Small man

comentários

Em conversa com dois amigos, nesse fim de semana, soube que um magnata do petróleo estadunidense veio ao Amapá, há alguns anos, disposto a basear no estado a gestão da exploração petrolífera que sua empresa faria na costa norte brasileira. Praticamente todas as autoridades do estado recepcionaram o gringo, com exceção do governador, a quem cabia dar o ‘ok’ à intenção da multinacional. O ruim dessa história é que o governante estava em Macapá, mas com os ‘seus botões’ achou que tinha que ser omisso àquela visita empresarial. Antes, o mesmo mandatário já descartara projeto para construção de um porto com 12 quilômetros extensão, partindo do acanhado logradouro de Santana, indo até ao rio Matapi. Como que intencionalmente para desmotivar de vez a intenção do norte-americano, o governador resolveu ir a um jantar oferecido ao visitante, no restaurante ‘Sagrada Família’. Chegou atrasado no evento, trajando calça jeans desbotada com rasgos nos joelhos e camiseta ordinária de mangas enroladas, quer dizer, bem ao estilo despojado. O jantar aconteceu, mas o gringo se fechou em copas; não tratou de negócios com o gestor amapaense, e no dia seguinte seguiu para Belém, onde foi recebido como chefe de estado, e lá instalou as bases da empresa petrolífera. Ah, ao ser perguntado sobre o que achara do governador do Amapá, respondeu: “Small man”. Traduzindo: “homem pequeno”. E eu digo: “É por essa e outras que o Amapá não vai pra frente”.

 

Combate a mosquito
Já publiquei na Revista Diário, e aqui neste espaço, a descoberta do amapaense estudante de farmácia da Unifap, Ícaro Sarquis. O jovem, apenas 22 anos, elaborou o larvicida até agora mais potente contra o Aedes Aegypti, mosquito cruel que transmite, entre outros males, o zika vírus, febre amarela e chikungunya. O composto foi inventado a partir de uma substância do óleo de sucupira, insolúvel na água. O rapaz até ganhou um grande prêmio nacional, por causa do seu feito. Bravo! Que alegria! Que distinção para o Amapá! Mas, em que pese a importância da descoberta, o larvicida continua retido no laboratório de farmácia, ainda em sua dosagem inicial. De lá não pode sair porque a Unifap não tem recursos para produzi-lo em escalas, e ninguém aparece para financiar esse bem para a humanidade. Até quando, não sei, mas continuo acreditando que logo a invenção passará a servir efetivamente no combate ao Aedes, e assim abrir uma guerra mais implacável contra esse mosquito.

 

Nunca abandonados
O escritor russo Fiódor Dostoiévski disse: “O grau de civilização de uma sociedade pode ser julgado entrando-se nas suas prisões”. Com isso em mente, li na internet um artigo que descrevia “As 8 prisões mais mortais do mundo.” Em uma dessas prisões, todos os prisioneiros são mantidos em confinamento solitário.

Espera-se que vivamos e nos identifiquemos em relacionamentos e comunidade, não em isolamento. É isto o que torna o confinamento solitário um castigo tão severo.

Cristo sofreu a agonia do isolamento quando o Seu relacionamento eterno com o Pai foi rompido na cruz. Ouvimos isso em Seu grito, registrado em Mateus 27:46: “Por volta da hora nona, clamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni? O que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” Ao sofrer e morrer sob o fardo dos nossos pecados, Cristo ficou subitamente sozinho, abandonado, isolado, afastado do Seu relacionamento com o Pai. Contudo, o Seu sofrimento em isolamento nos garantiu a promessa do Pai: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei” (Hebreus 13:5).

Cristo suportou a agonia e o abandono da cruz por nós, para que nunca estejamos sozinhos ou abandonados pelo nosso Deus. Jamais. Aqueles que conhecem Jesus nunca estão sozinhos. — Bill Crowder


Vida

comentários

A Editora Mackenzie lança o livro ‘Fomos planejados: a maior descoberta científica de todos os tempos’ (460 páginas), do renomado pesquisador brasileiro Marcos Eberlin, que aborda a relação das teorias da origem da vida e o Design Inteligente, por meio de um viés científico e documentado. O autor apresenta diversos dados científicos e coloca os pontos frente à frente as duas teorias adversárias, abordando questões como fatos e boatos sobre as teorias da Evolução do Cosmo e Química. Esses apontamentos permitem a reflexão sobre a melhor inferência para a sua causa. Na obra, debate-se ainda o que a Ciência de fato sabe sobre o Big Bang, contrapondo-o à ideia que aponta para uma mente inteligente como a arquiteta do Universo e da vida. Eberlin explica que a obra é indicada para quem pretende entender melhor a polêmica entre as duas teorias, mas que vai além, reunindo uma pesquisa ampla para estudantes e pesquisadores que procuram uma fonte para consulta que aborde todas as vertentes, buscando a isenção de ideologias. (Fonte: Dino para Jornalistas)

 

Tem gente pra tudo
Há quem diga que o ser humano é capaz de tudo, em termos de imprevisto e de coisas fora do eixo. Há gente que tem coragem até de mamar em onça. Quantas vezes vemos belas moças abraçadas com todo amor a um cara que, comparando, fica muito atrás do ‘O Feio’ de Roberto Carlos que, por sua vez, apesar de toda a feiúra que possui, deixa as garotas suspirando. Há casos de filho convivendo sexualmente com a mãe; filha com pai, também; irmão com irmã, e por aí vai… O imperador indiano Shah Jahan gastou soma incalculável sem contar os 20 mil homens que pagou para construir Taj Mahal, o mausoléu de Agra, em homenagem a uma das suas esposas, Aryumand Banu Begam, com a qual tivera 14 filhos. Lula se diz o homem mais honesto do Brasil, porém a Justiça comprova o contrário. O ‘Elogio da Loucura’, de Erasmo de Rotterdam, mostra muito bem do quanto a humanidade é capaz. Mas pra encerrar, conto o caso de dona Maria, aqui do Jornal. Ela diz que não homenageia mais os seu mortos nos cemitérios, porque cansou de levar flores e velas e outras homenagens. Mas quando vira as costas, levam tudo pra colocar em outras sepulturas. O Elder Carlos, também aqui do Jornal, conta o caso em que foi erigida bonita cruz no túmulo do chefe da família na véspera do Dia de Finados. Na data seguinte, quando familiares foram ao cemitério, a cruz tinha sumido – no lugar dela, uma outra, de madeira ordinária, com a haste e a travessa seguros por um nó de cadarço de sapato. Eu, heim!

 

Escolhas
Certa vez um amigo me disse: “Joe, descobri que minha vida não consiste dos sonhos que tenho, mas das escolhas que faço”.

Pode contar com isso: você terá muitas escolhas a fazer em sua vida. E, geralmente, resumem-se a escolher entre “O que eu quero?” e “O que é melhor para os outros?”

Depois que os maridos de Rute e Orfa morreram, elas precisaram decidir estrategicamente (Rute 1:11). Noemi, a sogra de ambas, lhes disse que elas deveriam voltar para sua parentela. A sogra não queria que as noras sentissem qualquer obrigação para com ela, apesar de a sua perda ter sido muito maior. Noemi havia perdido seu marido e seus dois filhos.

Orfa e Rute poderiam ir para casa e começar uma nova vida, ou ficar com Noemi para ajudá-la em uma época de grande necessidade. Elas sabiam muito bem que a última opção provavelmente significaria viver numa terra estrangeira, como viúvas, para o resto de suas vidas, uma vez que poucos homens judeus iriam querer casar-se com uma mulher estrangeira.

Rute decidiu atender as necessidades de Noemi ao invés de servir a si mesma. Orfa optou por deixar Noemi para levar uma vida que achava que seria melhor. Rute passou a desempenhar um papel significativo na história judaica e tornou-se uma ascendente de Jesus (Mateus 1:5).
Faça a melhor escolha. Escolha servir os outros. Sirva a Deus servindo aos outros. — Joe Stowell


Em que mãos estamos!

comentários

Apesar de todas as prisões, escândalos, conduções coercitivas, vexames e escutas telefônicas propiciados primeiramente pelo Mensalão e, agora, pela Operação Lava Jato, a classe política continua a mesmíssima de todos os tempos, com raras, raríssimas exceções. Aliás que é bom nem falar das exceções, porque elas estão suprimidas pela grande desfaçatez que impera no país. A cabeça do povo, não sei como está no acompanhamento de tudo isso, mas a dos políticos continua voraz, nem aí para os destinos do país; querem apenas sobreviver, lotar ainda mais os seus currais. Neste ano teremos eleições gerais. Será que o povo vai deixar a política continuar assim?

 

Inversão
Sabe aquela história ‘Papagaio come milho, periquito leva fama? Pois é. O diplomata brasileiro Carlos Alves de Souza Filho disse que ‘O Brasil não é um país sério’, mas a frase ficou como se fosse de Charles de Gaulle. Nero ateou fogo em Roma, e colocou a culpa nos cristãos. Quando estive fazendo jornalismo no estado do Amazonas, aqui escreveram algo contra João Capiberibe e tacaram meu nome como autor do artigo. Santos Dumont voou pela primeira vez num aparelho mais pesado que o ar, o 14 BIS, mas os irmãos Wright (foto), dos Estados Unidos, são citados como os ‘Pais da Aviação’. Há gente que aparece bem na imprensa, como se autora de textos fosse, mas quem escreve é outra pessoa. Os egípcios ofereceram um tapete a Júlio César, o imperador romano, mas ele gostou mesmo foi de Cleópatra enrolada na peça. E assim vai…

 

Surpreendido pela graça
Certa mulher adormeceu no sofá após seu marido ir para a cama. Um intruso passou pela porta deslizante, que o casal havia se esquecido de fechar, e entrou na casa. Ele foi ao quarto onde o marido estava dormindo e pegou o televisor. O homem adormecido acordou, viu uma figura em pé e sussurrou: “Querida, venha para a cama”. O ladrão entrou em pânico, deixou a TV, pegou uma pilha de dinheiro na cômoda e correu para fora.

O ladrão teria uma grande surpresa! Aqueles papéis eram panfletos cristãos parecidos com uma nota de 100 reais em um lado e, no anverso, uma explicação sobre o amor e o perdão que Deus concede às pessoas que se opõem a Cristo. Em vez do dinheiro que esperava, o intruso recebeu a história do amor de Deus por ele.

Fico imaginando: o que Saulo esperou ao perceber que era Jesus que lhe apareceu no caminho para Damasco, dado que ele havia perseguido e até matado os Seus seguidores? (Atos 9:1-9). Saulo, mais tarde chamado Paulo, deve ter sido surpreendido pela graça de Deus para com ele, a qual ele chamou “um presente”: “…fui constituído ministro conforme o dom da graça de Deus a mim concedida segundo a força operante do seu poder” (Efésios 3:7).

Você é surpreendido pelo dom da graça de Deus em sua vida à medida que Ele lhe mostra o Seu amor e perdão? Nunca meça o poder ilimitado de Deus pelas suas expectativas limitadas. — Anne Cetas


Coringa

comentários

Muita gente não sabe. Eu também não sabia até anteontem à noite. O quê muita gente não sabe e eu não sabia é que um advogado amapaense, em atuação no Tribunal Superior Eleitoral, fez jurisprudência em processo relativo à impugnação de candidatos, que serviu para a liberação da candidatura de Eurico Miranda a deputado federal. Esse advogado é Agord de Matos Pinto, meu colega de profissão jornalística, porém, diferentemente de mim, também advogado e professor. Agord é workholic. Não para de trabalhar. Ocupa todo o tempo e o espaço que Deus lhe deu, fazendo algo, sempre positivo, útil, do bem. Em sua atuação como advogado no TSE, onde fez a ‘jurisprudência euriquiana’, atuou em diversas causas, tendo desempenho muito satisfatório, pois saiu vitorioso em todos os processos em que atuou. Ele ainda marca presença no STJ e STF, além das justiças Federal e Estadual. A produção científica do advogado, jornalista e professor, é extensa. Agord Pinto, entre os muitos tratados por ele discorridos, tem publicação sobre ‘O Estado Social e o Direito do Cidadão’, ‘O sublime princípio da liberdade’ e ‘O controle do poder e a ordem econômica’. No magistério, ele é professor de história desde 2006. Agord é cronista esportivo dos melhores da história da radiofonia amapaense. Também tem incursões no jornalismo impresso, já tendo atuado, inclusive, aqui no Diário do Amapá. No rádio, Agord Matos Pinto é coringa – noticiarista, apresentador, redator e narrador esportivo. Quer dizer, gente assim merece registro, e muito mais: respeito.

 

Felicidade
Ao chegar no jornal, abri meu e-mail e deparei com duas preciosidades. A primeira, das Edições Paulinas, que diz: ‘A automotivação é um processo diário. Sua força beira a magia’. A outra, do ‘Pão Diário’, com o título ‘Como ser feliz’. Fala sobre a felicidade, alinhando dez dicas para se viver mais contente. Vou partilhar estas dicas: 1ª – Doe algo; 2ª – Faça uma gentileza; 3ª – Agradeça sempre; 4ª – Trabalhe com disposição e vigor; 5ª – Visite os idosos e aprenda com as experiências deles; 6ª – Olhe com atenção para o rosto de um bebê e maravilhe-se; 7ª – Ria com frequência — é o lubrificante da vida; 8ª – Ore para conhecer o caminho de Deus; 9ª – Planeje como se você fosse viver para sempre — você viverá; 10ª – Viva como se hoje fosse seu último dia de vida na Terra. Essas são excelentes ideias para se ter uma vida feliz. Reforce cada uma dessas dicas com louvor, e sua felicidade será completa. ‘Aleluia! Louva, ó minha alma, ao Senhor. Louvarei ao Senhor durante a minha vida…’ (Salmo 146:1,2).

 

Repetição positiva
Um jornalista tinha o hábito peculiar de não usar canetas azuis. Então, quando seu colega lhe perguntou se ele precisava de algo da loja, ele pediu algumas canetas. “Mas não azuis”, disse. “Não quero canetas azuis. Não gosto de azul. Esta cor é pesada demais. Por favor, compre 12 canetas esferográficas para mim — tudo, menos azul!” No dia seguinte, seu colega lhe entregou as canetas — e todas eram azuis. E explicou: “Você não parava de dizer ‘azul, azul’. Essa foi a palavra que deixou a impressão mais profunda!” O uso da repetição pelo jornalista teve um efeito, mas não o esperado.

Moisés, o legislador de Israel, também usou repetições em suas solicitações ao seu povo. Mais de 30 vezes, exortou seu povo a permanecer fiel à Lei do Deus deles. Contudo, o resultado era o oposto do que ele pedia. Disse-lhes que a obediência os levaria à vida e prosperidade, mas a desobediência os levaria à destruição (Deuteronômio 30:15-18).
Quando amamos a Deus, queremos andar em Seus caminhos — não por temermos as consequências, mas porque é nossa alegria agradar Àquele a quem amamos. Essa é uma boa palavra para recordar. O amor a Deus fará você viver para o Senhor. — Poh Fang Chia


Sonho

comentários

O sonho é inerente ao ser humano. Há quem diga que os animais chamados irracionais também sonham. O ser humano é racional, quer dizer, possui a razão, mas também é animal. Por isso, tem os seus momentos de irracionalidade. Já o bicho, o animal pra valer, age pelo instinto, o homem também tem o seu instinto. O instinto de fidelidade do cachorro é impressionante. Não diria o mesmo do instinto do homem. O gato é de uma gratidão maravilhosa. A quem lhe dá comida, ele sempre acompanha com carinho de dar inveja a qualquer ser humano. Mas o sonho é um fenômeno do homem e da mulher. Tem o sonho físico, que afeta a mente com imagens, pensamentos e fantasias. Especialistas dizem que o sonho tem a ver com o dia a dia das pessoas, mas também podem ser premonições. São famosos os sonhos interpretados por José do Egito e o profeta Daniel. E há o sonho da aspiração, da realização pessoal ou coletiva. Ah, esse tipo de sonho mexe com todos. Todos sonham conseguir alguma coisa. Abraham Lincoln, depois de muitos reveses, conseguiu ser Presidente dos Estados Unidos; Ghandi sonhou ser livre sem violência, e a Índia dele conseguiu se livrar da Inglaterra sem dar sequer um tiro; Martin Luther King Jr. sonhou dias melhores para o homem negro da América do Norte, conseguiu. Esses três grandes homens foram assassinados. Sim, mas não mataram os sonhos deles. Como também a grande maioria dos atuais políticos brasileiros não matará os sonhos do nosso povo de um dia virmos a ser uma Nação próspera, ordeira e feliz, independente deles.

 

Coisa boa
A leitura é fundamental para o desenvolvimento de crianças e adolescentes, mas o gosto pelos livros, muitas vezes, é superado pela atração que a tecnologia oferece. Ao unir os livros à tecnologia, em formato de app, um novo universo de incentivo à leitura se abre, como é o caso dos app books da Coleção Novozymes Nova Perspectiva, que estão disponíveis, gratuitamente, para ser baixados em smartphones e tablets. O primeiro livro aplicativo ou também conhecido como app book, desenvolvido por meio de uma parceria entre a Novozymes, o Sesi Paraná e a StoryMax, tem como título ‘Frritt-Flacc’, adaptação da obra do escritor Jules Verne. A segunda obra aplicativa traz um outro clássico, do russo Anton Tchékhov, intitulado ‘Ostras’. A obra busca estimular o leitor a refletir sobre a erradicação da fome. O terceiro livro aplicativo traz um conto do inglês John Ruskin, ‘O Rei do Rio de Ouro’, tratando do tema água limpa e saneamento. Apresentado como um conto de fadas, conta a história de um velho que visita a casa de três irmãos durante uma tempestade.

 

Profundamente amado
Anos atrás, tive um escritório bem defronte a um cemitério histórico, onde jazem muitos destacados heróis americanos. Ali é possível encontrar as lápides de pessoas que marcaram a sua trajetória fazendo a história de seu país.

Mas ninguém sabe realmente onde nesse cemitério cada corpo está enterrado, porque as lápides foram movidas muitas vezes — às vezes para deixar os gramados mais pitorescos, outras para que os jardineiros pudessem passar entre elas. Embora esse cemitério tenha aproximadamente 2.300 lápides, quase cinco mil pessoas estão enterradas lá! Ao que parece, mesmo na morte, algumas pessoas não são totalmente conhecidas.

Pode haver momentos em que nos sentimos como esses moradores não identificados: desconhecidos e invisíveis. A solidão pode nos fazer sentir invisíveis aos outros — e, talvez, até mesmo por Deus. Mas precisamos nos lembrar de que, mesmo podendo nos sentir esquecidos pelo nosso Criador, não o somos. Deus não só nos criou à Sua imagem (Gênesis 1:26,27), como também valoriza cada um de nós individualmente, e enviou Seu Filho para nos salvar (João 3:16).

Mesmo em nossas horas mais sombrias, podemos descansar sabendo que nunca estamos sós, pois o nosso Deus amoroso está conosco. Somos importantes porque Deus nos ama. — Randy Kilgore


Pesquisa online

comentários

As intenções de voto de eleitores brasileiros e a avaliação de políticas públicas também podem ser feitas por meio de análises em redes sociais. O artigo ‘As mídias sociais podem revelar as preferências dos eleitores?’, publicado pela revista especializada Journal of Information Technology & Politics, aponta que os resultados desta análise de sentimento podem indicar preferências com uma precisão de apenas 1% a 8% diferente da pesquisa tradicional, que tem uma precisão média de 81%. Segundo os autores, o artigo avaliou se dados extraídos das mídias sociais poderiam revelar as preferências políticas dos cidadãos com maior precisão do que as pesquisas de opinião pública tradicionais. Foram analisados 92.441 tweets relacionados aos candidatos presidenciais no segundo turno das eleições em 2014. Os resultados da análise foram comparados com seis pesquisas de preferências realizadas pelo Instituto de Pesquisas Datafolha. Segundo o artigo, a mídia social fornece aos usuários da internet um novo espaço no qual se expressam compartilhando seus pensamentos e opiniões sobre vários tópicos. “Cada vez mais, blogs, fóruns na web e plataformas de redes sociais como twitter, facebook, youtube, myspace e linkedIn oferecem aos seus públicos ambientes interativos que permitem a troca de informações, conhecimento, opiniões e emoções, permitindo uma comunicação rápida, aberta e acessível. Isso tornou a mídia social excelente fonte de dados para pesquisas de opinião”, descreve o artigo.

 

Estudo Plenitude
A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) está com uma campanha inédita relacionada à Bíblia de Estudo Plenitude. Quem adquirir a edição impressa ganha a versão digital da obra. Para ter acesso ao exemplar da promoção, o usuário deve baixar o app gratuito Biblia Plus em seu smartphone ou tablet e criar uma conta. Depois, basta acessar o site promo.biblia.plus e utilizar o código de ativação que consta da embalagem impressa. Assim, a versão digital fica ativada no Biblia Plus.

Apresentada na tradução de Almeida Revista e Corrigida, a Bíblia de Estudo Plenitude reúne índice de passagens bíblicas Fonte de Bênçãos e auxílios como concordância temática e dicionário conciso, além das palavras de Jesus impressas em vermelho. De orientação teológica pentecostal e carismática, é indicada a pastores e pregadores em geral, líderes de escolas bíblicas e dominical, estudantes de Teologia e cristãos que queiram se aprofundar no entendimento das Escrituras Sagradas.

 

O lembrete de Abigail
Davi e quatrocentos dos seus guerreiros percorreram a terra em busca de Nabal, um próspero brutamontes que rudemente lhes recusara ajuda. Se Davi não tivesse encontrado Abigail, mulher de Nabal, ele o teria assassinado. Ela embalou comida suficiente para alimentar um exército e foi ao encontro das tropas, esperando impedir um desastre. Respeitosamente, relembrou Davi de que a culpa o assombraria se ele mantivesse seu plano de vingança (1 Samuel 25:31). Davi percebeu que ela estava certa e a abençoou por seu bom juízo.

A raiva de Davi era legítima — ele protegera os pastores de Nabal no deserto (vv.14-17) e recebera o mal por bem. Entretanto, sua raiva estava levando-o a pecar. Seu primeiro instinto foi matar Nabal à espada, mesmo sabendo que Deus não aprovava o assassinato e a vingança (Êxodo 20:13; Levítico 19:18).

Quando somos ofendidos, é bom comparar os nossos instintos com o desejo de Deus para o comportamento humano. Podemos nos predispor a atacar as pessoas verbalmente, nos isolarmos ou escaparmos de várias maneiras. Porém, escolher uma reação graciosa nos ajudará a evitar o arrependimento e, mais importante, agradará a Deus. Quando nosso desejo é honrá-lo em nossos relacionamentos, Ele é capaz de fazer até mesmo os nossos inimigos estarem em paz conosco (ver Provérbios 16:7). Conseguimos suportar as injustiças da vida porque sabemos que Deus endireitará tudo.— Jennifer Benson Schuldt


Mal coletivo

comentários

Carl Gustav Young foto), o criador da psicologia analítica, revela que quanto mais se fala de algo, esse algo impregna na consciência coletiva, e como que sem perceber todos estão praticando aquele algo. É o que ocorre no Brasil. Falo do Brasil, só pra localizar meu comentário, mas acontece no mundo inteiro. Nunca a mulher brasileira apanhou tanto como agora na era da Lei Maria da Penha. Nunca tivemos tanto menores de idade marginais como desde quando vigora o Estatuto da Criança e do Adolescente. Quanto mais se fala e se faz campanha contra as drogas, mais o uso de drogas se dissemina. E assim vai. Então vamos falar de amor, misericórdia e perdão, porque se isso fizermos, mais e mais pessoas terão essas virtudes. Mas voltando às coisas más: em tudo que é canto deste país se fala de corrupção. Quer dizer, lembrando Jung, corrupção está impregnada no coletivo brasileiro. Não vê agora, há menos de 15 dias de implantação do Cartão Escola pelo governo do Amapá, contra fraudes no sistema de merenda escolar do estado, gestores estão sendo flagrados e já levados à polícia por tentarem burlar o novo sistema.

 

Felicidade
Ao chegar no jornal, abri meu e-mail e deparei com duas preciosidades. A primeira, das Edições Paulinas, que diz: ‘A automotivação é um processo diário. Sua força beira a magia’. A outra, do ‘Pão Diário’, com o título ‘Como ser feliz’. Fala sobre a felicidade, alinhando dez dicas para se viver mais contente. Vou partilhar estas dicas: 1ª – Doe algo; 2ª – Faça uma gentileza; 3ª – Agradeça sempre; 4ª – Trabalhe com disposição e vigor; 5ª – Visite os idosos e aprenda com as experiências deles; 6ª – Olhe com atenção para o rosto de um bebê e maravilhe-se; 7ª – Ria com frequência — é o lubrificante da vida; 8ª – Ore para conhecer o caminho de Deus; 9ª – Planeje como se você fosse viver para sempre — você viverá; 10ª – Viva como se hoje fosse seu último dia de vida na Terra. Essas são excelentes ideias para se ter uma vida feliz. Reforce cada uma dessas dicas com louvor, e sua felicidade será completa. ‘Aleluia! Louva, ó minha alma, ao Senhor. Louvarei ao Senhor durante a minha vida…’ (Salmo 146:1,2).

 

Forasteiros e estrangeiros
Estacionei minha bicicleta, folheando o mapa de Cambridge para localizar-me. Com pouca habilidade para orientar-me, seria fácil eu me perder no labirinto de ruas repletas de edifícios históricos.
A vida deveria parecer idílica, porque eu acabara de me casar com um inglês e mudar para o Reino Unido, mas me sentia à deriva. De boca fechada eu parecia comum, mas, ao falar, sentia-me imediatamente marcada como turista americana. Eu ainda não tinha me familiarizado com minha nova situação e logo percebi que juntar duas pessoas teimosas para compartilhar o cotidiano era mais difícil do que eu imaginava.

Eu me identificava com Abraão, que deixou tudo que conhecia ao obedecer ao chamado do Senhor para viver como estrangeiro e forasteiro em uma nova terra (Gênesis 12:1). Ele enfrentou os desafios culturais, guardando a fé em Deus e, 2 mil anos depois, o escritor de Hebreus o chamou de herói (11:9). Assim como os outros homens e mulheres citados neste capítulo, Abraão viveu por fé, ansiando pelas promessas, desejando e esperando por seu lar celestial.

Talvez você tenha vivido sempre na mesma cidade, mas como seguidores de Cristo, somos todos estrangeiros e forasteiros nesta terra. Por fé avançamos, sabendo que Deus nos conduzirá e guiará, e por fé cremos que Ele nunca nos deixará nem abandonará. Por fé, ansiamos pelo nosso lar. Deus nos chama a viver por fé, crendo que Ele cumprirá as Suas Promessas. – Amy Boucher Pye


Voo alto

comentários

Político habilidoso, simpático e apaziguador, o diretor presidente da Companhia de Transportes e Trânsito de Macapá (CTMac), André Lima, dia 6 de abril deixará o cargo. Vereador licenciado da capital, que é, voltará para a Câmara Municipal, porque a lei permite, no entanto executando plano mais alto. André se lançará candidato a deputado federal. Ele é desses nordestinos que contribuem, e muito, para o progresso da localidade que escolhem para morar. Todos sabemos, nordestino é ‘cabra da peste’, ou seja, homem valente, corajoso, batalhador. Isso André Lima tem demonstrado ao longo destes 25 anos em que se encontra no Amapá, procedente de Recife (PE). Tudo o que tem feito, é bem feito. Academicamente, formou-se em Administração. Sem dúvida bom nome a ser apreciado para representar o Amapá em Brasília.

 

O Rei que voltará
Nós admiramos todos os que “dão a volta por cima” depois de um fracasso e derrota. Em 2001, uma revista de esportes apresentou um artigo sobre as maiores “voltas por cima” de todos os tempos. É surpreendente! Eles selecionaram a ressurreição de Jesus como o número um de tais eventos. A afirmação dizia o seguinte: “Jesus Cristo — 33 d.C., — desafia e deixa os romanos atônitos com a Sua ressurreição.”

Que compreensão! Em qualquer uma das listas de “voltas por cima” na história, a vitória de Jesus sobre a morte merece o primeiro lugar. Sua ressurreição está acima de qualquer outro acontecimento.

Em última instância, a morte triunfa sobre a vida. Quando uma pessoa morre, não há a possibilidade de uma nova existência — pelo menos não neste mundo. Mas esse não foi o caso de Jesus. Ele havia prometido aos Seus discípulos que depois de ser crucificado por Seus inimigos, voltaria a viver — triunfando sobre a morte. Mateus registra isso em seu evangelho: “…começou Jesus Cristo a mostrar a seus discípulos que lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas coisas […] ser morto e ressuscitado no terceiro dia” (16:21). E foi isso o que aconteceu com o nosso Salvador.
O retorno de Jesus nos assegura que nós também, pela fé nele, voltaremos quando ressuscitarmos (João 11:25,26). O túmulo vazio é o fundamento da nossa fé.— Vernon C. Grounds

 

Por favor, entre
A casa de Janete fica em uma estradinha rural, muito utilizada nos horários de maior tráfego por motoristas que querem evitar as rodovias principais próximas e os semáforos. Semanas atrás, os operários chegaram para reparar a superfície bastante danificada da estrada, trazendo grandes barreiras móveis e placas de “Não Entre”. “Fiquei realmente preocupada no início”, disse ela, “pensando que não conseguiria tirar o meu carro da garagem até que a obra estivesse concluída. Mas daí, fui olhar as placas mais atentamente e percebi que diziam: ‘Não Entre: Acesso somente para residentes’. Não havia barreira para mim. Eu tinha o direito de entrar e sair sempre que quisesse, porque morava lá. Senti-me muito especial!”

No Antigo Testamento, o acesso a Deus no tabernáculo e no templo era estritamente limitado. Somente o sumo sacerdote podia entrar pela cortina e oferecer sacrifícios no Santíssimo Lugar, uma vez por ano (Levítico 16:2-20; Hebreus 9:25,26). Mas, no exato momento em que Jesus morreu, o véu do templo foi rasgado em dois de cima abaixo, mostrando que a barreira entre o homem e Deus fora destruída para sempre (Marcos 15:38).

Devido ao sacrifício de Cristo pelos nossos pecados, todos os que o amam e o seguem podem entrar em Sua presença a qualquer momento. Ele nos deu o direito de acesso. O acesso ao trono de Deus está sempre liberado.— Marion Stroud


A vontade de Deus

comentários

Cada pessoa é diferente da outra, na índole. Em traços físicos, nem tanto. Aquele ensinamento religioso de que todos nascemos com pecado, em virtude da desobediência de Adão e Eva, no Paraíso, sem dúvida é verdade. O homem é mau por natureza. E bom, também por natureza. É o ambiente dele que dita que caminho ele segue – o do bem ou o do mal. Mas Deus escolhe pessoas. Veja que de todas as mulheres do mundo Ele escolheu uma simples menina da simples região da Galileia, na também simples Palestina, para ser a Mãe de Jesus. Essas escolhas de Deus, que somente Ele mesmo compreende, salvam o mundo. Pessoas como Maria, Abraão, José do Egito, Madre Teresa de Calcutá, Santo Agostinho e uma variedade de anônimos são exemplos de como se deve proceder para o bem da Humanidade, da vida e da paz. Porém, aí mais uma vez uma coisa que só Deus compreende, os escolhidos geralmente têm uma existência difícil, é o caso, por exemplo, dos discípulos de Jesus. Todos eles, com exceção de João, foram martirizados, ou seja, mortos pelo homem porque eram arautos do bem. Para concluir, como só Deus compreende, resta-nos a fé para aceitar e admitir que o que Ele faz é para o bem de todos nós. Afinal, isto também é verdade: o bem sempre vence; o mal só ganha batalhas, não a guerra.

 

Sonho
O sonho é inerente ao ser humano. Há quem diga que os animais chamados irracionais também sonham. O ser humano é racional, quer dizer, possui a razão, mas também é animal. Por isso, tem os seus momentos de irracionalidade. Já o bicho, o animal pra valer, age pelo instinto, o homem também tem o seu instinto. O instinto de fidelidade do cachorro é impressionante. Não diria o mesmo do instinto do homem. O gato é de uma gratidão maravilhosa. A quem lhe dá comida, ele sempre acompanha com carinho de dar inveja a qualquer ser humano. Mas o sonho é um fenômeno do homem e da mulher. Tem o sonho físico, que afeta a mente com imagens, pensamentos e fantasias. Especialistas dizem que o sonho tem a ver com o dia a dia das pessoas, mas também podem ser premonições. São famosos os sonhos interpretados por José do Egito e o profeta Daniel. E há o sonho da aspiração, da realização pessoal ou coletiva. Ah, esse tipo de sonho mexe com todos. Todos sonham conseguir alguma coisa. Abraham Lincoln, depois de muitos reveses, conseguiu ser Presidente dos Estados Unidos; Ghandi sonhou ser livre sem violência, e a Índia dele conseguiu se livrar da Inglaterra sem dar sequer um tiro; Martin Luther King Jr. sonhou dias melhores para o homem negro da América do Norte, conseguiu. Esses três grandes homens foram assassinados. Sim, mas não mataram os sonhos deles. Como também a grande maioria dos atuais políticos brasileiros não matará os sonhos do nosso povo de um dia virmos a ser uma Nação próspera, ordeira e feliz, independente deles.

 

Com respeito
Os cidadãos de Israel estavam tendo alguns problemas com o governo. Era o fim do século 6.º a.C. e o povo judeu estava ansioso por finalizar o seu templo que havia sido destruído em 586 a.C. pela Babilônia. Todavia, o governador de sua região não tendo a certeza de que eles deveriam estar fazendo aquilo, enviou uma nota ao rei Dario (Esdras 5:6-17).

Na carta, o governador diz que encontrou os judeus trabalhando no templo e pergunta ao rei se eles tinham permissão para isso. A carta também registra a resposta respeitosa dos judeus, de que eles realmente haviam recebido autorização de um rei anterior (Ciro) para a reconstrução. Ao verificar a história deles, o rei descobriu ser verdadeira: o rei Ciro havia dito que eles poderiam construir o templo. Então, Dario não só lhes dera permissão para reconstruir, mas também financiou a obra! (6:1-12). Após terminarem a construção do templo, os judeus “celebraram […] com regozijo…”, porque sabiam que Deus havia “…[mudado] o coração do rei…” (6:22).

Quando vemos uma situação que precisa ser tratada, honramos a Deus quando pleiteamos nossa causa de maneira respeitosa, confiamos que Ele está no controle de todas as situações e expressamos gratidão pelo resultado. O respeito à autoridade glorifica a Deus. — Dave Branon


Que surpresa!

comentários

No momento em que Brasil e França procuram se acertar, diplomaticamente, pelo menos na aparência, por conta da ponte binacional no rio Oiapoque; também no momento em que se tem notícia de que o Brasil já concluiu a sua aduana, no município amapaense fronteiriço, para a abertura efetiva da ponte, recebo a informação de que o Consulado franco no nosso estado foi fechado. Consta que a medida, tomada pela Embaixada francesa no Brasil, vigora desde o dia 16 de fevereiro. Isso vem causando transtornos a muita gente que depende do fluxo de ligação entre Oiapoque e a Guiana Francesa. Mas autoridades do país de Napoleão Bonaparte não informam nada sobre o fechamento do Consulado, bem como autoridades brasileiras e muito menos amapaenses. Aí não dá pra aguentar. Resta a esperança de uma explicação, que deverá ser dada terça-feira, 6, com a presença de uma autoridade da Embaixada da França, em Macapá.

 

O Rei que voltará
Nós admiramos todos os que “dão a volta por cima” depois de um fracasso e derrota. Em 2001, uma revista de esportes apresentou um artigo sobre as maiores “voltas por cima” de todos os tempos. É surpreendente! Eles selecionaram a ressurreição de Jesus como o número um de tais eventos. A afirmação dizia o seguinte: “Jesus Cristo — 33 d.C., — desafia e deixa os romanos atônitos com a Sua ressurreição.”

Que compreensão! Em qualquer uma das listas de “voltas por cima” na história, a vitória de Jesus sobre a morte merece o primeiro lugar. Sua ressurreição está acima de qualquer outro acontecimento.

Em última instância, a morte triunfa sobre a vida. Quando uma pessoa morre, não há a possibilidade de uma nova existência — pelo menos não neste mundo. Mas esse não foi o caso de Jesus. Ele havia prometido aos Seus discípulos que depois de ser crucificado por Seus inimigos, voltaria a viver — triunfando sobre a morte. Mateus registra isso em seu evangelho: “…começou Jesus Cristo a mostrar a seus discípulos que lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas coisas […] ser morto e ressuscitado no terceiro dia” (16:21). E foi isso o que aconteceu com o nosso Salvador.
O retorno de Jesus nos assegura que nós também, pela fé nele, voltaremos quando ressuscitarmos (João 11:25,26). O túmulo vazio é o fundamento da nossa fé.— Vernon C. Grounds

 

Leões à espreita
Quando eu era criança, meu pai nos assustava ‘escondendo-se’ no mato e rosnando como um leão. Mesmo na década dos anos 1960, era quase impossível um leão se esconder numa área rural de Gana, África. Meu irmão e eu ríamos e procurávamos a origem do ruído, alegres por chegar a hora de brincar com papai.

Certo dia, uma amiga veio nos visitar. Enquanto brincávamos, ouvimos o rugido conhecido. Ela gritou e correu. Meu irmão e eu conhecíamos a voz de papai — qualquer ‘perigo’ era simplesmente o leão fantasma —, mas dessa vez, foi engraçado, corremos com ela. Meu pai se sentiu mal por ela ter ficado assustada, e meu irmão e eu aprendemos a não sermos influenciados pelo pânico alheio.
Calebe e Josué se destacam como homens indiferentes ao pânico alheio. Quando Israel estava prestes a entrar na Terra Prometida, Moisés enviou 12 homens para espiar a região. Todos viram um belo território, mas dez se focaram nos obstáculos e desanimaram toda a nação (Números 13:27-33). No processo, eles entraram em pânico (14:1-4). Só Calebe e Josué avaliaram a situação com precisão (vv.6-9). Eles conheciam a história de seu Pai e confiavam no sucesso que Ele traria.

Alguns ‘leões’ representam ameaça genuína, outros são fantasmas. Não importa, como cristãos, a nossa confiança está naquele cuja voz e ações conhecemos e confiamos. Fogem os perversos, sem que ninguém os persiga; mas o justo é intrépido como o leão. Provérbios 28:1— Tim Gustafson