Vote no fona

Como presidente de honra ‘in memoriam’ aclamemos o nome do saudoso poeta, escritor e advogado Álvaro da Cunha, autor do livro Quem Explorou Quem no Contrato do Manganês do Amapá.

Compartilhe:

Caro eleitor, fundemos a Força da Ordem Nacional com Amor, o FONA, um partidão que será o responsável pelo grande processo de discussão sobre as questões de interesse do Amapá, amazônicas e nacionais. Portanto, nosso lema de campanha será: Os últimos serão os primeiros! Vote no FONA! Ele vai mudar a sua vida.

Como presidente de honra ‘in memoriam’ aclamemos o nome do saudoso poeta, escritor e advogado Álvaro da Cunha, autor do livro Quem Explorou Quem no Contrato do Manganês do Amapá.
O que de anos para cá causa tristeza é o lamentável abandono do projeto de melhoria do canal da Mendonça Júnior e sua real situação visual, de ponta a ponta, assim como de toda a área que compreende o já parcialmente destruído muro de arrimo da frente da cidade: Canal do Perpétuo Socorro, Santa Inês e Araxá, isso para não detalharmos outra obra abandonada considerada vital para a infraestrutura social, econômica e turística da cidade: o prometido e inacabado complexo turístico da ponte do Santa Inês. E as nossas atrações turísticas, o Sítio Arqueológico do Calçoene, a Base Aérea do Amapá, as cavernas do Maracá? Quando elas terão o merecido valor, reconhecimento e divulgação turística para o mundo?

Mas, voltando a questão do FONA, e como já dizia Raul, “Sonho que se sonha só é só um sonho, e sonho que se sonha junto é realidade”, o FONA realizará grandes seminários com Sua Excelência O Povo, a céu aberto, nos quatro cantos do Amapá e do Brasil, assim como Sócrates fazia na Grécia Antiga. O grande chamamento popular será: Seja um FONA, a Força de Uma Nova Ordem bem constituída. Envolveremos todo o povão e lideranças sindicais para não só discutir nossas históricas mazelas como também encaminhar soluções. Vamos discutir e propor a retirada definitiva de isolamento desta região que por décadas é abastecida de produtos através de balsa, desde o governo de Janary Nunes, à partir de 1943. Haveremos de obter recursos e aplicar tostão a tostão para finalmente transformar o Amapá no Eldorado Amazônico, isto é, transformar o surreal em algo satisfatório para a qualidade de vida de cada comunidade local.

Senhores eleitores, iremos lutar no Congresso Nacional contra essa aberração, essa múmia paralítica que engessou o desenvolvimento do Estado do Amapá cognominado de Parque do Tumucumaque. Haveremos de conseguir esse tal um terço para votar e aprovar a matéria com o apoio de todos e do Papa Francisco, bem benzido e bem rezado o terço, bem entendido, para proteção frente e costas. E o querido Papa do povo, que é humanista, poderá ser nosso presidente de honra, sob aclamação e fé do povão.

O FONA não admitirá candidatos com ficha suja, mas sim, sobremaneira, fichas limpas, obviamente com boa formação superior e boa referência curricular. Será você, caro eleitor, que dirá o nome de cada candidato que desejar, em eleição livre e direta do FONA.

Em nosso seminário, senhoras e senhores, envidaremos todos os esforços para contar com a presença e apoio integral do designer de moda Antônio Urzi, residente em Milão, Itália. Ele é o homem que afirma ser alvo de contatos imediatos de 3º grau com inteligências superiores de outros planetas. Acaso encontremos barreiras para os bons propósitos de melhoria do Amapá e do Brasil entremos imediatamente em contato com tais inteligências superiores para decretar a independência do Amapá e o desenvolvimento do Brasil.

Chega de sofrimento e de pires na mão! Chega de sermos o fona em tudo! O minério é nosso e o petróleo também!

Com o apoio dos nossos bons amigos extraterrestres com certeza encaminharemos bandidos do colarinho branco, malandros, estupradores, assassinos, psicopatas, traficantes, corruptos e assaltantes para o Triangulo das Bermudas, localizado no Oceano Atlântico, e ao Triângulo do Dragão, localizado no Oceano Índico. Lá, tudo desaparece. Por questões de segurança máxima encaminhemos os piores a mundos desertos. Esses, meus amigos, podem sumir à vontade que ninguém vai sentir falta e sim alívio, somente, isso para alegria geral da Nação.
E que as nossas esperanças perdidas sejam lavadas e enxaguadas, e tornem-se um véu de noiva, como uma boa cerveja bem gelada…
Muito obrigado!


 
Compartilhe: