, linhas e curvas sinuosas e, por que não, maliciosas. Está aí uma grande oportunidade para perguntas e, certamente, as respostas; da construção de argumentos, de comprovar e reafirmar pontos de afinidades para, com isso e gentilmente, deixar nos seduzir pela sensorial troca de olhares entre nós e elas, na sua forma temática, impressas em técnica fineart deste artista singular. (Ralfe Braga).

 

  • Adiado

O show “Osmar Júnior Canta Belchior”, agendado para acontecer em 14 de junho (sexta), no Norte das Águas (no Araxá), foi adiado (por motivo de
enfermidade) para uma data ainda não definida. A produção do artista informa que os valores, das mesas vendidas, retornarão às contas de origem. Informações: 98121-6999.

 

  • Vozes

O cantor e compositor, Mauro Guilherme, está preparando seu 5º disco (CD) para lançar, em breve, no youtube.
A nova obra do artista denominada de “Vozes do Amapá – Mauro Guilherme e Convidados”, está saindo do forno.

 

  • Mérito

Radialista Armstrong Souza (rádio Diário FM – 90,9) recebeu do Comando Geral da Polícia Militar do Amapá, a Medalha Mérito da Comunicação “Jornalista Jacinta Carvalho”.
Armstrong se destaca pelo desempenho, dedicação e capacidade profissional junto aos meios de comunicação de forma a elevar o prestígio, a imagem e o conceito da PM?AP.

 

  • Lançamento

Cantor e compositor, Enrico Di Miceli, anuncia o lançamento de seu 1º disco solo “Todo Música”, para o segundo semestre deste ano.
Já ouvi e gostei de toda a produção da obra (música/letra). Parabéns ao artista pelo nível do profissionalismo do projeto.

 

  • Ciclo

O Ciclo do marabaixo está encerrando sua agenda 2019, mas as apresentações dos grupos realizadores (Laguinho, Favela e Campina Grande), continuam se apresentando em vários locais.

 

  • Prazo

Encerra nesta quinta (7) o prazo para inscrições de artistas interessados em participar das programações culturais organizadas pelo governo do estado. Informações é só ligar 96 99126-6262.

 

  • Exposição

Iniciou, ontem (6), a exposição “Expressões Visuais” do artista plástico amapaense, Ralfe Braga, no Macapá Shopping.
O evento vai até o dia 15 de junho, das 10h às 22h. A realização é do projeto Arte Amazon. Visite.