Jarbas Ferreira Gato

Jarbas Ferreira Gato nasceu em Oriximiná, no estado do Pará, no dia 02 de dezembro de 1931. Em 1951 chega a Macapá a convite do chefe de polícia da cidade, Tenente Charone, e é contratado como mecânico e motorista da Guarda Territorial. Em 1955 a sorte para ele sorri ao ganhar o maior prêmio pago […]

Compartilhe:

Jarbas Ferreira Gato nasceu em Oriximiná, no estado do Pará, no dia 02 de dezembro de 1931. Em 1951 chega a Macapá a convite do chefe de polícia da cidade, Tenente Charone, e é contratado como mecânico e motorista da Guarda Territorial. Em 1955 a sorte para ele sorri ao ganhar o maior prêmio pago pela loteria federal, no norte do Brasil. Logo se torna um próspero empresário no ramo de transportes e de combustíveis e funda, juntamente com amigos, a União Beneficente dos Motoristas do Amapá – UBMA. Em 1960 manda edificar seu primeiro posto de combustível, privilegiadamente localizado ao lado do Mercado Central. Em 1964, juntamente com o saudoso Amujacy, Savino e demais amigos, fundam a Banda, considerada até hoje um dos maiores blocos de sujos do carnaval nacional. Tempos depois cria a Estrela de Ouro, empresa de transporte coletivo. Faz fortuna e realiza a compra de caminhões e kombis para prestar serviços às empresas Icomi e Brumasa, ambas localizadas no município de Santana. Em 1970 conclui o curso de Técnico em Contabilidade e logo depois é eleito presidente do Grêmio Literário Rui Barbosa.

Jarbas Gato viveu num tempo em que a palavra era tudo e o ato de servir aos outros, de maneira desinteressada, era natural.Uma época em que tudo por aqui ainda estava por fazer. E assim era o ambiente das relações humanas,nos anos 70, em Macapá, capital do extinto território federal do Amapá, uma região bucólica e insulada.A edilidade mirim, e sua atividade política propriamente dita, a de vereador da Câmara Municipal de Macapá, não tinha remuneração alguma. Vereador não tinha recurso público, verba de gabinete, não tinha salário, não tinha assessores e não tinha gabinete. Ser vereador, nos anos 70, era simplesmente um ato de boa vontade de servir, ajudar, socorrer os mais pobres e necessitados, enfim, olhar as comunidades mais carentes e tentar de alguma forma obter ajuda do governo local e federal. É neste começo do começo de tudo que Jarbas Gato obtém uma das mais expressivas votações para a escolha de vereadores do município de Macapá. Após a realização do primeiro processo eleitoral,para escolha da edilidade macapaense,Jarbas Gato é por 3 vezes eleito presidente da Câmara Municipal de Macapá. Chegou a assumir, por diversas vezes, a função de governador substituto, de vice e de prefeito interino da cidade de Macapá. Como deputado estadual constituinte atuou ativamente para formatação da constituição amapaense, após a promulgação da Carta Magna do Brasil, em 1988. Ainda em meados dos anos 80, funda o Jornal Combate, e depois passa o comando da direção do jornal a seu filho, Ranolfo Gato. Anos depois, se aposenta da política, com 30 anos de serviços prestados a nossa região. Ele historicamente é um dos políticos desta terra com maior número de mandatos, sempre detentor de expressiva votação. Na área do esporte, sua atuação sempre esteve muito voltada ao seu clube e time do coração, o Amapá Clube, onde foi por diversas vezes presidente.

 

 


 
Compartilhe: