Nilson Chaves: a maior expressão musical da Amazônia

Dono de uma voz suave e sensibilidade de um compositor que capta as saudades e lembranças de sua terra, Nilson Chaves, ao deixar fluir essa combinação, encontrou seu caminho de cantador e violeiro amazônico.

Compartilhe:

Nilson Chaves, nasceu em Belém/PA onde começou sua carreira nos festivais de música e compondo para grupos de teatro locais. Por volta de 1975 decide mudar-se para o Rio de Janeiro onde canta em casas de shows, compõe para espetáculos de teatro e dança e torna-se parceiro, entre outros, de Luli e Lucina e Thereza Tinoco, que registram essas parcerias em discos. Vencedor de vários festivais, lança seu primeiro LP, faz shows e o tempo se incube de mostrar-lhe que é na terra natal que corre a seiva de sua música.

 

Dono de uma voz suave e sensibilidade de um compositor que capta as saudades e lembranças de sua terra, Nilson Chaves, ao deixar fluir essa combinação, encontrou seu caminho de cantador e violeiro amazônico.

 

O lançamento do seu primeiro disco “Dança de Tudo” em 1981, uniu a tradição da música brasileira às raízes amazônicas. Em seguida o lançamento do disco “Interior” (gravado em parceria com o cantor e compositor Vital Lima, em 1985), proporcionou-lhe uma ardente acolhida e um público imenso e caloroso na região ao norte do país. E não é por acaso que hoje dividi-se entre o Rio de Janeiro e o Pará, ambos pontos de partida para a irradiação de seus temas. Cantador e violeiro amazônico, Nilson Chaves procura universalizar sua música – um sempre renovado compromisso com a emoção de sua terra – com suas raízes paraenses, mas em dia com uma linguagem musical moderna, onde se encaixam, de forma leve e natural, os costumes e palavras da região.

 

“SABOR” é uma apoteose aos sabores da Amazônia, lançado em 1989.

 

Em 1990 lançou “Amazônia”. Em 1992, entendendo a necessidade de proporcionar as novas gerações um contato mais próximo com a obra do Maestro Waldemar Henrique, lançou um disco com re-leitura dos clássicos desse compositor intitulado “Waldemar”, também em parceria com Vital Lima. Lançado em CD, no ano de 1994, a qualidade do trabalho foi reconhecida pelos críticos do jornal “O Globo” na edição de 25/12 de 1994 e “Waldemar” foi listado entre os dez melhores lançamentos daquele ano. Em 1993 lançou “Não Peguei o Ita” , cuja faixa “Passarinho e Homem” foi vencedora do Prêmio Sharp de melhor arranjo (maio/94). Em 1997, em parceria com Sebastião Tapajós, lança o CD “Amazônia Brasileira”, tendo por base o espetáculo que vem percorrendo várias capitais brasileiras e que também foi apresentado na cidade de Berlim (Alemanha) em Setembro/97, durante a semana dedicada à música brasileira.

 

No ano de 1998, Nilson Chaves cantou para mais de 180 mil pessoas, por todos os cantos desse Brasil, e também pela cobiçada Europa em suas apresentações pela Alemanha, tendo se apresentado com Tetê Espíndola em Munique, bem como pela turnê com Sebastião Tapajós por várias cidades da França. Retornou ao Brasil para uma turnê com Chico César pelo norte do país. Todo esse público esteve presente em seus 150 shows.

 

*************************************************

Não, nunca mais
Eu vou querer uma paixão assim
A gente briga, a gente sofre, a gente cresce
Por amar, eu sei

Osmar Júnior

*************************************************

 

‘Carimbó do Amapá

Título da nova música do cantor e compositor amapaense, Amado Amâncio, que registra mais de 30 anos como artista musical. Parabéns.

 

Diretora

Aracilene Monteiro é a nova diretora de carnaval da Liesap. Ela assumiu a cadeira que era ocupada por Alexandre Evangelista, falecido recentemente.

 

Chico Mendes

O Iphan atualizou a portaria que delimita a poligonal e os critérios de intervenção para o entorno da Casa de Chico Mendes, em Xapuri (AC), e tombada como Patrimônio Cultural do Brasil. (iphan.gov.br).

 

Pintura

Artista plástico Amapaense, Jeriel Luz está expondo no Sesc Araxá. ‘Marabaixo- A Essência De Um Povo’ é o nome da exposição.

 

Presidente de honra

O consagrado sambista brasileiro e um dos ícones da MPB, Martinho da Vila é o presidente de honra da escola de samba Vila Isabel, onde tem um reconhecido trabalho.

 

Ao vivo

Programa O Canto da Amazônia (Diário FM 90,9) recebe, nesta quinta (19), o cantor amapaense Amadeu Cavalcante, considerado a melhor voz do cancioneiro amazônico. Sintonize.

 

‘Nos Passa Vida’

Título da música de Osmar Júnior e Rambolde Campos, gravada por Nathal Villar, em seu novo disco ‘Além da Linha do Equador’. Lançamento em breve.


 
Compartilhe: