Cidades

CRDT promove campanha para diagnóstico e tratamento da hanseníase

Diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento da doença. Durante a ação, 13 casos suspeitos de hanseníase foram encaminhados para testes específicos.

Compartilhe:
Com 39 casos de hanseníase notificados de janeiro a março de 2019, o Centro de Referência em Doenças Tropicais (CRDT) promoveu nesta sexta-feira, 12, o “Dia da Mancha”. A iniciativa, teve como objetivo alertar a população sobre os sinais e sintomas da doença, estimular a procura pelo atendimento e mobilizar os profissionais na busca ativa de casos novos, para a realização do diagnóstico e tratamento precoce da hanseníase.

Das 9h até as 11h da manhã, mais de 50 atendimentos haviam sido ofertados e 13 casos suspeitos de hanseníase foram encaminhados para testes específicos. A perda da sensibilidade da pele é umas das principais características da doença.

De acordo com a diretora do CRDT, Inês Celeste, a campanha visou, sobretudo, detectar precocemente novos casos para tratá-los de forma ativa. “Quanto mais cedo o diagnóstico, melhor a eficácia do tratamento, que ajuda a reduzir, principalmente, as possíveis sequelas que a hanseníase acomete, por isso, a importância de mobilizar a população”, explicou Inês.

A ação ocorreu no ambulatório do CRDT, em Macapá, e os usuários que apresentaram sintomas suspeitos como manchas na pele, passaram por avaliação e foram encaminhados para os médicos especializados. Segundo Inês, de janeiro a dezembro de 2018, foram registrados 131 novos casos de hanseníase. Além disso, o aumento do quantitativo de crianças diagnosticadas com a doença, preocupa a unidade de saúde, que tem se organizado para investigar a incidência.

A dona de casa Rosalina Souza soube da programação por meio de um telejornal e aproveitou a oportunidade para levar a neta, que estava com várias manchas na pele. “Quando a vi a oferta do atendimento pelo CRDT, aproveitei para trazer minha neta, ela já foi atendida pelo dermatologista e agora irá fazer uma biópsia para confirmar a doença. Se for diagnosticada com hanseníase, vamos ter que iniciar o acompanhamento pelo centro”, disse Rosalina.

A hanseníase atinge pele e nervos periféricos e pode levar a sérias incapacidades físicas. É transmitida principalmente pelas vias respiratórias superiores de pacientes com muitos bacilos (multibacilares) não tratados. O atendimento para o diagnóstico da hanseníase e tratamento são ofertados pelo SUS, disponíveis pelo CRDT e Unidades Básicas de Saúde (UBS).

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *