Cidades

Após dois meses, familiares tentam manter buscas por garotos desaparecidos em Calçoene

Segundo Edineide Siqueira, mãe de Renato de Jesus, embora a área de mata seja extensa e densa, os ‘mateiros’ da região continuam encontrando pistas dos garotos.

Compartilhe:

Railana Pantoja
Da Redação

Após dois meses do desaparecimento dos meninos Renato Siqueira de Jesus, de 13 anos, e Fabrício Oliveira Barbosa, de 14 anos, em área de mata na zona rural do município de Calçoene, familiares continuam tentando manter as buscas por conta própria.

“Agradeço a todos que não desistiram e nos apoiam, e, claro, agradeço muito a Deus por eu não ter perdido as esperanças. Não importa quantos meses estão fazendo, a esperança se renova a cada dia, acreditamos que encontraremos os dois com vida. Adaptamos nossas buscas, ajustamos algumas coisas e acredito que estamos no caminho certo”, disse Edineide Siqueira, mãe do Renato.

Segundo Edineide, embora a área de mata seja extensa e densa, os ‘mateiros’ da região continuam encontrando pistas dos garotos. “A gente não tem dimensão da mata aqui fora, só conhece quando adentra. Acredito muito que estamos conseguindo chegar perto dos meninos. Eles ainda estão vivos, andando por aqui, eu sei porque coração de mãe não se engana. Cada prova dessa tem Deus na frente, então, sei que eles vão voltar com vida, apesar das dificuldades”, acredita.

A força-tarefa voluntária que procura Renato e Fabrício é composta por mateiros da região e caçadores que saíram de outros municípios. “Estão fazendo de graça, sem cobrar absolutamente nada. Mas, para mantê-los lá, vivemos de doações financeiras. Precisamos comprar comida, remédios, lanterna, pilha, enfim, tudo isso é dado para que eles consigam se manter dentro da mata. Além disso, nós formamos cestas básicas para dar aos familiares dos mateiros aqui fora”, finalizou Edineide.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *