Cidades

Exploração sexual de crianças e adolescentes é tema de debate

O secretário municipal de Iluminação Pública, Claudiomar Rosa, que representou o prefeito Clécio Luís, ressaltou a preocupação da Prefeitura de Macapá sobre o assunto. “A gestão identificou esse problema social”.

Compartilhe:

A Prefeitura de Macapá e parceiros debateram sobre exploração sexual de crianças e adolescentes na Rua Claudomiro de Moraes, na manhã desta quarta-feira, 20, no auditório do Centro de Ensino Profissionalizante do Amapá (Cepajob). O motivo do encontro foi discutir sobre uma ação conjunta entre os órgãos competentes, com o objetivo de sensibilizar a população para que todos sejam agentes na garantia e na defesa dos direitos das crianças e adolescentes contra todo tipo de violência. 

O secretário municipal de Iluminação Pública, Claudiomar Rosa, que representou o prefeito Clécio Luís, ressaltou a preocupação da Prefeitura de Macapá sobre o assunto. “A gestão identificou esse problema social. Neste primeiro momento, convocamos as instituições de segurança pública e que trabalham na defesa de crianças e adolescentes para debatermos a problemática, e, posteriormente, criarmos um plano de ação para combater a violência sexual e outros atos delituosos na Rua Claudomiro de Moraes, que compreende do cemitério ao Residencial São José”, ressaltou.

A representante do Ministério Público Estadual, a assistente social Iolanda Martins, reforçou que é fundamental uma ação conjunta para combater abusos sexuais naquele local. “O Ministério Público está aqui hoje justamente para colaborar na coleta de informações e encaminhar para as promotorias Criminal e da Infância e da Juventude para que as devidas providências sejam tomadas. Essa ação, realmente, precisa da colaboração de todos os entes envolvidos nesse processo”, disse.

A estudante Luciane Pietra Cardoso destacou a relevância do tema. “A exploração sexual é uma temática pouco comentada. Há essa necessidade de debatermos sobre o assunto para sabermos a real gravidade. A prostituição é corriqueira, ela acontece no nosso bairro, na esquina da nossa escola, é importante a juventude participar desse debate para obtermos mais informações sobre esse tipo de situação”, relatou.

Também estiveram presentes no encontro representantes do Conselho Tutelar da zona sul, Polícia Militar, Polícia Civil, Vara da Infância e da Juventude e da Guarda Municipal de Macapá. A Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) foi convocada, mas não compareceu.

 

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *