Banda Mano Roots lança o disco ‘Estrada do Mazagão’


A banda musical amapaense, ‘Mano Roots, está preparando o lançamento, através de uma live, dia 31 de agosto, direto de Santana, de seu 1º disco denominado ‘Estrada do Mazagão’, que acaba de ser gravado. O lançamento será pelas redes sociais da banda a partir das 20h.

O cantor da banda, músico e compositor, Dylan Rocha, disse que por causa da pandemia do novo coronavírus o grupo ficou impossibilitado de realizar seus projetos, o que gerou crise geral com consequências nada boas na economia, na sociedade e na vida cotidiana.

“Os impactos na área cultura são extremamente acentuados. As instituições foram fechadas. As casas que se destinam às apresentações musicais cancelaram os shows e demais eventos. Os efeitos do distanciamento social atingiram a rede de produção e execução cultural. Nesse contexto a banda Mano Roots resolveu realizar uma live para divulgar o disco e arrecadar alimentos para contribuir com famílias carentes”, acrescentou.

Em 2003, um grupo de amigos se reuniu criando a banda que logo despontou no cenário amapaens. Eles transitaram pela MPB, choro, rock, carimbó, baião, mas se identificaram mesmo com o reggae, que foi mesclado com as batidas do Marabaixo, ritmo originalmente tucuju.

A banda apresenta um repertório inspirado na realidade da região, como identificado na música ‘Negrinha do Curiaú’, que retrata a beleza e cultura negra remanescente no quilombo do Curiaú, localizado na zona norte de Macapá. Também na canção ‘Estrada do Mazagão’ (título do disco), que aborda o conflito religioso entre mouros e cristãos durante a ocupação da região e a manutenção da tradição perpetuada na encenação na festa católica de São Tiago.

Na música ‘Gueto’, expressa os problemas sociais que atingem a cidade e o país, citando as drogas: “o crack se levanta/ te afasta da família, te escraviza e você cai/a precariedade do saneamento básico e a prioridade da preservação da natureza”. Nas letras ainda se vislumbra a declaração clara dos temas sociais que atingem humanidade: “O lixo enxotando as garças e a água declarando a falência da cadeia alimentar…”.

 

 

REPENTE: Repente, conhecido também como Cantoria, uma arte brasileira baseada no improviso cantado, alternado por dois cantores, daí o nome repente. O Repente na Cantoria de viola é desenvolvido por dois cantores acompanhados por violas na afinação nordestina.

 

***************************************

Olha meu bem
Os guarás que voltaram do sul
Esvoaçam e dançam alegres
Porque o céu do norte ainda é azul

Osmar Júnior

***************************************

 

 

Cult’Art

Na TV

Claudinei Assis Produções está lançando o concurso ‘Sua Música Na TV’, para incentivar e descobrir novos talentos da composição musical do país.
Vencedor terá sua obra gravada e vai fazer parte como trilha sonora da nova minissérie Justine, exibida pelo SBT. Acesse o link e envie sua música – www.pedrocanaan.com/concurso.

 

  • Convidado

Nesta quinta (13), 19h, estarei na live ‘Por Trás do Pavilhão’, projeto criado por Alessandra Azevedo e que destaca o quesito Mestre Sala e Porta Bandeira. Ela apresenta [no Instagram] todas as terças e quintas-feiras. Obrigado pelo convite.

 

  • Talento

A jovem Andriny Videira, 22 anos, é uma promissora Porta-Bandeira da nova geração do carnaval amapaense. Seu talento, técnica refinada e comunicação com o pavilhão lhe credenciam para um futuro brilhante.
Foi descoberta no 3º Encontro de Casais de Mestre-Sala e Porta-Bandeira no Meio do Mundo, em 2016. Hoje, ocupa o posto de 2ª PB de Piratas Estilizados ao lado de seu fiel mestre-sala, Lucas Rodrigues. Parabéns.

 

  • Futuro

Poetinha da Amazônia, Osmar Júnior diz que temos que combater a inquietude e compartilhar a plenitude da esperança. Que cabe a todos nós nos lambuzarmos de presente pensando no futuro.
“Cabe-nos perfumarmos com incensos e bálsamos, e abrirmos nossas janelas para o sol nos banhar de luz”, disse. (do livro Piratuba, A Cantoria do Lago – escrito por Fernando Canto sobre o artista).

 

  • Dificuldades

Artistas que sobrevivem literalmente da arte afirmam estar passando por dificuldades financeiras para sustentar suas famílias.
“Paramos nossas atividades no início de março e não temos data para retornar. Isso nos deixou em situação difícil. Temos filhos, aluguel e contas a pagar, além de abastecer a casa. Sem trabalho não temos dinheiro para sustentar tudo isso”.

 

  • Fotografia

Nesta quinta (13), às 20h, tem o projeto ‘Diálogos Nacionais – Fotografias’, analisando a importância da Lei de Emergência Cultural para o campo da fotografia e para as lutas do setor. Com transmissão pelo YouTube.
Será apresentado um cenário do papel da fotografia na cultura e história do país, além da potência do fotojornalismo na documentação dos grandes temas da vida nacional: direitos humanos, defesa de minorias, povos indígenas, degradação ambiental.

 

  • 80 anos

Na segunda (17) a Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) completa 80 anos de existência, marco importante para a instituição que é um patrimônio da cultura do país.
Com a pandemia os planos para a temporada comemorativa tiveram que ser adaptados para o ambiente virtual. Nos próximos dias lançará uma série especial de aniversário e retomará a temporada, mas no formato online.


Obra de Guimarães Rosa lançada em Audiolivro


As editoras Tocalivros e Global lançam o audiolivro ‘A Hora e Vez de Augusto Matraga’. Um dos clássicos da literatura nacional assinado pelo maior escritor pós-modernista brasileiro, João Guimarães Rosa.

Mitológico, regionalista, singular e inovador, João Guimarães Rosa dispensa apresentações. Sua obra e sua reinvenção conseguiram ultrapassar as fronteiras das palavras que seguem vivas, mesmo depois de tanto tempo no imaginário da narrativa do povo brasileiro. Nas bibliotecas, nas escolas, entre os leitores e agora, também, em ondas sonoras. A iniciativa de transformar as conversas do sertão sem fim em áudios é da Tocalivros, empresa brasileira que faz a magia literária de converter bibliotecas inteiras em megabites.

O conto encerra a obra ‘Sagarana’, publicada em 1965 por Guimarães Rosa. A obra destaca a perfeita síntese do mandonismo local [entre o bem e o mal] em um enredo surpreendente construído pelo escritor e que reflete sobre instintos, costumes, e, claro, os dilemas da vida. Um dos maiores clássicos da literatura brasileira disponível onde e quando quiser, na palma da mão e nos fones de ouvido.

Escritor e diplomata mineiro, Guimarães Rosa morreu de infarto em novembro de 1967, aos 59 anos, no auge da fama. Acabara de entrar para a Academia Brasileira de Letras depois de adiar a posse por quatro anos, justamente com medo de morrer.
O audiolivro ‘A Hora e Vez de Augusto Matraga’, que também conta com a narração de Priscila Scholz, está disponível no aplicativo da Tocalivros, em iOS e Android na Apple Store e no Google Play. Além do site www.tocalivros.com.

 

MÚSICA: É uma forma de arte que se constitui na combinação de vários sons e ritmos, seguindo uma pré-organização ao longo do tempo.
É considerada por diversos autores como uma prática cultural e humana. Não se conhece nenhuma civilização ou agrupamento que não possua manifestações musicais próprias.

 

***************************************
Meu bem você me dá água na boca
Vestindo fantasias, tirando a roupa
Molhada de suor
De tanto a gente se beijar

Rita Lee

***************************************

 

 

  • Do forno

Jovem cantor amapaense, Dylan Rocha revela ter acabado de sair do forno o 1º disco (CD) da banda de reggae ‘Mano Roots’, sob título ‘Estradas do Mazagão’. O próximo passo é a divulgação do projeto. Parabéns e boa sorte.

 

  • Aldeia

Na sexta (14) tem lançamento do disco ‘Aldeia Tupinambá – Uma Homenagem ao Bumba Meu Boi de Maracanã. Em todas as plataformas de streaming (Music Zabumba Records).

 

  • Serenata

A cantora Sabrina Zahara e o violonista Péterson Assis lançaram um belo projeto que serve de acalanto nesse momento de pandemia. É o ‘Dê Uma Música de Presente Em Uma Linda Serenata OnLine’.
Você escolhe a música, manda o recado e eles gravam em vídeo e lhe enviam. É só entrar em contato com a dupla pelo telefone (96) 98418-7014. Boa sacada.

 

  • Jingles

Compositor e produtor, Finéias Nelluty já está trabalhando com a produção de jingles para a campanha eleitoral 2020. “São mais de 20 anos realizando esse projeto”, disse Neluty. Informações: (96) 99115-1774.

 

  • ‘Bandeira do Samba’

É o nome do primeiro grupo de samba do Amapá, criado na década de 1980, que iniciou a valorização dos sambas e pagodes feitos em casa.
O grupo era formado por Carlos Pirú, Pedro Ramos, Adelson Preto, Bibi, Espiga do Cavaco, Aureliano Neck, Nena Silva, Nonato Soledade, Lincolin Américo e Carlinhos Bababá. As rodas de samba rolavam no Bar do Tio Duca [Laguinho]. #História.

 

  • Costa Norte

Movimento Costa Norte é o nome do projeto musical que revolucionou, valorizou e firmou a identidade da música popular amapaense.
Foi criado na década de 1980 por Osmar Júnior, Zé Miguel, Amadeu Cavalcante e Val Milhomem.

 

  • Diferente

Produtores já afirmam que a música produzida na Amazônia é diferente de todas as existentes no país. Ritmo, som, percussão, letra, temas, linguagem e o tempero regional de toda musicalidade fazem a diferença.


Oneide Bastos: a rainha da música da Amazônia


Uma cantora de voz aveludada e timbre perfeito que mora bem no meio da floresta verde esperança. Com um jeito tucuju de gente da beira do rio, que tem um cantar que se confunde com o canto dos pássaros que nos saúdam a cada amanhecer, nos convidando para mais um dia de vida livre.

Oneide Bastos é amapaense da gema e faz questão de falar: “eu não tenho vergonha de dizer que sou amapaense e assumir minha identidade artística de caboca tucuju”. Oneide mergulhou na vida musical desde criança, nos festivais e bailes infantis já cantarolava as canções que eram sucesso no movimento da MPB. Ela passou por vários grupos musicais, corais (Vozes do Amapá) e outros. De 1977 a 1982, emprestou sua voz ao grupo Seomo, mas nunca deixou de participar de outros momentos. Em 1989 realizou um vôo mais alto duran turnê pela Guiana Francesa.

Em 1992, Oneide Bastos gravou seu primeiro ensaio musical com parceiros paraenses no disco intitulado “Tempero Regional”. Em 1994, surge seu primeiro disco, “Mururé”, gravado inicialmente em LP e depois prensado numa edição em CD. O disco recebeu inúmeros prêmios e elogios de público e crítica, tendo merecido até um poema do escritor e poeta Luiz Alberto Costa Guedes, da Academia Amapaense de Letras. Em 1996, participou do 1º Especial de Música Popular da Amazônia, produzido pela Amazon Sat e Amapá FM. Em 1997, teve participação especial no show “As mulheres cantam o Amapá”, idealizado pelo produtor Luciano Santos.

Oneide Bastos também foi intérprete dos grupos Trio da Terra, Sonora Brasil e do Projeto Água. Entre 1991 e 2002, foi uma das protagonistas do musical “Meu último tango”, onde contracenou com o bailarino de nível internacional, Agessandro Rego.

Em 2001, com o espetáculo “O show”, resgata e valoriza a música brasileira produzida entre 1930 e 2000. O último disco lançado pela artista foi “Quando Bate o Tambor”, em homenagem aos sons e ritmos da Amazônia. Ela já está gravando um novo projeto. ■

 

 

“Confaca”

Nonato Santos, ou ‘Cantador da Amazônia’, como é chamado, teve sua música [Senhor de Marajé], selecionada na 10ª Mostra Musical da Confraria de Autores de Canções (Confaca).
Evento acontece entre os dias 14 a 22 de agosto, em São Roque (SP). A participação do amapaense, através do videoclipe da música, será dia 14, às 19h, pelo canal da Confraria, no YouTube. Boa sorte.

 

Samba de Dois

Título do 1º livro da poetisa amapaense Neth Brazão, lançado recentemente, em e-book. A obra mistura poesia erótica, samba e outros temas. Visite a livraria amazon.com.br e adquira o seu.

 

Cinema

De 14 a 28 de agosto o Itaú Cultural exibe em seu site www.itaucultural.org.br, um ciclo de filmes com um recorte da obra do premiado cineasta brasileiro Eryk Rocha.
A mostra mergulha na mentalidade do cinema brasileiro a partir de histórias que se aproximam da realidade das pessoas.

 

Bandaia

Que notícia boa. Na sexta (14) vai rolar a ‘Bandaia no Curiaú’. É uma homenagem a São Joaquim, padroeiro da comunidade.
Evento acontece na residência do senhor Mateus (Toca da Raposa), às 19h, com participações especiais de Pedro Ivo (Guto), Filhos do Curiaú, Raízes do Bolão e Mário Neilton. Transmissão será pela página Heranças Ancestrais, no Facebook.

 

Favelando

Projeto ‘Por Trás do Pavilhão’, de Maracatu da Favela, recebe nesta terça-feira (11) o 1º casal de Mestre Sala e Porta Bandeira da agremiação carnavalesca, Adriano Almeida e Lika da Favela.
Com transmissão pelo Instagram, às 19h, na página oficial @encontrodecasaisamapa. Sob coordenação e apresentação da porta-bandeira, Alessandra Azevedo. Bela iniciativa.

 

Expectativa

Fãs da cantora Brenda Melo já estão em contagem regressiva para o lançamento de seu novo single, ‘Sou o Norte’, com composição de Finéias Neluty.
No próximo sábado (15), com direito a videoclipe. Lançamento será no YouTube da artista e plataformas digitais (Instagram, Facebook – Fanpage, Spotify, Itunes e outros).

 

No ar

Programa “O Canto da Amazônia” (Diário 90,9FM) vai aos ares de segunda a sexta, às 16h. Divulgando e valorizando a arte e os artistas amazônicos. Bem a cara e o jeito de nossa gente. Bom de ouvir.


Rambolde Campos: ‘Macapá, amor à primeira vista’


Rambolde Campos é um nordestino de Natal (RN), com cara de amapaense, uma verdadeira mistura de gente que nasce no Brasil, onde a identidade geográfica musical pouco importa, pois, é no sabor do cancioneiro brasileiro que se ama o que se vive.

O cantor e compositor, Rambolde Cavalcante Campos, artisticamente conhecido como Rambolde Campos, decidiu registrar a própria carreira musical com um projeto de cantador autoral. E deu o nome de “Rambolde 30 anos”, uma coletânea de 30 músicas, onde dez são inéditas, fazendo parte de um álbum duplo especialmente produzido para celebrar a trajetória desse filho potiguar, de Natal (RG), que um dia escolheu as terras tucujus pra morar, bem no comecinho dos anos 80. Desembarcou em Macapá, escorado em um violão e na bagagem, uma penca de sonhos, com sons e ritmos brasileiros. Foi amor à primeira vista. Esse amor já dura mais de dez anos e desse casamento, resultaram dezenas de composições próprias e com outros parceiros de outras paragens, como a canção “Nós passa vida”, feita com Osmar Júnior, um dos maiores compositores e letristas da Amazônia.

Sua cidade de nascimento é Cabugi, alguns quilômetros do município de Lages Pintadas (RG), lá Rambolde cresceu ouvindo o pai dele interpretar no assobio os clássicos de Luiz Gonzaga, o “Rei do Baião”. Apesar de muito jovem, Rambolde já entendia o que o “Véio Lua” queria dizer com “terra ardendo qual fogueira de São João”. Era a seca castigando o povo nordestino. E a desolação era tamanha que até mesmo a Asa Branca, não suportando o braseiro, tinha batido asas do sertão. Foram as canções de Luiz Gonzaga que serviram de inspiração para o cantor.

Atendendo a convites de parentes, que já moravam em Macapá, aos 20 anos de idade, Rambolde Campos, desembarcou em terras tucujus “pra passar alguns dias”, apenas para rever tios e primos e conhecer a terra em que eles moravam há bastante tempo. “Meu tio foi pioneiro em Macapá. “Eu, em Natal, ouvia muito falar dessa cidade, do povo bom e hospitaleiro, e das riquezas naturais que aqui, se gundo afirmavam, existiam em abundância. E ainda existem como a gente pode ver, e me apaixonei imediatamente”, finalizou Rambolde.
.

 

CARROÇA: É um meio de transporte que antecede ao advento dos veículos a vapor. Movida por tração humana] ou animal, a carroça era o meio de transporte mais utilizado para os deslocamentos de carga de um lugar a outro. Hoje em dia, é pouco comum o uso de carroças no trânsito de grandes centros urbanos, sendo até chamadas de “charretes”. As carroças são utilizadas mais freqüentemente no meio rural.

 

***************************************

Meu caro amigo me perdoe, por favor
Se eu não lhe faço uma visita
Mas como agora apareceu um portador
Mando notícias nessa fita

Chico Buarque/Francis Hime

***************************************

 

  • Estreia

Cantor João Neves, filho de Rionegro, da dupla com Solimões, mostra todo talento que herdou do pai, em sua iniciante carreira.
O artista fez seu primeiro show pela Live, no sábado (8), em seu canal oficial no YouTube. No repertório, a influência sertaneja e a sonoridade jovem do country rock.

 

  • Inédito

Maracatu da Favela foi aprovado no “Edital Circula Amapá”, do governo do Estado. É a primeira vez que uma escola de samba amapaense é habilitada em um Edital. Fato inédito pra servir de exemplo.

 

  • União

Poeta Joãozinho Gomes e o cantor e compositor Amadeu Cavalcante, compuseram uma parceria musical denominada ‘União’. Aconselho ouvir no canal de Amadeu (YouTube). “Um homem só faz verão, imaginai um milhão…”

 

  • Poço do Mato

O Poço do Mato existiu, sim. Era localizado na av: padre Manoel da Nóbrega (Laguinho), entre as ruas São José e General Rondon, atrás do terreno da Caesa.
Construído em 1864 para fornecer água aos moradores do bairro, foi declarado Monumento Cultural de Macapá, através do Projeto de Lei municipal nº 037/93.

 

  • Reconhecimento

Sambista Aureliano Neck tem participação e composições em quase todas as escolas de samba do carnaval amapaense, sem falar de blocos carnavalescos.
Recebeu o título de Cidadão do Samba e perdeu a conta de quantas músicas já compôs sozinho e com parceiros. Merece nosso respeito e reconhecimento.

 

  • Orientação

Conselho de Cultura e Secult vão realizar o ‘Escuta e Orientação’ para esclarecimentos aos artistas amapaenses acerca da Lei Aldir Blanc. A reunião vai ser online, no canal youtube.com/secultamapa.

 

  • Organização

Piratas Estilizados é considerada a escola de samba mais organizada do carnaval amapaense e a mais querida. Além da realização de seus projetos, é a primeira a prestar contas dos recursos que recebe.
“Isso é básico e fundamental em qualquer instituição que tem compromisso, responsabilidade e seriedade no que se propõe a realizar”, disse o presidente Diego Armando.


Maracatu da Favela é habilitado no Edital Circula Amapá


Os tambores da resistência favelense ecoaram forte e positivamente com o resultado da habilitação de Maracatu da Favela no Edital Circula Amapá, lançado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult). O resultado foi divulgado na noite de quinta-feira (6), no site da secretaria, tendo a verde e rosa do carnaval amapaense como única agremiação carnavalesca a ser contemplada. Fato inédito entre as escolas de samba do Amapá.

O projeto ‘Resistência é Favelar’, representado pela Duas Telas Produções, está entre os primeiros da linha de cultura popular e irá contemplar diversos segmentos culturais. ‘Resistência é Favelar’ é o enredo de Maracatu da Favela para o carnaval de 2021, sendo apresentado pela direção de arte da agremiação e aprovado pela diretoria.

Além de englobar a arte carnavalesca do enredo, o projeto também busca resgatar a herança popular guardada na memória e no coração daqueles que um dia viveram em um espaço territorial chamado favela.

A execução do projeto terá palestras, rodas de conversa, oficina de percussão de marabaixo e bateria da escola de samba, oficina de dança e apresentações culturais, sendo todos voltados para o resgate e valorização da cultura favelense.

Para o presidente Luiz Mota (Geléia) “esse projeto visa levar à sociedade amapaense uma discussão sobre o espaço territorial conhecido carinhosamente por Favela. Um lugar de pertencimento que ficou guardado na memória de seu povo, e que apesar de não se configurar como um bairro da cidade de Macapá, algumas instituições culturais carregam em seus nomes o termo ‘favela’, não deixando que esse espaço caia no esquecimento. Essa é mais uma atividade de Maracatu da Favela e ainda teremos muitas novidades para nossa comunidade”, finalizou. A execução do projeto será a partir de 2021 e a direção de arte da escola já trabalha no cronograma de atividades para o evento. (Cláudio Rogério).

 

TRADIÇÃO: É a continuidade ou permanência de uma doutrina, visão de mundo, costumes e valores de um grupo social ou escola de pensamento. Ao nível da etnografia, a tradição revela um conjunto de costumes, comportamentos, memórias, rumores, crenças, lendas, música, práticas, doutrinas e leis que são transmitidos para pessoas de uma comunidade, sendo que os elementos passam a fazer parte da cultura.

 

***************************************

Enquanto os homens exercem seus podres poderes
Motos e fuscas avançamos sinais vermelhos
E perdem os verdes
Somos uns boçais

Caetano Veloso

***************************************

 

 

  • Empossados

Governador Waldez deu posse, na quinta (06), aos sete novos conselheiros de cultura do Estado. Evento ocorreu no Setentrião. São eles: Carlos Eduardo (Audiovisual), Elias dos Santos (Bandas Marciais), José Figueiredo – Savino (Bloco A Banda), Fábio dos Santos (Indígena), Fábio Sacaca (Marabaixo), Michel Nascimento (Capoeira) e Arnaldo Leão – suplente (Gospel). Na sexta (7) eles também tomaram assento no Conselho Estadual de Política Cultural (CEPC).

 

  • Bailão

É neste sábado (08) a live do ‘Bailão do Paizão’. Show vai reunir os cantores Ivo Cannuty, Clay Sam e Batan. Transmissão será no YouTube, no canal de Ivo. Se inscreva e assista. Vai ser show.

 

  • ‘Tom nas Escolas’

O Instituto Antônio Carlos Jobim (RJ) disponibiliza acervo do compositor com imagens, fotos e manuscritos nas mídias digitais.
A instituição lança, neste mês, o projeto ‘Tom Nas Escolas’, com uma orquestra virtual beneficiando cerca de 600 mil alunos da rede pública carioca de ensino.

 

  • Comemoração

Consagrado sambista brasileiro, Dudu Nobre se encontra com Jorge Aragão para celebrar o Dia dos Pais. Claro, com grande roda de samba. Encontro ocorre a partir das 19h deste sábado (08)  em live transmitida pela TV por assinatura Music Box Brasil e pelo canal de Dudu Nobre, no YouTube.

 

  • Urubu Mestre

Poeta Joãozinho Gomes e o compositor Eudes Fraga assinam a bela obra musical ‘Urubu Mestre do Voo’, gravada por vários artistas.
“Perdoa a mão que te apedreja, perdoa quem não te perdoa. Perdoa a pedra que te alveja, perdoa o preconceito e voa…”.

 

  • Em casa

Neste sábado (08) tem show do cantor e compositor Naldo Maranhão no projeto ‘Ao Vivo Lá Em Casa’, às 20h, através de live na página da Secult, no Facebook.

 

  • Repercussão

Nova música do grupo de samba Gente de Casa, chamada ‘Joia Preferida’, lançada no programa O Canto da Amazônia (Diário 90,9FM), já está comentada nas redes sociais. Obrigado,pela audiência.


Amapá presente no I Congresso de Cultura Brasileira Rio 2020


O jornalista e pesquisador cultural, Cláudio Rogério, é o representante do Amapá no I Congresso Brasileiro de Cultura Rio 2020, versão online. Evento teve início na quinta-feira (6), com encerramento agendado para 27 de agosto.

Rogério entra em cena no último dia de Congresso, às 19h, debatendo o tema ‘A Relação Entre a Educação e a Cultura em Nossa Formação’ – As Estratégias Educacionais de Transmissão Cultural no Ensino Público e Privado. Com transmissão pelo  YouTube https://www.youtube.com/channel/UCfOe8mVt8N4UI4oAGkEYZvA.

São duas lives por noite com diversos assuntos relacionados à cultura e a arte do país. Haverá participação de vários militantes renomados de todos os segmentos artísticos culturais do Brasil.

Na bancada do amapaense estarão presentes – Pituka Nirobe (Escritora de Literatura Afro Brasileira), José Brito (Gerente do Canal Futura – Fundação Roberto Marinho), Cláudio Rogério (Jornalista e Produtor Cultural da Amazônia) e Algemiro da Silva karai Mirim (Professor, mestrado em Profilind – Museu Nacional-UFRJ, Etinia Guarani, aldeia Sapukai de Bracuy – Angra dos Reis).

Cláudio Rogério é jornalista cultural, pesquisador, produtor do programa radiofônico O Canto da Amazônia (Diário 90,9FM), com militância em diversos segmentos da cultura popular do Amapá como Carnaval (diretor, pesquisador, ritmista, consultor), Toada (palestrante, julgador, cobertura jornalística, fotógrafo), Marabaixo (pesquisador, consultor, designer, fotógrafo), Batuque (pesquisador, consultor, designer, fotógrafo), Cultura Junina (representante do Estado na Confederação Nacional de Quadrilhas Juninas como diretor da região norte – consultor temático, pesquisador, palestrante, diretor, fotógrafo).

 

CORRENTEZA: A correnteza de um curso d’água é o trecho em que a sua corrente vai mais rápida (acima do fluxo médio), formando pequenas ondas e ocorre usualmente em um terreno raso e acidentado. Muitas veze, consiste em um leito rochoso de cascalho e de seixos ou de outras pequenas pedras. Esta parte do curso d’água é um importante hábitat para a pequena biota aquática, como pitus ou pequenos peixes.

 

***************************************

Pequenas gotas de cores
Que iluminam meu viver
Recompensa o suor e as mãos calejadas
De tudo que plantei e cultivei nesta vida

Ivaldo Souza – poeta

***************************************

 

  • Encerrado

Prorrogação de prazo para que escolas de samba prestem conta dos R$ 500 mil repassados pelo governo – por meio de convênio para o carnaval 2020 – encerra nesta sexta-feira (07).
Império, Solidariedade e Embaixada de Samba continuam inadimplentes com a segunda parte, que trata do relatório de metas e objetivos alcançados.

 

  • Festejo

Associação Cultural Raimundo Ladislau festeja nesta sexta (7) os 32 anos de criação da instituição. Comemoração será através de uma live pela página de Laura do Marabaixo, no Facebook, às 17h.

 

  • Poeta

Poeta e professor Ivaldo Souza, com vários livros lançados, vem se destacando cada dia mais com belas obras que retratam a vida da natureza. Parabéns.

 

  • Reabertura

Direção do Museu Sacaca anuncia reabertura e retorno das atividades artísticas para o dia 1º de setembro, de 9h às 17h.
Obedecendo a todos os protocolos de segurança determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

  • O cantar

Diretoria de Boêmio do Laguinho realiza no dia 15 de agosto (sábado) projeto ‘O Cantar da Nação Negra’.
Abrilhantam o evento Silmara Lobato (intérprete oficial), ala musical, bateria Pororoca, rainha de bateria Nêga Vânia, Comissão de Frente, casais MSPB e convidados. Live será pelos  canais da instituição no YouTube e Facebook.

 

  • Representatividade

Mais uma eleição se aproxima e não vemos nenhum artista se apresentar como possível candidato.

Talvez tivéssemos um digno representante que falasse a língua dos artistas. É preciso empunhar a bandeira em favor desse seguimento tão maltratado. Alguém se habilita?

 

  • Incentivo

Estão abertas até 20 de agosto as inscrições para projetos artísticos culturais do Banco da Amazônia (BASA). São mais de 3 milhões disponíveis para artistas da região Norte. Mais informações no site www.bancoamazonia.com.br.


Vem cá conhecer Macapá


Em homenagem a cidade de Macapá, capital do Amapá, que comemora aniversário em 4 de fevereiro, o compositor, músico, cantor e produtor amapaense, Finéias Nelluty, declara seu amor à “terrinha” com uma bela poesia musical de sua autoria:, ‘Vem Conhecer Macapá’.

 

Confira a letra

Vem cá conhecer Macapá,

curtir esse lugar que é bom pra se viver.

Vem cá, da beira rio olhar o Amazonas banhar meu forte São José.
Da Fazendinha aquela vista boa, no Curiaú tem pantanal, lagoa.

Vem Marabaixo dançar, vem no Batuque suar.

O Marco Zero vem ver, vem ver a Banda passar.

Vem ver, vem ver. Conhecer Macapá.

O Laguinho que me deu a mulata pra sambar,

passo na Tia Neném pra tomar meu tacacá.

Chega mais perto e vem provar o meu peixe com açaí, farinha do Pacuí, tempero da Tia Coló.

Tenho mais pra te mostrar, vem ver, conhecer Macapá.

 

CURICACA: Ave ciconiforme da família dos tresquiornitídeos, que ocorre da Colômbia à Terra do Fogo e em grande parte do Brasil. Tem cerca de 69 cm de comprimento e 43 cm de altura, bico longo e curvo, pescoço alaranjado, dorso cinza-esverdeado e partes inferiores negras; curicaca-comum, curicaca-de-pescoço-branco, curucaca, despertador.

 

Dos meus olhos saltam melodias
Melodias bem sentimentais
Desse choro antigo e seresteiro
No cantar passarinheiro do poeta e seus sinais
Eudes Fraga/Gonzaga Blantez

 

 

Memórias
Jornalista e pesquisador , João Lázaro (Janjão) resgata a memória adormecida do Amapá através de seu blog porta-retrato-ap.blogspot.com e uma fanpage noFaceboo).
São postagens de fotos antigas que retratam a história e a memória do Amapá. Também, são encontrados documentos, vídeos, recortes de jornais e revistas, depoimentos, narrativas e muito mais. Vale à pena dar uma espiadinha.

 

Livro

Artista plástico e designer, Ralfe Braga está escrevendo sua primeira obra literária. Ele conta um pouco de sua bela carreira artística. Já estamos na ‘cuíra’ aguardando.

 

Marabaixo

O livro do escritor Fernando Canto, sob título ‘O Marabaixo Através da História’, é uma explanação didática sobre o Marabaixo e seus rituais. “Não traz a pretensão de um artigo científico”, disse o autor. Aconselho.

 

‘Gatos Pingados’
Título do livro de minicontos da escritora Lulih Rojanski, com ilustração do artista plástico Afrane Távora. Já disponível na Banca do Dorimar (esquina da Cândido Mendes com Presidente Vargas – Centro. Corre lá.

 

‘Choro Antigo’
Título da obra musical de Eudes Fraga, em parceria com Gonzaga Blantez. Gravada pelo próprio Eudes. É mais uma bela canção para acalantar os ouvidos. Obrigado.

 

Versos
O livro: ‘Cem Versos Putos Sobre Mim’, do poeta Bruno Muniz, já está disponível em e-book por um preço bem acessível. É só acessar a página do artista no facebook.com/poetabrunomuniz e comprar seu exemplar.

 

Nova voz
O cantor amapaense Cássio Souza (Cassinho), é a nova voz do novo projeto do grupo de samba ‘Gente de Casa’.

O jovem artista foi lançado junto com a música ‘Joia Preferida’, na quarta (5), no programa ‘O Canto da Amazônia’ (Diário 90,9FM). Parabéns.

 

 


Conheça o beija-flor Brilho de Fogo


O beija-flor brilho de fogo, o Topaza Pella, é uma ave da família Trochilidae. As terras amapaenses abrigam o beija-flor que é considerado o maior e mais bonito espécime existente no Brasil. Seu nome científico é Topaza Pella, só que é mais conhecido como beija-flor brilho de fogo ou topázio-vermelho. Também é encontrado em Roraima, Pará, Maranhão, nas Guianas, Venezuela e Leste do Equador.
O macho, com cerca de 20 centímetros de comprimento (incluindo aqui a cauda, com duas penas alongadas e cruzadas), tem a garganta dourada ou verde-metálica, com a barriga vermelha metálica. Já a fêmea, menor (cerca de 12 centímetros) é verde amarronzada, também com garganta vermelha metálica.
Eles constroem seus ninhos em galhos debruçados sobre os igarapés. Estes possuem forma de taça. Antes, durante as cerimônias pré-nupciais, o macho bate as asas diante da fêmea pousada, abrindo e fechando a cauda. O beija-flor costuma tomar banhos em riachos e igarapés, onde chega a nadar sob a água em trajetos curtos. Para se secar, sacode a plumagem em pleno o voo. São poucos lugares que se tem a chance de se deparar com esse bichinho, mas encontrá-lo é um momento inesquecível.

 

CORRENTEZA: A correnteza de um curso de água é o trecho em que sua corrente vai mais rápida (acima do fluxo médio), geralmente formando ondulações e pequenas ondas, e ocorre usualmente em um terreno raso e acidentado. Muitas vezes, consiste em um leito rochoso de cascalho e de seixos ou de outras pequenas pedras. Esta parte do curso de água é um importante hábitat para a pequena biota aquática, como pitus ou pequenos peixes.

 

Meu coração tropical
Amanheceu batucando por você
Eu não sou anormal
Aqui do outro lado do Brasil
Osmar Júnior

 

Pavilhão
Porta Bandeira Alessandra Azevedo criou o projeto ‘Por Trás do Pavilhão’, às terças e quintas-feiras, às 19h, pelo Instagram @encontrodecasaisamapa.
Convidados são profissionais do carnaval que trabalham com o quesito Mestre Sala e Porta Bandeira, considerado o mais importante de uma escola de samba.

 

É hoje
Programa O Canto da Amazônia (Diário 90,9FM), desta quarta-feira (05), faz lançamento oficial da música ‘Joia Preferida’, do grupo de samba Gente de Casa.
Faz parte do novo projeto do grupo. Lançamento é a partir das 16h.

 

Em casa
Na sexta-feira 0(7) tem live do projeto Festival Cultura Em Casa, regido pelo maestro e produtor musical Manoel Cordeiro, às 21h30. Acompanhe pelo site culturaemcasa.com.br, além do Facebook, Instagram e YouTube.

 

Site
Programa O Canto da Amazônia – que apresento, de segunda à sexta-feira, na Diário (90,9FM), vai ganhar mais um espaço para expandir sua divulgação da arte e cultura da Amazônia.
Em breve, entra no ar o site www.ocantodaamazonia.com. Aguardem.

 

Na Favela
A verde rosa [Maracatu da Favela] vai lançar, em setembro, a segunda temporada de lives com a o tema: ‘Eles na Favela’. No aguardo.

 

‘Sou do Norte’
Título da música do novo projeto da cantora Brenda Melo, agendada pra ser lançada em 15 de agosto, no canal da artista, no YouTube, e em todas as plataformas digitais. A composição da obra é de Finéias Neluty.

 

Nova geração
Cantora amapaense, Loren Cavalcante se destaca, com sua bela voz, cantando as temáticas regionais amazônicas. É da safra da nova geração da boa música brasileira. Parabéns.

 


Ninguém sente a dor de ninguém


Eu vi homens sofrerem [muito[ por amor, foi em um tempo. Um dia desses vi meus filhos sofrerem e se guardarem em prantos, eu tive a impressão que era pra sempre.

Então, fiquei assim, meio que penalizado ou emocionado, pois eu sofri de amor também, por sorte nunca matei, mas eu amei e aquilo sempre dói, eu não sei direito mais ainda dói, alguém disse que é porque preciso doer para escrever canções.

Eu desejo que o seu amor dissipe como neblina, que escorra entre os dedos como a água límpida das correntes, que o amor voe arisco como um pássaro que nunca foi seu, que passe feito chuva, que se vá como as estações, como as açucenas que se vão pelo fim da tarde e voltam pela manhã, como a vazante desse rio imenso.

Eu espero que o amor não te doa tanto ao ponto de não lembrar mais que era pra ser amor e não egoísmo ou morte. Deixe o amor doer, não o mate, deixei-o morrer. (Osmar Júnior).

 

CORTEJO: Acompanhamento que se faz a alguém por ocasião de uma cerimônia ou para lhe prestar homenagem; séquito. Conjunto de pessoas que se reúne em procissão; procissão: cortejo fúnebre; jogadores recebem cortejo da vitória. Ação de cortejar, de tratar com cortesia, edu cação, gentileza.

 

***************************************

Morre hoje sem foguete
Sem retrato e sem bilhete
Sem luar, sem violão
Perto de você me calo
Noel Rosa

***************************************

 

 

Prazo

Encerra no sábado (08) prorrogação do prazo para que escolas de samba prestem contas dos 500 mil, firmados com o governo do Estado, para o carnaval 2020.
Piratas da Batucada, Embaixada de Samba e Império Solidariedade continuam inadimplentes com a segunda parte da prestação de contas. Ela trata do relatório das metas e objetivos alcançados.

 

Valorização

Arpi Alto, jovem e talentosa cantora da Armênia, gravou um dos maiores clássicos da música brasileira e mundial “Garota de Ipanema”, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes. Uma bela interpretação. Veja em seu canal no YouTube.

 

Dificuldades

Muitos artistas dos municípios do estado estão com dificuldades de entender como funciona a política de editais e outras leis que garantem possibilidades de contemplar os segmentos. É preciso esclarecer melhor.

 

Aniversário

O tradicional grupo de Marabaixo Raimundo Ladislau (Associação Cultural Raimundo Ladislau), festeja mais um aniversário na sexta-feira (7), às 11h, através de live pelo Facebook.

 

Poeta

Jovem poeta e escritor Bruno Muniz, também, compositor e músico, é integrante do grupo musical Beatos Cabanos.
Autor dos livros ‘Cem Versos Putos Sobre Mim’ e ‘Depois Vá Ver o Mar’. Foi selecionado para a Antologia de Poesia Brasileira Contemporânea. Parabéns.

 

Lançamento

Grupo de samba ‘Gente de Casa’ anuncia lançamento da música ‘Jóia Preferida’. Lançamento ocorre na quarta-feira (5), no programa O Canto da Amazônia (Diário 90,9FM), a partir das 16h. A obra faz parte do novo projeto do grupo.

 

Sumiço

O bom gosto dos artistas da nova geração da música brasileira parece estar de férias, sem prazo pra voltar.
Muita produção comercial nas obras com pouca qualidade no conteúdo. Lamentável.


Cantora Aíla lança single ‘Amor e Sacanagem’


Depois de Treme Terra, single que inaugurou a nova fase da artista paraense Aíla, chega com Amor e Sacanagem, em um feat especialíssimo com a cantora Luísa Nascim (banda Luísa e os Alquimistas).

Norte e Nordeste conectados pelo brega, pelo calor, e pelo flerte entre duas mulheres. Um flerte à distância, que fala de desejo e liberdade. Provocação, sem pudor, um convite à paixão. O novo single, uma composição de Aíla e Luiz Gabriel Lopes, aprofunda a imersão da artista na estética pop e nos ritmos periféricos do Brasil e do mundo.

A produção musical é assinada por Baka (banda Rosa Neon). Brega-funk, hip hop, synths envolventes e as mil cores da música do Pará. Um preview do disco novo de Aíla, que chega ainda este ano. A ilustração da capa é assinada pelo também paraense Vilson Vicente. Aíla e Luísa se transformam em personagens desenhados unicamente com cores primárias, o amarelo, o vermelho e o azul, que se somam à estética brega, e nos transportam visualmente para o clima verão e nortista da faixa.

Aíla diz: “essa é uma música que fala sobre liberdade, em primeiro lugar. Ser mulher e ser liberta. Liberdade dos nossos corpos, liberdade dos nossos desejos, liberdade de sentir e falar o que quisermos, sobre paixão, amor, sacanagem, sem nenhum pudor. Nem sempre é sobre amor – grande parte das vezes não é. Mas existe uma invisibilização do desejo da mulher, e da mulher lésbica ou bissexual. Romance é bom, mas precisa ser escolha, e não construção social. O desejo é pra ser livre”, encerrou a artista.

 

 

MORAL: Do latim moralis, que quer dizer “maneira, caráter, comportamento próprio”, é a diferenciação de intenções, decisões e ações entre aquelas que são distinguidas como próprias e as que são impróprias. Seria importante referir, ainda, quanto à etimologia da palavra “moral”, que se originou a partir do intento dos romanos traduzirem a palavra grega êthica.

 

Estrela natureza precisamos demais
De ter sempre por perto
Na calma e santa paz
Nos morros e nos campos
Sá/Guarabyra

 

 

Valorização

O Lobo-Guará se torna o símbolo da cédula brasileira de R$ 200. O animal tem passado por uma fase de pouca valorização. Perdeu parte de sua população nas últimas décadas.
Tem sido alvo constante de produtores rurais e viu o seu território ser tomado pelo agronegócio. O maior canídeo silvestre da América do Sul vive em risco constante.

 

Agosto

do latim ‘augustus’, é o oitavo mês do calendário gregoriano. É assim chamado por decreto em honra do imperador César Augusto.
Antes dessa mudança, agosto era denominado Sextilis ou Sextil, visto que era o sexto mês no calendário de Rômulo.

 

Pouca qualidade

Os programas de entretenimento das TVs de canal aberto, estão deixando a desejar no quesito qualidade. Uma série de besteirol que pouco vem despertando o interesse do telespectador. Bom repensar.

 

Aprovado

Marabaixeiros reagindo com aplausos sobre nomeação de Fábio Sacaca para ocupar cadeira do Marabaixo no Conselho de Política Cultural do Amapá.
Ele foi eleito em agosto de 2019, mas somente na quinta (30) foi nomeado pelo governador Waldez Góes. Aguardando posse no CEPC.

 

Novidades

Cantora Brenda Melo anuncia grandes e boas novidades para o mês de agosto, em seus canais nas redes sociais. No aguardo.

 

Seleção

Diretora-presidente da Fumcult, Marina Backmam, nomeou a Comissão de Seleção para Análise Técnica das propostas inscritas no Edital do Macapá Verão 2020.
São seis membros: Renata Sampaio, Carla Silva, Flaviane Magalhães, Nilson Vieira, André Martins e Evandro Neto. Equipe já analisando os projetos dos artistas. O evento está agendado para acontecer de 13 a 27 de agosto.

 

Cuidado

Fortaleza de São José de Macapá está precisando ser tratada com mais zelo para continuar sendo admirada. Uma limpeza geral vai fazer muito bem àquela nossa representatividade histórica.