A conspiração dos girassóis

Procurando meus alfarrábios no baú me assustei com um velho texto intitulado “A CONSPIRAÇAO DOS GIRASSOIS’’ que parece se encaixar no agora.

Compartilhe:

Na poesia ou composição existe o termo, pocesso, que quer dizer que o texto foi feito em estado de pocessão, ou seja, algo profético ou em estado de graça ao ponto de você não reconhecer aquele texto como seu. Não se preocupem, nada diabólico.

Procurando meus alfarrábios no baú me assustei com um velho texto intitulado “A CONSPIRAÇAO DOS GIRASSOIS’’ que parece se encaixar no agora.

Derrepente pela manha uma mulher com os olhos verdes vendados anda pela cidade que esta quase em coma de tanto silencio.

Uma pedra cai vinda de um céu distante e fica no caminho,prenunciando a tempestade. Somente uma águia risca o céu santificado pelo próprio nome. Ouve-se vozes desde a noite passada;
_ queremos, precisamos, compramos, fazemos qualquer negocio para destruir o céu. É um grupo de peixes de estranha cor escarlate que conversa dentro de aguas escuras, e eles tem sua propia luz.

Um deles grita, chamem os girassóis. Os girassóis atendem, amarelados de sol, nessa manha não se deixam rezar a reza harmoniosa de Deus. E assim, conspiram em velhas, muito velhas paginas de medo, proclamando o silencio de velhos tempos, nenhum piu, nenhum pássaro, nada. E assim a poesia no tempo se explica.

E o girassol chamado joao diz ao sol

– agora que vença o melhor.

Poesia escrita em 1999.
Abraço Osmar junior !


 
Compartilhe: