Última hora Polícia Política Cidades Esporte

Heraldo Almeida

Festejo do Ciclo do Marabaixo celebra a “quarta-feira da murta”

Depois da programação do “sábado do mastro”, a comunidade marabaixeira de Macapá exalta mais uma atividade do Ciclo do Marabaixo 2022.
Acontece no dia 25 de maio, pelos “campos do Laguinho” a “Quarta-Feira da Murta” e o levante do Mastro em louvor ao Divino Espírito Santo.
O ritual de andamento pelo bairro do Laguinho começa a partir das 16h, e com ramos de murtas nas mãos, os festeiros saem do Barracão da Tia Biló, seguindo pela Eliezer Levy, Ana Nery, General Rondon, Mãe Luzia e retornando ao Barracão, dando início ao festejo do Marabaixo e o levante do mastro.
A programação do ciclo do marabaixo traz como tema “A Valorização do Patrimônio Imaterial do Amapá”. (Texto: Cláudio Rogério – Foto: Gabriel Penha).

 

 

CORRENTEZA: A correnteza de um curso de água é o trecho em que a sua corrente vai mais rápida (acima do fluxo médio), geralmente formando ondulações e pequenas ondas, e ocorre usualmente em um terreno raso e acidentado. Muitas vezes, consiste em um leito rochoso de cascalho e de seixos ou de outras pequenas pedras. Esta parte do curso de água é um importante hábitat para a pequena biota aquática, como pitus ou pequenos peixes.

 

Meu coração tropical
Amanheceu batucando por você
Eu não sou anormal
Aqui do outro lado do Brasil
Osmar Júnior

 

 

‘Catirina’
Título de uma bela música do poetinha, Osmar Júnior, gravada pela cantora Claudete Moreira. Linda interpretação. “Catirina meu desejo é teu beijo minha flor. Ê Catirina, Catirina meu amor…”.

 

Reeleito
Fábio Sacaca foi reconduzido ao cargo de Conselheiro de Cultura, na cadeira do Marabaixo. A eleição aconteceu no domingo (22), no colégio Gabriel de Almeida Café (antigo CCA). Parabéns.

 

Música
Cantor Clay Sam foi eleito Conselheiro de Cultura, na cadeira da música. A eleição aconteceu no domingo (22), no colégio Gabriel de Almeida Café (antigo CCA). Parabéns.

 

‘Pororoca’
Pororoca é o nome da bateria da Universidade de Samba Boêmios do Laguinho. Homenagem ao fenômeno da natureza, que acontece no rio Araguari, quase em extinção pela ganância do homem. Bela homenagem.

 

‘Me Leve’
Título da nova música de Alan Yared e Helder Brandão, com participação especial do paraense, Nilson Chaves. Parabéns.

 

Raízes da Favela
Grupo de Marabaixo Raízes da Favela é uma instituição com vários projetos sociais e culturais, defendendo a história do povo tucuju. A coordenação é da ativista cultural, Elisa Congó. Parabéns.

 

‘Lamento’
Título da obra musical do cantor e compositor, Ozy Rodrigues, em parceria com Dagoberto Paranhos. “Terra lavrada, irrigada e fertilizada, com sangue e suor dos negros que aqui aportaram…”. Bela canção.

 

A intolerância é o próprio desamor

Uma coisa eu observei na tal da sofrência. Ela brinda as relações ditas casos de amor, casamento, namoro, amizade sexual e o escambal, com tolerância e a velha e boa fossa, elemento que nos proporciona chorar, esquecer e partir pra outra sem violência. Ou mesmo engolir seco e dizer: eu amo e pronto.

 

É que a sociedade transformou em um adjetivo chamado “corno”, até isso operou em uma mentalidade machista ou femini machista (*criei isso agora ).

 

O problema é que o tal do “chifre” carrega milênios de cultura machista e muitos terminam em morte.

 

Ora chifre! Isso só dói, só é um porre, esse negócio de lavar a honra com sangue é coisa de Coronel.

 

Então, viva Marília Mendonça e Reginaldo Rossi, e vamos parar de se matar. Bora beber. (Osmar Júnior).

 

******************************************************

Sim, eu tenho a cara do Saci
O sabor do tucumã
Tenho as asas do Curió
E namoro cunhantã

Nilson Chaves

******************************************************

 

‘Puçangueira’

Título da música de Eudes Fraga e Joãozinho Gomes, gravada por Oneide Bastos em seu novo disco, disponível em todas as plataformas digitais.

 

Urgente

O sambódromo precisa urgentemente ser reformado para garantir que os desfiles das escolas de samba sejam realizados naquele espaço, em 2023.

 

Dança

Grupo de dança Âmago foi selecionado, com três coreografias, para o Festival de Dança de Joinvile (SC), de 19 a 30 de junho.

Para participar desse importante evento nacional, o grupo está precisando de apoio. Para contribuir, entre em contato pelo número 96 98137-3430.

 

‘Tarumã das Estrelas’

Título de uma bela obra musical assinada pelo poetinha, Osmar Júnior, gravada por Amadeu Cavalcante e cantada em vários festivais pelo Brasil. “Ei madame, ei maninha, o meu tarumã foi pras estrelas, podendo vê-las lá do espaço sideral…”.

 

Juventude

Projeto Marabaixo da Juventude é formado por um grupo de jovens de vários bairros, ligados às comunidades negras e famílias tradicionais do Amapá.

Essa ‘garotada’ continua fortalecendo e perpetuando a cultura do povo tucuju. O Marabaixo.

 

‘Todas as Luas’

Título de um dos discos (CD) do cantor e compositor amapaense Nivito Guedes.

Uma ótima pedida pra ouvir em casa e “São Jusa” é uma das canções de destaque desse projeto. Aconselho.

 

‘Choro Antigo’

Título da obra musical de Eudes Fraga em parceria com Gonzaga Blantez, gravada por Eudes. Mais uma bela canção para acalantar nossos ouvidos. Parabéns.

Ivam Amanajpas: “Eu pinto o meu mundo”

Augusto Ivam Amoras Amanajás é filho de Augusto Amoras Amanajás e Deuzuith Amoras Amanajás. Nasceu no dia 06 de outubro de 1956, na cidade de Macapá, capital do Estado do Amapá, onde cresceu e vive até hoje. Ivam Amanajás começou suas atividades artísticas precocemente. Em 1969, com apenas 13 anos de idade, participou de uma exposição coletiva no extinto Ginásio de Macapá (GM), que reuniu na ocasião artistas plásticos renomados como R. Peixe, Antônio Homobono, Olivar Cunha, Abenor Amanajás, entre outros. Em sua juventude, o artista já possuía uma forte tendência para o surrealismo, o qual aderiu por muito tempo. Mas Ivam Amanajás foi além, dominando outros estilos, incrementando-os em suas obras,

 

No ano de 1977, Ivam Amanajás levou pela primeira vez a sua arte para fora do seu Estado. Suas obras foram expostas na Galeria Angelos e Teodoro Braga (1978), no Teatro da Paz, em Belém-PA. Na década de 80, o Artista participou de diversas exposições em vários estados brasileiros, como Distrito Federal, Belo Horizonte, Pará e Rio de Janeiro, tornando a sua arte conhecida nacionalmente.

 

Apesar de ser nortista, ele não retratou em suas pinturas apenas o regionalismo, preocupou-se também em conscientizar e criticar através de sua arte os homens robóticos, a natureza mecanizada e a vida artificial. Hoje, o artista plástico sendo pesquisador e conhecedor de outras escolas, tem a segurança de afirmar que se caracteriza com o Realismo fantástico. Suas obras são mundialmente conhecida desde EUA à Europa.

 

“Tive sempre um compromisso com a arte, viajo através dela levando minha cara limpa, minha raça o grito preso na garganta pronto para protestar aos homens que destroem a natureza. Em sintonia transcendental, decodifico o impensável, viajo na exótica Amazônia, no cosmo da imaginação, nas cores, pois elas falam! Diz-se que, pintando é que se conhece de fato as coisas, como eu disse em “Mundo Estranho”, crio mundos e se você não os vé, infelizmente passará pela vida sem conhecê-los. Sou da Amazônia, caboclo universal e pinto com o barro da minha terra, mas as minhas imagens são para o mundo”, disse o artista.

 

******************************************************************

 

Eleição

Neste domingo (22) tem eleição para eleger o Conselheiro de Cultura de cada segmento: Artes Visuais, Artesanato, Áudio Visual, Capoeira, Cultura Gospel, Cultura Popular, Cultura Quilombola, Dança, Literatura, Marabaixo, Música e Teatro.

Das 8h às 17h, no colégio Gabriel de Almeida Café (antigo CCA), na esquina da avenida FAB com a rua Leopoldo Machado.

 

‘Tucupizeiro’

Título do novo disco do cantor e compositor amapaense, Nivito Guedes, lançado semana passada nas plataformas digitais. Parabéns.

 

Primaveras

O livro ‘Minhas Três Primaveras’ de Renata Christiny, publicada pela 3DEA Editora, mostra o árduo caminho que uma mulher passou desde sofrer a primeira agressão até seus últimos suspiros.

Um paradoxo com o nome da personagem principal, Luz, para mostrar que sua vida é uma profunda escuridão, em que a luminosidade mais próxima é a morte. À venda na Loja Virtual 3DEA.

 

‘Festa Temporã’

Título do novo projeto do cantor e compositor amapaense, João Amorim, também nome da música que fez em parceria com Zé Miguel. Lançamento em breve.

 

‘Corpo Fechado’

É o título da música do cantador da Amazônia, Nonato Santos, já no repertório do novo disco, ‘Desvairada Utopia’.

 

‘Serrado’

Título da música de Djavan, lançada em 1978, é uma das preferidas do artista por sua rica versatilidade melódica.

“Se o senhor me for louvado eu vou voltar pro meu serrado, por ali ficou quem temperou o meu amor e semeou em mim essa incrível saudade.”.

 

No Youtube

Programa ‘O Canto da Amazônia’ (Diário FM 90,9), de segunda à sexta, às 16h, está com uma página no YouTube. Se inscreva e curta os vídeos (clipes) e fotos de artistas da Amazônia.

Como vivem os índios da Amazônia?

É na Amazônia que se concentra a maior população indígena com cultura preservada, com cerca de 310 mil pessoas vivendo em tribos, sem contar as etnias que ainda são desconhecidas.
A Fundação Nacional do Índio (FUNAI) acredita que existam 77 grupos de índios totalmente isolados na floresta amazônica, destes, 32 já foram confirmados. Os maiores grupos de índios da Amazônia são os Guaranis, Xerentes, Amawákas, Anambés, Kambebas e os Aruá. No entanto, há mais de 200 diferentes etnias espalhadas por todo o Brasil.
Mesmo diante de muitos avanços tecnológicos, os índios da Amazônia procuram manter a sua cultura, vivendo em integração com a natureza e resguardando sua hierarquia e rotina. Suas crenças e seus ritos também são intimamente ligados aos elementos naturais.
Os indígenas que vivem na floresta amazônica, em sua maioria, dormem em redes dentro de enormes ocas comunitárias e, como seus antecedentes, caçam, pescam, cultivam seus próprios alimentos e falam suas línguas nativas. Mesmo escolhendo viver em aldeias na mata, boa parte dos índios conhecem outras culturas e são fluentes em português. Segundo o IBGE, os índios da Amazônia possuem melhor qualidade de vida do que as etnias indígenas que vivem em cidades ou em integração com o meio urbano. https://www.pensamentoverde.com.br/

 

CURIMBATA: O curimbatá, também chamado papa-terra, curibatá, curimatá, curimatã, curimataú, curimba, curumbatá, crumatá, grumatá, grumatã e sacurimba, é um peixe teleósteo caraciforme da família dos caracídeos, da subfamília dos proquilodontídeos, especialmente do gênero Prochilodus. Vive em todo o território brasileiro.

 

 

“Aqui distante de ti fica tudo esquisito
Feito café com sal
Leite com pimenta, andiroba no mingau
Eu preciso voltar pra perto deste olhar bonito…”
Zé Miguel

 

Lançado
Novo disco da cantora amapaense, Oneide Bastos, batizado com o próprio nome da artista, ‘Oneide Bastos’, foi lançado nesta sexta (20) em todas as plataformas digitais.

São 10 músicas que compõem o álbum, com assinaturas de compositores consagrados da música popular brasileira, que são eles: Pedra de Rio (Luhli e Lucina); Jurupari (Oneide Bastos); Taemã (Enrico Di Miceli e Antônio Messias); Voo (Paulinho Bastos e Osmar Júnior); Alto Mar (Dante Ozzetti e Luiz Tatit); Congá (Paulinho Bastos); Batuqueiros (Paulinho Bastos); Suprema (Joãozinho Gomes e Lula Barbosa); Puçangueira (Joãozinho Gomes e Eudes Graga); Sereia do Rio-Mar (Joãozinho Gomes, Eudes Grafa e Paulo Oliveira).

 

Eleição
Conselho de Política Cultural elege seus Conselheiros e Cultura e de Pauta, no domingo (22), no colégio Gabriel de Almeida Café (antigo CCA), na esquina da av: FAB com a rua Leopoldo Machado – Centro). A eleição vai acontecer das 8h às 17h.

 

‘Cabaré’
O guitarrista paraense Chimbinha, ex Banda Calypso, criou um belo projeto musical com artistas cantores do Pará, valorizando o brega nortista.
O ‘Cabaré do Brega’ reúne diversos artistas da música e já gravaram alguns discos e DVD’s. Parabéns.

 

Essência
Cantor e compositor amapaense, Zé Miguel gravou e já lançou seu disco ‘Quilombola’, valorizando sua raiz e sua essência. As músicas estão disponíveis em todas as plataformas digitais.

 

Passa Tchonha’
Título da música do cantor e commpositor amapaense, João Amorim, gravada pela Banda Negro de Nós, em seu novo álbum, ‘Negro De Todos Nós’.

 

‘Voei Além’
Título da nova música de Joel Elias em parceria com Naldo Maranhão, que gravou a canção. “Montado no meu poema eu revirei céus e terras, banhei-me em águas e nuvens, enfim…”.

 

‘Canto de Atravessar’
Música que está no repertório do disco ‘Raiz’ da cantora paraense, Leila Pinheiro. Uma louvação à Amazônia.
“O pescador quer beber, vai beber no Guajará. Vento no bote, força no remo, canto de atravessar…”.

 

Ancine lança editais para TV/VoD

Após a abertura de seis chamadas públicas para a produção cinematográfica, no valor total de R$ 458,2 milhões, e o anúncio de linhas de crédito de R$ 215 milhões para inovação e infraestrutura do setor, a ANCINE inicia os lançamentos de editais voltados para TV e Vídeo sob Demanda (VoD).

 

Na última terça-feira (17), a Diretoria Colegiada da Agência aprovou o lançamento de dois desses editais, com o objetivo de ampliar a oferta de conteúdos audiovisuais brasileiros nas televisões aberta e fechada, e nas plataformas digitais: o de Novos Realizadores TV/VoD, voltado para produtores iniciantes, no valor de R$ 20 milhões; e o de Produção TV/VoD, na modalidade Nacional e Regional, no valor de R$ 115 milhões. As produtoras poderão negociar o licenciamento das obras nos segmentos de TV e VoD de uma mesma programadora, desde que preservada a veiculação nos canais de Televisão.

 

Os recursos disponibilizados para esses editais totalizam R$ 135 milhões, que fazem parte dos R$ 1,27 bilhão aprovados para investimentos pelo Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) no Plano de Ação 2021 e no Plano de Ação 2022.  Até o momento, R$ 808,2 milhões dos valores aprovados nos planos de ação estão disponíveis ao mercado audiovisual, e os demais recursos serão anunciados ainda neste ano.

 

Produção TV/VoD – Novos Realizadores

Com o objetivo de favorecer a inserção de novos agentes no mercado, a chamada pública é voltada para a seleção de projetos de obras audiovisuais brasileiras independentes, seriadas e não seriadas, dos tipos ficção, animação e documentário, dirigidas por estreantes e produzidas por empresas produtoras iniciantes, classificadas na ANCINE no nível 1 ou 2.

 

O valor total da chamada é de R$ 20 milhões, sendo R$ 2 milhões o limite de investimento em cada projeto. No mínimo 40% dos recursos disponíveis serão para produtoras independentes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, e no mínimo 20% para produtoras da região Sul ou dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

 

Produção TV/VoD (Nacional e Regional)

A chamada pública é destinada à seleção de projetos de obras audiovisuais brasileiras independentes, seriadas e não seriadas, dos tipos ficção, animação e documentário, voltadas para TV e para VoD, contribuindo, assim, para a expansão da participação do conteúdo brasileiro nestes segmentos.

 

Como forma de promover a regionalização da produção audiovisual e fortalecer as empresas brasileiras do setor, R$ 47,5 milhões, dos R$ 115 milhões aprovados para esta chamada, são para a Modalidade Regional, reservada exclusivamente para projetos provenientes das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.  O limite de aporte para cada projeto é de R$ 3 milhões.

 

Na Modalidade Nacional, voltada para projetos de todo o país, o valor total é de R$ 67,5 milhões de recursos do FSA. O limite de aporte para cada projeto é de R$ 4,5 milhões.

Em cada modalidade, serão reservados 10% para projetos de animação; 10% para projetos com temática relacionada ao turismo; e 10% para projetos cujo tema seja esporte. (www.gov.br).

 

****************************************************************

Quando a mulher adentra na floresta
Para encontrar seus seres ancestrais
Os olhos de jaguar se cruzam em plena festa
Com os olhos encantados dos pássaros astrais

Zé Miguel/Fernando Canto

****************************************************************

 

‘Pedra de Rio’

Nesta sexta (20) está agendado o lançamento do novo álbum da cantora amapaense, Oneide Bastos, batizado de ‘Pedra de Rio’, nas plataformas digitais. Parabéns.

 

Museu

As visitas à exposição do Museu do Negro Gertrudes Saturnino estão liberadas até esta sexta (20), das 8h às 14h, na sede do Improir (av: Feliciano Coelho, 98 – Trem.

O objetivo é incentivar a população a conhecer mais sobre a cultura afro-amapaense e proporcionar mais desenvolvimento ao artesanato local.

 

Reforma

Prefeitura de Macapá vai repassar 150 mil para reforma de cinco barracões de Marabaixo, dos grupos:

Raimundo Ladislau (Laguinho); Marabaixo do Pavão (Jesus de Nazaré); Berço do Marabaixo (Santa Rita); Raízes da Favela Dica Congó (Centro) e União Folclórica da Campina Grande (km 21 – BR-156). O recurso é de emenda parlamentar do senador Randolfe Rodrigues.

 

Pré-Festival

Fejufap vai realizar o seu Pré-Festival ‘Primo Sebastian’ de Quadrilhas Juninas, domingo (22), a partir das 19h, na quadra da escola Nancy da Costa – Zerão, com onze grupos na disputa.

São elas: Magia da Juventude, Explode Coração (STN), Estrela Santanense, Reino de São João, Raízes Culturais, atração Junina, Guerreiros de Fogo, Tradição Junina MCP, Luar do Sertão, Estrela do Norte e Simpatia da Juventude.

 

Reconhecimento

Cantor amapaense, Amadeu Cavalcante é considerado um dos maiores intérpretes da Amazônia. Sua voz é privilegiada, respeitada e conhecida em todo o país. #Merecimento.

 

‘Jaçanã’

Título do livro que reúne grandes nomes da poesia da Amazônia, assim como a amapaense Annie de Carvalho, poeta tucuju. ‘Jaçanã – Poética Sobre as Águas’.

 

Novidade

Cantora e compositora amapaense, Sabrina Zahara lançou seu primeiro disco solo, ‘Eu Não Ando Só’, já disponível em todas as plataformas digitais. #Parabéns.

Saiba o que é poesia

Poesia é uma forma de se expressar e transmitir sentimentos, emoções e pensamentos. Antigamente, as poesias eram cantadas, acompanhadas pela lira, um instrumento musical muito comum na Grécia antiga. Por isto, diz-se que a poesia pertence ao gênero lírico.

 

O Dia Nacional da Poesia é comemorado em 14 de março, pois foi nesta data que nasceu o grande poeta brasileiro Castro Alves, em 1847. Foi conhecido como o poeta dos escravos por ter lutado arduamente pela abolição da escravatura no Brasil. Poeta romântico, Castro Alves morreu de tuberculose na capital baiana, Salvador, em 06 de julho de 1871, com apenas 24 anos. Ele escreveu obras clássicas como ‘Navio Negreiro’ e ‘Espumas Flutuantes’.

 

A poesia, ou gênero lírico, é uma das sete artes tradicionais, pela qual a linguagem humana é utilizada com fins estéticos, ou seja, ela retrata algo em que tudo pode acontecer dependendo da imaginação do autor como a do leitor.

 

Poesia, segundo o modo de falar comum, quer dizer duas coisas. A arte, que a ensina, e a obra feita com a arte; a arte é a poesia, a obra poema, o poeta o artífice. O sentido da mensagem poética também pode ser, ainda que seja a forma estética a definir um texto como poético. A poesia compreende aspectos metafísicos (no sentido de sua imaterialidade) e da possibilidade de esses elementos transcenderem ao mundo fático. Esse é o terreno que compete verdadeiramente ao poeta.

 

Num contexto mais alargado, a poesia aparece também identificada com a própria arte, o que tem razão de ser já que qualquer arte é, também, uma forma de linguagem, ainda que, não necessariamente, verbal.

 

*************************************************************

“Aqui distante de ti fica tudo esquisito
Feito café com sal
Leite com pimenta, andiroba no mingau
Eu preciso voltar pra perto deste olhar bonito…”

Zé Miguel

*************************************************************

 

 ‘Conquistas Ribeiras’

Título da obra que o artista plástico, Jeriel Luz, pintou na parede do antigo Bar do Valdir (Calçadão), situado na esquina da rua General Rondom com a avenida General Osório – Laguinho. Agora aquele local se chama ‘Samaúma Gastro Bar’. Gostei do nome da obra, ‘Conquistas Ribeiras – Arte Muralista’. #BelaArte”.

 

Aprovados

Parabéns aos calouros quilombolas amapaenses, classificados (aprovados) no vestibular da Unifap, em diversos cursos. Mais uma conquista do movimento negro do Amapá. Boa sorte.

 

24 anos

Projeto ‘Banda Placa’ realiza ações artísticas e culturais, há 24 anos, na comunidade de Mazagão Velho, sem apoio do poder público. “O Carlitão é o patrocinador do projeto, tudo sai do bolso dele”, disse Álvaro Gomes, irmão de Carlitão.

 

Ponto Cultural

O Ponto de Cultura ‘Emplacando’, que pertence a Banda Placa, está há 14 anos contribuindo com a cultura e famílias de Mazagão Velho. Parabéns.

 

Preservar e respeitar

Precisamos preservar e respeitar a cultura de um povo, pois é ela quem dá sustentação a existência dos costumes característicos do modo de vida de uma sociedade, comunidade ou de um grupo.

 

‘Jambú’

Título da música de Sabrina Zahara, Paulinho Bastos e Cléverson Baia, gravada por Sabrina em seu primeiro disco, ‘Eu Não Ando Só’, disponível nas plataformas digitais.

 

‘Coração Sonhador’

Título do novo disco de Amadeu Cavalcante. Também nome da música em parceria com o poeta Wilson Cardoso. Já em processo de gravação.

Gratidão às Nossas Raízes

O livro ‘Gratidão às Nossas Raízes’ é uma obra com características do Movimento Afrologia Tucuju, projeto que valoriza as temáticas negras amapaenses, coordenado pelo escritor, poeta e doutor, Ivaldo Souza.

 

A obra foi escrita por alunos da escola Joaquim Caetano da Silva, do município de Oiapoque e pertence ao projeto ‘Jovens Escritores’, coordenado pela professora Iranilda da Silva Souza.

 

Professora Iranilda Sousa, com 29 anos de magistério, continua irrequieta e seu espírito literário está cada dia mais sedento de novos desafios. Após o sucesso da obra que teve sua coordenação e foi voltada para seu público favorito, seus alunos. Pois eles escreveram a obra ‘Histórias Que Ainda Não Foram Contadas’, e ela a lapidou e os alunos confessam.

 

A obra foi produzida em 2018 e seu lançamento aconteceu em 2019. E de repente o planeta parou com a pandemia, mas a professora Iranilda, não. ‘Gratidão às Nossas Raízes’ chegou e traz textos suaves às vezes, outras mais ‘encorpados’, mas sempre muito envolventes. Uma miscelânea de poemas que farão o leitor certamente tentar adivinhar a alma dos autores, enquanto se deleita nos textos. Com uma linguagem quase sempre refinada, há textos bilíngues, e o objetivo da obra, não passará desapercebido: despertar os talentos que embora adormecidos, eclodem repentinamente como as flores, na chegada da primavera.

 

Iranilda já trilhou quase todas as etapas da vida acadêmica e já levou a luz de seu conhecimento para os mais distantes rincões do Amapá quando exerceu o magistério no Sistema Modular. Mais uma vez ela nos surpreende com essa rica e tão bem elaborada obra, escrita por seus nobres alunos.

 

*****************************************************************

A face do meu amor
Tem a cútis da leveza
É mais fina que o esplendor
Que o glamour da natureza

Rambolde Campos/Joãozinho Gomes

*****************************************************************

 

Campeã

Quadrilha junina Luar do Sertão conquistou o 1º lugar do 20º Pré-Festival de Quadrilhas Juninas realizado pela Simpatia da juventude, no sábado (14), na sede de Boêmios do Laguinho. #Parabéns.

 

Forrobodó

Secult está planejando o Festival  Estadual de Quadrilhas Juninas para acontecer no final do mês de junho. Aguardem mais informações.

 

Gigantes

Dia 11 de junho está agendado para acontecer o show ‘Gigantes do Samba e Pagode do Amapá’, na sede de Boêmios do Laguinho, a partir das 20h.

Atrações confirmadas: Shory, Papo Reto, Pegada de Gorila, PagoDelas, Os Moreiras, Aureliano Neck e o DJ Wank. A realização é da DR Produções e Eventos. Informações: 96 99144-8597 e 99162-5224.

 

Cara nova

Banda Afro Brasil está com novos músicos no grupo. Alan Gomes (baixo), Hian Moreira (bateria) e Fabinho Costa (guitarra) fazem parte da nova formação, dando mais qualidade técnica no projeto. Parabéns.

 

Novidade

Cantora Brenda Melo manda avisar que em breve estará com seu novo disco prontinho e disponível nas plataformas digitais. Aguardem.

 

Entrevista

Nesta quarta (18), às 16h, Carlitão estará no programa O Canto da Amazônia (Diário FM 90,9) falando do resultado da 1ª Feira Cultural Avença, que aconteceu no último final de semana em Mazagão Velho, e dos próximos projetos.

 

‘Voei Além’

Título da nova música de Joel Elias em parceria com Naldo Maranhão, que gravou a canção. “Montado no meu poema eu revirei céus e terras, banhei-me em águas e nuvens, enfim…”.

A alma carrega seu próprio peso

E cada grama foi conquistada pela ignorância do que seria o futuro. Tá valendo a responsabilidade pelo que se conquistou.

 

Isso não quer dizer que a alma tem que viver com o que já não suporta, mas suportar o peso do caminho de volta que é… porque eu vim até aqui?

 

Mas engraçado, é a chave na mão, a chave pra ser feliz é o amor ao invés do ódio, é a paz ao invés da guerra.

 

Carregar pesos foi uma invenção da estupidez, carregar a chave é não morrer, é acreditar que sofremos de egoísmo, e isso tem solução. Pra onde formos sempre haverá um problema para ser solucionado.

 

O amor fraternal, só esse amor suporta nossas imperfeições. Pior é não usar a chave para abrir o próprio coração, é matar alguém em sua natureza com a incompreensão.

 

É imperdoável a estupidez encravada na ignorância. A gentileza gera gentileza. (Osmar Jr.).

 

*******************************************************************

O mundo tá perdido
Com o sumiço do cupido
Que eu flechei num tiro certo
Pro gelo derreter

Fernando Canto/Nivito Guedes

*******************************************************************

 

‘Emplacando’

Nome do Ponto de Cultura em Mazagão Velho, que tem o ativista cultural, Josué Videira, como coordenador do projeto. O idealizador é o cantor e compositor, Carlitão, criador da banda Placa.

 

Referência

Ativista cultural Josué Videira, nascido e residindo na comunidade de Mazagão Velho, é uma das maiores referências quando o assunto é a valorização do Marabaixo, nossa cultura-mãe. Merece nosso respeito.

 

Solo sagrado

Mazagão Velho (AP) é o verdadeiro solo sagrado da cultura amapaense. Foi lá onde tudo começou quando, em 1771, famílias descendentes de escravos foram trazidas em navios negreiros e desembarcaram nas terras amapaenses.

 

‘Derradeira’

Nome da turnê que o consagrado cantor e compositor brasileiro, Milton Nascimento, vai realizar. Ele está se despedindo dos palcos. #Emocionante.

 

Agenda

Dia 3 de junho tem show de Nilson Chaves, no Farofa Tropical, na esquina da av: Antônio Siqueira com a rua São José – Laguinho, a partir das 21h. Mais informações: 98137-3130.

 

Candidato

Cantor e compositor amapaense, Clay Sam é candidato ao Conselho de Cultura pelo segmento da música. Boa sorte.

 

Museus

Museu Sacada (av: Feliciano Coelho – Trem) vai comemorar a Semana Nacional de Museus, a partir da quarta (18), às 9h. uma vasta programação foi preparada para festejar a data.

A cultura da música

A música é a mais universal das artes. Sua presença se dá não apenas ao longo da história, mas também nas mais variadas formas e culturas. Não há civilização, grande ou pequena, que não possua sua própria expressão musical. A apreciação dessa arte não depende de língua ou nível cultural. É o prazer proporcionado por essa mistura de harmonia, ritmo, melodia e timbre o que realmente importa. Pois a música está diretamente ligada ao encadeamento de emoções.

 

As composições podem nos suscitar alegria ou tristeza, euforia ou paz de espírito. O espectro emocional é vasto e pode unir diversas pessoas em um contexto social através de um mesmo sentimento. Do tropicalismo brasileiro, ao punk londrino. Do samba carioca de Noel e Cartola ao blues americano de B.B. King e Muddy Waters. Alguns desses movimentos ganharam amplitude mundial. Nada mais natural já que a música é capaz de unir diferentes culturas. Afinal, os ritmos contagiam. A corda de violino que reproduz Beethoven fala à alma do ouvinte hoje, como falava ao compositor alemão 200 anos atrás.

 

Para melhor apreciar essa criação humana é importante adquirir cultura musical. Hoje, graças à tecnologia, as pessoas ouvem música com mais frequência. Quase o tempo todo. Mas poucas entendem de verdade essa arte. É importante lembrar que a música não se resume à sua função de entretenimento. É preciso, em primeiro lugar, abrir o nosso leque para além daqueles sons que nos parecem imediatamente agradáveis. Pois respeitar e entender a expressão musical de diferentes culturas e grupos expande a nossa visão de mundo.

 

Isso é importante para estimular uma maior tolerância à diferença. Uma necessidade cada vez maior em nossa sociedade moderna. Outro benefício da cultura musical irá surgir na maior referência para as pessoas que se iniciam no mundo da composição. É a falta de referências que ocasionam um cenário de empobrecimento musical. Quanto mais vasta a sua cultura nesse campo, mais rico e criativo o resultado das suas composições. Mas nada disso é mais importante do que o aspecto lúdico e educacional da música. (https://www.sabra.org.br/).

 

**************************************************************

“Aqui distante de ti fica tudo esquisito
Feito café com sal
Leite com pimenta, andiroba no mingau
Eu preciso voltar pra perto deste olhar bonito…”

Zé Miguel

**************************************************************

 

 ‘Baú das Marias’

No sábado (14) tem lançamento do projeto Baú das Marias que vai acontecer no Instituto Marias da Esperança, na Travessa Ressaca da Lagoa, no Marabaixo 4, a partir das 9h.

O objetivo é fortalecer o gosto pela leitura, disseminar a cidadania e a cultura para crianças de 6 a 12 anos de idade, além de outras ações e temas. O evento vai acontecer de 14 de maio a 4 de junho em vários locais.

O projeto é patrocinado pelo Governo Federal em parceria com o Banco da Amazônia e governo do Amapá, através da Secult.

 

Avença

Nesta sexta (13) inicia a Feira Cultural Avença, na comunidade de Mazagão Velho, com várias atrações de arte e cultura.

Serão 3 dias de pura harmonia cultural, de 13 a 15. Música, poesia, circo, teatro, literatura, Marabaixo, batuque, exposição, artesanato, documentários e outras atrações.

 

Apelo

Apelando aos futuros candidatos ao governo do Amapá, nas eleições que se avizinham, que incluam a cultura como, também, prioridades em seus projetos. #Apelo.

 

‘Flor do Bolão’

Na sexta (13), a partir das 18h, a Cia. de Teatro Cangapé vai apresentar o espetáculo ‘Flor do Bolão’, no Centro Cultural Raízes do Bolão (Maloca da Tia Chiquinha), no Curiaú.

A apresentação faz parte da programação anual alusiva à data que ficou marcada na história pela assinatura da Lei Áurea em 13 de maio de 1888, a qual extinguiu oficialmente a escravidão no Brasil.

 

‘Tom nas Escolas’

O Instituto Antonio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro, disponibiliza o acervo do cantor e compositor com imagens, fotos e manuscritos. As obras do artista estão disponíveis nas mídias digitais.

 

Namorados

Dia 11 de junho tem Banda Sakarolha no Baile dos Namorados, na Cabana Show, no Infraero I, a partir das 20h. Mesas de mesas limitadas pelo 96 99136-5252 e 99156-9722.

 

Música

O compositor e multi-instrumentista pernambucano Zeca Cafofinho, reativa sua obra ‘Dança da Noite’. A primeira de uma trilogia com mais dois álbuns inéditos por vir; faixa-título foi criada em parceria com Arnaldo Antunes.

Tramas de amor e tramóias do cotidiano derramam-se sobre sonoridades dançantes, simultaneamente criativas e eruditas. Disponível nas plataformas digitais.

Ifap realiza o 1º Tucuju Literário

A Editora do Instituto Federal do Amapá (Edifap) prorrogou as inscrições do edital “I Tucuju Literário”. Agora, os interessados têm até o dia 12 de julho para inscrever seu conto ou poema. A iniciativa busca selecionar autores amapaenses para a publicação de uma coletânea com o tema “os encantos do meio do mundo”.
Os interessados em participar devem ter no mínimo 14 anos e realizar sua inscrição gratuitamente clicando aqui. Ao todo, serão selecionadas 400 propostas, sendo que 200 dessas devem ter como autores membros da comunidade interna do Ifap (estudantes, docentes, técnicos administrativos e funcionários terceirizados) e 200 devem ser de autores da comunidade externa.
As obras devem ser inéditas e seguir o tema anteriormente mencionado. De acordo com Romaro Silva, pró-reitor de Extensão, Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do Ifap, pasta na qual está vinculada a Edifap, “será uma imensa honra para todos nós da Edifap receber os contos e poemas de toda a comunidade amapaense ligada a literatura, sejam aqueles autores mais experientes ou autores iniciantes. Esta iniciativa já vem sendo pensada pela Edifap há bastante tempo. Estávamos ansiosos para lançar nosso primeiro edital voltado para a literatura amapaense. Isso mostra que a Edifap está comprometida tanto com a disseminação do conhecimento científico como também com a arte e a cultura do Amapá”. (Diretoria de Comunicação – Dicom).

 

 

CUITELINHO: Música brasileira com origem no folclore do Pantanal de Mato Grosso. Considerada uma das mais lindas músicas do cancioneiro popular brasileiro, Cuitelinho (denominação regional para Beija-flor) conta, à maneira do povo, uma pequena história de saudade, que pode ser interpretada como a saudade de um soldado brasileiro que lutou na Guerra do Paraguai. A letra foi recolhida por Paulo Vanzolini durante uma pescaria.

 

 

No Curiaú tem tambor marabaixo
São José é minha fé na beira mar
Isso é o Amapá
Ver nossas tradições rio acima e abaixo
Ivo Canuty

 

Empolgação
Cantor e compositor amapaense, Nivito Guedes é autor do samba de empolgação da escola de samba Piratas Estilizados, cantado na concentração da agremiação, antes de cada desfile.

 

Agenda
Dias 13 e 14 (sexta/sábado) tem show de lançamento do novo disco do cantor e compositor, Serginho Salles, no Farofa Tropical (esquina da Av; Antônio Siqueira com a Rua São José – Laguinho), a partir das 20h. mais informações: 98137-3130.

 

‘Belém’
Título da nova música do cantor e compositor paraense, Edilson Moreno, já no repertório do próximo disco. O artista tem muitos clássicos gravados por outros cantores.

 

Poesia e música
Poeta amapaense, Pedro Stkls, tem um belo projeto que une poesia e música com muita qualidade.
O talentoso artista tem uma linguagem regional em suas obras com pitadas do tempero amazônico. Em breve o lançamento de seu primeiro livro.

 

Qualidade
Produtor musical amapaense, Alan Flexa, coordena o Studio de Produção Artística Zarolho Records, que oferece serviços de produção musical, gravação, edição e masterização. Confira em sua página, no Facebook.

 

‘Rizoma da Mani’
Título da nova música de Naldo Maranhão em parceria com Afonso Sabão. A canção faz parte do próximo disco do artista e logo será lançado.

 

Mudança
O Saturday Classics mudou de endereço. Será no Kitanda Café, na esquina da Av: Feliciano Coelho com a Rua Jovino Dinoá – Trem, dia 14 (sábado), a partir das 21h. A assinatura do projeto é do consagrado DJ Pirão. Últimas reservas de mesas 96 99170-6746.