Nascidos para fazer o melhor

comentários

Naza Mcfarren e Augusto Leite. Ela, piauiense, uma das maiores expressões da arte plástica contemporânea mundial; ele, paraense, artista do mesmo ramo que apronta as malas para alçar voos fora do estado do Amapá, rincão brasileiro que escolheu para morar e desenvolver as suas atividades de psiquiatra formado pela UFPA. Entre ambos, dois traços em comum: amor pela arte e a filantropia. Augusto Leite, além de grande construtor de quadros, dominando várias técnicas, principalmente óleo sobre tela, é poeta, escultor, excelente contador de ‘causos’, notadamente sobre estórias ribeirinhas do caboclo amazônico, e ainda participante de eventos que buscam o bem da sociedade. Naza, dispensa comentários, é celebrizada no mundo todo, sem esquecer as suas raízes. Um quadro dela, avaliado em R$ 10 mil, foi doado ao Ijoma como contribuição na campanha Outubro Rosa.

 

Democracia

A moralização do país, não pode parar. Neste momento, a população tem que duvidar de tudo e de todos, em se tratando dos três poderes constituídos da República brasileira.

Não é coisa de outro mundo duvidar da Justiça que se tem, pois ela é constituída por pessoas iguais a nós, gente comum, em que pese a formação que tiveram ou têm para julgar semelhantes.

Vem em boa hora a manifestação programada para esta quinta-feira, 25, às 21h, para pressionar os ministros do STF a decidirem quanto à manutenção da prisão em segunda instância e ao parecer relativo ao foro privilegiado.

Os poderes, teoricamente, são independentes, porém harmônicos. Então, se manifestações, como panelaços e afins, ocorrem em relação ao Executivo e Legislativo, também podem ser realizadas em referência ao Judiciário.

 

Acendam as luzes
Aprecio o amor que os estudantes do instituto bíblico onde eu lecionava têm por Jesus e a maneira como o demonstram. Os seus empregadores, mesmo os não cristãos, muitas vezes me falaram da ética exemplar do trabalho deles. O superintendente da polícia local disse certa vez: “Quando os alunos do Instituto Moody voltam para o campus, é como se alguém “acendesse as luzes” naquela parte da cidade.

Foi exatamente isso que Jesus tinha em mente quando disse: “Vós sois a luz do mundo…” (Mateus 5:14). Essa é uma descrição poderosa sobre o impacto causado pelo contraste. Deveria haver uma diferença visível entre a integridade dos cristãos e a escuridão que prevalece sobre o nosso mundo.

Não se trata de fazer discursos a favor de Jesus; o fato é que as pessoas estão nos observando. Mesmo que não queiram ouvir a respeito de Jesus, você pode ter certeza que eles estão nos observando para ver se Cristo faz diferença em nossa vida. Quando Jesus disse: “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (v.16), Ele estava dizendo que, antes de falar, precisamos mostrar quem somos. Nossa capacidade de brilhar para Jesus é medida por nossas boas obras, as quais revelam a presença de Jesus em nós. Vamos acender as luzes. Deixe que as pessoas vejam a Luz de Cristo em seu cotidiano.— Joe Stowell


Tudo pelo Padroeiro

comentários

Em breve, o macapaense, visitantes e turistas passarão a ter um novo visual, aliás, dois novos visuais na frente da cidade, visuais esses molhados pelo caudaloso rio Amazonas. É que a Diocese de Macapá quer mudar o Pedestal e a Imagem de São José que nos protege no local chamado Pedra do Guindaste, em razão do desgaste pelo tempo. Para a consecução do projeto, o bispo Dom Pedro José Conti recorreu à ajuda da Associação Comercial e Industrial do Amapá, que o acatou, tendo o próprio presidente Altair Pereira como grande entusiasta. Assim sendo, a nova Imagem do Santo Padroeiro na Pedra do Guindaste passará a ter em torno de três metros de altura, devidamente caracterizada com o Menino Jesus no braço esquerdo, abençoando a capital amapaense, de frente para a cidade, não de costas, como agora. A atual Imagem, de menor estatura do que a que virá, revitalizada, receberá o Filho de Deus no braço, mas será transportada para frente da Fortaleza de São José, também dentro do rio Amazonas. Que assim venha a ser, amém!

 

É, mas não é

Fabiana Karla faz uma personagem de humor, gorda, nutricionista. Em uma de suas gavetas de trabalho ela tem chocolate e outras guloseimas para consumo, durante o expediente. Aos clientes, é rigorosa quanto à ingestão de comida que pode favorecer a obesidade. Com “Isso pode, isso não pode’, bem no seu jeito engraçado, orienta a clientela, faz o espectador rir, e entre um paciente e outro paciente, vai empanturrando a barriga. A personagem incorpora a pessoa falsa, hipócrita, que ensina uma coisa, mas faz outra. Isso pode, isso não pode. É o médico cardiologista que no consultório e por aí condena peremptoriamente o uso do cigarro, mas que na intimidade dá gostosas baforadas. O político que arrota honestidade, mas está todo envolvido em corrupção. O religioso que prega a santidade do sexo somente usado para a procriação, porém é contumaz pulador de cercas. O comerciante que propaga pagar impostos e manter uma relação transparente com a clientela, mas altera para menos a pesagem da balança. O vendedor de açaí ralo que coloca trigo no produto para vendê-lo como se fosse do grosso. E assim vai… Todo ser humano age dessa maneira, alguns, costumeiramente, outros, de vez em quando. Quem não tem pecado que atire a primeira pedra. E só para concluir: vi isso na internet e na televisão – mulher gestante não pode ficar em fila de banco, mas pode ser destaque em desfiles de carnaval.

 

O grande médico
Ao refletir sobre sua saúde, que estava se deteriorando, John Donne (1572–1631) descreveu o que sentira quando os médicos o examinaram para achar a “raiz” da sua doença. Serenamente, eles discutiram suas conclusões, do lado de fora do quarto.

Em princípio, Donne sentiu medo, mas com o tempo viu a compaixão neles e começou a confiar. A preocupação deles lembrou-lhe de que ele podia confiar no Grande Médico. Ao ler os evangelhos, viu o rosto de Deus o Pai no rosto terno e cheio de compaixão de Jesus.

Muitos de nós lutamos com os nossos pensamentos a respeito de Deus, especialmente durante uma enfermidade. Talvez ao crescermos tenhamos participado de uma igreja que retratava um Deus irado, que nos enviou a doença. Será que podemos confiar nele? Como Donne, voltamo-nos para os evangelhos em busca da razão para confiar em Deus. E a encontramos em Seu Filho Jesus, que foi infalível em compaixão pelos aflitos.

E assim, oramos como fez Donne: “Livra-me, portanto, ó meu Deus, dessas imaginações vãs” — a crença de que por causa do nosso pecado perdemos a bondade e a misericórdia de Deus”. Como Donne disse sabiamente, o grande médico “conhece as nossas enfermidades naturais, pois Ele as teve e conhece o peso dos nossos pecados, e pagou um preço alto por eles”. David H. Roper


Par perfeito

comentários

A polarização política está cada vez mais evidente e a discussão sobre o lado de cada um nessa ‘guerra’ marca presença em rodas de amigos, almoços de família, páginas sociais e, também, na hora de buscar o seu par perfeito. Para confirmar a veracidade do ditado que diz que os opostos se atraem, o ParPerfeito (www.parperfeito.com.br), maior site de relacionamento do Brasil, resolveu verificar como homens e mulheres lidam com o assunto. Para isso, foi realizada uma pesquisa com 2.629 solteiros que mostra que, aproximadamente, 70% de homens e mulheres não consideram decisiva a opinião política no momento do flerte. Embora a pesquisa aponte que para 48% dos entrevistados é importante compartilhar ideais políticos, a maioria (54%) não acha que uma discussão sobre política pode acabar com um relacionamento. ‘Enquanto a discussão sobre política entre jovens é comum durante um bate papo com um dos pretendentes, para os solteiros acima de 35 anos, outros detalhes como: fidelidade, inteligência, honestidade são prioridades na hora de escolher um par perfeito’, comenta Mariana Frensel, gerente de marketing do Match Group LatAm, empresa detentora da marca ParPerfeito. ‘Boa parte dos solteiros acredita na combinação perfeita independente da visão política’, completa ela. (Dino – Divulgador de Notícias)

 

Sem necessidade

Se na vida comum pessoas quase sempre procuram tirar vantagem em tudo, na vida política esse desvio de conduta ocorre na totalidade. Isso mesmo, sem exceção. O político tem isto com ele: “Fale mal de mim, mas fale de mim”. Quer dizer, ele quer sempre estar em evidência, se para o bem ou para o mal, pouco importa. Não é bem o caso específico do que acontece agora com a liberação de uma área de terra para construção de uma unidade do Hospital de Câncer de Barretos em Macapá, mas tem tudo a ver. Com o aval da Secretaria de Patrimônio da União, logo a assessoria de Davi Alcolumbre liberou release como se o senador fosse o único responsável pelas tratativas sobre a vinda do HCB para o Amapá. Imediatamente após, pessoal do senador Capi e da deputada Janete emitiu nota atestando que o casal de parlamentares liberou grana boa para a construção do hospital, mas dando a entender que eles são os ‘pais da criança’. Por fim, o GEA divulgou notícia em seu site dando conta que conseguiu o terreno situado nas imediações da rodovia Norte/Sul. Precisava de tudo isso? Claro que não. Precisava-se, sim, de honestidade para mostrar claramente que bancada federal, governo e sociedade amapaense se esforçaram, conjuntamente, para a consecução dessa obra importantíssima.

 

Supremacia de Cristo
Jamais exageraremos ao falar da grandeza de Cristo. Como a pessoa preeminente na história, Ele é digno do nosso amor e louvor.
Em seu clássico livro À procura de Deus (Ed. Betânia, 1985), A. W. Tozer prestou homenagem a Frederick Faber, o britânico que escreveu o hino “A fé dos nossos pais”. Tozer disse: “O amor pela pessoa de Cristo foi tão intenso que ameaçava consumi-lo; ardia dentro dele e fluía de seus lábios como ouro derretido.” Em um de seus sermões, afirmou: “Para onde quer que olhemos na Igreja de Deus, ali está Jesus. Ele é o início, meio e fim de tudo para nós […]. Não há nada de bom, nada de santo, nada de bonito, nada de alegre que Ele não o seja para os seus servos […]. Ninguém precisa ficar abatido, pois Jesus é a alegria do céu, e é a Sua alegria que deve entrar nos corações aflitos. Podemos exagerar com relação a muitas coisas, mas nunca conseguiremos fazer isso em relação as nossas obrigações com Jesus, ou com a abundância do amor compassivo dele por nós. Podemos falar de Jesus durante toda a vida, e nunca chegar ao final das palavras doces que podemos dizer sobre Ele”.
Jesus merece a nossa adoração. Ele realmente tem a supremacia! Quando nos submetemos ao Senhorio de Jesus, lhe damos a nossa adoração. — Richard de Haan


Espantando fantasmas

comentários

Pela manhã de ontem, vi-me circunstancialmente numa brincadeira agradável entre quatro pessoas que à minha observação eram amigas. Todas elas, homens. A conversa girava sobre a intenção de um deles parar com a venda itinerante de água mineral, que realiza, para se estabelecer num comércio, e que para isso estava à procura de um ponto. De repente, como num passe de mágica, um deles saiu dizendo que um dos seus interlocutores era mandado pela mulher, coisa que, segundo o retirante, é típico do amapaense. Ao se distanciar um pouco mais do centro da conversa, tendo-me como testemunha, um dos que conversavam, e ficara no local, largou: “Ele fala em amapaense mandado pela mulher, mas ele é que é assim. Certa vez ele estava bebendo, aqui, quando a fêmea dele chegou, dizendo eu só quero que tu chegues porre, em casa, pra ver o que vai te acontecer. Logo ele parou de beber alegando estar sentindo alguma coisa no estômago; depois disso nunca mais colocou um gole na boca, sob vários argumentos, um deles que até se convertera, mas nunca vai a qualquer igreja. “Tô com medo de ir embora, porque sei que o próximo na língua de vocês vai ser eu, assim como estão fazendo com o negão que se foi”, reagiu a pessoa que quer ter comércio próprio. Eu, de minha parte, fiquei a imaginar: “A vida é assim mesmo. Como diz o filósofo, o hábito de falar mal dos outros pelas costas é próprio de mentes inseguras, que com palavras sobre seus conhecidos ou não procuram espantar fantasmas’.

 

Inversões

Política, no seu significado etimológico, é a arte ou ciência de bem governar o povo; arte ou ciência da organização, direção e administração de nações ou estados. Ora, a respeitabilidade dada à ciência é decorrente do seu critério de funcionamento: abordagem, experimentação e conclusão. Neste país, parlamentar condenado, recolhido na cadeia, continua tendo o cargo e o status de deputado. O pior: além da população pagar esses elementos como presidiários, ainda tiramos do bolso recursos para os remunerar como parlamentares. “É uma vergonha”, diria Boris Casoy. Mas há quem diga que isso acontece porque vivemos numa democracia que, por sua vez, significa governo do povo, para o povo e pelo povo. Outra falácia: o povo não manda nada. Só faz votar. Quem manda, quem governa, são os eleitos que não estão nem aí para os significados de política e democracia. E assim o Brasil continua desacreditado pelo mundo.

 

Do lado vencedor
Hoje são poucos os que creem na ideia pagã de que o mundo está sob o controle de deuses guerreiros como Artêmis, Pan e Apolo. Mas mesmo os mais céticos reconhecem prontamente a realidade de “forças” sobre as quais não temos controle. Por exemplo: eles atribuem a nossa incapacidade de evitar a violência, em vários lugares ao redor do mundo, ao que chamam vagamente de “forças internacionais”. E falam de “forças econômicas” além do nosso controle. Por exemplo, milhões de pessoas passam fome, apesar de haver comida mais do que suficiente no mundo para suprir cada pessoa na Terra.
A Bíblia reconhece claramente a presença de espíritos ou poderes invisíveis — mas muito reais. Na carta aos Efésios 6:11,12, Paulo declarou que nossa principal luta é contra um exército de anjos rebeldes, encabeçados por Satanás. A má notícia é que eles são mais inteligentes e poderosos do que nós. A boa notícia é que Jesus os derrotou em Sua morte na cruz: “…e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz” (Colossenses 2:15).
Há muitas coisas que estão além do nosso controle, mas não precisamos temê-las. Nós, os que depositamos nossa confiança em Jesus, estamos do lado vencedor. Satanás pode vencer algumas batalhas, mas não pode vencer a guerra. — Herbert Vander Lugt.


Injustiça

comentários

Não escrevo, hoje, neste espaço, dou vez às seguintes preciosidades de Augusto Cury presentes no livro assinado por ele ‘Nunca desista de seus sonhos’. “(…) é necessário que os professores sejam valorizados e aliviados. Nunca uma classe tão nobre foi tão desprestigiada profissionalmente. Eles deveriam trabalhar menos e ganhar mais. Os professores da pré-escola à universidade deveriam ter um salário igual ou melhor do que o dos juízes, dos promotores, dos psiquiatras, dos psicólogos clínicos, dos generais, dos chefes de polícia. Por quê? Porque o trabalho deles é tão importante quanto de todos esses profissionais. Os professores educam a emoção e trabalham nos solos da inteligência para que os jovens não adoeçam em sua mente, não se sentem nos bancos dos réus, não façam guerras. Quem é mais importante: aquele que previne as doenças ou aquele que as trata? A medicina preventiva é, certamente, mais importante do que a curativa. os educadores são os profissionais que mais contribuem para a humanidade. Todavia, estão em um dos últimos lugares na escala profisional’.

 

Exemplo

Com o objetivo de conscientizar e exercitar a ação de educação ambiental e o armazenamento adequado de lixo, o vereador Professor Rodrigo realizou a entrega de mil sacolas retonáveis durante a programação do Círio de Nazaré em Macapá, na manhã desse domingo, 8.

A ideia surgiu após pedido do bispo Dom Pedro Conti, na edição do Círio de 2016, onde, motivado pela Campanha da Fraternidade desse ano, pedia o cuidado e a responsabilidade com o meio ambiente, a nossa “Casa Comum”.

A progamação marcada pela presença de milhares de pessoas produz cerca de 30 toneladas de lixo todos os anos. O vereador ressaltou que mesmo com a ação de limpeza posterior executada pela Prefeitura Municipal de Macapá é importante motivar pessoas a serem mais solidárias e cuidadoras do meio ambiente.

“Queremos que as pessoas busquem a consciência de não jogar lixo no chão e, além disso, de sermos solidários com os irmãos que trabalham para a limpeza do ambiente depois do evento. Qualquer esforço que façamos, por menor que seja, atenua o trabalho dessas pessoas. Isso já é um ato de solidariedade”, acrescentou professor Rodrigo.

 

Histórias para contar
Você já se perguntou por que Raabe, a prostituta que vivia na cidade pagã de Jericó, abriu a sua casa para os espiões israelitas? E como ela teve a coragem de falar do Deus de Israel como se fosse o seu próprio Deus?

Essa conversão tão incomum foi suscitada pelas histórias que ela havia ouvido sobre a Realidade e o Poder do Senhor. Embora totalmente influenciada pelo paganismo e pela imoralidade, seu coração foi atraído para Deus. Como ela disse aos espiões: “Porque temos ouvido que o Senhor secou as águas do mar Vermelho diante de vós, quando saíeis do Egito; e também o que fizestes aos dois reis dos amorreus, Seom e Ogue…” (Josué 2:10).

Sob circunstâncias normais, a poderosa e fortificada Jericó era inconquistável. Porém, a cidade tornou-se vulnerável por causa das histórias convincentes do Poder de Deus. Muito antes do povo de Deus chegar lá, o orgulho autossuficiente dessa cultura inimiga já havia se dissolvido em medo por causa daqueles que pertenciam ao Deus de quem tanto ouviram falar (v.11). E dentro dos muros, um coração pagão se converteu a Deus e desempenhou um papel estratégico na impressionante vitória de Israel.

Vamos contar com coragem as histórias da grandeza de Deus. Você nunca sabe que coração pode estar pronto a ser transformado! Não seja tímido; conte as histórias da grandeza de Deus.— Joe Stowell


Quem é quem

comentários

A fraqueza do coração humano é uma das maiores virtudes. Nela, o ser humano se derrete em favor do semelhante, renunciando a si mesmo. É entrega total. O ideal seria que tal entrega, fraqueza e renúncia fossem correspondidas. Quem tem o coração fraco, emocional, espiritual e afetivamente, para os corações duros, é tido como ‘joão ninguém’, babaca, mané, zé mané, otário e outras denominações depreciativas. Pela alegria e leveza que o dono do coração fraco experimenta, o dono do coração duro é quem acaba sendo tudo aquilo, porque destila raiva, vingança, ódio, inveja e tudo mais negativo que possa existir. E tudo isso não passa para o coração fraco, pelo contrário, fica ainda mais entranhado no de coração duro. Por isso é que sou passivo. Prefiro aceitar tudo como vontade de Deus, do que fazer da minha vontade uma soberana que logo perecerá. Afinal, esse é o fim de todos nós humanos, tanto os de coração fraco como os de coração duro. E é verdade que quem não é babaca não morre na Graça de Deus, ao contrário dos babacas.

 

Doe algo

Ao chegar no jornal, abri meu e-mail e deparei com duas preciosidades. A primeira, vindo das Edições Paulinas, que diz: ‘A automotivação é um processo diário. Sua força beira a magia’. A outra, do ‘Pão Diário’, com o título ‘Como ser feliz’. Fala sobre a felicidade, alinhando dez dicas para se viver mais contente. Vou partilhar estas dicas: 1ª – Doe algo; 2ª – Faça uma gentileza; 3ª – Agradeça sempre; 4ª – Trabalhe com disposição e vigor; 5ª – Visite os idosos e aprenda com as experiências deles; 6ª – Olhe com atenção para o rosto de um bebê e maravilhe-se; 7ª – Ria com frequência — é o lubrificante da vida; 8ª – Ore para conhecer o caminho de Deus; 9ª – Planeje como se você fosse viver para sempre — você viverá; 10ª – Viva como se hoje fosse seu último dia de vida na Terra. Essas são excelentes ideias para se ter uma vida feliz. Reforce cada uma dessas dicas com louvor, e sua felicidade será completa. ‘Aleluia! Louva, ó minha alma, ao Senhor. Louvarei ao Senhor durante a minha vida…’ (Salmo 146:1,2).

 

Horas do entardecer
Se você ainda é jovem e cheio de energia, talvez tenha dificuldades em sentir compaixão pelos sentimentos que afligem muitas pessoas de idade. Mas aqueles que já passaram da metade da jornada da vida e começaram a descer a ladeira do Sol Poente podem gostar do que Davi disse: “Fui moço e já, agora, sou velho…” (Salmo 37:25). E, como o processo de envelhecer muitas vezes traz consigo dor e perdas, certas pessoas poderiam desejar, em vão, que seus dias de primavera nunca tivessem acabado.

No entanto, ouça o que o ensaísta e teólogo F. W. Boreham disse: “Um dia, meu pequeno dia de vida vai abrandar-se num entardecer. Minhas horas do por do sol virão […]. E então, sei que do anoitecer surgirá um amanhecer mais bonito do que qualquer amanhecer que já experimentei. Dos últimos matizes do por do sol amanhecerá um dia que nunca conheci antes; o dia que vai restaurar para mim tudo o que os outros dias me tiraram, um dia que nunca se esvanecerá em um crepúsculo”.

Por isso, não importa onde nos encontramos em nossa peregrinação em direção ao céu — se estamos caminhando com Jesus, podemos nos regozijar. E como sabemos que nosso Pai Celestial permanecerá conosco até nossa jornada na terra terminar, podemos ser gratos pelas sombras prolongadas e pelo por do sol. — Vernon C. Grounds


Que bom!

comentários

O ‘Xodó’, na esquina da rua General Rondon com avenida Iracema Carvão Nunes, foi uma referência para os que apreciam sentar à mesa para jogar conversa fora ao sabor de cerveja gelada e alguma coisa de tiragosto, sempre pegando aquele agradável e conhecido vento que ali bate. Há cerca de dez anos o estabelecimento de Albino não existe mais. Sumiu com a morte dele. Quanta saudade daquele ponto que está na memória de todos os amapaenses, desde o início dos anos 1990. No local, muitos negócios já foram montados, de curtíssima duração. Agora, como que ressuscitando o Xodó, mas com outra roupagem, no endereço se ergue o ‘Nossa Senhora de Nazaré’, estabelecimento que, como o próprio Xodó, oferece não apenas bebida, mas tudo o que se pode pensar. O Albino vendia até candeeiro e bainha de foice. É assim: o mercantil e lanchonete Nossa Senhora de Nazaré é em homenagem à Mãe de Jesus e uma referência à proprietária Nazaré que, com o marido Gileno e simpáticos secretários, atende a clientela. Os alunos do Colégio Amapaense, que eram amigos do Albino, com a mesma alegria e efusão jovial marcam presença no Nossa Senhora de Nazaré, fazendo o point ainda mais agradável.

 

Pioneirismo e luta garimpeira

Um pioneiro da exploração de ouro no Amapá, Chico Nogueira, entre outras tarefas em defesa do setor, empenha-se na luta pela regularização das atividades dos garimpeiros, como um dos líderes do movimento, já que é presidente da Cooperativa Extrativista Mineral do Estado do Amapá, entidade com a sigla Cooemap.

Chico entende que as autoridades têm que se conscientizar que os garimpeiros precisam ser ajudados, principalmente no que diz respeito aos licenciamentos ambientais, uma vez que eles podem ajudar o estado a sair da crise com pagamento de impostos e gastando no próprio Amapá o que arrecadam com as extrações minerais que fazem.

Chico Nogueira denuncia que apesar da contribuição que dão para a economia, os pequenos garimpeiros são discriminados e olhados como bandidos pelos órgãos de regulamentação de exploração de minérios que, paradoxalmente, têm a obrigação de priorizar o trabalho e facililitar o acesso à legalidade.

 

Responsabilidades esmagadoras
Quando o desfecho da Segunda Guerra Mundial ainda era incerto, Franklin Roosevelt morreu e Harry Truman teve de assumir a Presidência dos EUA. No dia seguinte, o presidente Truman disse aos repórteres: “Quando me disseram o que aconteceu ontem, pensei que a Lua, as estrelas e todos os planetas tinham caído sobre mim”. Certamente, Truman enfrentou responsabilidades esmagadoras.

Neemias foi um grande líder que também enfrentou fardos devastadores. Acompanhado de judeus que haviam retornado do exílio da Babilônia, Neemias foi incumbido da tarefa de reconstruir os muros de Jerusalém. Em meio à terrível oposição, ele não se deixou intimidar pelas zombarias e ameaças do inimigo.

Pelo contrário, aquele homem de Deus organizou uma estratégia dupla de construção e defesa militar — fundamentando seus esforços na oração: “Porém nós oramos ao nosso Deus e, como proteção, pusemos guarda contra eles, de dia e de noite” (Neemias 4:9). Neemias estava se referindo às contínuas ameaças que os trabalhadores enfrentavam, ajudando-os a concentrarem-se em Deus: “…não os temais; lembrai-vos do Senhor, grande e temível…” (v.14).

Você está enfrentando responsabilidades esmagadoras hoje? Se você orar pedindo a ajuda de Deus e um plano prático de ação, poderá receber forças para completar a tarefa. Deus nos convida a lançar sobre Ele aquilo que está sendo lançado sobre nós.— Dennis Fisher


Eu, hein!

comentários

Há políticos que mudam de partido como se muda de roupa no dia a dia. Exemplos disso são muitos, aqui no Amapá e alhures. Há aqueles, também políticos, que têm apelidos e incluem e oficializam essas alcunhas ao seu respectivo nome batismal. Os exemplos também são muitos, um deles, o brasileiro mais honesto condenado a mais de nove anos de cadeia por corrupção. Há os políticos que apesar de serem políticos, dizem que não são, camuflam-se, dizendo serem empresários, professores, homens da lei, religiosos que concorreram ou concorrem a cargos públicos porque amam os seus estados, adoram o país onde nasceram. Esses, não são políticos só na fala, porque na prática agem como as antigas ratazanas, as chamadas raposas, coronéis da política. Ainda há os políticos que não sabem como se apresentar perante o público eleitor. Uns pegam a profissão que exercem e tacam isso no nome oficial de candidatos. E assim se apresentam como Professor tal, advogado assim, doutor assado, e por aí vai. Tudo isso não acontece com Oliveira Santos, batizado Carlos Antônio Oliveira Santos, atual deputado estadual do Amapá, mas só um pouco mais: ele foi vereador apresentando-se como Pastor Oliveira, galgou a Assembleia Legislativa, ainda como Pastor Oliveira, depois tornou-se Bispo Oliveira, agora é somente Oliveira Santos.

 

Sonhos

O sonho é inerente ao ser humano. Há quem diga que os animais chamados irracionais também sonham. O ser humano é racional, quer dizer, possui a razão, mas também é animal. Por isso, tem os seus momentos de irracionalidade. Já o bicho, o animal pra valer, age pelo instinto, o homem também tem o seu instinto. O instinto de fidelidade do cachorro é impressionante. Não diria o mesmo do instinto do homem. O gato é de uma gratidão maravilhosa. A quem lhe dá comida, ele sempre acompanha com carinho de dar inveja a qualquer ser humano. Mas o sonho é um fenômeno do homem e da mulher. Tem o sonho físico, que afeta a mente com imagens, pensamentos e fantasias. Especialistas dizem que o sonho tem a ver com o dia a dia das pessoas, mas também podem ser premonições. São famosos os sonhos interpretados por José do Egito e o profeta Daniel (foto). E há o sonho da aspiração, da realização pessoal ou coletiva. Ah, esse tipo de sonho mexe com todos. Todos sonham conseguir alguma coisa. Abraham Lincoln, depois de muitos reveses, conseguiu ser Presidente dos Estados Unidos; Ghandi sonhou ser livre sem violência, e a Índia dele conseguiu se livrar da Inglaterra sem dar sequer um tiro; Martin Luther King Jr. sonhou dias melhores para o homem negro da América do Norte, conseguiu. Esses três grandes homens foram assassinados. Sim, mas não mataram os sonhos deles. Como também a grande maioria dos atuais políticos brasileiros não matará os sonhos do nosso povo de um dia virmos a ser uma Nação próspera, ordeira e feliz, independente deles.

 

Mudando a História
Hoje podemos telefonar e enviar emails para qualquer lugar do mundo e baixar imagens através do espaço em nossos computadores. Por isso, é difícil imaginar a importância de um pequeno satélite.

Com o lançamento do Sputnik I — o primeiro satélite artificial do mundo, pela União Soviética, em 1957, iniciou-se a Era Espacial Moderna e o curso da História mudou. Acelerou-se o desenvolvimento tecnológico, e o medo e a esperança se alternaram com relação ao significado daquilo.

Mas há eventos que alteram o presente e o futuro e que ocorrem, às vezes, no anonimato. Foi isso o que aconteceu com o Nascimento de Jesus — um bebê, nascido de um casal comum, numa pequena cidade. Esse Nascimento, porém, mudou o curso da História. As palavras de um anjo ditas aos pastores começaram a se espalhar: “…é que hoje vos nasceu, na Cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lucas 2:11). E dezenove séculos mais tarde, Phillips Brooks escreveu a respeito de Belém: “As esperanças e os temores de todos os anos [séculos] se encontram em ti [Belém], nesta noite”.

Quando abrimos nossas vidas para Cristo, o Senhor, e o reconhecemos como nosso Salvador, o curso da História de nosso futuro muda para sempre. Essas “boas-novas de grande alegria” (v.10) são para todos, em qualquer lugar. Na porta do estábulo de Belém encontramos a dobradiça da História. — David C. McCasland

 

 


Divagação

comentários

Discutir o Plano de Deus para a Humanidade é terrível! Deus é muito perfeito, perfeitíssimo. Costumo dizer que Ele é o maior enxadrista de todos os tempos. Eu ainda não consigo entender, plenamente, porque para seguir o Criador o cristão tem que sofrer. A hagiografia católica é prenhe de pessoas que por optarem em levar a vida de acordo com os ensinamentos divinos, tiveram mortes horríveis. Todos os discípulos de Jesus Cristo, com exceção de João, foram martirizados. Por quê? Ah, só mesmo Deus em sua Santíssima Sapiência é capaz de explicar. Racionalmente, o certo seria esses homens serem arrebatados, levados para o Céu. Mas não, como o próprio Cristo, alguns foram crucificados, outros queimados, apedrejados. Quer dizer, tiveram morte feia! Mas quem é o homem com a sua racionalidade para explicar as coisas, os desígnios de Deus? Aqui, vem a calhar aquela máxima ‘nem mesmo Freud explica’. Isso mesmo, porque só o Divino explica, e Ele, com o seu silêncio, não explica nada, deixa que o homem se descubra ou redescubra, seguindo-o ou preferindo outros caminhos, aqueles que não levam ao Céu.

 

Umas e outras

Tratar da cidade é uma finalidade básica da prefeitura de um município. Macapá tem tido altos e baixos nesse quesito. O prefeito Clécio tem se empenhado para fazer uma boa administração. Claro, num trabalho, nada é perfeito, muito menos quem o executa, preso à imperfeição humana e a todas as suas vicissitudes. É o que acontece, por exemplo, na rua Leopoldo Machado, no calçadão pegado ao muro do estádio ‘Glicério Marques’. Lá, desmontaram uma parada de ônibus, mas deixaram um pedaço de ferro em pé, feito um toco (foto). Ora, a calçada é um passeio público e, como o nome já diz, tem que ser livre aos transeuntes. Mas aquilo é um atentado oficial contra a integridade física de quem passa. Ah, o trânsito na avenida Tancredo Neves com a rua Antônio Asmar, no Jardim I, aquela rua ao lado do Supermercado Santa Lúcia, está uma bagunça, por falta de um semáforo. Então, CTMac, mãos à obra. Já na avenida Feliciano Coelho, entre as ruas Eliezer Levi e Odilardo Silva, o dono de um estabelecimento comercial fez da calçada um estacionamento de veículos. E o povo que passa por ali, que exploda, tendo que pegar o leito da rua pra seguir caminho.

 

Lentes quebradas
Comecei a usar óculos aos dez anos. Eles ainda continuam a ser uma necessidade, porque meus olhos de 60 e poucos anos estão perdendo a batalha contra o tempo. Quando jovem, eu achava chato ter de usá-los — especialmente quando praticava esportes. Certa vez, as lentes de meus óculos quebraram enquanto eu jogava futebol. Demorou algumas semanas até eu receber outras. Durante aquele período, eu enxergava tudo de forma embaçada e distorcida.

Na vida, a dor muitas vezes funciona como lentes quebradas. Ela cria em nós um conflito entre o que vivenciamos e o que cremos. A dor pode nos dar uma perspectiva distorcida da vida — e de Deus. Nesses períodos, precisamos que o nosso Deus nos dê lentes novas para ajudar-nos a ver as coisas de forma clara novamente. Essa lucidez de visão geralmente começa quando nos voltamos ao Senhor. O salmista nos encorajou a fazer isso: “Pois em ti, Senhor Deus, estão fitos os meus olhos: em ti confio; não desampares a minha alma” (141:8). Ver Deus de forma clara pode nos ajudar a ver as experiências da vida de forma mais nítida.

Ao voltarmo-nos ao Senhor em tempos de dor e de lutas, experimentamos diariamente o Seu conforto e esperança. Ele nos ajuda novamente a enxergarmos tudo de forma clara. Olhar constantemente para Cristo coloca tudo na perspectiva correta.— Bill Crowder


Descrédito

comentários

Política, no seu significado etimológico, é a arte ou ciência de bem governar o povo; arte ou ciência da organização, direção e administração de nações ou estados. Ora, a respeitabilidade dada à ciência é decorrente do seu critério de funcionamento: abordagem, experimentação e conclusão. Neste país, parlamentar condenado, recolhido na cadeia, continua tendo o cargo e o status de deputado. O pior: além da população pagar esses elementos como presidiários, ainda tiramos do bolso recursos para os remunerar como parlamentares. “É uma vergonha”, diria Boris Casoy. Mas há quem diga que isso acontece porque vivemos numa democracia que, por sua vez, significa governo do povo, para o povo e pelo povo. Outra falácia: o povo não manda nada. Só faz votar. Quem manda, quem governa, são os eleitos que não estão nem aí para os significados de política e democracia. E assim o Brasil continua desacreditado pelo mundo. A grande Elza Soares, que tem percorrido o continente europeu mostrando a música brasileira, fala que lá fora se referem ao nosso país em tom de chacota, como se aqui não fôssemos um país sério. Isso é verdade?

 

Santa Maria Madalena

Maria Madalena é uma personagem bíblica ao mesmo tempo misteriosa e carismática. Não se tem conhecimento pleno do que ela realmente tenha sido. Teria sido ela a mulher flagrada em adultério e instada por Jesus a não mais pecar? Ou aquela de quem Cristo retirou sete demônios? Estudos ainda não conseguiram decifrar ou descobrir a procedência e a ação de Madalena. Mas a Igreja Católica, com a sua Santidade, vê em Maria Madalena uma grande mulher, importante na disseminação do cristianismo. Daí tê-la canonizado.

 

Madame Curie
Madame Marie Curie é pioneira no estudo da radioatividade e assegurou o seu lugar na história. Em 1903, ela foi a primeira mulher a ganhar o Prêmio Nobel de Física. Depois, em 1911, a estudiosa recebeu um segundo prêmio Nobel, desta vez em Química.

Uma contribuição tão maravilhosa não surgiu sem um tremendo sacrifício. Madame Curie morreu de leucemia, causada pela exposição prolongada aos materiais radioativos. Até mesmo hoje, os estudiosos que desejam ler seus relatórios diários e papéis de laboratório precisam usar roupas de proteção porque esses materiais ainda são radioativos.

Hoje, ninguém se aproxima de material radioativo sem proteção. Mas muitos parecem estar despreocupados quando se expõem aos perigos do pecado. O Salmo 1 nos adverte das atitudes, da fala e dos comportamentos pecaminosos (vv.1,4-6).

Obedecer as leis de Deus nos protege do pecado e de suas consequências mortais. O salmista também escreveu: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti” (Salmo 119:11).
Quando se expunha, Madame Curie não conhecia os sérios perigos da radioatividade para a saúde. Mas Deus nos deu ampla admoestação sobre os perigos do pecado. Vamos aplicar diariamente o que lemos em Seu Livro que nos concede a vida. — Dennis Fisher