Filmes, jogos e brinquedos assassinos

A forma brutal ocorrida com educadores, jovens e adolescentes em Suzano deixou o Brasil e o mundo estarrecidos, tamanho foi o grau de violência praticado por Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos, e Luís Henrique de Castro, 25 anos, inesperadamente, contra pessoas indefesas na Escola Estadual Raul Brazil, em São Paulo. E porque estas coisas acontecem? […]

Compartilhe:

A forma brutal ocorrida com educadores, jovens e adolescentes em Suzano deixou o Brasil e o mundo estarrecidos, tamanho foi o grau de violência praticado por Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos, e Luís Henrique de Castro, 25 anos, inesperadamente, contra pessoas indefesas na Escola Estadual Raul Brazil, em São Paulo.

E porque estas coisas acontecem?

Penso que a imaginação humana encorpada em pessoas que vivem em ambientes sem limites, sem respeito e sem amor possui faces ocultas e obscuras que a própria razão desconhece e até o diabo duvida e se espanta. Então voltamos às velhas questões culturais sobre família, base construtiva da sociedade, e sobre educação, única e principal razão moral de evolução da raça humana. Mas, haveremos de nos perguntar:

O que está acontecendo com a nossa sociedade e com os nossos valores morais?

Por conta dos prós e contras de uma era tecnológica materialista, gerada a partir do século XXI, estaremos vivendo apenas o começo de um tempo de inversão e de aversão aos verdadeiros valores morais que tanto nossos antepassados apregoavam? Estará a sociedade perdendo o verdadeiro valor da vida e de tabela perdendo o sentido da vida e do amor ao próximo, em família, entre amigos e colegas? O que realmente motivou estes jovens a praticarem tamanha barbaridade?

Para o Delegado de Polícia do Amapá, Ronaldo Coelho, jogos de violência, como o ‘free-fire’, que ensina a matar, pode ter tido uma grande influencia mental nos adolescentes suicidas. Entretanto ele ressalta que apenas as investigações irão determinar a motivação real dos crimes praticados. Para nós está evidente a completa ausência familiar na vida destes jovens e a potencialidade de influência que filmes e jogos de extrema violência podem incutir em jovens mentes frágeis e depressivas. Segurança nas escolas é preciso assim como acompanhamento diário dos pais na educação dos filhos também é preciso. Quem educa é a família. A escola é apenas uma ministradora de conteúdo curricular para quem realmente se interessa em aprender e vencer na vida.  É preciso que haja não só no Brasil como no mundo um controle sobre conteúdos bestiais de revistas, filmes e jogos game. Se assim não o fizermos estaremos confundindo liberdade de expressão com indução à libertinagem extremista e suicida. Mentes frágeis e depressivas costumam replicar aquilo que costumeiramente observam como exemplos de medidas extremas de resolutividade para seus problemas. Refletir é preciso!


 
Compartilhe: