Cidades

De janeiro a maio de 2021, Amapá já registrou 320 casos de sarampo

Ao longo de todo ano de 2020, foram confirmados 297 casos no estado. SVS aponta a baixa procura pela vacina nas UBS’s como um dos motivos para o crescimento.

Compartilhe:
Foto: Arquivo SECOM

De janeiro a maio de 2021, o Amapá já registrou 320 pessoas com sarampo – um número superior aos 297 casos confirmados ao longo de todo o ano de 2020, quando teve início o surto da doença no estado – para efeito de comparação, em 2019 foram apenas dois casos confirmados. Os dados são da Superintedência de Vigilância em Saúde (SVS), que ainda aponta 18 casos suspeitos da doença, eles estão sob investigação epidemiológica.

O sarampo é uma doença infecciosa grave, transmitida quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única forma de prevenção é por meio da vacina tríplice viral, que, aplicada em duas doses, protege contra sarampo, rubéola e caxumba.

Desde 2020, o Governo do Amapá vem trabalhando para ampliar a cobertura vacinal em todos os municípios por meio de ações como imunização de casa em casa, campanhas de vacinação e realização de busca ativa de novos casos por meio de georeferenciamento e inteligência artificial. Contudo, um dos motivos do aumento de casos de sarampo é a baixa imunização.

Segundo informações do Datasus, a taxa de vacinação para a primeira dose (D1)  no estado é de 10,85%, para a segunda dose ( D2) é de 4,66%. O município que mais vacinou é Amapá com 51,43% para D1 e 38,57% para D2, o que tem o menor alcance é Pedra Branca do Amapari com 1,54% para D1 e 0,77% (D2).

Os possíveis fatores relacionados pela baixa adesão à vacina são: baixa procura da população nas Unidades Básica de Saúde (UBS); o medo de sair de casa por conta da pandemia da COVID-19; falta de alimentação dos dados nos sistemas de informação do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização(SI-PNI), insuficiência da atuação da Equipe de Saúde da Família para intensificar a vacinação nas áreas.

“A vacina é de rotina, ou seja, mensalmente ou conforme solicitação do município é feita a distribuição. A vacina tríplice viral, já foi recebida e distribuída para os 16 municípios e encontra- se disponibilizada para toda a população, não há falta de vacinas”, informou Andrea Marvão, chefe da  Unidade de Imunobiológicos da SVS.

 

Cobertura vacinal

A vacina tríplice viral está disponível em todas as UBS, a primeira dose da vacina (D1) deve ser aplicada a partir do sexto mês de vida da criança e o reforço aos 15 meses. Para adultos, caso ainda não tenha tomado a vacina ou não tenha lembrança, até 39 anos o indivíduo deve ter tomado as duas doses, dos 40 aos 59 anos, é necessário apenas uma dose.

“Sarampo é uma doença altamente contagiosa e pode ser letal para crianças, entretanto ela pode ser evitada com vacina e está disponível para todos os municípios, é necessário que a população se vacine o mais rápido possível “,ponderou Dorinaldo Malafaia, superintendente  da SVS no Amapá.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *