O Bullying

Geralmente, sentimentos sem limites de raiva, ódio ou de inveja ocultam uma realidade ou uma questão social, racial, política e religiosa, quase sempre prevalecendo à agressão verbal, física e psicológica de um ou mais agressores contra uma pessoa indefesa, por vezes, com extrema violência.

Compartilhe:

O que vem motivando estudantes depressivos e isolados a de repente se tornarem violentos e cometerem assassinatos?

O bullying.

Qual o agente motor nocivo que vem colocando estudantes sem limites contra estudantes aparentemente pacíficos?

O bullying.

Qual a motivação do agressor?

Geralmente, sentimentos sem limites de raiva, ódio ou de inveja ocultam uma realidade ou uma questão social, racial, política e religiosa, quase sempre prevalecendo à agressão verbal, física e psicológica de um ou mais agressores contra uma pessoa indefesa, por vezes, com extrema violência.

Qual a motivação da reação inesperada e violenta do agredido?

Como todos nós temos o lado de uma fera animal o descontrole inesperadamente acaba surgindo, cedo ou tarde, quando o agredido moralmente ou fisicamente é permanentemente agredido. Daí é um passo para que o agredido seja movido por um sentimento de ódio bem mais forte que de seus agressores.O final de tudo só não pode terminar em desgraça se o agredido tiver um grande autocontrole, com certeza fruto de uma boa formação morale espiritual.

Transformemos e aportuguesemos, então, esta palavrinha inglesa, o bullying, para as seguintes expressões morais: respeito ao próximo, limite de si mesmo e respeito ao limite do outro.Eis a problemática da questão para famílias e educadores refletirem, pois, pela sucessão de fatos absurdos que vem ocorrendo em escolas públicas, Brasil afora, o momento requer a imediata disseminação de uma inteligente e bem formulada campanha de conscientização que envolva experientes psicólogos, sociólogos, grandes profissionais da educação e educadores religiosos.

Mas, o que é, conceitualmente, esse tal e tão falado bullying?

Bullying é a prática de atos violentos, intencionais e repetidos, contra uma pessoa indefesa, que podem causar danos físicos e psicológicos às vítimas. No Brasil ele é traduzido como o ato de bulir, tocar, bater, socar, zombar,tripudiar, ridicularizar, colocar apelidos humilhantes em pessoas, etc. É feito contra alguém que não consegue se defender ou entender os motivos que levam a tal agressão. Para a justiça brasileira, o bullying está enquadrado em infrações previstas no Código Penal, como injúria, difamação e lesão corporal. Segundo psicólogos, obullying atrapalha a aprendizagem do aluno, além de afetar seu comportamento fora da escola. Pais e professores devem estar atentos às atitudes de seus filhos e alunos, principalmente em alterações de comportamento, hematomas no corpo e demais situações que pareçam fora do comum. Distúrbios do sono, problemas de estômago, transtornos alimentares, irritabilidade, depressão, transtornos de ansiedade, dor de cabeça, falta de apetite e pensamentos destrutivos como o desejo de morrer e agredir são as consequências observadas por estudiosos como consequência na mente e no estado físico de uma pessoa vítima de bullying. Refletir é preciso!


 
Compartilhe: