O que é música instrumental

Até o início do século XVI, os instrumentos musicais eram usados apenas para acompanhar os cantos ou marcar ocompasso das músicas. A partir disso, as composições instrumentais foram ficando cada vez mais frequentes até que, durante o período barroco, a música instrumental passou a ter importância igual à vocal.

Compartilhe:

A expressão música instrumental distingue toda música produzida exclusivamente por instrumentos musicais. Porém, ao contrário do que parece, a música instrumental não é necessariamente desprovida da voz e do canto. Em alguns casos, como “Taiane”, do brasileiro Hermeto Pascoal, ou “The Great Gig in the Sky”, da banda inglesa de rock progressivo Pink Floyd, a voz é usada como instrumento musical.

Até o início do século XVI, os instrumentos musicais eram usados apenas para acompanhar os cantos ou marcar ocompasso das músicas. A partir disso, as composições instrumentais foram ficando cada vez mais frequentes até que, durante o período barroco, a música instrumental passou a ter importância igual à vocal. Foi durante o período clássico (da música), porém, compreendido entre os anos de 1750 e 1810, que a música instrumental passou a ter importância maior do que a vocal, devido ao aperfeiçoamento dos instrumentos e ao surgimento das orquestras.

Como não podia deixar de ser, a música popular brasileira moldou-se a partir de todas estas fontes, bem como das influências vindas da música africana, trazida por negros de vários lugares, e também da música indígena de diversas regiões. Historiadores da música afirmam que a modinha (da Europa) e o lundu (da África) são as grandes influências da música popular brasileira e, juntamente com o schottish, a valsa, o tango e a polca, são grandes influências também para o choro, que é essencialmente instrumental, e considerado primeiro gênero popular urbano do Brasil. Os principais instrumentos utilizados no choro são o violão de 7 cordas, violão, bandolim, flauta, cavaquinho e pandeiro, embora diversos outros instrumentos tenham sido utilizados.

Estação Lunar
Na quinta, 21, tem a segunda edição do projeto ‘Estação Lunar’ no balneário de Fazendinha, às 19h, como parte da programação do Macapá Verão 2016.
Artistas: Contação de História; Cley Lunna (voz e violão); Marabaixo Dica Congó; Nonato Santos; Lolito do Bandolim; Ariel; Emília Monteiro e Banda Placa.
O convidado homenageado da noite será a Banda Placa, que tem mais de trinta anos de produção cultural no Amapá.

Aniversário
Galeria de Artes Samaúma, no Complexo Marlindo Serrano – Araxá, vai completar três anos de existência, na quarta, 20.
Artistas de todos os segmentos da cultura tucuju estão convidados para comemorar e festejar a data.

Mundial
Conjunto Moderno da Pampulha é Patrimônio Mundial da Humanidade, pela Unesco. A indicação da Pampulha foi ratificada pelos 21 países integrantes do Comitê, por consenso.
Encomenda do então prefeito de Belo Horizonte Juscelino Kubitschek ao arquiteto Oscar Niemeyer, o conjunto modernista reuniu outros dois gênios das artes brasileiras: Roberto Burle Marx, que assina o paisagismo, e Candido Portinari, autor do painel externo de azulejos da Igreja de São Francisco de Assis, que é um dos principais cartões postais de Minas Gerais. (www.cultura.gov.br).

Música
Abertas as inscrições de seleção de projetos para apresentações musicais em grandes eventos.
Os interessados devem inscrever seus projetos até o dia 24 de julho pelo site www.festivaisdobrasil.com.br.

Agenda
Dia 29 de setembro tem show com Fafá de Belém e o Padre Fábio de Melo, em Macapá. Aguardem.

 Filme
A música ‘Asfalto Amarelo’ (instrumental), do maestro Manoel Cordeiro, Felipe Cordeiro e Zeca Baleiro, virou trilha sonora do filme Pequeno Segredo.
Será lançado no fim do ano em São Paulo (capital) e Paris (França). É a valorização da música da Amazônia.

Destaque
Professor de música e guitarrista amapaense Fábio Costa (Fabinho) é um daqueles músicos que dá gosto de ouvir o que ele toca, pois a qualidade técnica é impressionante.
Merece o destaque e o registro da coluna.

Senzalas
A cada show vem a reafirmação da valorização e resgate da música feita em casa com requinte de qualidade profissional indiscutível.
Joãozinho Gomes, Val Milhomem e Amadeu Cavalcante são a letra, melodia e a música que se transformam em história verdadeira para o povo tucuju.


 
Compartilhe: