Cidades

Coronavírus: pesquisa indica que Macapá tem melhor adesão ao isolamento social em cinco semanas

A medida adotada pelo Município e Estado veio após o colapso do sistema de saúde local, onde a ocupação das unidades de tratamento intensivo da rede estadual atingiu 100% nos últimos dias.

Compartilhe:

No terceiro dia de isolamento social mais rígido em Macapá, 56% da população aderiu à medida para frear a propagação da Covid-19. O índice é o maior em cinco semanas, quando menos de 46% das pessoas estavam em casa. As informações são do Instituto Inloco. A medida adotada pelo Município e Estado veio após o colapso do sistema de saúde local, onde a ocupação das unidades de tratamento intensivo da rede estadual atingiu 100% nos últimos dias.

Apesar dos três primeiros dias de isolamento mais rígido terem apresentado acréscimo na linha de adesão ao ficar em casa, o patamar atual não é o bastante para controlar a doença. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o índice seja de cerca de 70% para fazer com que o número de novos casos pare de crescer e comece a cair. Para isso, as medidas mais rígidas, como a proibição de circulação de veículos particulares, a não ser para comprar alimentos ou atendimento médico, a entrada e saída de carros e o fechamento de qualquer comércio não essencial, continuarão nos próximos dias na capital amapaense.

Durante a fiscalização, alguns motoristas, fazendo o uso de máscara, apresentaram declarações justificando suas saídas de casa e foram liberados para passar pelos bloqueios. Entretanto, em uma das negativas presenciadas, uma pessoa teve que retornar à sua residência pelo fato de não exercer nenhuma atividade essencial, mesmo com a placa de seu veículo correspondendo ao dia permitido.

Quem precisar sair de carro deve ficar atento ao dígito final da placa. O veículo que tiver a placa terminada em 1, 3, 5, 7 ou 9 só pode rodar nos dias ímpares. Os veículos com placas terminadas em 0, 2, 4, 6 e 8 só devem circular nos dias pares. Vale lembrar que, mesmo respeitando o rodízio, os motoristas têm que justificar, ao serem abordados no bloqueio, o motivo de estar saindo de casa. Quem não seguir as medidas pode ter o automóvel retido.

Segundo o Decreto Municipal 2.058/2020, está permitida a circulação de veículos e pessoas que estejam envolvidas com atendimento de necessidades essenciais de gêneros alimentícios, medicamentos e produtos de higiene, obtenção de atendimento ou socorro médico, prestação ou utilização de serviços bancários, e desempenho de atividades essenciais. Haverá fiscalização em toda a cidade, com monitoramento da saída das pessoas nas ruas e, ainda, o cumprimento do rodízio de carros. Além do uso obrigatório de máscara pela população.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *