Neymar, até 2021

Finalmente, jogador Neymar fixou residência no Barcelona. A família tomou juízo e concordou em dilatar o prazo de permanência do jogador no clube catalão até 2021, tempo suficiente para chegar a atingir o seu maior objetivo, que a Bola de Ouro, prêmio maior do profissional de futebol. Com isso, sossegou o torcedor brasileiro que, diretamente, […]

Compartilhe:

Finalmente, jogador Neymar fixou residência no Barcelona. A família tomou juízo e concordou em dilatar o prazo de permanência do jogador no clube catalão até 2021, tempo suficiente para chegar a atingir o seu maior objetivo, que a Bola de Ouro, prêmio maior do profissional de futebol. Com isso, sossegou o torcedor brasileiro que, diretamente, faz parte da vida do jogador e espera ansiosamente sempre fortalecer em campo a seleção para reconquistar o título que lhe pertenceu.

A oferta do PGS, da França, para levar Neymar é bom por um lado, mas manifesta um lado negativo para o esporte número do mundo, qual seja, o de tirar do campo todas as atenções, nesse caso, convergindo para o mundo fantasioso da riqueza. A primeira dessa simbiose – dinheiro e craques – se firma no fato de que não é o dinheiro o modelo para a criação de jogadores ídolos como Pelé, Maradona e atual Messi. Esses astros não surgiram pela força do dinheiro e sim pelo próprio talento, arma em se aproveita o dinheiro para ganhar manchetes. A suposta proposta do PSG para Neymar buscava, acredita-se, lucros em detrimento da grandeza do jogador. Mas com essa dualidade de ações, o futebol continua em plano superior junto aos torcedores e, agora, mas alegre, pelo fato de que Neymar ficou na casa certa e isso é bom para todos.

Ora, pois, pois
Não é que a quase desacreditada seleção de Portugal furou a barreira e chegou à semifinal da Eurocopa. A Ideia que se sustentava em relação à seleção lusa é que só poderia contar com o craque Cristiano Ronaldo. Ledo engano. A equipe não tem grandes astros, e colocou o peito a ideia de que é preciso lutar para atingir o objetivo simbolizada conquista do título, o qual já esteve próximo, em 2008, contra a Grécia. Só que agora, a equipe lusitana vai enfrentar um adversário de respeito: o vencedor de Bélgica e País de Gales. Nesse duelo, pelo retrospecto, os belgas são favoritos. Mas se perder a vaga, a seleção portuguesa que se cuide, pois os gauleses vêm com força total, depois de deixar para trás a seleção sensação da Europa.

Ganso
Má notícia para o time do São Paulo. O meio campista Paulo Henrique Ganso vai desfalcar o time do Morumbi, na partida de quarta-feira, dia 6, no Morumbi, contra o Atlético Nacional, da Colômbia, pela semifinal final da Taça Libertadores. O jogador sofreu estiramento do músculo adutor da coxa direita e a previsão é que no dia 13, ele possa atuar. Nesse caso a precisão do time é maior, pois vai jogar em Bogotá.


 
Compartilhe: