A importância do Sítio Arqueológico do Calçoene

O pesquisador e ufólogo GiogioTsoukalos, para quem não sabe, é uma celebridade mundial quando o assunto ufologia, descobertas e arqueologia são cientificamente levados a sério. Foi ele que com muita propriedade comentou na mídia mundial o que denominou de “Stonehenge da Amazônia”, isto é, o nosso Sítio Arqueológico do Calçoene, um círculo de rochas composto […]

Compartilhe:

O pesquisador e ufólogo GiogioTsoukalos, para quem não sabe, é uma celebridade mundial quando o assunto ufologia, descobertas e arqueologia são cientificamente levados a sério. Foi ele que com muita propriedade comentou na mídia mundial o que denominou de “Stonehenge da Amazônia”, isto é, o nosso Sítio Arqueológico do Calçoene, um círculo de rochas composto por 127 blocos de granito, com cerca de três metros de altura cada um, colocados por uma inteligente civilização com a intenção de observar os solstícios de inverno e verão. Tal conclusão não é minha, ela é científica. Segundo cientistas, essa construção data de, no mínimo, mil anos atrás.

Diria mais:

O Sítio Arqueológico do Calçoene é bem mais do que o Stonehenge da Inglaterra. Comprovadamente e cientificamente até hoje não se sabe o que o Stonehenge é apesar do turismo inglês alimentar fantasias de curiosos. Aqui, no Estado do Amapá, já cientificamente comprovado por pesquisadores sérios, onosso complexode 127 blocos de granito foi intencionalmente posicionado, calculado, quem sabe para observar o tempo, as estações, as colheitas.

O que impressiona é a exatidão do raio do sol penetrar o centro de um perfeito círculo vazio aberto em um dos 127 blocos de granito, como se fosse um relógio temporal.

Giorgio Tsoukalos esteve no Brasil para divulgar a nova temporada do programa Alienígenas do Passado, do HistoryChannel. A nova temporada inicialmente abordou uma pesquisa de Giorgio e Erich Von Daniken (autor do clássico Eram os Deuses Astronautas) sobre a Cunha de Aiud, um objeto feito de puro alumínio encontrado na década de 60 e que dizem ter mais de 12 mil anos. O referido objeto é cercado por uma camada de oxidação que é muito antiga. Foi testado e é mais puro que qualquer alumínio que temos hoje. Observem que o alumínio só foi descoberto no século 19.O renomado ufólogo acredita que o País é um importantíssimo lugar para a comunidade ufóloga mundial e afirma:

“As pessoas religiosas dizem que somos os únicos no universo e que Deus nos criou e que somos os melhores. Fantástico! Mas, o que é tão grande quanto Deus para ter apenas uma espécie e um planeta com vida na vastidão do universo?”

E continua:

“Astrônomos e cientistas que estão trabalhando nisso, há muito mais tempo que eu, afirmam que existem mais galáxias no universo do que grãos de areia. Imagine que cada grão não é um planeta, mas sim uma galáxia, com bilhões de planetas. Para mim, explorar a teoria dos Ets não muda minha crença em Deus. Pelo contrário, acho que faz de Deus ainda mais magnífico se não estivermos sozinhos.”


 
Compartilhe: