Joinville é a capital nacional da dança

comentários

Agora é oficial e a cidade catarinense de Joinville é a Capital Nacional da Dança. O título, sancionado pelo presidente da República, Michel Temer, e pelo ministro da Cultura, Marcelo Calero, só confirma a vocação da região que promove, há mais de 30 anos, o Festival de Dança considerado pelo Guiness Book como o maior no mundo em número de participantes – em torno de 4,5 mil bailarinos. A cidade ainda abriga a única Escola do Balé Bolshoi fora da Rússia.

A entrega simbólica do título ocorreu na noite de abertura do 34ª Festival de Dança de Joinville, na quarta-feira (20), e o título foi publicado no Diário Oficial da União desta quinta (21). Há mais de 30 anos, Joinville promove o evento e, em paralelo, acontecem também a Mostra de Dança Contemporânea, o Festival Meia Ponta – voltado para crianças –, a Feira da Sapatilha, o Encontro das Ruas, a Rua da Dança, além do Palcos Abertos e da Passarela da Dança. O festival segue até sábado (30), com diversas companhias nacionais de dança.


Para o presidente do Instituto Festival de Dança de Joinville, Ely Diniz da Silva Pinto, o título concedido oficialmente à cidade já tem o reconhecimento dos participantes. “A diferença é que agora é oficial, é lei. Culturalmente é inquestionável, pois sediamos um festival considerado o maior do mundo em número de participantes e abrigamos a única escola do Balé Boshoi fora da Rússia”, salientou. O ministro da Cultura, Marcelo Calero, reforçou que a dança conferiu um outro status à cidade: “O título de capital da dança concedido a Joinville reflete a riqueza da pr odução artística brasileira e a importância econômica da atividade cultural”.

A edição deste ano do Festival reúne mais de 400 grupos de escolas de dança do país. Segundo ele, a maioria dos estados está representada.  “Joinville é um “brasileirão da dança”, diz, ao acrescentar que a média de público nos espetáculos é de 4,2 mil pessoas, entre turistas e a comunidade local, apenas no palco principal. Mas mais 230 mil pessoas circulam pelos palcos espalhados pela cidade. A realização do evento só é possível porque o Festival está na lista dos beneficiados com incentivo fiscal da Lei Rouanet. “O mecanismo é de extrema importâ ncia para a produção cultural no país e por isso é muito importante entender que o que se faz em cultura não seria possível sem essa fonte de financiamento. (www.cultura.gov.br).

 

 

CAETANO VELOSO: Caetano Emanuel Viana Teles Veloso, nascido em Santo Amaro, Bahia, em 7 de agosto de 1942). É é um músico, produtor, arranjador e escritor brasileiro. Com uma carreira que já ultrapassou cinco décadas, Caetano Veloso, construiu uma obra musical marcada pela releitura e renovação e considerada amplamente como possuidora de grande valor intelectual e poético.

 

Preservar a Amazônia
Preservar o Amapá
Missão dada ao povo
Sangue deste lugar
Jean Carmo
 

  1. Encerramento MPA

Na sexta, 28, será o encerramento da temporada 2018 do Projeto Música Popular Amapaense (MPA), no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano) – Araxá, 21h.
São 22 cantores, além de músicos, poetas, artistas plásticos, artesanato, etc. reserve sua mesa pelo 99126-6262.

 

  1. “Arte Natal”

Nome da campanha lançado pelo movimento Arte Amazon, oportunizando dar arte de presente nesse natal.
O slogan do projeto é “Nesse Natal Faça Diferente. Dê Arte Amazon de Presente”. www.arteamazon.com.

 

  1. Dinossauros e Abelhas

Nomes atribuídos  aos ex atletas do Handebol amapaense (homens e mulheres), que estão se reorganizando e voltando para contribuir com esse esporte no estado.
Todas as quintas, 19h, os “Dinos e Abelhas” se encontram para jogarem (pelada) e discutirem o projeto de contribuição. Parabéns.

 

  1. Agenda

Domingo, 23, vai rolar o projeto Pagode Natal Solidário do Panamá, na casa de shows Panamá Eventos (Travessa Julião Ramos – Jesus de Nazaré), a partir das 16h.
Atrações: Grupo Sensação do Samba e o sambista convidado especial, Cafú Rota Samba. Informações: 99143-2252.

 

  1. Feira Preta

O Instituto Municipal de políticas de Promoção da Igualdade Racial – Improir, possui um belo projeto de valorização e pertencimento do artesanato afro-amapaense, que é a Feira Preta.
Parabéns ao diretor presidente da instituição, Maycon Magalhães, pela coordenação desse trabalho de resistência desse segmento.

 

  1. Teatro

Neste sábado, 22, tem o espetáculo teatral “Eclesiastes”, na Biblioteca Elcy Lacerda (rua São José – Centro), às 20h. Entrada franca.

 

  1.  Destaque

Maestro Elias Sampaio desenvolve um belo projeto musical no Amapá, com vários destaques nacionais. A Orquestra Essência é um deles. Merece o destaque e o registro da coluna. Parabéns.


Arte Amazon lança a campanha ”Arte Natal” 

comentários

Com o slogan “Neste Natal Faça Diferente, dê Arte de Presente”, a galeria de artes ARTEAMAZON lança a campanha ”Arte Natal”, despertando nas pessoas o hábito de dar Arte como presente de Natal.
A campanha ”Arte Natal” se apresenta sob a forma de uma exposição coletiva de quadros de pequenos formatos chamada “Nanos”. Os “Nanos” que trazem a temática Amazônia, já vem em uma linda embalagem artesanal, pronta para serem presentes de Natal. Servem tanto para ser colocados sobre mesas, quanto em paredes, tornando-os mais uma opção de presentes de bom gosto por um baixo custo.
A exposição ”Arte Natal” abriu, na terça, 18 de dezembro no Piso L3, ao lado do Amazon Fantasy, no Macapá  Shopping e ficará à disposição dos interessados, até o dia 29 de dezembro de 2018. As peças poderão ser adquiridas no local da exposição, no horário das 15h as 21h, ou pelo site www.arteamazon.com.
O ARTEAMAZON é um projeto que divulga e valoriza os artistas que atuam no cenário artístico-cultural da Amazônia. Foi criado e lançado em novembro de 2016. (Gilberto Almeida).

 

CARICATURA: É um desenho de uma personagem da vida real, tal como políticos e artistas. Porém, a caricatura enfatiza e exagera as características da pessoa de uma forma humorística, assim como em algumas circunstâncias acentua gestos, vícios e hábitos particulares em cada indivíduo. Ser caricato é ser objeto de comicidade, ironia ou ter algo peculiar na face ou no corpo, levados ao exagero, à sátira jocosa ou como crítica de costu mes. Historicamente a palavra caricatura vem do italiano caricare (carregar, no sentido de exagerar, aumentar algo em proporção).

 

Meu coração tropical
Amanheceu batucando por você
Eu não sou anormal
Aqui do outro lado do Brasil
Osmar Júnior

 

  1. É hoje

Show das cantoras Mayara Braga e Sabrina Zahara, nesta sexta (21), no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano) – Araxá, às 21h.
O cantor Alexandre Veríssimo abrindo o espetáculo e o convidado especial, João Amorim. Informações: 9999-6670 e 98114-2908. A realização é do Projeto Música Popular Amapaense (MPA).

 

  1. Encontro

Sábado, 22, vai acontecer o Encontro dos Santanenses, no Amazon Beach (Vila Amazonas), na cidade de Santana, às 12h.

 

  1. Papai Noel

Se o Papai Noel da Cultura aparecesse em sua casa e lhe perguntasse, qual o presente que você gostaria de ganhar nesse natal? O que você pediria?

 

  1. Samba Solidário

Domingo, 23, vai rolar o projeto Pagode Natal Solidário do Panamá, na casa de shows Panamá Eventos (Travessa Julião Ramos – Jesus de Nazaré), a partir das 16h.
Atrações: Grupo Sensação do Samba e o sambista convidado especial, Cafú Rota Samba. Informações: 99143-2252.

 

  1. Sorrindo

Cantor e compositor, Nivito Guedes, gravou um clipe com a música “Façamos Alguém Sorrir” de autoria do seu mano, Nonato Santos.
Uma mensagem de paz e amor à humanidade. Acesse Nivito Guedes no Facebook e assista.

 

  1. Banco da Amizade

Dia 26 de dezembro (quarta-feira) vai acontecer o 47º aniversário da Associação Cultural Banco da Amizade, na esquina da rua Gal. Rondon com a av: José Antônio Siqueira – Laguinho.
Uma programação artístico-cultural está sendo preparada para comemorar a data, a partir das 6h.

 

  1. “O Canto da Amazônia”

Um programa 100% regional, com uma linguagem bem amazônica de valorizar a arte e a cultura da região norte brasileira (todos os segmentos).
De segunda à sexta, na Diário FM 90,9. Das 16h às 17:30h. Bom de ouvir.


Conselho Nacional de Política Cultural

comentários

O Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) será reformulado para ficar mais ágil, eficiente, democrático e com um orçamento adequado à atual realidade econômica do País. O ministro Sérgio Sá Leitão decidiu, após ouvir as demandas de diversas entidades e associações do setor cultural, criar um grupo de trabalho para sugerir mudanças no órgão colegiado.

A atualização do CNPC é uma pauta importante para esta gestão do MinC. “O CNPC é integrado por representantes da sociedade civil e do poder público das diversas regiões do país e tem a missão de debater as políticas públicas para o desenvolvimento das atividades culturais”, explica o ministro Sérgio Sá Leitão. “Com um novo modelo de funcionamento, poderá contribuir muito para o avanço do MinC e das políticas de cultura.”

Com um CNPC reestruturado em 2018, o MinC pretende ampliar a democratização do acesso aos bens culturais e às políticas públicas do setor. Os custos operacionais do Conselho também devem ser readequados: estão hoje em R$ 1,8 milhão por ano, além de R$ 3,5 milhões a cada dois anos relativo ao processo eleitoral. Isso porque o MinC arca com as passagens e diárias dos membros, que se reúnem periodicamente em Brasília, além da logística dos encontros. “Queremos reduzir o custo e ampliar os resultados”, afirma o ministro.

Criado em 2005, o Conselho Nacional de Política Cultural é formado pelo Plenário, o Comitê de Integração de Políticas Culturais, os 18 Colegiados Setoriais, as Comissões Temáticas e a Conferência Nacional de Cultura. Sua estrutura fixa envolve mais de 600 pessoas, sendo os 540 integrantes dos Colegiados Setoriais, entre titulares e suplentes, escolhidos em processo eleitoral nacional. É uma estrutura imensa, com baixo grau de eficiência e de eficácia, e um alto custo para os contribuintes. Representantes do poder público e da sociedade civil integrantes do Conselho. (www.cultura .gov.br)

 

 

PATCHOULI: Patchouli, patchouly, pachouli, pachuli, patechuli, patexulí ou ainda orizano Brasil, é o nome dado tanto a um conjunto de espécies de plantas do gênero Pogostemon quanto ao óleo essencial obtido d e suas folhas. Geralmente, refere-se às espécies Pogostemon cablin, muito cultivada na Indonésia, Pogostemon heyneanus ou Pogostemon patchouly, esta última designada patchuli de Java. As outras plantas do mesmo género botânico não são adequadas à produção do óleo.

 

Lá no Araguari
Há uma estrada pra lua
Onde a minha vida
Sentou e seguiu
Osmar Júnior

 

  1. Niver

Nesta quinta, 20, comemoramos o aniversário do cantor e compositor tucuju, Val Milhomem.
Muitas bênçãos e sucesso sempre.

 

  1. Bar Caboclo

Dia 30 de dezembro será a última apresentação de 2018 do espetáculo Bar Caboclo.
No Teatro das Bacabeiras, 21h.

 

  1. Natal Solidário

A Associação dos Músicos e Compositores do Amapá (Amcap) vai realizar o Natal Solidário, sábado 22, às 17h. Rua Professor Tostes, 691 – Jesus de Nazaré, próximo a av: José Tupinambá (antiga Nações Unidas).
Doe brinquedos e participe faça uma criança feliz. Informações: 99126-6262.

 

  1. Clipe

Nesta quinta, 20, será lançado o vídeo clipe da música “Encontro dos Tambores”, que está no primeiro disco solo do cantor e compositor Enrico Di Miceli “Todo Música”.
Nas redes sociais do artista (Facebook, Instagran e Youtube).

 

  1. Prêmio

A editora Mágico de Oz está homenageando a poetisa amapaense, Alcinéa Cavalcante, com o Prêmio Destaque Poético 2018.
O reconhecimento vem pelo trabalho da artista desenvolvido ao longo do ano de 2018. Parabéns.

 

  1. Agenda MPA

Sexta, 21, tem show das cantoras Mayara Braga e Sabrinha Zahara, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano) – Araxá, 21h.
Artistas convidados: João Amorim e Alexandre Veríssimo, esse abrindo o espetáculo. Informações: 9999-6670 e 98114-2908. A realização é do Projeto Música Popular Amapaense (MPA).

 

  1. Destaque

Professor de música e guitarrista amapaense Fábio Costa (Fabinho), é um daqueles músicos que dá gosto de ouvir o que ele toca, pois a qualidade técnica é impressionante. Merece o destaque e o registro da coluna.


Jorge Amado e o seu “Cemitério” Particular

comentários

Poesia é um gênero literário caracterizado pela composição em versos estruturados de forma harmoniosa. É uma manifestação de beleza e estética retratada pelo poeta em forma de palavras. No sentido figurado, poesia é tudo aquilo que comove, que sensibiliza e desperta sentimentos. É qualquer forma de arte que inspira, encanta e que é sublime e bela.

O escritor e poeta brasileiro, Jorge Amado, nos presenteou com muitas escritas como esse “Cemitério”. Guarde-o pra você.

“Tenho horror a hospitais, os frios corredores, as salas de espera, ante-salas da morte, mais ainda a cemitérios onde as flores perdem o viço, não há flor bonita em campo santo. Possuo, no entanto, um cemitério meu, pessoal, eu o construí e inaugurei há alguns anos quando a vida me amadureceu o sentimento. Nele enterro aqueles que matei, ou seja, aqueles que para mim deixaram de existir, morreram: os que um dia tiveram a minha estima e perderam.

Quando um tipo vai além de todas as medidas e de fato me ofende, já com ele não me aborreço, não fico enojado ou furioso, não brigo, não corto relações, não lhe nego o cumprimento. Enterro-o na vala comum de meu cemitério – nele não existe jazigo de família, túmulos individuais, os mortos jazem em cova rasa, na promiscuidade da salafrarice, do mau caráter. Para mim o fulano morreu, foi enterrado, faça o que faça já não pode me magoar.

Raros enterros – ainda bem! – de um pérfido, de um perjuro, de um desleal, de alguém que faltou à amizade, traiu o amor, foi por demais interesseiro, falso, hipócrita, arrogante – a impostura e a presunção me ofendem fácil. No pequeno e feio cemitério, sem flores, sem lágrimas, sem um pingo de saudade, apodrecem uns tantos sujeitos, umas poucas mulheres, uns e outras varri da memória, retirei da vida.

Encontro na rua um desses fantasmas, paro a conversar, escuto, correspondo às frases, às saudações, aos elogios, aceito o abraço, o beijo fraterno de Judas. “Sigo adiante e o tipo pensa que mais uma vez me enganou, mal sabe ele que está morto e enterrado”.

 

OXÓSSI: Oxóssi (no candomblé) ou oxósse (no omolocô) é o orixá da caça, florestas, dos animais, da fartura, do sustento. Está nas refeições, pois é quem provê o alimento. É a ligeireza, a astúcia, a sabedoria, o jeito ardiloso para capturar a caça. É um orixá de contemplação, amante das artes e das coisas belas. É o caçador de axé, aquele que busca as coisas boas para um ilé, aquele que caça as boas influências e as energias positivas.

Eu só visitei as estrelas
Pra te encantar
Eu só visitei as estrelas
Pra te contar
Lula Barbosa 
 

  1. “Todo Música”

Título do 1º disco solo do músico, compositor e cantor, Enrico Di Miceli, que já inicia seu trabalho de divulgação da obra.
O lançamento está agendado para 2019, depois do carnaval.

 

  1. Apresentação

O texto de apresentação do 1º disco de Enrico Di Miceli (Todo Música), tem a assinatura do consagrado cantor e compositor brasileiro, Zeca Baleiro, amigo e admirador das obras de Enrico.
Ouvi as músicas e confesso que sou suspeito pra falar, mas “tá” massa.

 

  1. Lançamento

A primeira música do disco “Todo Música”, do cantor, compositor e músico, Enrico Di Miceli, será lançada nesta terça (18), em todas as redes sociais do artista (Facebook,
Instagran, Youtube).

Na quinta (20) será lançado o vídeo clipe da música. Já na expectativa.

 

  1. Agenda MPA

Sexta, 21, tem show das cantoras Mayara Braga e Sabrinha Zahara, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano) – Araxá, 21h.
Artistas convidados: João Amorim, Dulce Rosa e Alexandre Veríssimo abrindo o espetáculo. Informações: 9999-6670 e 98114-2908. A realização é do Projeto Música Popular Amapaense (MPA).

 

  1. Férias

Cantora amapaense, Patrícia Bastos, que reside em São Paulo cuidando da carreira artística, está na terrinha Macapá.
Veio visitar a família e rever amigos, além de algumas agendas de shows.

 

  1. Deu CDC

Corpo de Dança Caprichoso (CDC) conquistou o título estadual de melhor grupo Toada do Amapá, no último sábado, 15, na quadra do colégio Azevedo Costa.
Com a temática “Amazônia-Liberdade: Somos Cultura, História e Resistência; Somos um Grito de Liberdade Pela Nossa Amazônia”. Parabéns.

 

  1. “Mestiçaria”

Nome do novo CD do consagrado cantor e compositor, Lula Barbosa, parceiro de Joãozinho Gomes nesse projeto, com a música “O Dobrador de Obá”.
A canção é uma homenagem a Tia Chiquinha, quando o artista esteve em Macapá, em 2007.
Lula é autor de “Mira Ira”, 2ª colocada no Festival dos Festivais, em 1985, promovido pela TV Globo.

 

 


A influência da cultura na formação do cidadão

comentários

Mais do que uma característica essencial de uma sociedade, a cultura pode ser considerada como o elemento principal que difere uma nação de outra. Os costumes, a música, a arte e, principalmente, o modo de pensar e agir, fazem parte da cultura de um povo e devem ser preservados para que nunca se perca a singularidade do coletivo em questão. A palavra cultura deriva do latim, colere, que tem como significado literal “cultivar”. Partindo desse princípio, percebemos que se trata de uma herança acumulada ao longo dos anos, e que deve ser preservada.

Durante muito tempo, o termo cultura foi estudado e acabou sendo dividido em algumas categorias: Cultura segundo a Filosofia: trata-se de um conjunto de manifestações humanas, de interpretação pessoal, e que condizem com a realidade. Cultura segundo a Antropologia: o termo deve ser compreendido como uma soma dos padrões aprendidos, e que foram desenvolvidos pelo ser humano. Cultura Popular: associa-se a algo criado por um determinado grupo de pessoas que possuem participação ativa nessa criação. Música, arte e literatura são exemplos que podem ser utilizados.

Por ser um agente forte de identificação pessoal e social, a cultura de um povo se caracteriza como um modelo comportamental, integrando segmentos sociais e gerações à medida que o indivíduo se realiza como pessoa e expande suas potencialidades. Entretanto, é necessário lembrar que essa percepção individual tem grande influência por parte do grupo. As escolhas selecionadas ou valorizadas pelo grupo tendem a ser selecionadas na percepção pessoal.

Além disso, a cultura possui quatro processos que têm participação ativa na influência do indivíduo:

O Agente Cultural: Seja qual for a forma de expressão artística que ele promove, trata-se de alguém que se sente valorizado pelo que é capaz de fazer e, mesmo na velhice, é muitas vezes procurado para transmitir seus conhecimentos aos mais jovens. O Propagador Cultural: É aquele que não cria, mas que valoriza e ajuda a difundir determinados tipos de arte. Muitas vezes, dedica sua vida a esse propósito. Dentro desse grupo, estão incluídos os indivíduos que compram e comercializam produtos culturais. O Espectador Cultural: Grupo formado por pessoas que não criam e nem difundem a arte, mas que são apreciadores do gênero e qu e se identificam com outros de pensamento semelhante. Um exemplo do gênero e que pode ser citado é a formação dos fã-clubes, que interagem entre si promovendo o ídolo de diversas maneiras. O Alienado Cultural: Trata-se de alguém ou determinado grupo que denuncia as formas de expressão cultural. Presente muitas vezes em regimes ditatoriais, evidencia a exclusão social e oprime movimentos artísticos menos poderosos mas, nem por isso, com menos influência na sociedade. (www.institutofilantropia.org.br).

 

CABOCLO E CABOCO: A gente se acostumou a usar as palavras indígenas metendo sempre um “r” no meio para corrompê-la na sua origem. E assim chamamos tracuá (para taraquá, espécie de formiga), traíra (taraíra, peixe de água doce). Os portugueses colocaram um “L” no meio da palavra caboclo, que ficou meio feinha, mesmo assim ela não perdeu o significado original.

O que será que me dá
Que me bole por dentro será que me dá
Que brota flor da pele será que me dá
E que me sobe as faces e me faz corar
Chico Buarque
 

  1. Agenda MPA

Sexta, 21, tem show das cantoras Mayara Braga e Sabrinha Zahara, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano) – Araxá, 21h.
Artistas convidados: João Amorim, Dulce Rosa e Alexandre Veríssimo abrindo o espetáculo. Informações: 9999-6670 e 98114-2908.
A realização é do Projeto Música Popular Amapaense (MPA).

 

  1. Encerramento

Dia 28 de dezembro será o encerramento da temporada 2018 do Projeto MPA (Música Popular Amapaense), no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano) – Araxá, a partir das 21h.
Para o show de enceramento serão 23 cantores, mais de 20 músicos, poetas, exposição e comercialização de artes plásticas, livros, DVDs, artesanato, discos, etc. aguardem.

 

  1. Resultado

Projetos da Lei Rouanet injetaram 49,78 bilhões na economia, em 27 anos. A Lei não só impulsiona a economia criativa brasileira, como gera dividendos para o País.
A cada R$ 1 investido por patrocinadores em 53.368 projetos culturais, por meio da Lei em 27 anos, R$ 1,59 retornaram para a sociedade por meio da movimentação financeira.
É uma extensa cadeia produtiva, que vai desde a equipe contratada para construção de um cenário, à logística de transporte necessária para a montagem de um show. (www.cultura.gov.br).

 

  1. Samba

Sábado, 15, é aniversário de 23 anos de dois grandes projetos de samba e pagode do Amapá. “Pagode do Josimar e Cafú Rota Samba”.
Na quadra da escola de samba Maracatu da Favela (av: Padre Júlio – Santa Rita), a partir das 17h. Convidados: Thiaguinho Salazar, Quinzinho, Vitinho Oliveira, Sharlinho e DJ Luiz Carlos. Informações: 99196-3121 e 99181-0422.

 

  1. Dança

Domingo (16) a Federação das Entidades Juninas e Folclóricas do Amapá, vai realizar a Mostra de dança Fejufap 2018 – Arte e Cultura.
O evento será no Teatro das Bacabeiras, às 19h. A entrada é 1kg de alimento não perecível. Os alimentos arrecadados serão doados para a Casa da Hospitalidade, em Santana e Abrigo São José, em Macapá.

 

  1. Cortejo

O Cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo vai acontecer no domingo. A concentração do Cortejo está marcada para às 16h, na av: Coaraci Nunes (ao lado do Banco do Brasil).
A saída será, às 17h, com chegada na Praça Floriano Peixoto, onde haverá show artístico.

 

  1. “Caia na Folia”

Nome do tradicional baile de carnaval de salão, marcado para acontecer no dia 23 de fevereiro de 2019, na sede da Aseel (Rodovia JK).
A realização é do radialista Azevedo Picanço. Informações: 98114-0202.


Conheça a dança do Siriá

comentários

Tradição – História
A mais famosa dança folclórica do município de Cametá é uma das manifestações coreográficas mais belas do Pará. Do ponto de vista musical é uma variante do batuque africano, com alterações sofridas através dos tempos, que a enriqueceram de maneira extraordinária.

Contam os estudiosos que os negros escravos iam para o trabalho na lavoura quase sem alimento algum. Só tinham descanso no final da tarde, quando podiam caçar e pescar. Como a escuridão dificultava a caça na floresta, os negros iam para as praias tentar capturar alguns peixes. A quantidade de peixe, entretanto, não era suficiente para satisfazer a fome de todos.

Certa tarde, entretanto, como se fora um verdadeiro milagre, surgiram na praia centenas de siris que se deixavam pescar com a maior facilidade, saciando a fome dos escravos. Como esse fato passou a se repetir todas as tardes, os negros tiveram a idéia de criar uma dança em homenagem ao fato extraordinário. Já que chamavam “cafezá” para plantação de café, “arrozá” para plantação de arroz, “canaviá” para a plantação de cana, passaram a chamar de “síria”, para o local onde todas as tardes encontravam os siris com que preparavam seu alimento diário.

Com um ritmo que representa uma variante do batuque africano, a “dança do siriá” começa com um andamento lento. Aos poucos, à medida que os versos vão se desenvolvendo, a velocidade cresce, atingindo ao final um ritmo quase frenético. A “dança do siriá” apresenta uma rica coreografia que obedece às indicações dos versos cantados sendo que, no refrão, os pares fazem volteios com o corpo curvado para os dois lados.

Tal como a “dança do carimbó”, os instrumentos típicos utilizados são dois tambores de dimensões diferentes: para os sons mais agudos (tambor mais estreito e menor) e para os sons graves (tambor mais grosso e maior). Os passos são animados ainda por ganzá, reco-reco, banjo, flauta, pauzinhos, maracá e o canto puxado por dois cantadores.

Também chamada pelos estudiosos como “a dança do amor idílico”, a “dança do siriá” apresenta os dançarinos com trajes enfeitados, bastante coloridos. As mulheres usam belas blusas de renda branca, saias bem rodadas e amplas, pulseiras e colares de contas e sementes, além de enfeites floridos na cabeça. Já os homens, também descalços como as mulheres, vestem calças escuras e camisas coloridas com as pontas das fraldas amarradas na frente. Eles usam ainda um pequeno chapéu de palha enfeitado com flores que as damas retiram, em certos momentos, para demonstrar alegria, fazendo volteios. (www.cdpara.pa.gov.br).

 

CARICATURA: É um desenho de uma personagem da vida real, tal como políticos e artistas. Porém, a caricatura enfatiza e exagera as características da pessoa de uma forma humorística, assim como em algumas circunstâncias acentua gestos, vícios e hábitos particulares em cada indivíduo. Ser caricato é ser objeto de comicidade, ironia ou ter algo peculiar na face ou no corpo, levados ao exagero, à sátira jocosa ou como crítica de costumes. Historicamente a palavra caricatura vem do italiano caricare (carregar, no sentido de exagerar, aumentar algo em proporção).

 

Elegante palmeira
Manequim da floresta
Não tens par nem touceira
Vives só, mas em festa
Enrico Di Miceli, Cléverson Baia e Joãozinho Gomes

 

  1. Miss caipira

Renata Taiana carinhosamente chamada de “Renatinha”, é a nova Miss Caipira da quadrilha junina Simpatia da juventude, apresentada na noite de quarta-feira (12), na sede de Boêmios do Laguinho.
Ela já ocupou a mesma posição, em 2010, no mesmo grupo, sendo eleita a melhor Miss Caipira daquele ano, no tradicional concurso Garota Junina. Parabéns e boa sorte.

 

  1.  “Sonho”

Nome da temática que a quadrilha Simpatia da Juventude vai apresentar na quadra junina de 2019.
Em comemoração aos 25 anos do grupo no ano que vem. O sonho que virou realidade.

 

  1. É hoje

Nesta sexta (14), o Projeto MPA apresenta o show de Nivito Guedes e Finéias Neluty, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano), Araxá.
A cantora Deize Pinheiro abre o show, às 10 da noite. Informações: 98112-7594 e 99115-1774.

 

  1. “Samba Claus”

É o nome da temática do Luau na Samaúma que vai acontecer nesta sexta (14), na Praça da Samaúma (Complexo Marlindo Serrano), Araxá, a partir das 17h.
Muito samba de qualidade pra marcar o encerramento da 2ª temporada desse projeto que é realizado pela Prefeitura de Macapá e Ministério Público.

 

  1. Último ensaio

Nesta sexta vai acontecer o último ensaio do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, para o Cortejo de domingo (16).
Na Praça Floriano Peixoto – Centro, às 19h.

 

  1. Dança

Domingo (16) a Federação das Entidades Juninas e Folclóricas do Amapá, vai realizar a Mostra de dança Fejufap 2018 – Arte e Cultura.
O evento será no Teatro das Bacabeiras, às 19h. A entrada é 1kg de alimento não perecível. Os alimentos arrecadados serão doados para a Casa da Hospitalidade, em Santana e Abrigo São José, em Macapá.

 

  1. Cortejo

O Cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo vai acontecer no domingo. A concentração do Cortejo está marcada para às 16h, na av: Coaraci Nunes (ao lado do Banco do Brasil).
A saída será, às 17h, com chegada na Praça Floriano Peixoto, onde haverá show artístico.

 

 


Conheça o que é a Dança de Salão

comentários

Pode-se dizer que dança de salão é toda a dança social, ou seja, que se dança a dois. Os mais variados ritmos são englobados pela dança de salão.
Segundo historiadores, as danças de casais tornaram-se populares no início do século XIX, embora tenham surgido no século XIV, e evoluído nos séculos seguintes (apenas entre os nobres).
A dança de salão foi introduzida no Brasil em 1914, a princípio com a valsa e a mazurca. Os ritmos mais presentes nos salões do Brasil, assim como nas academias de dança são: soltinho, forró, samba de gafieira, tango, bolero e salsa.
Devido à riqueza de ritmos, as danças de salão podem ser classificadas como latinas ou clássicas.
São danças de salão latinas:
Samba – surgiu no Rio de Janeiro, com base na cultura africana, em ritmos como o lundu, umbigadas (semba) e pernadas de capoeira; Rumba – surgiu em Cuba, levada pelos escravos contrabandeados para aquele país; Merengue – é a dança tradicional da república Dominicana, embora seja popular em outros países da América Central (Haiti e Costa Rica) e América do Sul (Colômbia e Venezuela); Chá-chá-chá – ligado ao mambo, o chá-chá-chá é originário na Rumba. Surgiu em Cuba; Paso – doble – surgiu na Espanha, tem grande semelhança com o One-Step.
São danças de salão clássicas:
Tango – surgiu nos bordeis da Argentina; Valsa Vienense – surgiu na Áustria; Valsa Inglesa – uma variação mais lenta da valsa vienense; Slow Fox – surgiu em Nova York, com base em outro ritmo, o Foxtrot É considerado uma das danças mais difíceis; Quickstep – surgiu nos Estados Unidos, com base no Foxtrot. É mais rápida e fácil que o Slow Fox.
A dança de salão é, além de uma forma de lazer e descontração, é uma atividade física indicada tanto para jovens, quanto para pessoas mais velhas, pois ao dançar, é trabalhada a capacidade aeróbica, as funções cardiovasculares e respiratórias, a flexibilidade, entre outras. (www.infoescola.com).

 

EDUCAÇÃO: No seu sentido mais amplo, educação significa o meio em que os hábitos, costumes e valores de uma comunidade são transferidos de uma geração para a geração seguinte. A educação vai se formando através de situações presenciadas e experiências vividas por cada indivíduo ao longo da sua vida. O conceito de educação engloba o nível de cortesia, delicadeza e civilidade demonstrada por um indivíduo e a sua capacidade de socialização.

 

O canto de casa
É a minha razão
Eu canto com a alma
E o coração
Amadeu Cavalcante

 

  1. Toada

Sábado (15) vai acontecer o Festival Oficial de Toada 2018, na quadra do colégio Azevedo Costa (av: José Antônio Siqueira) – Laguinho, às 20h.
São quatro grupos na disputa do título: Troup Tribal, Grupo CDC, CIA. Galibi Marworno e Essência. A realização é do grupo Guerreiros Mayana. Informações: 99144-5022.

 

  1. Dramaturgia

Sexta (14), o projeto Jornada Bufa vai realizar o espetáculo Dramaturgia Coletiva, no CEU das Artes, na rua principal do Infraero II, Zona Norte, às 19h30.
Com atuação de Jhou Santos e direção de Wellington Dias. Entrada franca.

 

  1. Imperdível

Show para comemorar e festejar os 23 anos de muito samba e pagode dos projetos Rota Samba (Cafú) e Pagode do Josimar.
No sábado (15), na quadra da escola de samba Maracatu da Favela (av: Pe. Júlio – Sta. Rita), a partir das 17h.
Atrações: Thiaguinho Salazar, Quinzinho, Vitinho Oliveira, Sharlinho e DJ Luiz Carlos. Informações: 99196-3121, 99181-0422 e 99121-5580.

 

  1. Banzeiro

O Cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo vai acontecer domingo, 16, com concentração a partir das 16h, na av: Coaraci Nunes – Centro, ao lado do Banco da Brasil.
Os ensaios estão acontecendo na Praça Floriano Peixoto – Centro, às 19h.

 

  1.  “Música Um”

Nome da temporada musical marcada pra acontecer, sábado (15), 22h, no Norte das Águas, com Zé Miguel e os convidados: Osmar Júnior, Rambolde Campos, Hadassa e Nitai.
Complexo Marlindo Serrano – Araxá. Informações: 98114-6612 e 99118-2900.

 

  1. Solidariedade

Domingo, 16, a partir das 11h, na Associação de Subtenentes e Sargentos (Rodovia JK), vai acontecer o projeto beneficente “Juntos Pela Vida”, e toda renda será para o tratamento de Naiza Carolina.
O evento tem o apoio da Escola de Samba Piratas Estilizados. Informações: 99179-318 e 99102-2954.

 

  1. Agenda MPA

Sexta, 14, tem show de Finéias Neluty e Nivito Guedes no Projeto da Música Popular Amapaense (MPA), no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá).
A cantora Deize Pinheiro abre o espetáculo, às 21h. Informações: 98112-7594 e 99115-1774.


Artes visuais retratam cotidiano do samba

comentários

Heitor dos Prazeres, Nelson Sargento, Di Cavalcanti, Cândido Portinari. Esses são alguns dos artistas que pintaram, ao longo dos anos, cenas de um dos gêneros musicais mais famosos do Brasil: o samba. A presença dessa manifestação cultural nas artes visuais não apenas a perpetua ao mostrar sua história, mas também revela que se trata de algo intrínseco ao próprio brasileiro.

“O samba está presente nas artes visuais porque é algo que está no pintor, está dentro da gente, dentro do brasileiro”, afirma o músico e pintor Heitorzinho dos Prazeres. “O samba faz parte da nossa cultura. Está nos versos de poesia, nas esculturas, na pintura porque está no gene do brasileiro”, destaca.

No caso de Heitorzinho dos Prazeres, a influência veio do pai, o sambista e pintor Heitor dos Prazeres (1898-1966). Em suas telas, estão cenas de samba de tempos anteriores, figuras carnavalescas, cenas suburbanas e cenas cariocas festivas. “Eu nasci nesse berço do samba, já chorei ao som do cavaquinho e dormi acariciado pelo som dos pincéis. Com cinco anos, via meu pai pintando embaixo do meu beliche”, recorda.

O pai, Heitor dos Prazeres, tanto nas canções que compôs quanto nos quadros que pintou, narrou com maestria a vida da gente do Rio de Janeiro. “A alegria e o sofrimento desse povo é que me obrigam a trabalhar”, disse o sambista, em referência ao seu processo criativo, no documentário de 1965 que leva seu nome, dirigido por Antônio Carlos da Fontoura.

Autodidata, Heitor dos Prazeres retratou em seus quadros o dia a dia de moradores das favelas, com cenas como brincadeiras de criança, festas juninas, jogos de baralho e rodas de samba, sempre com a indefectível marca dos personagens olhando para o alto.

Outro cantor e compositor que se destaca na pintura é Nelson Mattos, mais conhecido como Nelson Sargento, nascido em 1924, no Rio de Janeiro. Como pintor, ele utiliza as técnicas do primitivismo e do cubismo para retratar palhaços, baianas, festa de carnaval e o cotidiano das favelas. O artista, inclusive, foi um dos agraciados pela 22ª edição da Ordem do Mérito Cultural (OMC), principal condecoração pública da área da cultura, realizada no início de novembro pelo Ministério da Cultura. (www.cultura.gov.br).

 

 

CARROÇA: É um meio de transporte que antecede ao advento dos veículos a vapor. Movida por tração humana ou animal, a carroça era o meio de transporte mais utilizado para os deslocamentos de carga de um lugar a outro. Hoje em dia, é pouco comum o uso de carroças no trânsito de grandes centros urbanos, sendo até chamadas de “charretes”. As carroças são utilizadas mais frequentemente no meio rural.

 

Flor negra, flor bela
No marabaixo ou batuque
Batuca, batuca de amor
Meu coração por ela
Nilson Chaves e Joãozinho Gomes

 

  1. Cortejo

O Cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo vai acontecer no domingo, 16, e os ensaios finais irão a partir desta terça, 11, até a sexta, 14, na Praça Floriano Peixoto, 19h.
Concentração, às 16h, na av: Coaraci Nunes (ao lado do Banco do Brasil).

 

  1. Poesia

Lançamento do livro “A Trilha do Mar”, da poeta Ana Anspach, será no sábado, 15, na Livraria Acadêmica do Macapá shopping, às 20h.
“É uma viagem aos cantos mais escondidos”, dia a autora carioca que há 2 anos reside em Macapá.

 

  1. Mostra de dança

Domingo (16), a Federação das Entidades Juninas e Folclóricas do Amapá vai realizar a Mostra de Dança Fejufap a premiação dos melhor de 2018, no Teatro das Bacabeiras, às 19h.
A entrada será 1 kg de alimento não perecível.

 

  1. Carnaval

Equipe da prefeitura de Macapá reuniu, nesta segunda (10), com as escolas que irão realizar o Carnaval Independente no Meio do Mundo 2019.
Já são cinco (5) escolas que somam com essa ideia: Piratas Estilizados, Maracatu da Favela, Unidos do Buritizal, Piratas da Batucada e Império do Povo.
O projeto, de iniciativa de Piratas Estilizados, contempla as dez (10) escolas de samba, mas as outras cinco ainda não se manifestaram, são elas: Boêmios do Laguinho, Império da Zona Norte, Emissários da Cegonha, Embaixada de Samba e Império Solidariedade.

 

  1. Agenda MPA

Sexta, 14, tem show de Finéias Neluty e Nivito Guedes no Projeto da Música Popular Amapaense (MPA), no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá).
A cantora Deize Pinheiro abre o espetáculo, às 21h. Informações: 98112-7594 e 99115-1774.

 

  1. “Caia na Folia”

Nome do tradicional baile de carnaval de salão, marcado para acontecer no dia 2 de fevereiro de 2019, na sede da Aseel (Rodovia JK).
A realização é do radialista Azevedo Picanço. Informações: 98114-0202.

 

  1. Agenda

Dia 27 de dezembro vai acontecer a “Quinta Jazz Especial”, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá).
As atrações: Lucinhas Bastos e Finéias Neluty (Quarteto Amazon Music). Informações: 99193-8466.


Kassav: melhor banda de Zouk do mundo

comentários

Kassav, palavra em crioulo antilhano < span style=”color:#222222″>que significa “mandioca” é uma banda de zouk de Martinica e de Guadalupe formada em 1979. Os membros originais da banda eram Jocelyne Béroard, Jacob Desyarieux, Jean-Philippe Marthély,1 Patrick St. Éloi (falecido), Jean-Claude Naïmro, e Georges Décimus (que atualmente não mais faz parte do grupo) juntamente com alguns outros componentes, que permaneceam pouco tempo no grupo.

O total de álbuns (em forma de LP e/ou CD) lançados pela banda é aproximadamente de 30.

Kassav foi criado em 1979 por Pierre-Édouard Décimus, músico profissional que, juntamente com Freddy Marshall, decidiu transformar a música de carnaval de Martinica e Guadalupe em um estilo mais moderno.

A banda foi a primeira a despontar como pioneira do zouk. Seu som se tornou “pan-caribenho”, englobando elementos do reggae e da salsa. Seu primeiro álbum, Love and Ka Dance (1980), estabeleceu aquilo que seria conhecido como o zouk. O grupo se tornou cada vez mais popular, atingindo seu auge em 1985 com o álbum Yélélé, onde se destacava o sucesso “Zouk la sé sèl médickaman nou ni”. Com esta música, o grupo espalhou sua música pela América Latina e também pela Europa e até mesmo em países da Ásia, popularizando também a dança zouk. (www.bwevip.com).

 

CAETANO VELOSO: Caetano Emanuel Viana Teles Veloso, nascido em Santo Amaro, Bahia, em 7 de agosto de 1942). É é um músico, produtor, arranjador e escritor brasileiro. Com uma carreira que já ultrapassou cinco décadas, Caetano Veloso, construiu uma obra musical marcada pela releitura e renovação e considerada amplamente como possuidora de grande valor intelectual e poético.

 

Preservar a Amazônia
Preservar o Amapá
Missão dada ao povo
Sangue deste lugar
Jean Carmo

 

  1. Agenda MPA

Sexta, 14, tem show de Finéias Neluty e Nivito Guedes no Projeto MPA, no Norte das Águas, Complexo Marlindo Serrano – Araxá, às 21h.
Quem vai abrir a noite é a cantora Deize Pinheiro. Informações: 98112-7594 e 99115-1774.

 

  1. Samba

Neste sábado (8), tem show de Jorginho do Cavaco cantando os clássicos do samba, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá), a partir das 21h. Informações:  99128-5415.

 

  1. Hoje tem

Neste sábado (8), tem ensaio do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, às 19h, na Praça Floriano Peixoto – Centro.
Vá lá e se inscreva pra participar das oficinas, ensaios e do Cortejo de aniversário, dia 16 (domingo).

 

  1. “Passa Tchonga”

Nome do show que o cantor e compositor, João Amorim, vai realizar neste sábado (8), no Teatro das Bacabeiras, às 20h. Imperdível.

 

  1. Carnaval

Segunda (10), as quatro escolas de samba que estão se organizando para realizar o Carnaval Independente no Meio do Mundo, serão recebidas pela equipe da prefeitura de Macapá, às 17h.
Piratas Estilizados, Unidos do Buritizal, Piratas da Batucada e Maracatu da Favela.

 

  1. Luau

O último Luau de 2018, realizado pelo Ministério Público e Prefeitura de Macapá, está agendado para acontecer dia 14 de dezembro, às 18h.
Na Praça da Samaúma, no Complexo Marlindo Serrano – Araxá.

 

  1. Jogo das Estrelas

Neste aábado (8), 17h, no estádio Zerão, vai acontecer o Jogo das Estrelas (Natal solidário), realizado pelo empresário Edinoelson Trindade (Careca).
O ingresso será um brinquedo ou 1 kg de alimento não perecível, que será doado para a Casa da hospitalidade, no município de Santana.

 

 


comentários

Patrimônio Arqueológico Brasileiro
Riqueza – Pertencimento
Reconhecidos como parte integrante do Patrimônio Cultural Brasileiro pela Constituição Federal de 1988, em seu artigo 216, os bens de natureza material de valor arqueológico são definidos e protegidos pela Lei nº 3.924, de 26 de julho de 1961, sendo considerados bens patrimoniais da União. Também são considerados sítios arqueológicos os locais onde se encontram vestígios positivos de ocupação humana, os sítios identificados como cemitérios, sepulturas ou locais de pouso prolongado ou de aldeamento, “estações” e “cerâmicos”, as grutas, lapas e abrigos sob rocha. Além das inscrições rupestres ou locais com sulcos de polimento, os sambaqu is e outros vestígios de atividade humana.
São passíveis de processo judicial por danos ao patrimônio da União e omissão, por exemplo, os proprietários de terras que encontrarem qualquer achado arqueológico e não comunicarem ao Iphan no prazo de 60 dias. Todos os sítios arqueológicos têm proteção legal e quando são reconhecidos devem ser cadastrados no Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos (CNSA). Com a criação do Centro Nacional de Arqueologia (CNA) o Iphan atendeu à necessidade de fortalecimento institucional da gestão desse patrimônio, normatizada pelo Decreto nº 6.844, de 07 de maio de 2009. Cabe ao CNA, a elaboração de políticas e estratégias para a gest&ati lde;o do patrimônio arqueológico, a modernização dos instrumentos normativos e de acompanhamento das pesquisas arqueológicas que, em duas décadas, aumentaram de cinco para quase mil ações por ano.
Entre as principais atividades do Centro estão o desenvolvimento de ações de acautelamento (tombamento e proposição de medidas diversas para a proteção e valorização do patrimônio arqueológico), a autorização e a permissão para realização, acompanhamento e fiscalização de pesquisas arqueológicas; e a implementação de diversas ações de socialização do patrimônio arqueológico. O instrumento central para orientação dessas ações é o Plano Diretor Estratégico, que deve estabelecer a política nacional para o patrimônio arqueológico quanto à identificação, pesquisa, proteção, promoção e socialização, incluindo um modelo institucional de gestão e um p rograma de tombamento de bens de natureza arqueológica, dentre outras ações. (http://portal.iphan.gov.br).

 

MARABAIXO: A festa Marabaixo é uma comemoração religiosa que acontece no Amapá, praticada por remanescentes de quilombos, os quais demonstram sua fé através da dança, do canto e do consumo da gengibirra, bebida feita à base de gengibre e álcool.  O Marabaixo é uma festa religiosa em louvor à Santíssima Trindade e ao Divino Espírito Santo.

 

Essa canção da Amazônia
Que pode viajar mundo inteiro
Que pode regar o seu peito
Replantar a flor
Osmar Júnior

 

  1. É hoje

Nesta sexta (7) tem show de Val Milhomem e Joãozinho Gomes, no Norte das Águas, abrindo a agenda de dezembro do Projeto MPA (Música Popular Amapaense).
O cantor e compositor, Cássio Pontes, é quem vai abrir o show, às 21h. No Complexo Marlindo Serrano – Araxá. Informações: 99110-0249 e 99154-7815.

 

  1. Sescanta

A Mostra de Música Sescanta Amapá vai acontecer na noite desta sexta (7), no Sesc Amapá, às 19h.
É a 15ª edição desse evento de valorização da música e do artista autoral amapaense. Entrada franca.

 

  1. Ensaio

Hoje é dia de ensaio e oficina do Banzeiro do Brilho-deFogo, na Praça Floriano Peixoto, às 19h.
É a preparação para o Cortejo do dia 16 de dezembro.

 

  1. Luau

O último Luau de 2018, realizado pelo Ministério Público e Prefeitura de Macapá, está agendado para acontecer dia 14 de dezembro, às 18h.
Na Praça da Samaúma, no Complexo Marlindo Serrano – Araxá.

 

  1. Jogo das Estrelas

Sábado (8), 17h, no estádio Zerão, vai acontecer o Jogo das Estrelas (Natal solidário), realizado pelo empresário Edinoelson Trindade (Careca).
O ingresso será um brinquedo ou 1 kg de alimento não perecível, que será doado para a Casa da hospitalidade, no município de Santana.

 

  1. Reforma

Escola de Artes Candido Portinari (rua Cândido Mendes – Centro) está passando por reforma e logo será reinaugurada.
Artistas e professores de vários segmentos terão a velha casa de volta.

 

  1. Lançamento

Quadrilha junina Simpatia da Juventude vai lançar seu projeto de 2019, na quarta (12), na sede de Boêmios do Laguinho (av: Gal. Osório – Laguinho), às 20h.
Além do tema, serão apresentados: marcador, equipe temática, coreógrafos, estilistas, coordenação, miss caipira e outros profissionais.