O que é música Gospel?


A música gospel é conhecida como um ritmo e um estilo musical religioso de grupos cristãos. O termo também é utilizado para fazer referência a músicas evangélicas. Presente principalmente em cerimônias religiosas e costuma ter como tema principal a adoração a Deus, a Cristo ou ao Espírito Santo.

 

A música gospel é escrita e executada por muitos motivos com motivo religioso ou até cerimonial, ou como um produto de entretenimento para o mercado comercial. No entanto, o tema obrigatoriamente abordado na música gospel é o louvor, adoração ou graças a Deus.

 

Em inglês, ‘gospel’, derivada do inglês ‘God-spell’ que significa Deus soletra, e as pessoas fazem alusão por algum motivo sem ser mencionado como ao Evangelho bíblico que nos narra as boas novas ao mundo. A vinda de Cristo ao Mundo —, pelos livros dos Evangelhos Canônicos de Mateus, Marcos, Lucas e João. Uma tradução literária da palavra grega, euangelion para o Inglês eu- ‘good’, – angelion ‘message’, que significa em Português, boa mensagem.

 

Originalmente, no grego Clássico, angelion referia-se a gorjeta que se dava ao mensageiro que entregava uma (eu = boa) mensagem (o antigo correio), mas já dos anos de Cristo a palavra se cunhou no significado de mensagem. A palavra grega, ‘euangelion’ é também a fonte do termo ‘evangelista’. Os autores dos Evangelhos Canônicos Cristão são conhecidos como os evangelistas. Geralmente, nos Estados Unidos, o termo gospel é uma referência a trabalhos do gênero de literatura cristã antiga.

 

********************************************************

Seu boto dono das águas
Ensine-me a remar
Cortar essas marés de léguas
Cavalgar feito égua

Annie Carvalho – poeta

********************************************************

 

Projeto

Banda Negro de Nós gravou seu novo disco, ‘Negro De Todos Nós’, que logo será lançado. No aguardo.

 

Apreciação

O Conselho Consultivo do Iphan vai apreciar a solicitação de registro da Ciranda do Nordeste e revalidação de mais três bens imateriais, nesta terça (31).

A sessão será transmitida pelo canal do Iphan, no YouTube, a partir de 9h. O pedido de apreciação é do governo de Pernambuco.

 

‘Cheira Bem’

Título da nova música do cantor e compositor amapaense, Cley Lunna, que já se preparando pra gravar a bela obra.

 

Prêmio

O Iphan prorrogou, até 4 de outubro, o prazo para inscrições de ações na 34ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade.

Os proponentes que já haviam enviado ações podem editar o formulário de inscrição e acrescentar informações, se quiserem. As inscrições já realizadas continuam válidas. (Iphan.gov.br).

 

Edital

Secretário Milhomem (Secult) informou no programa ‘Sua Excelência O Domingo’ (Diário FM 90,9), que novos editais serão lançados, pela secretaria de cultura, para garantir investimentos a artistas do movimento Gospel.

 

Planeta Amapari

Ouvindo as músicas do disco ‘Planeta Amapari’, projeto criado por Val Milhomem, Joãozinho Gomes e Zé Miguel, fica fácil entender o amor desses artistas por nossa aldeia tucuju.

“Somos filhos dessa terra e também dessas estrelas, do infinito e da floresta, da nação que nos constela…”.

 

‘Jaçanã’

Título do livro que reúne grandes nomes da poesia da Amazônia, assim como a amapaense Annie de Carvalho, poeta tucuju. ‘Jaçanã – Poética Sobre as Águas’.


Beija-Flor apresenta seus sambas finalistas


A Beija-Flor de Nilópolis – que será a sexta Escola a se apresentar no Domingo de Carnaval, 27/2, com o enredo “Empretecer o pensamento é ouvir a voz da Beija-Flor”, do carnavalesco Alexandre Louzada – também já escolheu os três sambas finalistas.

 

Assim como os finalistas das demais Agremiações do Grupo Especial, a disputa entre os sambas acontecerá em programa que será apresentado pela TV Globo, numa série de quatro gravações – três Escolas em cada programa. Os 12 sambas vencedores serão apresentados no quinto e último programa da série, cujas datas e horários de exibição ainda não foram divulgados pela emissora.

 

Diretores da LIESA e representantes das 12 Escolas estão finalizando entendimentos com os técnicos da TV Globo, em busca do formato ideal que atenda a todas as Agremiações.

 

Os três sambas finalistas foram escolhidos na quadra de Nilópolis, na quinta-feira, 26, e pertencem às seguintes parcerias:

– J. Velloso, Léo do Piso, Beto Nega, Júlio Assis, Manolo e Diego Rosa;

– Rodrigo Cavanha, Wilsinho Paz, Serginho Sumaré, Théo Ribeiro, Léo Freire e Felipe Mussili;

– Bruno Ribas, Thiago Alves, Alan Vinícius, Adilson Brandão, Fábio Braga e Junior Trindade.

 

Além da Beija-Flor de Nilópolis, Grande Rio, Imperatriz Leopoldinense, Vila Isabel, Mocidade Independente e a Paraíso do Tuiuti, também, já definiram os seus três finalistas. As outras seis Escolas continuam no processo eliminatório, que vai até o dia 30 de agosto. (www.liesa.com.br).

 

********************************************************

Quando a terra pediu socorro
Eu estava no morro batendo tambor
E a levada do Marabaixo
Armou o meu braço a seu favor

Binho/Zé Miguel

********************************************************

 

DVD

Cantor Amadeu Cavalcante vai gravar um DVD no seu show ‘Tudo Vai Passar’, no dia 2 de setembro, a partir das 20h, com transmissão pelas redes sociais do artista (Facebook e Youtube).

 

Circuito Cultural

Neste sábado (28) tem show do cantador da Amazônia, Nonato Santos, com transmissão pelas redes sociais da Amcap (Facebook e Youtube), a partir das 19h. A realização é do projeto Circuito Cultural.

 

Fecani

Cantor e compositor, Nathal Villar representa o Amapá no 36º Festival da Canção de Itacoatiara (AM), com a música ‘Além da Linha do Equador’.

O evento vai acontecer de 4 a 6 de setembro, a partir das 19h, com transmissão pelas deres sociais do Festival (Fecebook, Youtube e Instagram).

 

Marabaixo

Artista plástico amapaense, Jeriel Luz vai realizar a exposição ‘Marabaixo – A Essência De Um Povo’, no Sesc Araxá, de 24 de setembro a 11 de outubro, e no Sesc Centro, de 13 a 22 de outubro.

 

‘Jardim Infame’

Título de uma bela música de Val Milhomem e Amadeu Cavalcante, gravada por Amadeu. “Um beija flor voou/deixando eu meu jardim/uma açucena chorosa/que era viçosa e hoje é fim…”.

 

‘Mordaça’

Cantora e compositora, Samantha Mainine lançou seu novo single ‘Mordaça’, já nas plataformas digitais da artista e vídeo clipe, no YouTube.

A canção traz um lado mais denso da artista, uma letra que aborda as diversas amarras sociais e afetivas que uma pessoa carrega no seu íntimo. #ConfereLá.

 

‘Gatos Pingados’

Título do livro de minicontos da escritora Lulih Rojanski, com ilustração do artista plástico Afrane Távora.

Tem na Banca do Dorimar (esquina da Cândido Mendes com Presidente Vargas) – Centro. #CorreLá.


Sesc promove exposição Tecendo o Futuro


No mês de agosto, participantes da ação Tecendo o Futuro, parte do projeto Entre Artes, realizado pelo Sesc Amapá, expuseram seus trabalhos de intervenção urbana em diversos pontos de Macapá. Os artistas produziram projetos artísticos com o tema “ancestralidade”, em que mostram a relação com suas próprias origens.

 

Quatro artistas foram selecionados pelo projeto Entre Artes e receberam uma capacitação de três dias que estimulou a reflexão sobre o tema das intervenções. Após, eles tiveram de apresentar suas propostas com base nas discussões. Os trabalhos já realizados foram:

 

“Casa de Ponte”, artista Campis – este trabalho de grafite feito em na casa da dona Nega, artesã e mãe da artista e demonstra a força matriarcal da família de Campis, que foi educada por sua mãe e vó na mesma casa, localizada em uma área de ponte de Macapá, no bairro Buritizal. “Palafitas em Conexões”, artista Blender – o projeto de grafite induz a uma reflexão sobre o processo de aterramento das áreas de ressaca de Macapá. Morador do bairro Universidade, Blender traz em seu trabalho suas memórias da arquitetura peculiar das palafitas, retratada no muro de uma casa que encabeça a área de ponte no Tibúrcio, localidade dentro de seu bairro. “Senhora das Plantas”, artista Mayara Teodoro – Mayara realizou sua intervenção na fachada do Casp (Centro de Atividades Sociais da Periferia) que fica no bairro Congós. A proposta de grafite é sobre a família matriarcal amazônida e o hábito de cultivar plantas com capacidade de cura, transmitido de avós para filhas e netas.

 

A ação Tecendo o Futuro é uma continuidade das atividades do Entre Artes, projeto que visa incentivar a produção artística visual no Amapá garantido aos artistas locais a promoção de seus trabalhos. O Entre Artes realiza exposições, mostras e capacitações dentro e fora dos muros do Sesc Amapá. (www.sescamapa.com.br).

 

*********************************************************

Pra dançar Marabaixo
Não é preciso requebrar
Mas há de se ter cuidado
Pra sandália não engatar

Aldo Moreira/Joãozinho Gomes

*********************************************************

 

Os Cabuçus

Dia 31 de agosto, às 20h, tem show de humor e música com ‘Os Cabuçus’, Lurdico e Cidico comemorando 30 anos, e mais Ramon Frazelli, Osmar Júnior, Nivito Guedes, Suellem Braga, Enrico Di Miceli e Zé Miguel. Transmitido pelo canal ‘oscabucus’, no Youtube.

 

Arena

Nova arena de futebol com grama sintética, da Praça Chico Noé, ainda em construção, vai ser batizada com o nome de Paulinho Tupinambá. Prefeitura de Macapá ainda não anunciou o dia da inauguração.

 

Impossível

Presidente do São José, Otaciano Júnior, disse em entrevista ao programa O Canto da Amazônia (Diário FM 90,9), na quarta (25), que é quase impossível a recuperação da sede do clube, leiloada recentemente por dívidas trabalhistas.

 

Gravando

A cantora amapaense, Mayara Braga, está gravando o seu primeiro disco solo, batizado de Negra da Luz. Parabéns.

 

‘Tristeza de Chuva’

Título de uma bela música do poetinha, Osmar Júnior, gravada pela Banda Negro de Nós. “Até o fogo, a água, o sol e o vento. Toda aventura virá do firmamento…”.

 

Música

Cantor e compositor amapaense, Helder Brandão gravou mais uma música de sua autoria, ‘Para Uma Estrela’. O arranjo é assinado por Beto Oscar, Nitai Santana e Jefri Redig.

 

‘Desbravar a Amazônia’

Título de mais uma poesia da poeta e professora, ‘Negra Áurea’, que destaca a floresta amazônica. “Desbravar a Amazônia. Há muito que descobrir. Dê pra chorar ou sorrir…”.


‘Jornada Bufa’ aborda vivências de um catador de lixo


A invisibilidade e o preconceito vivido pelos catadores de lixo são retratados no monólogo ‘Jornada Bufa’, encenado pelo ator Jhou Santos. O trabalho será apresentado, nesta quinta (26), e sexta-feira (27) de forma on-line e presencial. A obra é apoiada pelo Edital – Carlos Lima ‘Seu Portuga’, da Secretaria de Estado da Cultura, por meio da Lei Aldir Blanc.

 

Jornada Bufa traz para a cena os dilemas enfrentados por muitas pessoas diariamente. O catador de lixo, que no monólogo se chama Bufa, durante o espetáculo mergulha em diversos questionamentos sobre sua própria existência diante da desigualdade social e econômica. As apresentações irão acontecer em dois formatos desta vez. Primeiro na versão on-line gravada em 2019, que será exibida nesta quinta-feira, 26, no Facebook e Youtube da Secretaria Extraordinária de Juventude – SEJUV e de forma presencial, mas adaptada para uma duração menor, na sexta-feira, 27, na Escola Estadual Wilson Hill de Araújo no município de Itaubal, às 15h.

 

Ambas as apresentações acontecem dentro da programação do projeto Mostra Cultural Cena Jovem Amapaense, realizada pela Cia Tucuju, Cortejo Produções em parceria com a SEJUV.

 

Jornada Bufa tem a dramaturgia montada pelos artistas Jhou Santos e Wellington Dias, teve início no seu processo de experimentação no ano de 2018, onde realizou nas ruas do centro de Macapá intervenções a partir do personagem Bufa. Em 2019, integrou a programação da II Semana Amapaense de Teatro no Céu das Artes, fez parte também do VI Encontro Nacional Pedagogia das Artes Cênicas sediado na Universidade Federal do Amapá – UNIFAP e ficou em temporada no Teatro Marco zero, apresentando-se todas as quartas feiras do mês de junho.

 

Jhou Santos é ator, diretor, produtor cultural e arte-educador. Formado em Licenciatura em Teatro pela Universidade Federal do Amapá. É coordenador de produção da Cortejo Produções artísticas e diretor artístico da Cia de Artes Tucuju. Recebeu o Prêmio de Cultura e Arte da Fundação Municipal de Cultura de Macapá através do edital Nº 004/2020 – FUMCULT/PMM e o Prêmio “SINEY SABOIA” de Arte e Cultura concedido pela Secretaria de Estado da Cultura do Amapá através do edital Nº 005/2020 – SECULT/AP, ambos apoiados pela Lei Aldir Blanc recebeu. John também já integrou a coordenação da III Semana amapaense de Teatro. É o idealizador e assina a direção artística da 1ª Mostra Cultural Cena Jovem Amapaense. (Thiago Soeiro).

 

**********************************************************

Não, nunca mais
Eu vou querer uma paixão assim
A gente briga, a gente sofre, a gente cresce
Por amar, eu sei

Osmar Júnior

**********************************************************

 

Amazônia

Dia 5 de setembro, às 18h, vai acontecer a ‘Live Amazônia Viva 2021’, com transmissão pelo Youtube, no canal do Instituto Cultural Ajuri.

 

Parabéns

Nesta quinta (26) o clube mais querido da Amazônia, o São José, está completando 75 anos de criação. O presidente, Otaciano Júnior, vai apresentar o novo projeto do tricolor. Parabéns.

 

Parceria

O presidente do São José, Otaciano Júnior, disse em entrevista ao programa ‘O Canto da Amazônia (Diário FM 90,9), nesta quarta (25), que o clube vai fazer uma parceria com a paróquia São Benedito (Laguinho) nesse novo projeto.

 

Vice

O desportista, Izauro Santos, assumiu a vice presidência do São José e será empossado nesta quinta (26), na inauguração da sede provisória do clube, na av: Almirante Barroso – Santa Rita.

 

Reflexões

O Sesc Amapá está realizando a exposição ‘Reflexões-Cotidianas, Amazônidas, Aleatórias’, do fotógrafo Aog Rocha, com vinte fotografias sobre as mazelas vivenciadas pelo povo na região amazônica.

A exposição está disponível até o dia 17 de setembro, no Sesc Centro, na esquina da Av: Mendonça Júnior com a Rua Tiradentes.

 

Rancho

Carnavalesco amapaense, Izauro Santos é o novo diretor de carnaval da escola de samba paraense, Rancho. Parabéns e boa sorte.

 

‘O Buriti’

Título do novo poema da amapaense Anny de Carvalho. Suas obras regionais são referência pela boa linguagem e temática amazônica. Parabéns.


Iphan prorroga prazo de inscrição do Prêmio Rodrigo Melo


O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia federal vinculada à Secretaria Especial da Cultura e ao Ministério do Turismo, prorrogou até 4 de outubro o prazo para inscrições de ações na 34ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. Os proponentes que já haviam enviado ações podem editar o formulário de inscrição e acrescentar informações, se quiserem. As inscrições já realizadas continuam válidas.

 

O edital publicado em 21 de junho previa o encerramento das inscrições em 15 de agosto. Contudo, devido a uma falha pontual que fechou o sistema por algumas horas no último dia de inscrição, o prazo foi prorrogado por mais 45 dias, conforme aviso de licitação publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 20 de agosto.

 

Maior premiação no campo do Patrimônio Cultural, o Prêmio Rodrigo seleciona e reconhece doze ações de preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro que mereçam registro, divulgação e reconhecimento público em razão da sua originalidade, vulto ou caráter exemplar.

 

Podem concorrer à premiação de R$ 20 mil reais ações desenvolvidas pelo poder público, cooperativas e associações formalizadas, redes e coletivos não formalizados, pessoas físicas, microempreendedor individual e microempresa. Fundações e empresas privadas poderão ser indicadas à menção honrosa, segmento no qual não há remuneração em espécie, mas confere certificação e selo do Prêmio Rodrigo 2021.

 

Além da data de inscrição, houve alteração em todo cronograma do concurso. Está previsto para 11 de outubro o resultado da habilitação das propostas, etapa na qual o Iphan confere se a ação inscrita está de acordo com os critérios do edital do prêmio. Após, as ações inscritas serão avaliadas, inicialmente, nas comissões estaduais, compostas por representantes das diferentes áreas culturais de cada estado e presididas pelos superintendentes. Iniciativas vencedoras na etapa estadual serão analisadas pela Comissão Nacional de Avaliação, formada pela presidência do Iphan e por 20 jurados que atuam nas áreas de preservação ou salvaguarda do Patrimônio Cultural. O resultado da etapa estadual será divulgado em 10 de novembro. Já as doze ações vencedoras em nível nacional serão divulgadas até 17 de dezembro. (iphan.gov.br).

 

***************************************************************

 

Toada

Presidente do Conselho Municipal de Cultura, Alan Douglas, informa que está viabilizando recurso, junto à Fumcult, para o Festival Estadual de Toada, que vai acontecer em dezembro.

 

Nas escolas

A cartilha ‘Ecoando Marabaixo na Ciranda dos Saberes’, lançada nesta terça (24), pela Prefeitura de Macapá, será distribuída às escolas do município. Assim, professores e estudantes terão acesso às informações sobre o Marabaixo, a cultura-mãe do Amapá.

 

Humor e música

Dia 31 de agosto, às 20h, os artistas cabuçus, ‘Lurdico e Cidico’, vão comemorar 30 anos de humor e música, com show que será transmitido pelo canal ‘oscabucus’, no Youtube.

 

Reforma

O sambódromo precisa urgentemente de uma reforma geral. Toda a sua estrutura está comprometida e se deteriorando a cada dia.

 

Em inglês

Cantora Karol Diva gravou uma versão em inglês da música ‘Jeito Tucuju’, o hino cultural do Amapá. Autoria de Val Milhomem e Joãozinho Gomes.

Ouça no programa ‘O Canto da Amazônia (Diário FM 90,9), ele toca as nossas músicas.

 

‘Açucena’

Título da música do poetinha, Osmar Júnior, gravada no ritmo do samba pelo grupo Gente de Casa. A primeira versão foi gravada por Amadeu Cavalcante.

 

‘A Rainha Perdida’

Título do livro que a escritora carioca Ana Cristina Melo, está lançando. A obra retrata uma sociedade distópica na qual os moradores foram privados da liberdade em troca de comida e segurança. Acesse o site http://bit.ly/rainhaperdida.


Improir lança cartilha do Ciclo do Marabaixo


A história do Ciclo do Marabaixo entra nas escolas públicas municipais em forma de cartilha didática. O Instituto Municipal de Políticas e Promoção de Igualdade Racial – Improir, liderou essa iniciativa e desenvolveu o material junto a representantes das comunidades tradicionais de Macapá. A cartilha “Ecoando Marabaixo na Ciranda dos Saberes”, será lançada, nesta terça-feira (24), em solenidade virtual transmitida pela página da prefeitura, no Facebook.

 

Todo o material elaborado foi pensado exclusivamente para expandir a cultura marabaixeira na capital, introduzindo o assunto de maneira acessível nas escolas municipais. O objetivo é falar da importância do calendário anual de forma didática, dedicada aos pequenos estudantes.

 

O Ciclo do Marabaixo é uma manifestação cultural e religiosa que ocorre em Macapá. A festa consiste em uma manifestação em louvor à Santíssima Trindade e ao Divino Espírito Santo. Começa no Sábado de Aleluia e finaliza no domingo após o feriado de Corpus Christi. São três meses de festividades.

 

A transmissão ao vivo da solenidade de lançamento da cartilha inicia, às 19h, e conta com a participação de diversos representantes da comunidade marabaixeira tradicional. O link pode ser acessado na página da Prefeitura de Macapá, no Facebook. (Secretaria Municipal de Comunicação Social).

 

**************************************************************

Uma cidade na linha do equador
Onde Deus e a natureza derramaram o seu amor
A intimidade entre rio e a fortaleza
Emoldura sua beleza Macapá morena flor

Serginho Sales

**************************************************************

 

Campeã

Grupo de danças populares, Essência da Amazônia, é o campeão do 1º Festival de Coreografias e Lendas, realizado pela Associação de Grupos de Toada do Amapá.

O evento aconteceu no domingo (22), no CT do Santos Futebol Clube, na Rodovia Duca Serra. Parabéns.

 

Show

Cantor amapaense, Amadeu Cavalcante vai realizar a live ‘Tudo Vai Passar’, com o show ‘Amadeu Cavalcante 5.9’, dia 2 de setembro, às 20h, mesma data de seu aniversário.

O evento será no Rancho Espora de Ouro (Rod. Salvador Diniz – Fazendinha (antigo Pesque e pague). Haverá venda limitada de mesas. A transmissão será pela página do artista, no Youtube. Informações: 99154-0302 e 98121-6999.

 

Cartilha

Nesta terça (24), a partir das 19h, com transmissão pelas redes sociais da Prefeitura de Macapá, o Improir vai lançar a cartilha, ‘Ecoando Marabaixo na Ciranda dos saberes’ e entregar às escolas públicas de ensino fundamental do município.

O projeto foi dirigido pelo jornalista e produtor cultural, Cláudio Rogério. Um CD e um DVD compõem a cartilha com textos narrados pela poeta, Annie de Carvalho, e ilustrada pelo artista plástico, Deko Matos.

 

 ‘Aporema’

Título da música do cantor e compositor amapaense, Roni Moraes, e da poeta, Annie de Carvalho, com lançamento marcado para a quarta (25), no programa O Canto da Amazônia (Diário FM 90,9), às 16h.

 

‘O Negro’

Escritor amapaense, Ivando Souza vai lançar o livro ‘O Negro e o Preconceito Étnico Racial’. Mais uma obra literária de sua autoria, dia 31 de agosto, às 19h, no auditório da UEAP.

 

Amapá Jazz

O produtor e realizador, Finéias Nelluty, avisando que em outubro vai acontecer a 14ª edição do projeto Amapá Jazz Festival, criado por ele. Aguardem mais informações.

 

Na calçada

Retornou no sábado (21), o projeto Jazz na Calçada, na casa do Mestre Tiago, av: Clodovil Coelho – Trem, entre as ruas Leopoldo Machado e Hamilton Silva, a partir das 17h. A realização é do cantor, músico, produtor, compositor, Finéias Nelluty e do Coletivo Jazz Amapá. (todo sábado).


Como vivem os índios da Amazônia?


É na Amazônia que se concentra a maior população indígena com cultura preservada, com cerca de 310 mil pessoas vivendo em tribos, sem contar as etnias que ainda são desconhecidas.

A Fundação Nacional do Índio (FUNAI) acredita que existam 77 grupos de índios totalmente isolados na floresta amazônica, destes, 32 já foram confirmados. Os maiores grupos de índios da Amazônia são os Guaranis, Xerentes, Amawákas, Anambés, Kambebas e os Aruá. No entanto, há mais de 200 diferentes etnias espalhadas por todo o Brasil.

Mesmo diante de muitos avanços tecnológicos, os índios da Amazônia procuram manter a sua cultura, vivendo em integração com a natureza e resguardando sua hierarquia e rotina. Suas crenças e seus ritos também são intimamente ligados aos elementos naturais.

Os indígenas que vivem na floresta amazônica, em sua maioria, dormem em redes dentro de enormes ocas comunitárias e, como seus antecedentes, caçam, pescam, cultivam seus próprios alimentos e falam suas línguas nativas. Mesmo escolhendo viver em aldeias na mata, boa parte dos índios conhecem outras culturas e são fluentes em português. Segundo o IBGE, os índios da Amazônia possuem melhor qualidade de vida do que as etnias indígenas que vivem em cidades ou em integração com o meio urbano. (https://www.pensamentoverde.com.br/).

 

******************************************************

Enquanto os homens exercem seus podres poderes
Motos e fuscas avançam os sinais vermelhos
E perdem os verdes
Somos uns boçais

Caetano Veloso

******************************************************

 

Encerramento

Militantes de segmentos artísticos e culturais encerram as reuniões setoriais, neste final de semana. Foram escolhidos os representantes para compor a subcomissão que vai organizar a eleição do Conselho Estadual de Cultura.

 

Poesia

Na terça (24) a poeta Noélia Ribeiro, vai receber eu seu canal no Instagram (@noeliaribeiropoeta), os poetas Joãozinho Gomes, Lucinda Persona e Francisco Carlos Pontes. O encontro está marcado para, às 19h. O papo ‘A Fim de Poesia’ vai ser legal.

 

Voltando

Mesmo que ainda seja de forma lenta, mas os artistas estão retornando a realizar shows em lugares pequenos. Isso marca o reinício dos projetos.

 

‘Água Doce’

Título da música do paraense Silvan Galvão, gravada com a participação da cantora amapaense, Patrícia Bastos.

 

Pérola Negra

O concurso Pérola Negra está agendado para acontecer no dia 20 de novembro, com  mais de 30 candidatas inscritas.

O coordenador e produtor, Ray Balieiro, reforça que o projeto tem o objetivo de valorizar a beleza negra amapaense.

 

‘Canto de Atravessar’

Música que está no repertório do disco ‘Raiz’ da cantora paraense, Leila Pinheiro. Uma louvação à Amazônia.

“O pescador quer beber, vai beber no Guajará. Vento no bote, força no remo, canto de atravessar…”.

 

‘Beatos Cabanos’

Nome de um belo projeto dos artistas Osmar Júnior, Marven Junius e Bruno Muniz, que une a música com a poesia. Uma valorização da arte como um todo.


Sesc realiza exposição fotográfica


O Dia Mundial da Fotografia é comemorado em 19 de agosto. Para homenagear todos os fotógrafos, o Sesc Amapá está promovendo a exposição, “REFLEXÕES-Cotidianas, Amazônidas, Aleatórias”, do fotógrafo Aog Rocha. São vinte foto-reflexões sobre as mazelas vivenciadas pelo povo nessa região, que vão ficar disponíveis para o público até o dia 17 de setembro, no Sesc Centro (esquina da av: Mendonça Júnior com a Rua Tiradentes).
A exposição apresenta o imaginário poético de Aog Rocha em uma composição fotográfica subdividida em três etapas, aparentemente dissociadas, mas que olhadas em conjunto e com sensibilidade, revelam a mensagem da exposição. As fotografias foram captadas aleatoriamente, na intenção de registrar a cidade, seu povo, seus anseios, e o que revelaram foram mazelas. Uma delas sugere um olhar sobre o papel da arte no cotidiano das classes populares, cumpre o papel foto jornalístico, ao propor reflexões sobre tudo que nos falta: incentivo à cultura, ao esporte, políticas de preservação ao meio ambiente, assistência social e ordenamento territorial.
“REFLEXÕES – Cotidianas, Amazônidas, Aleatórias” no todo, é sobre a ineficiência das políticas públicas, que marginaliza o povo macapaense. A exposição faz parte do projeto Entre Artes, que tem o objetivo de divulgar o trabalho de artistas locais e discutir a produção artística na região.
Aog Rocha – fotógrafo e possui formação em Biomedicina. Sua experiência abrange: Conselheiro de Cultura na cadeira de Artes Visuais no Conselho Municipal de Cultura de Macapá, professor auxiliar de técnicas fotográficas, operador de câmera, já foi instrutor de Artes no Sesc Amapá em 2010, instrutor de oficinas de fotografia Museu Imagem e do Som Macapá – MIS/AP. Também é cinegrafista e designer gráfico. Outras formações em seu vasto currículo são em roteiro e produção de curta metragem, para cinema e vídeo, fotografia para Cinema e vídeo, artística e jornalística, assistência e operação de câmera HD, fotografia contemporânea e marketing político. (www.sescamapa.com.br).

 

 

RUY BARBOSA: Ruy Barbosa de Oliveira (1849-1923), foi um polímata brasileiro, tendo se destacado principalmente como jurista, político, diplomata, escritor, filólogo, tradutor e orador. Um dos intelectuais mais brilhantes do seu tempo. Foi um dos organizadores da República e coautor da constituição da Primeira República juntamente com Prudente de Morais.

 

Perdoa a mão que te apedreja
Perdoa quem não te perdoa
Perdoa a pedra que te alveja
Perdoa o preconceito e voa
Eudes Fraga/Joãozinho Gomes

 

 

Bom papo
Em entrevista com o cantor Amadeu Cavalcante, nesta quinta (19), no programa ‘O Canto da Amazônia’ (Diário FM 90,9) ele destacou que está com o repertório pronto para o novo disco. Gravação em breve.

 

Parabéns
Nesta sexta (20) minha irmã caçula, Marilene Almeida, está completando mais um ano de vida. Deus te abençoe sempre e te dê muita luz. Feliz aniversário.

 

Uma voz
Cantor e compositor paraense, Nilson Chaves vai apresentar o show ‘Uma Voz Amazônica’, na abertura do Festival da Canção de Itacoatiara (AM). O Fecani vai acontecer de 4 a 6 de setembro.

 

Toada
Dia 22 de agosto a Associação de Grupos de Toada do Amapá vai realizar o 1º Festival de Coreografias e Lendas Folclóricas, com a participação de quatro grupos.
O evento vai acontecer no CT do Santos (Rodovia Duca Serra), a partir das 17h. Maiores informações: 96 98403-1030.

 

‘Legal e Ilegal’
Título da música do cantor e compositor paraense, Felipe Cordeiro, que faz parte do repertório amazônico e, também, cita ‘a gengibirra do marabaixo’..

 

Sócio torcedor
Escola de samba Império do Povo, do município de Santana, está em campanha com o projeto ‘Sócio Torcedor’, para fortalecer os torcedores da Verde & Branco. Informações: 98410-1900.

 

‘Setembro Samba’
Para comemorar os 30 anos do ‘Grupo Sambarte’, os sambistas e coordenadores, Carlos Pirú e Nonato Soledade, vão realizar no mês de setembro, o projeto ‘SS Setembro Samba’. Boa ideia.

 


Nilson Chaves: a maior expressão musical da Amazônia


Nilson Chaves, nasceu em Belém/PA onde começou sua carreira nos festivais de música e compondo para grupos de teatro locais. Por volta de 1975 decide mudar-se para o Rio de Janeiro onde canta em casas de shows, compõe para espetáculos de teatro e dança e torna-se parceiro, entre outros, de Luli e Lucina e Thereza Tinoco, que registram essas parcerias em discos. Vencedor de vários festivais, lança seu primeiro LP, faz shows e o tempo se incube de mostrar-lhe que é na terra natal que corre a seiva de sua música.

 

Dono de uma voz suave e sensibilidade de um compositor que capta as saudades e lembranças de sua terra, Nilson Chaves, ao deixar fluir essa combinação, encontrou seu caminho de cantador e violeiro amazônico.

 

O lançamento do seu primeiro disco “Dança de Tudo” em 1981, uniu a tradição da música brasileira às raízes amazônicas. Em seguida o lançamento do disco “Interior” (gravado em parceria com o cantor e compositor Vital Lima, em 1985), proporcionou-lhe uma ardente acolhida e um público imenso e caloroso na região ao norte do país. E não é por acaso que hoje dividi-se entre o Rio de Janeiro e o Pará, ambos pontos de partida para a irradiação de seus temas. Cantador e violeiro amazônico, Nilson Chaves procura universalizar sua música – um sempre renovado compromisso com a emoção de sua terra – com suas raízes paraenses, mas em dia com uma linguagem musical moderna, onde se encaixam, de forma leve e natural, os costumes e palavras da região.

 

“SABOR” é uma apoteose aos sabores da Amazônia, lançado em 1989.

Em 1990 lançou “Amazônia”. Em 1992, entendendo a necessidade de proporcionar as novas gerações um contato mais próximo com a obra do Maestro Waldemar Henrique, lançou um disco com re-leitura dos clássicos desse compositor intitulado “Waldemar”, também em parceria com Vital Lima. Lançado em CD, no ano de 1994, a qualidade do trabalho foi reconhecida pelos críticos do jornal “O Globo” na edição de 25/12 de 1994 e “Waldemar” foi listado entre os dez melhores lançamentos daquele ano. Em 1993 lançou “Não Peguei o Ita” , cuja faixa “Passarinho e Homem” foi vencedora do Prêmio Sharp de melhor arranjo (maio/94). Em 1997, em parceria com Sebastião Tapajós, lança o CD “Amazônia Brasileira”, tendo por base o espetáculo que vem percorrendo várias capitais brasileiras e que também foi apresentado na cidade de Berlim (Alemanha) em Setembro/97, durante a semana dedicada à música brasileira.

 

No ano de 1998, Nilson Chaves cantou para mais de 180 mil pessoas, por todos os cantos desse Brasil, e também pela cobiçada Europa em suas apresentações pela Alemanha, tendo se apresentado com Tetê Espíndola em Munique, bem como pela turnê com Sebastião Tapajós por várias cidades da França. Retornou ao Brasil para uma turnê com Chico César pelo norte do país. Todo esse público esteve presente em seus 150 shows.

 

******************************************************

Não, nunca mais
Eu vou querer uma paixão assim
A gente briga, a gente sofre, a gente cresce
Por amar, eu sei

Osmar Júnior

******************************************************

 

‘Carimbó do Amapá

Título da nova música do cantor e compositor amapaense, Amado Amâncio, que registra mais de 30 anos como artista musical. Parabéns.

 

Empossada

Aracilene Monteiro é a nova diretora de carnaval da Liesap, empossada na terça (17). Ela assume a cadeira que era ocupada por Alexandre Evangelista, falecido recentemente.

 

Chico Mendes

O Iphan atualizou a portaria que delimita a poligonal e os critérios de intervenção para o entorno da Casa de Chico Mendes, em Xapuri (AC), e tombada como Patrimônio Cultural do Brasil. (iphan.gov.br).

 

Fotografia

Nesta quinta (19), no Sesc Centro (esquina da av: Mendonça Júnior com a rua Tiradentes), acontece a vernissage da exposição fotográfica “Reflexões Cotidianas, Amazônia Aleatória”, do fotógrafo Aog Rocha.

A poeta amapaense, Patrícia Andrade, fará intervenção poética. A exposição ficará de 24 de agosto a 17 de setembro. Visite.

 

Presidente de honra

O consagrado sambista brasileiro e um dos ícones da MPB, Martinho da Vila é o presidente de honra da escola de samba Vila Isabel, onde tem um reconhecido trabalho.

 

Ao vivo

Programa O Canto da Amazônia (Diário FM 90,9) recebe, nesta quinta (19), o cantor amapaense Amadeu Cavalcante, considerado a melhor voz do cancioneiro amazônico. Sintonize.

 

‘Nos Passa Vida’

Título da música de Osmar Júnior e Rambolde Campos, gravada por Nathal Villar, em seu novo disco ‘Além da Linha do Equador’. Lançamento em breve.


“Se Rasgum” anuncia Seletivas para a Região Amazônica


Conhecido por revelar artistas da música paraense para o Brasil, o Festival “Se Rasgum” tornou-se uma referência no circuito nacional. O Festival anuncia inscrições gratuitas até o dia 2 de setembro as inscrições e em seguida a abertura da etapa de Seletivas, com uma grande novidade: agora ampliará sua busca por novos artistas de todos os nove estados da Amazônia Legal (Amapá, Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Roraima, Rondônia e Tocantins).
Para participar, os interessados devem residir em um dos estados da região da Amazônia Legal, que tenham produzido e lançado pelo menos 4 singles, comprovar mínimo de 2 anos de existência do trabalho artístico inscrito e preencher o formulário de inscrições com informações da banda como o release atualizado, anexar 2 fotos, links das músicas lançadas e link de vídeo de performance ao vivo, entre outros dados complementares.
Em um ano de readaptações, o Festival “Se Rasgum” aproveitou para ampliar seu alcance para a região da Amazônia Legal, com o objetivo de mapear o que vem se destacando na música amazônica e toda a sua diversidade.
Há mais de uma década o “Se Rasgum” vem revelando o que desponta na música produzida no Pará, abrindo o palco do Festival para novos talentos, ajudando tanto na apresentação destas novidades para o mercado musical quanto na formação de novos públicos. Para escolher os 10 finalistas, o Festival convidou nove curadores, um de cada estado da região, buscando mapear as novidades com um olhar voltado à diversidade musical e à equidade de gênero, étnica e racial.
Os selecionados passarão por mentorias para impulsionamento de carreira, com a avaliação e orientação de oito profissionais do mercado musical, sob coordenação do músico, produtor musical e articulador do setor cultural Iuri Freiberger, que liderou a Aceleração Musical LabSonica. O gaúcho trabalha há mais de 20 anos no setor cultural e no mercado musical e tem experiência de sobra na área: produziu mais de 150 álbuns em todo país, realizou mais de 2000 apresentações ao vivo, fez direção técnica e curadoria para festivais. Foi cofundador e diretor estratégico da Rizoma Aceleradora de Projetos Culturais, empresa responsável pela gestão dos projetos e aceleração do programa Natura Musical. É fundador e atual diretor da Gramo Design Estratégico, empresa de inteligência de mercados criativos.
Todo esse processo on-line incluirá workshops e encontros pelos quais os escolhidos passarão para discutir temas relevantes da produção musical como circulação, formação de público, propriedade intelectual, royalties, distribuição, comunicação, marketing digital e apresentação em pitchings.

(texto: comunicação Se Rasgum).

 

 

CANDIRU: Também chamado de “canero” ou “peixe-vampiro”, é um peixe de água doce que pertence ao grupo comumente chamado de peixe-gato. Ele é encontrado no Rio Amazonas, no Rio Madeira e nos seus afluentes e tem uma reputação entre os nativos de ser o peixe mais temido naquelas águas, até mais que a piranha. A espécie cresce até dezoito centímetros e tem forma de enguia, tornando-o quase invisível na água.

 

 

Não, nunca mais
Eu vou querer uma paixão assim
A gente briga, a gente sofre, a gente cresce
Por amar, eu sei
Osmar Júnior

 

 

Das Dores
Comunidade de Campina Grande/MCP vai comemorar o dia de Nossa Senhora das Dores, 11 de setembro, a partir das 9h. Ladainha e marabaixo fazem parte da programação.

 

Fecani
Três músicas do Amapá foram classificadas para o 36º Festival da Canção de Itacoatiara/AM, agendado para acontecer de 4 a 6 de setembro.
Músicas e autores: ‘Além da Linha do Equador’ (Nathal Villar), ‘Retrato da Cidade’ (Jamerson de Melo) e ‘Gangazumbanegozumbi’ (Chermont Júnior).

 

Seletivas
O projeto paraense Se Rasgum abriu inscrição para o seu festival de música, até 2 de setembro, ainda sem data anunciada para acontecer. Os 9 estados da Amazônia legal podem participar. Inscrições pelo site www.seragum.com.br.

 

Estranho e belo
Um amigo riu quando eu disse que Djavan tem um estilo musical estranho e belíssimo. Mas é isso mesmo que penso.
Ele diz coisas e canta em melodias inusitadas, cheias de beleza. Ouçam a música Lambada de Serpente. Penso que ninguém nunca disse isso antes.

 

Mestre do Voo
Poeta Joãozinho Gomes e o cantor e compositor Eudes Fraga, assinam a bela obra musical ‘Urubu Mestre do Voo’, gravada por vários artistas.

“Perdoa a mão que te apedreja, perdoa quem não te perdoa. Perdoa a pedra que te alveja, perdoa o preconceito e voa…”.

 

 

‘Pensando o Tempo’
Título do livro do escritor amapaense, Jean Carmo. Uma coletânea dos poemas e canções do artista, que vem trabalhando há anos. Você pode adquirir na Baiúca do Chico Terra. (baiuca.chicoterra.com).

 

Apenas falas
É preciso reconhecer quando as ‘falas promessas’ de campanhas políticas se transformam em realidade com ações para o melhoramento dos artistas.
Quando isso não acontece, fica claro que são apenas falas e falas em prol de si. Precisamos avançar.