Cidades

Amapá Jovem: Bolsistas do Bailique apresentam melhorias para a comunidade em forma de maquete

Projeto faz parte das atividades do programa e buscam incentivar os jovens bolsistas a contribuírem com a melhoria da comunidade onde vivem.

Compartilhe:
Identificar um problema na comunidade onde moram e apresentar uma solução foi o desafio dos jovens bolsistas do programa Amapá Jovem no arquipélago do Bailique, região ribeirinha da capital Macapá. A atividade é uma forma de incentivá-los a olhar o local e identificarem de que forma podem contribuir para melhorar o ambiente.  A solução foi apresentada em forma de maquete, mostrando que é possível realizar os projetos apresentados.

Ao todo foram sete maquetes, montadas com projetos para as seguintes questões: passarelas caídas, saneamento básico, água salgada, educação, saúde e energia. A bolsista Cleise Monteiro conta que o grupo levou uma semana para construir a maquete que apresentava a construção de pontes de concretos como alternativa para as passarelas caídas. Para o trabalho utilizaram papelão, garrafa pet, tinta guache e outros materiais.

“As passarelas caídas são um problema na nossa comunidade, por isso sugerimos a construção de uma ponte de concreto, pois ela é mais durável, apesar dos gastos serem maiores, mas elas duram mais anos que as pontes de madeira”, explicou a jovem.

Para a jovem Cheuly Batista, 18 anos, do polo Vila Progresso, que apresentou uma maquete para melhorar o saneamento básico na comunidade, a atividade serviu para motivá-los.

“Nos motiva a olhar e melhorar a nossa comunidade ribeirinha. Podemos transformar esse projeto em realidade e colocar em prática tudo isso”, afirmou a bolsista.

Wellington, de 21 anos, é do polo Itamatatuba, com os companheiros de grupo apresentou uma solução para melhorar o serviço prestado de água tratada.

“Queria que as pessoas entendessem que a nossa realidade é diferente da capital e que o serviço prestado tem que levar em conta isso. Com o programa Amapá Jovem tivemos essa oportunidade”, disse o bolsista.

O Secretário de Políticas para a Juventude, Pedro Filé, lembra que um dos objetivos do programa é valorizar e promover a participação social e política dos jovens no desenvolvimento do Estado.

“O Amapá Jovem está presente em todo o estado e as atividades de cada polo levam em consideração as características de cada região. Por meio de atividades como essas, desenvolvidas pela nossa equipe no Bailique, fazemos com que os jovens participem ativamente do desenvolvimento da comunidade onde vivem”, afirmou o gestor.

O projeto foi ideia da professora Analice Machado, que ao palestrar para os jovens, durante atividade do programa, sugeriu aos coordenadores que os bolsistas identificassem os problemas na comunidade e apresentassem a solução em forma de maquete. Toda a atividade foi conduzida pela coordenadora do Amapá Jovem no distrito, Dayana Tolosa, com auxílio do gerente operacional da Sims, Gean. Após a elaboração das maquetes, os jovens apresentaram o trabalho para os moradores da comunidade.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *