Última hora Polícia Política Cidades Esporte

Heraldo Almeida

Gaby Amarantos: Uma fábrica de novidades

Nascida e criada na periferia de Belém, bairro do Jurunas, Gabriela Amaral dos Santos já cresceu com a música. Suas origens são de uma família de sambistas, onde desde pequena já cantava e dançava nas rodas de samba da família. Antes de cantora profissional, a Gabriela foi coreógrafa de quadrilha junina, fez cursos de teatro e chegou a fazer pequenas apresentações na comunidade.

Canta desde os 15 anos, na paróquia de Santa Terezinha do Menino Jesus (Jurunas), mas apenas quando completou 18 anos, teve permissão para cantar nos bares da cidade, e assim começou a se apresentar cantando clássicos da MPB.

A rainha do Tecnobrega foi influenciada por cantoras como Clara Nunes, Ella Fitzgerald e Billie Holiday e pelos bregas Francis Dalva e Reginaldo Rossi, mas deixa claro que a sua maior influência está no bairro em que nasceu, onde tudo toca ao mesmo tempo.

Gaby Amarantos se autodefine como uma ‘fábrica de novidades ambulante’. Mesmo egressa de uma cena regional inserida em um contexto alternativo. A melhor parte desse sucesso é o fato de sua originalidade permanecer intacta, sem interferência do mercado.

Ela avança sem desviar um milímetro de seu som, batizado de tecnobrega.

A ‘Beyoncé do Pará’ é a rainha dos terreiros high-tech de Belém, onde tudo começa com a guitarrada, gênero que, por si só, concentra boa parte da soma de sonoridades que caracterizam o tecnobrega, que inclui ritmos latinos como a cúmbia, e africanos como o zouk, além do tradicional carimbó, de ecos da Jovem Guarda e das batidas eletrônicas.

 

 

 

CANDIRÚ: Também chamado de “canero” ou “peixe-vampiro”, é um peixe de água doce que pertence ao grupo comumente chamado de peixe-gato. Ele é encontrado no Rio Amazonas, no Rio Madeira e nos seus afluentes e tem uma reputação entre os nativos de ser o peixe mais temido naquelas águas, até mais que a piranha. A espécie cresce até dezoito centímetros e tem forma de enguia, tornando-o quase invisível na água.

 

Não, nunca mais
Eu vou querer uma paixão assim
A gente briga, a gente sofre, a gente cresce
Por amar, eu sei
Osmar Júnior

 

 

Negritude Santana
Projeto do vereador Bruno Souza (PSD), lido nesta terça (14), na sessão da Câmara de Vereadores de Santana, cria a Semana da Consciência Negra e o Centro de Cultura Negra do município. Mais uma conquista do movimento negro no Amapá. Parabéns.

 

Garantido
Desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro e São Paulo, em 2022, estão garantidos pelas Ligas e pelo poder público dos dois Estados. Escolas estão na fase final dos trabalhos.

 

Verde e Rosa
Maracatu da Favela vai festejar seus 69 anos de história e preparou uma grande programação para comemorar a data.
No domingo (19), a partir das 16, na Arena Maracatu (av: Padre Júlio – Santa Rita), com várias atrações, principalmente apresentação dos pontos técnicos da verde e rosa.

 

‘Estilizado Eu Sou’
Escola de samba Piratas Estilizados está pronta para comemorar seus 48 anos de criação, no dia 8 de janeiro, a partir das 17h, na Arena Alaranjada, em frente ao colégio Azevedo Costa – Laguinho.
Com várias atrações locais, artistas da escola e nacionais (Tinga, Kuana bandeira, Bakaninha, Marcos Bandeira, Larissa Bandeira, Thais Ferreira, Roberta Fragoso, Cristofer Oliveira e outros. Mesas e ingressos limitados. Ligue: 96 98111-2374. #VaiSerOBicho.

 

‘Senhora Inspiração’
Título da nova música do cantor e compositor, Naldo Maranhão, já no repertório do mais recente disco do artista.
“Te quero de manhã cheia de manha. Saindo à francesa ou chegando da Espanha…”.

 

União
Poeta Joãozinho Gomes e o cantor e compositor, Amadeu Cavalcante, são os autores da bela música ‘União’. Visite o canal de Amadeu (YouTube). “Um homem só faz verão, imaginai um milhão…”.

 

Música
O pianista, compositor e arranjador brasileiro Ricardo Bacelar, lançou o single ‘Nada Será Como Antes’ (música de Milton Nascimento/Ronaldo Bastos).
Participação especial da pianista, cantora e compositora, Delia Fischer. Baixe o álbum e ouça pelo: http://ricardobacelar.com.br/discografia/ao-vivo-no-rio.

 

Conheça a canção ‘Saga da Amazônia’

O cantador e compositor brasileiro, Vital Farias, que nasceu no sítio Pedra D’Água, município de Taperoá, estado da Paraíba, expressa na canção Saga da Amazônia, todo seu sentimento de amor à Amazônia e conta para o mundo, através de música, o sofrimento daquele povo com o crime causado pelo homem sobre a natureza.
Era uma vez na Amazônia a mais bonita floresta, mata verde, céu azul, a mais imensa floresta, no fundo d’água as Iaras, caboclo lendas e mágoas e os rios puxando as águas.
Papagaios, periquitos, cuidavam de suas cores, os peixes singrando os rios, curumins cheios de amores, sorria o jurupari, uirapuru, seu porvir era: fauna, flora, frutos e flores. Toda mata tem caipora para a mata vigiar, veio caipora de fora para a mata definhar e trouxe dragão-de-ferro, prá comer muita madeira e trouxe em estilo gigante, prá acabar com a capoeira.
Fizeram logo o projeto sem ninguém testemunhar, prá o dragão cortar madeira e toda mata derrubar: se a floresta meu amigo, tivesse pé prá andar eu garanto, meu amigo, com o perigo não tinha ficado lá. O que se corta em segundos gasta tempo prá vingar e o fruto que dá no cacho prá gente se alimentar? Depois tem o passarinho, tem o ninho, tem o ar, igarapé, rio abaixo, tem riacho e esse rio que é um mar.
Mas o dragão continua a floresta devorar e quem habita essa mata, prá onde vai se mudar? Corre índio, seringueiro, preguiça, tamanduá, tartaruga: pé ligeiro, corre-corre tribo dos Kamaiura. No lugar que havia mata, hoje há perseguição. Grileiro mata posseiro só prá lhe roubar seu chão, castanheiro, seringueiro já viraram até peão, afora os que já morreram como ave-de-arribação. Zé de Nata tá de prova, naquele lugar tem cova, gente enterrada no chão: Pois mataram índio que matou grileiro que matou posseiro, disse um castanheiro para um seringueiro que um estrangeiro roubou seu lugar
Foi então que um violeiro chegando na região ficou tão penalizado que escreveu essa canção e talvez, desesperado com tanta devastação, pegou a primeira estrada, sem rumo, sem direção, com os olhos cheios de água, sumiu levando essa mágoa dentro do seu coração.
Aqui termina essa história para gente de valor, pra gente que tem memória, muita crença, muito amor, pra defender o que ainda resta, sem rodeio, sem aresta, era uma vez uma floresta na linha do equador.

 

 

COMPOSITOR: É um profissional que escreve música. Normalmente o termo se refere a alguém que utiliza um sistema de notação musical que permita a sua execução por outros músicos. Em culturas ou gêneros musicais que não utilizem um sistema de notação, o termo compositor pode-se referir ao criador original da música.

 

Quem avistar o Amazonas nesse momento
E souber transbordar de tanto amor
Este terá entendido
O jeito de ser do povo daqui
Val Milhomem/Joãozinho Gomes

 

 

Melhor Pajé
Paulo Santos foi eleito o Melhor Pajé do Festival Oficial de Toada, realizado no final de semana, na quadra do Super Fácil – Beirol. Ele representou o grupo Troup Tribal e defendeu o tema ‘O Sangue Que Mancha o Verde’, uma referência aos violentos rituais da tribo Tupinambá.
Paulo Santos é coreógrafo premiado nos segmentos da toada, carnaval, quadra junina, etc. Dançarino campeão em diversos festivais (dupla e solo), dono de uma técnica refinada e admirada. Parabéns.

 

Destaque
Cantora amapaense, Patrícia Bastos tem participação na gravação do samba de enredo de Piratas da Batucada, onde ela é o enredo do próximo carnaval, ‘Patrícia da Pátria Caboca’. Sua bela voz é destaque no início do samba.

‘Festejo’
Título de uma bela música composta por Rambolde Campos e Joel Elias, no ritmo do marabaixo, a cultura mãe do Amapá.
“Corre menina, chama o Munjuca, hoje é dia do senhor. É tanto devoto levando a bandeira que a Trindade abençoou…”.

 

Mestre do voo
Poeta Joãozinho Gomes e o cantor e compositor Eudes Fraga, assinam a bela obra musical ‘Urubu Mestre do Voo’, gravada por vários artistas.

“Perdoa a mão que te apedreja, perdoa quem não te perdoa. Perdoa a pedra que te alveja, perdoa o preconceito e voa…”.

 

‘Flor Morena’
Cantora e compositora carioca, Aline Calixto divulga mais uma música do DVD dos seus 10 anos de carreira, que sai em novembro.
A música ‘Flor Morena’ foi um presente de Arlindo Cruz e Zeca Pagodinho para a cantora. Confira nas redes sociais da artista e plataformas digitais.

 

Tambor
Cantor e compositor amapaense, Zé Miguel nos deu de presente mais uma bela obra musical, ‘Tam Tam do Tambor’.
“O Tam Tam do Tambor que não se cala, é testemunho vivo da história…”.

 

‘A Pausa’
Título da música campeã do 1º Festival de Música realizado pela Assembleia Legislativa do Amapá, em 2011, quando aquela casa completou 20 anos de criação.
A canção vencedora é de composição de Serginho Salles, com bela interpretação de Ingrid Sato.

A cultura da música

A música é a mais universal das artes. Sua presença se dá não apenas ao longo da história, mas também nas mais variadas formas e culturas. Não há civilização, grande ou pequena, que não possua sua própria expressão musical. A apreciação dessa arte não depende de língua ou nível cultural. É o prazer proporcionado por essa mistura de harmonia, ritmo, melodia e timbre o que realmente importa. Pois a música está diretamente ligada ao encadeamento de emoções.
As composições podem nos suscitar alegria ou tristeza, euforia ou paz de espírito. O espectro emocional é vasto e pode unir diversas pessoas em um contexto social através de um mesmo sentimento. Do tropicalismo brasileiro, ao punk londrino. Do samba carioca de Noel e Cartola ao blues americano de B.B. King e Muddy Waters. Alguns desses movimentos ganharam amplitude mundial. Nada mais natural já que a música é capaz de unir diferentes culturas. Afinal, os ritmos contagiam. A corda de violino que reproduz Beethoven fala à alma do ouvinte hoje, como falava ao compositor alemão 200 anos atrás.
Para melhor apreciar essa criação humana é importante adquirir cultura musical. Hoje, graças à tecnologia, as pessoas ouvem música com mais frequência. Quase o tempo todo. Mas poucas entendem de verdade essa arte. É importante lembrar que a música não se resume à sua função de entretenimento. É preciso, em primeiro lugar, abrir o nosso leque para além daqueles sons que nos parecem imediatamente agradáveis. Pois respeitar e entender a expressão musical de diferentes culturas e grupos expande a nossa visão de mundo.
Isso é importante para estimular uma maior tolerância à diferença. Uma necessidade cada vez maior em nossa sociedade moderna. Outro benefício da cultura musical irá surgir na maior referência para as pessoas que se iniciam no mundo da composição. É a falta de referências que ocasionam um cenário de empobrecimento musical. Quanto mais vasta a sua cultura nesse campo, mais rico e criativo o resultado das suas composições. Mas nada disso é mais importante do que o aspecto lúdico e educacional da música. (https://www.sabra.org.br/).

 

 

CAPIVARA: É uma espécie de mamífero roedor da família Caviidae e subfamília Hydrochoerinae. Alguns autores consideram que deva ser classificada em uma família própria. Está incluída no mesmo grupo de roedores ao qual se classificam as pacas, cutias, os preás e o porquinho-da-índia. Ocorre por toda a América do Sul ao leste dos Andes em habitats associados a rios, lagos e pântanos, do nível do mar até 1 300 m de altitude.

 

 

 

Olha que coisa mais linda
Mais cheia de graça
É ela menina
Que vem e que passa
Tom Jobim/Vinícius de Moraes

 

‘Desvairada Utopia’
Título do novo disco do cantador da Amazônia, Nonato Santos, ainda sem data para o lançamento. São 10 músicas de sua autoria, todas com linguagem e tempero regional amazônico.

 

‘Verdes Tons’
É o nome do novo álbum do cantor paraense, Lúcio Mouzinho, agendado para ser lançado em janeiro de 2022 (nas plataformas digitais), quando estará completando 60 anos de vida.

 

Doutor
O Conselho Universitário da Unifap concedeu, na sexta (9), o título de Doutor Honoris Causa (Post Mortem) ao mestre das ervas medicinais, Raimundo dos Santos Souza, popular Sacaca. Uma bela e justa homenagem. Parabéns.

 

Promessas
Já aguardando as manifestações dos futuros candidatos, para eleição de 2022, e ouvir as ‘belas’ propostas de contribuição aos segmentos artísticos e culturais do Amapá. Rum.

 

Carnaval
Tudo bem que a Liesap suspendeu as atividades do carnaval de 2022, mas tem outras ações (fora carnaval) que poderiam ser realizadas pela instituição, juntamente com as escolas de samba.
Uma Campanha de Vacinação contra a Covid-19 seria nota 10 no quesito Iniciativa, além de outras. #Dica.

 

‘Legal e Ilegal’
Título da música do cantor e compositor paraense, Felipe Cordeiro, que faz parte do repertório amazônico e, também, cita ‘a gengibirra do marabaixo’.

 

‘Água Doce’
Título da música do paraense Silvan Galvão, gravada com a participação da cantora amapaense, Patrícia Bastos.

 

Mangueira homenageia Cartola, Jamelão e Delegado

A Estação Primeira de Mangueira premiou o quarteto de compositores, Moacyr Luz, Pedro Terra, Bruno Souza e Leandro Almeida, como o campeão da disputa de samba-enredo para o Carnaval de 2022. A Verde e Rosa levará para a Avenida o enredo “Angenor, José e Laurindo” (Cartola, Jamelão, Delegado), de autoria do carnavalesco Leandro Vieira. A escola será a segunda a desfilar no domingo de carnaval.
“O motivo de participar, além da Mangueira, foi o enredo que emociona. Referências do samba. Cartola, eu tenho uma paixão enorme. Jamelão, um cantor maravilhoso. Delegado está na história do samba. Tudo isso contagiou para fazer um samba mais emocionado, mais lírico, para mexer com todos os corações. Gosto do samba todo, mas o refrão principal mexe comigo. A gente que é compositor sempre se emociona”, disse o compositor Moacyr Luz.
“A sensação é muito boa de voltar. Após quase dois anos sem poder cantar os sambas da Mangueira. Claro que queria estar na quadra, com o povo, mas brevemente isso será possível. Como sambista é uma coisa nova, sempre no primeiro momento a gente se assusta, mas acho uma ótima iniciativa. Já deveria ter acontecido antes, mas nunca é tarde. Perdemos a energia e o clamor do compositor na quadra, todo mundo nervoso, é diferente, mas é o novo normal. Espero que ano que vem as coisas voltem com o povo na quadra. Acredito e tenho que acreditar que teremos carnaval. Tenho fé em Deus e nos nossos orixás. Muita gente vai saber como nasce um samba campeão”. (www.carnavalesco.com.br).

 

 

 

CORRENTEZA: A correnteza de um curso de água é o trecho em que a sua corrente vai mais rápida (acima do fluxo médio), geralmente formando ondulações e pequenas ondas, e ocorre usualmente em um terreno raso e acidentado. Muitas vezes, consiste em um leito rochoso de cascalho e de seixos ou de outras pequenas pedras. Esta parte do curso de água é um importante hábitat para a pequena biota aquática, como pitus ou pequenos peixes.

 

 

 

Meu coração tropical
Amanheceu batucando por você
Eu não sou anormal
Aqui do outro lado do Brasil
Osmar Júnior

 

 

 

Novidade
Cantora amapaense, Ariel Moura anuncia para o início de 2022 o projeto de seu primeiro disco autoral. Já estamos aguardando.

 

Mudança
Cantor e compositor amapaense, Zé Miguel anuncia mudança na data de lançamento de seu novo disco, ‘Quilombola’.
Estava agendado para o dia 20 de dezembro, agora será no dia 22, em todas as plataformas digitais.

 

‘O Choro’
Grupo de samba amapaense, Gente de Casa está lançando as músicas de seu primeiro disco de composições autorais. ‘O Choro Pela Despedida’ foi lançado, nesta sexta (10), no programa O Canto da Amazônia (Diário FM 90,9).

 

‘Jardim Infame’
Título de uma bela música de Val Milhomem e Amadeu Cavalcante, gravada por Amadeu. “Um beija flor voou deixando eu meu jardim uma açucena chorosa, que era viçosa e hoje é fim…”.

 

‘Belém’
Título da nova música do cantor e compositor paraense, Edilson Moreno, já no repertório do próximo disco. O artista tem muitos clássicos gravados por outros cantores.

 

Poesia e música
Poeta amapaense, Pedro Stkls, tem um belo projeto que une poesia e música com muita qualidade.
O talentoso artista tem uma linguagem regional em suas obras com pitadas do tempero amazônico. Em breve o lançamento de seu primeiro livro.

 

Qualidade
Produtor musical amapaense, Alan Flexa, coordena o Studio de Produção Artística Zarolho Records, que oferece serviços de produção musical, gravação, edição e masterização. Confira em sua página, no Facebook.

 

Zé Miguel: um cantador do meio do mundo

Um cantador que traz no coração o amor de sua gente e de sua raiz com a alma cheia de gente da floresta, com o perfume das matas e dos vivos, que tem morada no meio do mundo, onde o seu endereço é bem fácil, na esquina do rio mais belo, o Amazonas, com a linha do equador, bem no meio do mundo.
Nascido em Macapá, o cantor, compositor e produtor, José Miguel de Souza Cyrillo, artisticamente, Zé Miguel, nasceu no dia 29 de setembro de 1962 e está entre os principais representantes da música da Amazônia, com valorização dos ritmos regionais, como o Marabaixo e o Batuque, elementos marcantes da cultura afro-amapaense.
Zé Miguel iniciou a carreira musical desde cedo, cantando em cultos dominicais da igreja evangélica onde frequentava. Depois passou a atuar como guitarrista em diversas bandas em bailes realizados na capital amapaense. Na década de 1980, começou a compor suas primeiras canções e a participar de festivais promovidos em Macapá. Em carreira solo lançou seu primeiro LP, Vida Boa, em 1991, trazendo seu primeiro sucesso, a canção homônima, e destacando Zé Miguel entre os principais artistas da música do estado, juntamente com Amadeu Cavalcante, Ronery e Osmar Júnior. Em 1996, com os músicos, Val Milhomem e Joãozinho Gomes, criaram o projeto Planeta Amapari, resultando no CD do mesmo título, lançado em 1996, esse alcançando em 2000 o mercado europeu.
Em 1998, lançou seu segundo disco solo, Lume. No ano seguinte, veio o CD Dança das Senzalas, outro projeto conjunto com o Quarteto Senzalas, grupo formado em parceria com Amadeu Cavalcante, Val Milhomem e Joãozinho Gomes. Em 2002, lançou o terceiro solo, o CD Acústico, do qual fizeram parte o sucesso Pérola Azulada e a regravação do sucesso Vida Boa, além de outros sucessos da carreira. Em 2004, foi a vez do CD ‘Quatropontozero’, após os 40 anos do músico. Após a morte trágica do filho Marco Kayke, vítima de acidente de trânsito, lançou neste mesmo ano o CD ‘Uma Balada para Kayke’. Em 2007 gravou o DVD ‘Meu Endereço’, nome de uma música em parceria com Fernando Canto. Seu último disco (CD)=’Amazônia na Veia’ foi gravado em 2016. Dia 20 de dezembro, Zé Miguel vai lançar, nas plataformas digitais, seu novo disco, ‘Quilombola’.

 

 

CARIMBÓ: É um gênero musical de origem indígena, miscigenou-se recebendo outras influências, principalmente negra. Seu nome, em língua tupi, refere-se ao tambor com o qual se marca o ritmo, o curimbó. Surgida em torno de Belém (PA) na zona do Salgado (Marapanim, Curuçá, Algodoal) e na Ilha de Marajó, passou de uma dança tradicional para um ritmo moderno, influenciando a lambada e o zouk.

 

O mundo tá perdido
Com o sumiço do cupido
Que eu flechei num tiro certo
Pro gelo derreter
Fernando Canto/Nivito Guedes

 

 

Cancelado
Por causa do aumento dos casos da Covid-19, a Liesap cancelou as atividades do calendário oficial do carnaval das escolas de samba de 2022. O lançamento dos sambas de enredo estava agendado para acontecer no sábado, 11.

 

Banzeiro
A coordenação do projeto Banzeiro do Brilho-de-Fogo cancelou o cortejo de aniversário agendado para acontecer este mês de dezembro. O motivo anunciado é o aumento nos casos da Covid-19.

 

Aniversário
Dia 19 de dezembro a Maracatu da Favela vai completar 69 anos de criação e preparou uma bela programação para comemorar a data. Será na Arena Maracatu da Favela, na av: Padre Júlio – Santa Rita, a partir das 16h.

 

Música
O compositor e multi-instrumentista pernambucano Zeca Cafofinho, reativa sua obra ‘Dança da Noite’. A primeira de uma trilogia com mais dois álbuns inéditos por vir. ; faixa-título foi criada em parceria com Arnaldo Antunes.
Tramas de amor e tramóias do cotidiano derramam-se sobre sonoridades dançantes, simultaneamente criativas e eruditas. Disponível nas plataformas digitais.

 

‘Festa Temporã’
Título do novo projeto do cantor e compositor amapaense, João Amorim, também nome da música que fez em parceria com Zé Miguel. Lançamento em breve.

 

‘Pensando o Tempo’
Título do livro do escritor amapaense, Jean Carmo. Uma coletânea dos poemas e canções do artista, que vem trabalhando há anos. Você pode adquirir na Baiúca do Chico Terra. (baiuca.chicoterra.com).

 

Falas
É preciso reconhecer quando as falas promessas de campanhas políticas se transformam em realidade com ações para o melhoramento em prol dos artistas. Quando isso não acontece, fica claro que são apenas falas em prol de si. Precisamos avançar.

 

Obra de Guimarães Rosa lançada em Audiolivro

As editoras Tocalivros e Global Editora lançam o Audiolivro de um dos clássicos da literatura nacional do maior escritor pós-modernista brasileiro: João Guimarães Rosa – ‘A Hora e Vez de Augusto Matraga’.
Mitológico, regionalista, singular e inovador, João Guimarães Rosa, dispensa apresentações. Sua obra e a sua reinvenção conseguiram ultrapassar as fronteiras das palavras que seguem vivas, mesmo depois de tanto tempo no imaginário da narrativa do povo brasileiro. Nas bibliotecas, nas escolas, entre os leitores e, agora, também em ondas sonoras. A iniciativa de transformar as conversas do sertão sem fim em áudios é da Tocalivros, empresa brasileira que faz a magia literária de converter bibliotecas inteiras em megabites.
O mais novo lançamento da Tocalivros, em parceria com a Global Editora, é A Hora e Vez de Augusto Matraga, conto que encerra a obra ‘Sagarana’, publicada em 1965 pelo mais importante escritor do pós-modernismo brasileiro. A obra destaca a perfeita síntese do mandonismo local entre o bem e o mal em um enredo surpreendente construído por Guimarães Rosa, que reflete sobre instintos, costumes e, claro, os dilemas da vida. Um dos maiores clássicos da literatura brasileira disponível onde e quando quiser na palma da mão e nos fones de ouvido.
O escritor e diplomata mineiro, Guimarães Rosa, morreu em novembro de 1967 (infarto) aos 59 anos de idade, no auge da fama. Acabara de entrar para a Academia Brasileira de Letras, depois de adiar a posse por quatro anos, justamente com medo de morrer.
O Audiolivro ‘A Hora e Vez de Augusto Matraga’, que também conta com a narração de Priscila Scholz, está disponível no aplicativo da Tocalivros, em iOS e Android na Apple Store e no Google Play, além do site www.tocalivros.com

 

 

CULTURA: É um conceito de várias acepções, sendo a mais corrente, especialmente na antropologia, a definição genérica formulada por Edward B. Tylor, segundo a qual, cultura é “todo aquele complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e capacidades adquiridos pelo homem como membro de uma sociedade”.

 

 

Sou mãe preta e sonhei com Zumbi
Dizendo pra mim que meus ancestrais
Nasceram das caravelas
De remos que vinham para cá…

Mayara Braga/Zé Maria Cruz

 

 

Lançamento
O disco ‘Quilombola’, do cantor e compositor amapaense, Zé Miguel, está agendado para ser lançado no dia 20 de dezembro, em todas as plataformas digitais.

 

Humor e música
Nesta quarta (8) e quinta (9) tem o show de música e humor, ‘Quem Quer Rir Comigo?’, com o paraense, Adilson Alcântara, no Farofa Musical, rua São José – Centro, a partir das 20h.
A abertura será com o Pepe Sastre e presença vip de PJ Chavosinho. Informações: 98137-3130.

 

‘Corpo Fechado’
Título da nova música do cantador da Amazônia, Nonato Santos, que faz parte do repertório novo disco do artista.
“Eu não tenho medo do anhangá, nada que me assombra. Boto farinha no fogo e ele logo se afugenta, tenho um corpo fechado, ninguém pode me aquebrantar…”.

 

‘Mordaça’
Cantora e compositora, Samantha Mainine lançou seu novo single ‘Mordaça’, já nas plataformas digitais da artista e vídeo clipe, no YouTube.
A canção traz um lado mais denso da artista, uma letra que aborda as diversas amarras sociais e afetivas que uma pessoa carrega no seu íntimo. #ConfereLá.

 

‘Gatos Pingados’

Título do livro de minicontos da escritora Lulih Rojanski, com ilustração do artista plástico Afrane Távora.

Tem na Banca do Dorimar (esquina da Cândido Mendes com Presidente Vargas) – Centro. #CorreLá.

 

‘Minas Armadas’
Título da nova obra musical da cantora amapaense, Brenda Zeni, já tocando nas redes sociais da artista. Com pitadas do pop rock, bem seu estilo. Confere lá no Spotify.

 

Tom nas Escolas’

O Instituto Antonio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro, disponibiliza o acervo do cantor e compositor com imagens, fotos e manuscritos. As obras do artista estão à disposição nas mídias digitais.

 

Viradouro adota fênix como mascote da escola

A Viradouro, atual campeã do carnaval carioca, levou um baque após o título em 2020. Em abril, o barracão sofreu um incêndio. No início da pandemia, a vermelho e branco não pode comemorar sua conquista com a comunidade e ainda teve que reformar todo o espaço de produção do seu desfile. Mantendo sempre o brilho no olhar, como diz seu lema, a agremiação de Niterói não baixou a cabeça, pelo contrário, ele segue com muita vontade e quer ser novamente campeã.
Um bicampeonato consecutivo no Grupo Especial do Rio de Janeiro não acontece desde 2008, quando a Beija-Flor conquistou em 2007 e 2008. Para isso, a fênix foi adotada oficialmente como mascote, o barracão foi totalmente recuperado e com diversas mudanças e os ensaios começaram na última terça-feira (19) e dia 14 de novembro, está programado o primeiro treino na Avenida Amaral Peixoto, no Centro de Niterói.
“Foi um grande susto (incêndio). Ficamos ao mesmo tempo extremamente desesperados e aliviados porque ninguém se machucou. Durante muitos dias, viemos para cá, limpar o barracão e aprendendo sobre incêndio. Tinha uma particularidade que não sabia. O que o fogo não destrói, a água destrói. Tivemos que usar uma quantidade significativa do prêmio do título do Carnaval 2020. Conseguimos refazer o barracão. A obra durou quase oito meses, teve que ser feita, dentro do que era possível, devido aos cuidados com a pandemia. Tivemos que refazer toda parte elétrica. Foi uma tristeza entrar e ver tudo queimado. Perdemos todos os documentos que estavam aqui. O andar inteiro do administrativo foi perdido. Toda parte de RH. A taça de 2020 não estava, mas a de 2019 sim. Ela ficou toda queimada, mas decidi não mexer. A escola adotou a fênix como símbolo. Ela representa tudo que vivemos. Traduz bastante nossos últimos anos”, disse o presidente Marcelinho Calil, que revelou uma situação intrigante vivida após o incêndio.
Nos preparativos para o desfile de 2020, a vermelho e branco foi a agremiação que mais ensaiou e o resultado foi visto na Avenida, em uma apresentação muito bem feita nos quesitos Evolução e Harmonia. Fora quase 40 treinos, entre atividades na quadra e na rua. Agora, o reencontro com os componentes, após quase dois anos de afastamento, mexeu com a comunidade.

 

 

CURIMBATÁ: O curimbatá, também chamado papa-terra, curibatá, curimatá, curimatã, curimataú, curimba, curumbatá, crumatá, grumatá, grumatã e sacurimba, é um peixe teleósteo caraciforme da família dos caracídeos, da subfamília dos proquilodontídeos, especialmente do gênero Prochilodus. Vive em todo o território brasileiro.

 

 

“Aqui distante de ti fica tudo esquisito
Feito café com sal
Leite com pimenta, andiroba no mingau
Eu preciso voltar pra perto deste olhar bonito…”
Zé Miguel

 

 

‘Geandra’
Título da música de Enrico Di Miceli e Joãozinho Gomes, vencedora do Festival de Música de Fortaleza (CE), no final de semana, com interpretação da cantora amapaense, Ariel Moura. Parabéns.

 

Bandaia
A ‘Roda de Bandaia’ está de volta no domingo (12), a partir das 17h, na Casa de Cultura Sankofa (Orla do Santa Inês). A criação do projeto é do cantor e compositor amapaense, João Amorim.

 

Saudade
Dia 11 de dezembro (sábado) tem especial de inverno ‘Baile Saudade II’, com os cantores Mauro Cotta e Jeferson Silva, em Santana, na avenida Santana – Centro. Informações: 99104-1933.

 

‘Quilombola’
Título do novo disco do cantor e compositor amapaense, Zé Miguel, com lançamento agendado para o final de semana, em todas as plataformas digitais. Quilombola, também, é o nome da música que dá nome ao álbum. Parabéns.

 

25 anos
Artista plástico amapaense, Jeriel Luz, está completando 25 anos de carreira e lembra com orgulho dos belos momentos que já viveu com sua arte de pintar. Ele tem obras espalhadas por todo o Brasil e exterior. Parabéns.

 

‘Pérola Azulada’
A música ‘Pérola Azulada’ gravada pelo grupo Gente de Casa, na versão samba, ficou top. A obra é autoria de Zé Miguel e Joãozinho Gomes.

 

Homenagem
Império da Zona Norte vai homenagear o poeta compositor amapaense, Ilan do Laguinho, no próximo carnaval.
Vários artistas já confirmaram participação, como prova de carinho, respeito e às obras de Ilan.

 

Marapanim: a terra do Carimbó

O Carimbó é considerado um gênero musical de origem indígena, porém, como diversas outras manifestações culturais brasileiras, miscigenou-se recebendo outras influências, principalmente negra. Seu nome, em língua tupi, refere-se ao tambor com o qual se marca o ritmo, o curimbó, feito de tronco de madeira e pele de animal.
Surgida em torno de Belém (PA) na zona do Salgado (Marapanim, Curuçá, Algodoal) e na Ilha de Marajó, passou de uma dança tradicional para um ritmo moderno, influenciando a lambada e o zouk.
O município de Marapanim é considerado ‘a terra do carimbó’. Na sede do município e em outras localidades existem dezenas de conjuntos de Carimbó, tais como: Flor da Cidade, Uirapuru, Raízes, Os Brasas de Marapanim, entre outros. O maior compositor de carimbó de todos os tempos foi um Marapaniense, mestre Lucindo Rabelo da Costa, nascido às margens do Rio Cajutuba.
De rara beleza poética, as canções compostas por Mestre Lucindo falavam de mar, lua, sol, mulher, saudade, pescaria, pássaros, afim, de todas essas coisas que fazem parte do cotidiano do paraense nascido e criado na região do Salgado.
Sendo a música preferida pelos pescadores marajoaras, embora não conhecida como carimbó até então, o ritmo atravessou a baía de Guajará com esses pescadores e veio dar em praias do Salgado paraense. Em algumas regiões próximas às cidades de Marapanim e Curuçá, o gênero se solidificou, ganhando o nome que tem hoje.
Maranhãozinho, no município de Marapanim; e Araquaim, em Curuçá, são dois dos sítios que reivindicam hoje a paternidade do gênero, sendo o primeiro o mais provável deles. Em Marapanim, na região do Salgado, nordeste paraense, o gênero é bastante cultivado e acontece anualmente o Festival de Carimbó de Marapanim – O Canto Mágico da Amazônia, no mês de novembro, como lembra, Vanilson Monteiro (Vavá), um dos filhos mais ilustres e apaixonados dessa terra santa e abençoada.
Em setembro de 2014 o carimbó foi reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan.

 

 

CULTURA: É um conceito de várias acepções, sendo a mais corrente, especialmente na antropologia, a definição genérica formulada por Edward B. Tylor, segundo a qual, cultura é “todo aquele complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e capacidades adquiridos pelo homem como membro de uma sociedade”.

 

 

Sou mãe preta e sonhei com Zumbi
Dizendo pra mim que meus ancestrais
Nasceram das caravelas
De remos que vinham para cá…

Mayara Braga/Zé Maria Cruz

 

 

Fest Natal
Encerra neste domingo (5), a programação do Fest Natal do Santuário de Fátima, bairro Santa Rita, a partir das 17h, com show musical de Osmar Júnior e Dani Lee, além de vendas de iguarias, artigos religiosos e outras atrações.

 

‘Sentinela Nortente’
Título do primeiro disco (LP) do Movimento Costa Norte e da música carro chefe do projeto, gravado por Amadeu Cavalcante, lançado em 1989.
As músicas tem a assinatura do poetinha Osmar Júnior, com exceção de ‘Tajá’, que ele compôs em parceria com Fernando Canto.

 

Poeta
Jovem poeta amapaense Neto Romano, com belos textos deixa seu talento registrados em suas inúmeras poesias (Escritores AP – YouTube).
“Quero beijar o canto da sua boca e tocá-la com as pontas dos meus dedos/Silenciosamente para quê o mundo aplauda nossa forma de amor sem culpa…”.

 

‘Celebrizar’
Título do DVD da cantora e compositora Sandra Duailibe, gravado em comemoração aos seus 10 anos de carreira. Um repertório refinado da boa música popular brasileira. Informações no site www.sandraduailibe.com.br.

 

Lembrança
Poetinha Osmar Júnior lembrando do motivo que o levou a compor a música ‘Sentinela Nortente’, aos 20 anos de idade.
“O motivo principal foi que alguém, em Brasília, sugeriu que vendessem um território no norte do Brasil para pagar a dívida externa do país, e esse era o Amapá”, recordou o artista.

 

História
Pouca gente sabe, mas Apolo é considerado o Deus da música, depois que recebeu uma lira do Deus Hermes, feita com casco de tartaruga e tripas do gado que ele havia roubado de Apolo.
Isso gerou discussão entre os dois e Maia (mãe de Hermes), mas ao ouvir Hermes tocar, Apolo ficou tão admirado que aceitou o presente com muito gosto.

 

Nobreza
O balé é um estilo nobre de dançar, que nasceu nas cortes italianas no século XV e se desenvolveu na Inglaterra, Rússia e França.
Por isso, que seja bem vindo em todos os segmentos da dança. Bravo, pois a arte não comete crime.

 

Hip Hop: o que é e como surgiu?

O Hip Hop é um gênero musical, com uma subcultura iniciada durante a década de 1970, nas áreas centrais de comunidades jamaicanas, latinas e afro-americanas da cidade de Nova Iorque. Afrika Bambaataa, reconhecido como o criador oficial do movimento, estabeleceu quatro pilares essenciais na cultura Hip Hop: o Rap, o Djing, o breakdance e o graffiti. Outros elementos ingluem a moda Hip Hop e as gírias.

Desde quando primeiramente no South Bronx, a cultura Hip Hop se espalhou por todo o mundo. No momento em que o Hip Hop surgiu, a base concentrava-se nos disc jockeys que criavam batidas rítmicas chamadas “loop” (pequenos trechos de música em repetições contínuas) em dois turntables, que atualmente é referido como sampling. Posteriormente, foi acompanhada pelo rep (abreviatura de rhythm and poetry ou ritmo e poesia em ingês) com uma técnicavocal diferente para acompanhar os loops dos DJs. Junto com isto, surgiram formas diferentes de danças improvisadas, como a breakdance, o popping e o locking.

A relação entre o grafite e a cultura Hip Hop surgiu quando novas formas de pintura foram sendo realizadas em áreas onde a prática dos outros três pilares do Hip Hop eram frequentes, com uma forte sobreposição entre escritores de grafite e de quem praticava os outros elementos.
O termo “hip” é usado no Inglês vernáculo afro-americano desde 1898, onde significa algo atual, que está acontecendo no momento; e “hop” refere-se ao movimento de dança.

No Brasil, O berço do hip hop é São Paulo, onde surgiu com força nos anos 1980, dos tradicionais encontros na rua 24 de Maio e no Metrô São Bento, de onde saíram muitos artistas reconhecidos como Thaíde, DJ Hum, Styllo Selvagem, Região Abissal, Nill (Verbo Pesado), Sérgio Riky, Defh Paul, Mc Jack, Racionais MC’s,Doctor MC’s, Shary Laine, M.T. Bronks, Rappin Hood, entre outros.

 

 

CORRENTEZA: A correnteza de um curso de água é o trecho em que a sua corrente vai mais rápida (acima do fluxo médio), geralmente formando ondulações e pequenas ondas, e ocorre usualmente em um terreno raso e acidentado. Muitas vezes, consiste em um leito rochoso de cascalho e de seixos ou de outras pequenas pedras. Esta parte do curso de água é um importante hábitat para a pequena biota aquática, como pitus ou pequenos peixes.

 

 

Meu coração tropical
Amanheceu batucando por você
Eu não sou anormal
Aqui do outro lado do Brasil
Osmar Júnior

 

 

‘Corpo Fechado’
Título da nova música do cantador da Amazônia, Nonato Santos, lançada no programa O Canto da Amazônia (Diário FM 90,9). A obra está no repertório do novo disco do artista. Parabéns.

 

‘Drão’
Título da música do consagrado cantor e compositor brasileiro, Gilberto Gil, uma canção clássica da boa música popular brasileira. “Drão, o amor da gente é como um grão, uma semente de ilusão, tem que morrer pra germinar…”.

 

‘Todas as Luas’
Nome de um dos discos (CD) do cantor e compositor amapaense Nivito Guedes, está sendo uma ótima pedida para você ouvir em casa. Boa pedida.

 

Negritude
Um agrado especial e merecido à professora e poeta Maria Áurea. A ‘Negra Áurea’ como gosta de ser chamada.
Com sua voz forte e poderosa ela declama seus belos poemas e ilustra com amor os temas sobre a negritude. Parabéns.

 

‘Orgulho Meu’
Título de um dos belos sambas do cantor e compositor Carlos Pirú, em homenagem ao Laguinho, bairro onde nasceu.
“Orgulho meu que eu canto agora onde nasci e me criei, Laguinho tem muita história…”.

 

‘Mandingueiro do Norte’
Título da música do festivaleiro Chermont Júnior, classificada no 46º Festival Nacional de MPB, em Ilha Solteira – SP, nos dias 2 e 3 de dezembro.

 

Emissariando
Helinho Moreno é o intérprete oficial de Emissários da Cegonha para o próximo carnaval, e foi quem gravou o novo samba. Ele foi campeão pela escola no carnaval passado.

 

Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque

O Parque é uma unidade de conservação brasileira de proteção integral da natureza localizada nos estados do Amapá e do Pará, com território distribuído pelos municípios de Almeirim, Amapá, Calçoene, Ferreira Gomes, Laranjal do Jari, Oiapoque, Pedra Branca do Amapari, Pracuuba e Serra do Navio.
Limita-se ao norte com a Guiana Francesa e com a República do Suriname, estando conectado, através do território ultramarino francês da Guiana Francesa, à Comunidade Européia. Desta maneira, Montanhas do Tumucumaque integra, junto aos parques nacionais da Serra do Divisor, do Cabo Orange, do Pico da Neblina e do Monte Roraima, o conjunto de Parques Nacionais fronteiriços da Amazônia brasileira.
Com uma área de 3. 846. 429,40 ha (38 464 km² ou 8,78 milhões de acres) e um perímetro de 1 921,48 km, Montanhas do Tumucumaque é o maior parque nacional do Brasil e o maior em florestas tropicais do mundo. Foi criado com a finalidade de assegurar a preservação dos recursos naturais e da diversidade biológica, bem como proporcionar a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação, de recreação e turismo ecológico.
O parque Montanhas do Tumucumaque foi criado através de decreto emitido pela Presidência da República, em 22 de agosto de 2002. As terras do parque pertenciam ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). Um estudo técnico do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), realizado em parceria com o INCRA, segundo indicações do Programa Nacional de Diversidade Biológica (PRONABIO) do Ministério do Meio Ambiente, mapeou a região do parque indentificando-a como prioritária para a manutenção da biodiversidade.
O plano de manejo da unidade de conservação foi publicado em 10 de março de 2010 por meio da Portaria de número 28/2010 do ICMBio. Com colaboração de Luiz Antonio Ferreira Maranhão, o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque não iclui o Município de Pracuuba e a dimensão correta do Parque é de 3.843.429 ha ou 38.464 km². Um dado interessante é Por exemplo: Do município do Oiapoque o Parque abrange 73,4% e do município de Laranjal do Jarí 52 % (Plano de Manejo do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque).

 

 

COLIBRI: Colibri é um gênero de beija-flores que ocorre na América Central e do Sul. O grupo inclui quatro espécies, três das quais existentes no Brasil. Habitam zonas de floresta montanhosa. Os colibris são os únicos pássaros que podem voar para trás e para frente.

 

 

Quando eu te vi chegando, monera
Tão bonito que era
Eu vi o sol e a lua trazendo
As cores da primavera
Nilson Chaves

 

 

Cancelamento
Várias cidades brasileiras estão cancelando as festas de final de ano e a programação do carnaval de 2022, devido o aumento dos casos da Covid-19 e da nova variante, Ômicron.

 

Não vai ter
Prefeitura de Macapá, através da Fumcult, anunciou o cancelamento das festas tradicionais de final de ano. Com relação a programação do carnaval 2022, essa será decidida em alguns dias.
O diretor-presidente da Fundação, Olavo Almeida, disse que não tem como controlar o acesso das pessoas às festas públicas em vários locais. “O avanço dos casos da Covid-19 e da nova variante, Ômicron, é sério demais”, finalizou.

 

Manifestação
Diretoria da Unidos do Buritizal se manifestou com nota de esclarecimento sobre a realização do carnaval 2022, no Instagram da escola, dizendo: A Vida Sempre Será Mais Importante.
“A escola Unidos do Buritizal não enxerga outro caminho que não seja o imediato cancelamento do desfile oficial das escolas de samba do Amapá por parte da Liesap”, disse o presidente Rogério Furtado.

 

Clipe
Poetinha Osmar Júnior está produzindo o clipe da música ‘Cores e Bandeiras’, que gravou com a participação do grupo Faces da Vida. Vem coisa boa por aí.

 

Aclamação
O ativista popular Dô Sacaca é o novo presidente da Academia Amapaense de Batuque e Marabaixo, por aclamação. A solenidade aconteceu na quarta (1). Parabéns.

 

‘Senhora Inspiração’
Título da nova música do cantor e compositor, Naldo Maranhão, com lançamento agendado para o dia 21 de abril, no programa ‘O Canto da Amazônia’ (Diário FM 90,9). “Te quero de manhã cheia de manha. Saindo à francesa ou chegando da Espanha…”.

 

‘Abaladora’
Título de uma música de Thamires Tannous, Marina Peralta e Makely Ka, em homenagem a todas as mulheres.

“Eu sou a matriarca mãe, gaia na fogueira pagã. Uma cunha tchucarramãe, mulher que cuspiu a maçã…”. disponível nas plataformas digitais.